Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo
Expandir Minimizar

Planejando a compatibilidade de aplicativos

Planejar

Publicado em: 30 de novembro de 2006

A figura 2 ilustra as atividades primárias que ocorrem durante a Fase Planejar. Enquanto outras equipes estão desenvolvendo imagens, planos de projetos e outros itens, a equipe de recursos de Compatibilidade de Aplicativos e a equipe de recursos de Testes se dedicam à compatibilidade dos aplicativos existentes com a nova implantação. Essas equipes devem procurar em todas as localidades e todos os departamentos que possuam computadores clientes (inclusive servidores de terminal usados no modo de aplicativos) que serão analisados em relação à compatibilidade dos aplicativos, e decidir quais aplicativos devem ser testados no ambiente de testes.

Bb490271.SE_AppCompat02(pt-br,TechNet.10).gif

Figura 2. Atividades durante a Fase Planejar
Nesta página

Funções e responsabilidades
Identificando os clientes para inventário
Planejamento do inventário de aplicativos
Coletando o inventário de aplicativos
Analisando os resultados do inventário de aplicativos
Criando o portfólio de aplicativos
Etapa: portfólio de aplicativos criado

Funções e responsabilidades

Todos os seis clusters de funções do Modelo de Equipe do MSF desempenham uma função na Fase Planejar da iniciativa. A tabela 1 apresenta essas funções e define as áreas de enfoque para cada grupo de função relativo ao processo de implantação na Fase Planejar. Para obter mais informações sobre os grupos de funções da equipe MSF, consulte Microsoft Solutions Framework (em inglês) em http://www.microsoft.com/technet/itsolutions/msf/default.mspx.

Tabela 1. Funções e responsabilidades da equipe na Fase Planejar

Função

Foco

Gerenciamento de produto

  • Análise dos requisitos comerciais

  • Planejamento das comunicações

  • Diretiva de retirada de aplicativos ao final do suporte prestado pelos forncedores

Gerenciamento de programa

  • Orçamento

  • Planejamento e agendamento do projeto mestre

Desenvolvimento

  • Planejamento e agendamento do desenvolvimento

  • Estabelecimento do laboratório

  • Design lógico e físico

  • Avaliações da tecnologia

Teste

  • Planejamento e agendamento do teste

  • Definição dos requisitos de teste

Experiência do usuário

  • Requisitos de localização e acessibilidade

  • Cronogramas

  • Planos de treinamento

  • Cenários/casos de uso

  • Documentação do usuário

  • Requisitos do usuário

Gerenciamento de versões

  • Inventário de aplicativos e hardware

  • Interface com as equipes de prontidão para operações e recursos de segurança

  • Descoberta de rede

  • Requisitos das operações

  • Planejamento/agendamento do piloto e da implantação

Identificando os clientes para inventário

Criar um inventário completo de cada aplicativo e computador da empresa pode ser demorado, mas as vantagens superam os custos. Felizmente, o processo de reunião do inventário de aplicativos pode ser automatizado com o ACT. Se a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos optar por realizar amostragens por lote para criar um inventário, ela poderá selecionar os clientes que entrarão no inventário de acordo com as seguintes características:

  • Versão do sistema operacional

  • Nível do service pack

  • Localização geográfica

  • Fabricante, modelo e tipo do computador

  • Aplicativos instalados

  • Unidade de negócios em que o computador é usado

  • Função do usuário dentro da organização

Embora a equipe possa realizar amostragens de lotes para criar um inventário útil, o método preferencial é a implantação do Collector a partir do ACT para todos os computadores da empresa e realizar uma varredura de coleta. Então, a equipe transfere esses dados para o servidor de log e os importa para o banco de dados de inventário para efetuar a análise.

Planejamento do inventário de aplicativos

O espaço total de armazenamento necessário para o inventário de aplicativos depende diretamente do número médio de aplicativos em cada computador, do número de computadores a ser inventariado, e da configuração dos pacotes de coleta de dados (DCPs) implantados. Uma regra geral para calcular o espaço de armazenamento do inventário de aplicativos é planejar de dois a três megabytes (MB) de espaço de banco de dados por máquina cliente. A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode aumentar esse espaço se planejar executar a coleta por um período prolongado ou se planejar a realização de atualizações estendidas. A configuração predefinida do agente de inventário do ACT e dos avaliadores de compatibilidade em um DCP padrão ativa todos os avaliadores, exceto o Analisador de Impacto de Atualizações (UIA) e o IECE, configura o pacote de coleta para ser executado por três dias, e coleta 10 logs por computador. Em um teste de laboratório, o DCP predefinido executado em 140 computadores gerou 1416 logs e ocupou um espaço de armazenamento de 281 MB.

A lista a seguir apresenta algumas médias gerais de espaço de armazenamento:

  • Os logs de status ocupam em média 0,7 quilobytes (KB—tamanho compactado).

  • Os arquivos de log exclusivos do Collector ocupam em média 170 KB (tamanho compactado).

  • Os arquivos de log do DCP predefinido ocupam em média 115 KB (tamanho compactado).

  • Os arquivos de log de dados do DCP UIA ocupam em média 600 KB (tamanho compactado).

Instale o ACT nos seguintes computadores:

  • O computador usado para processar os arquivos de log (executando o serviço de processamento de logs), em condições ideais, um computador separado do computador que executa o SQL Server

  • Qualquer computador desktop no qual os integrantes da equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos criarão DCPs ou acessarão o banco de dados de inventário

Coletando o inventário de aplicativos

Após identificar as máquinas clientes que entrarão no inventário, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos coleta o inventário de aplicativos.

Para coletar o inventário de aplicativos

  1. Selecione os métodos apropriados para a realização do inventário de aplicativos.

  2. Configure um repositório central para os agentes de inventário.

  3. Implantar os agentes de inventário nos clientes.

  4. Colete o inventário de aplicativos nos clientes.

Selecionando os agentes apropriados para a realização do inventário de aplicativos

De acordo com a diversidade de aplicativos na empresa, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode personalizar os agente usados no levantamento do inventário de aplicativos. Os integrantes da equipe podem escolher qualquer combinação de avaliadores de compatibilidade para capturar uma representação precisa dos aplicativos utilizados pela organização.

A lista de ferramentas de inventário inclui:

  • DCPs no ACT. O ACT conta com uma série de ferramentas que ajudam a avaliar os aplicativos instalados nas máquinas clientes. A lista de ferramentas de inventário do ACT inclui:

    • Inventory Collector. Apresenta um inventário do software instalado

    • IECE. Apresenta informações sobre possíveis problemas de compatibilidade para sites internos e externos

    • UIA. Apresenta informações sobre possíveis problemas de compatibilidade de aplicativos causados por atualizações fornecidas pelo Windows Update

    • Avaliador de Compatibilidade de Controle de Contas de Usuários (UACCE). Apresenta informações de possíveis problemas de compatibilidade de aplicativos resultantes da execução, pelos usuários, de um aplicativo com direitos e privilégios baixos

    • SMS Software Inventory. Configure o SMS para o software de inventário ou auditoria software instalado em computadores da empresa. Normalmente, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos utiliza o SMS para identificar aplicativos com problemas conhecidos de compatibilidade. Entretanto, a equipe pode criar scripts ou outros executáveis para realizar o levantamento personalizado de compatibilidade de aplicativos e, depois, usar o SMS Software Inventory para comunicar os resultados ao SMS. Além disso, o SMS utiliza um banco de dados diferente e separado do banco de dados usado pelo ACT para armazenar informações de inventário.

Selecionando os métodos apropriados de levantamento do inventário de aplicativos

Como parte do processo realizado pela equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos para levantar o inventário de aplicativos, ela deve selecionar os métodos adequados de levantamento do inventário. Os principais métodos de levantamento do inventário de aplicativos são os seguintes:

  • Ferramentas do ACT.

  • Inventário e auditoria de software no SMS 2003.

Selecione os métodos de levantamento do inventário de aplicativos comparando os recursos na Tabela 2.

Tabela 2. Recursos de Inventário de Aplicativos Permitidos pelo ACT e pelo SMS 2003

Recurso de inventário de aplicativos

ACT

SMS

Vem com ferramentas reunidas previamente para ajudar a identificar incompatibilidades de aplicativos

  SE_ACBullet01  

Obtém automaticamente da Internet as atualizações de compatibilidade de aplicativos

  SE_ACBullet01  

Exige uma infra-estrutura pré-existente

    SE_ACBullet01

Normalmente levanta o inventário de um número maior de clientes existentes

    SE_ACBullet01

É integrado a software de compatibilidade de aplicativos–atenuação

  SE_ACBullet01  

Exige a instalação e a retirada posterior de outros produtos de software após o levantamento do inventário

  SE_ACBullet01  

Se a organização já possui uma infra-estrutura de SMS, provavelmente uma combinação do ACT e do SMS 2003 seja apropriada. Caso contrário, uma combinação do ACT com a atual infra-estrutura de inventário e implantação de software será adequada. O uso do SMS como método de implantação de DCPs do ACT é abordado na seção “Implantando pacotes de coleta de dados utilizando o SMS” mais adiante neste guia.

A maioria das organizações se beneficiará o uso de um DCP com apenas o Collector ativado em cada computador da empresa para levantar um inventário completo de software. Para coletar dados sobre possíveis problemas de compatibilidade, execute outro DCP com os outros avaliadores de compatibilidade em um subconjunto menor de computadores da empresa que representem todos os tipos de computadores e utilizações.

A configuração predefinida do DCP no ACT 5 executa avaliadores por três dias e transfere os dados a cada oito horas. A configuração predefinida do DCP executa todos os avaliadores, exceto o UIA e o IECE.

Para saber mais sobre a escolha do método apropriado de levantamento do inventário do Microsoft Office 2003 e do Office 2007 system, consulte os seguintes recursos:

  • Microsoft Office 2003. Consulte o “Apêndice C: Contemplando a compatibilidade no Microsoft Office 2003”.

  • Office 2007 system. Consulte o “Apêndice D: Contemplando a compatibilidade do Office 2007 system”.

Configurando um repositório central para os agentes de inventário.

Os diversos agentes de inventário para o levantamento do inventário de aplicativos registram suas informações em várias categorias de bancos de dados. A Tabela 3 relaciona cada uma das categorias gerais de agentes de inventário e onde eles gravam as informações de inventário.

Tabela 3. Categorias gerais de agentes de inventário e onde eles gravam as
informações de inventário.

Agente de inventário

Grava as informações de inventário em

Ferramentas do ACT

Uma pasta compartilhada centralizada de rede. Então, um processo de fusão coleta os logs e os insere em um banco de dados executado no SQL Server 2000 ou no Microsoft SQL Server 2000 Desktop Engine (MSDE) configurado através do Analyzer.

Para obter mais informações, consulte “Configurando o Application Analyzer” na Documentação de Ajuda e Suporte do ACT.

SMS 2003

O banco de dados SQL Server usado pelo SMS 2003 como parte do inventário do software SMS.

Para saber mais, consulte “Tarefas Administrativas de Inventário de Software” na Parte 1, Capítulo 2 do Guia de Operação do Systems Management Server 2003 no endereço http://www.microsoft.com/technet/prodtechnol/sms/sms2003/opsguide/ops_0f3b.mspx.

Access 2003 Conversion Toolkit

.arquivos .xml que o Microsoft Office Access 2003 Conversion Toolkit pode facilmente importar posteriormente no processo para a ferramenta de relatório.

Para obter mais informações, consulte o Access 2003 Conversion Toolkit em: http://www.microsoft.com/downloads/details.aspx?FamilyId=2E861E76-5D89-450A-B977-980A9841111E&displaylang=en (em inglês).

Observação   O IECE funciona de maneira interativa e não grava nenhuma informação em um banco de dados; em vez disso, comunica imediatamente qualquer incompatibilidade e atenuação.

Os DCPs do ACT 5 foram criados para transferir seus logs coletados para uma pasta compartilhada de rede. A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos normalmente configura essa pasta durante a instalação do ACT 5 se ela selecionar a opção Enterprise Configuration. (O computador será configurado para receber e processar os arquivos de log, combiná-los e inseri-los no banco de dados SQL Server configurado). A pasta compartilhada deve atribuir permissões de Gravação para o grupo Todos, mas não deve atribuir nenhuma outra permissão a Todos. A conta do serviço de processamento de logs deve ter permissões de Leitura, Modificação e Desvio de Pasta para a pasta compartilhada. Essas permissões são criadas por padrão durante a configuração do ACT.

Implantando os pacotes de coleta de dados

Após selecionar os DCPs apropriados, instale os pacotes nas máquinas clientes identificadas anteriormente no processo.

Para implantar os agentes de inventário

  1. Selecione o método de implantação apropriado.

  2. Determine as opções apropriadas de linha de comando para as ferramentas do ACT.

  3. Implante os DCPs utilizando o SMS, a Diretiva de Grupo, scripts de logon, ou outros métodos.

Selecionando o método de implantação

Existem vários métodos à disposição para implantar os DCPs nas máquinas clientes. Entre esses métodos estão:

  • SMS 2003. Utilizar o recurso de implantação de software do SMS 2003 para implantar os DCPs nas máquinas clientes. A única exigência é que as máquinas clientes tenham sido incluídas no inventário do SMS 2003.

  • Instalação de Software da Diretiva de Grupo. Use o recurso de Instalação de Software da Diretiva de Grupo do Active Directory no Windows Server 2003 e no Windows 2000 Server para implantar os DCPs. A única exigência é que as máquinas clientes pertençam à floresta do Active Directory . Para usar a Diretiva de Grupo para distribuir os DCPs, crie um pacote .msi para cada DCP.

  • Scripts de logon. Use scripts de logon no Windows Server 2003 e no Windows 2000 Server para iniciar a instalação dos DCPs. A única exigência é que o usuário efetue o logon em um domínio a partir das máquinas clientes.

  • Implantação de software que não seja da Microsoft. Se a empresa tiver uma infra-estrutura de implantação de software que não seja da Microsoft, use esse método para implantar os DCPs. Para obter informações sobre os requisitos de implantação de software que não seja da Microsoft, consulte o fornecedor do software.

  • Distribuição manual. No caso de computadores que não estejam conectados à rede ou tenham conexões lentas, tais como pequenas filiais, existem métodos de distribuição manual à disposição. Entre esses métodos está a distribuição dos pacotes de coleta através de email ou em meios físicos, como um dispositivo flash USB ou um CD. A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos também pode instruir os usuários a visitar uma página interna da Web que contenha links para downloads ou scripts de instalação.

O método usado pela equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos para implantar os agentes de inventário utiliza em grande parte a infra-estrutura existente. Os métodos preferenciais de implantação são os seguintes:

  1. Se a empresa já possui uma infra-estrutura do SMS 2003, o SMS provavelmente será o método mais apropriado de implantação dos agentes de inventário.

  2. Se a empresa já conta com uma infra-estrutura do Active Directory, use a Instalação do Software de Diretiva de Grupo.

  3. Se a empresa conta com uma infra-estrutura de identidades e autenticação que não seja o Active Directory (como os domínios do Windows NT 4.0), use scripts de logon.

  4. Quando a infra-estrutura de implantação de software utilizar um produto que não seja da Microsoft, use esse método.

Determinando as opções de linha de comando

A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode usar opções de linha de comando para transmitir parâmetros a cada DCP no ACT. Além disso, a equipe pode usar um arquivo de configuração .ini para especificar as opções de linha de comando. Quando a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos utilizar tanto as opções de linha de comando como um arquivo de configuração .ini, as opções de linha de comando prevalecerão.

Embora os formatos dos arquivos .ini do Collector e dos Avaliadores de Compatibilidade sejam diferentes entre si, é possível (e preferível) usar um único arquivo .ini para todos os três. O uso de um único arquivo .ini reduz a possibilidade de ocorrer a perda de dados no banco de dados do ACT.

Para saber mais sobre as opções de linha de comando e os arquivos de configuração .ini, consulte:

  • “Opções do Collector” na Documentação de ajuda e suporte do ACT.

  • “Opções do DCOM” na Documentação de ajuda e suporte do ACT.

  • “Opções de Firewall” na Documentação de ajuda e suporte do ACT.

O IECE funciona de maneira interativa em uma máquina cliente para testar a compatibilidade dos sites, dispensando as opções de linha de comando.

Implantando os pacotes de coleta de dados utilizando o SMS

Se a empresa já tiver uma infra-estrutura de SMS 2003, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode implantar os DCPs utilizando o recurso de distribuição de software do SMS. A equipe implanta os DCPs nos clientes de destino como qualquer outro aplicativo.

A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode implantar o Collector através do SMS, seguindo os prompts apresentados na instalação do Analyzer. Abra o Analyzer, navegue até a página Configurações do Collector e clique em Implantar o Collector com o SMS. Para obter mais informações, consulte “Implantação do SMS” na Documentação de ajuda e suporte do ACT. Para outros DCPs, a equipe deve usar o método tradicional de distribuição do software do SMS 2003.

Para implantar os agentes de inventário usando o SMS

  1. Verifique se os computadores de destino estão incluídos no inventário do SMS.

  2. Crie um grupo de computadores no SMS que inclua os computadores de destino.

  3. Crie uma pasta compartilhada que contenha a imagem de origem dos agentes de inventário.

  4. Crie um pacote do SMS com base na imagem de origem na pasta compartilhada criada no passo anterior.

  5. Especifique os pontos de distribuição do SMS que serão usados na distribuição do software.

  6. Crie um programa do SMS para especificar os comandos e as opções de linha de comando usadas para implantar os agentes de inventário.

  7. Crie um anúncio do SMS instruindo os clientes do SMS para executar o programa especificado no passo anterior.

Para obter mais informações sobre o processo de distribuição de software pelo SMS, consulte:

Implantando os pacotes de coleta de dados utilizando a diretiva de grupo

Quando a empresa já tiver uma infra-estrutura de Active Directory, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode usar implantar os DCPs utilizando a Instalação de Software por Diretiva de Grupo. As etapas para a implantação dos DCPs com a Instalação de Software por Diretiva de Grupo são as mesmas usadas para qualquer outro aplicativo nos clientes de destino.

Observação   A melhor forma de usar a Instalação de Software por Diretiva de Grupo é com pacotes do Microsoft Installer (.msi), e os DCPs criados pelo ACT são arquivos executáveis. As etapas a seguir pressupõem a capacidade de criar pacotes .msi personalizados para distribuição.

Para implantar os DCPs usando a Instalação de Software por Diretiva de Grupo

  1. Verifique se as os computadores de destino pertencem à floresta do Active Directory.

  2. Crie um objeto de Diretiva de Grupo (GPO) para publicar os agentes de inventário.

  3. Atribua o GPO às unidades organizacionais (OUs) que contêm os computadores de destino.

  4. Crie um pacote do Windows Installer (arquivo .msi) para os agentes de inventário.

  5. Crie um novo pacote de instalação de software usando a Instalação de Software por Diretiva de Grupo.

  6. Publique o pacote de instalação de software usando a Instalação de Software por Diretiva de Grupo.

Para saber mais sobre o processo de distribuição de software pela Instalação de Software por Diretiva de Grupo, consulte Práticas recomendadas de Instalação de Software por Diretiva de Grupo em http://technet2.microsoft.com/WindowsServer/en/library/5f065962-a6e3-422a-8db7-20a57f40f9f51033.mspx?mfr=true.

Para saber mais sobre como implantar agentes de inventário utilizando a Diretiva de Grupo, consulte o tópico “Implantando um pacote de coleta de dados” na Documentação de ajuda e suporte do ACT.

Implantando os pacotes de coleta de dados utilizando scripts de logon

Quando a empresa já tiver uma infra-estrutura de gerenciamento de identidades e autenticação (como os domínios do Windows NT 4.0), a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode implantar os DCPs através de scripts de logon. As etapas para a implantação dos DCPs nos clientes de destino através de scripts de logon são as mesmas usadas para qualquer outro aplicativo nos clientes de destino.

Para implantar os DCPs usando a instalação por scripts de logon

  1. Verifique se as os computadores de destino pertencem ao domínio ou a um domínio confiável.

  2. Crie uma pasta compartilhada que contenha a imagem de origem dos agentes de inventário.

  3. Crie um script ou arquivo executável que possa:

    • Saber se os agentes de inventário já estão instalados.

    • Instalar os agentes de inventário a partir da pasta compartilhada (se os agentes não estiverem instalados).

    • Informar o status de êxito ou falha do processo de instalação de agentes de inventário.

  4. Integrar o script ou o arquivo executável criado no passo anterior à lógica existente do script de logon para os computadores de destino identificados anteriormente no processo.

Para obter mais informações sobre os scripts de logon, consulte:

Implantando os agentes de inventário através de outros métodos

Quando a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos utilizar um método que não sejam os métodos listados atualmente, os integrantes deverão consultar a documentação do fornecedor do software em relação à sua implantação.

Analisando os resultados do inventário de aplicativos

Após a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos levantar o inventário de aplicativos, ela deverá analisar o inventário para saber quais aplicativos são incompatíveis com o Windows Vista. Para realizar uma análise abrangente dos resultados do inventário, os integrantes da equipe devem:

  • Examinar as informações atualizadas de compatibilidade fornecidas pelo serviço da Comunidade do Microsoft ACT na Web.

  • Analisar os arquivos .xml criados pelo Access 2003 Conversion Toolkit.

  • Analisar as informações fornecidas pelo ACT.

  • Analisar as informações de inventário armazenadas nos bancos de dados SQL Server.

  • Correlacionar os resultados do inventário a partir dos vários bancos de dados de inventário.

Analisando as informações atualizadas de compatibilidade on-line

A Comunidade do Microsoft ACT trabalha como parte integrante do ACT, permitido que os usuários se conectem à Microsoft pela Internet para verificar se há informações atualizadas de compatibilidade de aplicativos e dividir suas informações sobre compatibilidade com os outros usuários.

Analise as informações atualizadas de compatibilidade na Internet:

  • Identificando a função do Serviço de Troca de Informações sobre Aplicativos na Web ao analisar os resultados do inventário de aplicativos.

  • Configurando a sua infra-estrutura para reconhecer o Serviço de Troca de Informações sobre Aplicativos na Web.

  • Examinando as informações atualizadas de compatibilidade fornecidas pelo Serviço de Troca de Informações sobre Aplicativos na Web.

A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode fornecer gratuitamente dados de compatibilidade de aplicativos comerciais, mas os aplicativos personalizados ou aplicativos com modificações específicas do ambiente não servem para outras empresas.

Identificando a função do Serviço da Comunidade ACT na Web

O Application Analyzer Lookup Component se conecta ao serviço da Web, transfere um arquivo de solicitação de Log de Consulta, e tenta encontrar qualquer problema conhecido indicado na lista de aplicativos contida no Log de Consulta. O formato e o esquema da lista de aplicativos enviada ao serviço da Web são idênticos aos do Log do Collector em Extensible Markup Language (XML) Log da sua empresa.

A Comunidade do ACT oferece as seguintes vantagens:

  • Compartilhar dados de compatibilidade, inclusive problemas, níveis de severidade e soluções, com outros usuários registrados do ACT.

  • Receber os dados mais completos de problemas e soluções, utilizando fontes de dados oficiais e dados de usuários.

  • Exibir dados da comunidade sobre produtos específicos de software a partir da área Analyze Data do Application Compatibility Manager.

Para obter mais informações, consulte a “Referência Técnica do Application Compatibility Toolkit” na Ajuda e Documentação do ACT.

Configurando a infra-estrutura para reconhecer o Serviço da Comunidade do ACT na Web

A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos deve configurar a infra-estrutura da empresa para reconhecer o Serviço da Comunidade do ACT na Web e, ao mesmo tempo, proteger a intranet da empresa. Para isso, permita que os usuários apropriados em computadores designados tenham acesso aos serviços da Web da Microsoft através da infra-estrutura de segurança e rede.

Para configurar a infra-estrutura para reconhecer o Serviço da Comunidade do ACT na Web

  1. Configure o Serviço da Comunidade do ACT na Web de acordo com as instruções de instalações.

  2. Configure os firewalls e os scanners de URLs para liberar o acesso ao Serviço de Troca de Informações sobre Aplicativos na Web, da seguinte maneira:

    • Se for necessária a passagem pelo firewall, ative o acesso à URL.

    • Libere o acesso de saída dos computadores que estiverem executando o cliente do Analyzer para a porta TCP 443 padrão do Secure Sockets Layer (SSL).

    • Restrinja o acesso de saída ao serviço da Microsoft e libere o acesso apenas de computadores designados dentro da empresa.

    • Restrinja o acesso de saída ao serviço da Microsoft e libere o acesso apenas a usuários designados dentro da empresa.

Analisando as informações fornecidas pela comunidade do ACT

Após a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos configurar a infra-estrutura da empresa para reconhecer o Serviço da Comunidade do ACT na Web, ela pode solicitar diretamente à Microsoft informações atualizadas sobre compatibilidade de aplicativos. O processo consiste nas etapas a seguir:

  1. A solicitação de informações atualizadas é enviada ao serviço on-line da Microsoft.

  2. O serviço processa a solicitação e gera um novo log com dados de problemas em uma unidade compartilhada interna no cliente.

    Observação   O formato e o esquema do log gerado são idênticos aos arquivos .xml do Collector.

  3. O Merger acessa o log em uma unidade interna temporária no cliente de onde saiu a solicitação.

  4. O Merger devolve as informações do log ao banco de dados do Analyzer.

  5. Os novos problemas de compatibilidade de aplicativos ficam disponíveis para qualquer pessoa que execute o console do Analyzer.

Analisando os logs em arquivos .xml

A maior parte das informações fornecidas pelos agentes de inventário são armazenadas no formato XML. Por exemplo, o Collector, o Serviço da Comunidade do ACT na Web, e o Access 2003 Conversion Toolkit registram as informações em arquivos .xml e, posteriormente, integram as informações aos seus respectivos bancos de dados.

Analisando dados nos bancos de dados SQL Server

A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos realiza a maioria das análises examinando as informações de compatibilidade de aplicativos registradas nos bancos de dados SQL Server. Os bancos de dados SQL Server refletem as informações agregadas de compatibilidade coletadas dos arquivos .xml de cada cliente.

Dependendo dos métodos escolhidos para o levantamento do inventário de aplicativos, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos deverá analisar dados do banco de dados SQL Server usados pelo:

  • Application Compatibility Manager no ACT 5. O Application Compatibility Manager examina automaticamente o seu banco de dados SQL Server em busca de aplicativos com problemas de compatibilidade, oferecendo sugestões de atenuação quando for possível.

  • SMS 2003. Veja o inventário de aplicativos utilizando o SMS Administrator. Entretanto, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos normalmente analisa os dados examinando os aplicativos inventariados e os compara com uma lista de aplicativos com problemas conhecidos.

Embora não seja um banco de dados SQL (Linguagem Estruturada de Consultas), o Access 2003 Conversion Toolkit armazena informações dos aplicativos em um banco de dados do Access. A ferramenta de varredura e a ferramenta de emissão de relatórios utilizam um banco de dados Access armazenado de forma centralizada.

Correlacionando os resultados do inventário

Cada método de inventário de aplicativos mantém um banco de dados exclusivo. Para cada método incluído no inventário de aplicativos e na análise, correlacione os resultados em todos os bancos de dados. Os objetivos da correlação desses resultados são:

  • Garantir uma lista completa e precisa de todos os aplicativos da organização. Em muitos casos, a maioria dos aplicativos já será provavelmente conhecida. Entretanto, a comparação e o contraste do inventário de aplicativos de várias fontes são fatores de equilíbrio para garantir a precisão da lista.

  • Identificar qualquer defasagem que um método tenha descoberto, mas que outro método tenha deixado passar. Por exemplo, uma das vantagens do levantamento do inventário utilizando o ACT em vez do SMS são as sugestões automáticas de atenuação de compatibilidade do sistema. Se o inventário do ACT tiver deixado passar um aplicativo, tente solucionar o problema do processo de inventário do ACT para que ele possa identificar o aplicativo e apresentar sugestões de atenuação.

Correlacione os resultados do inventário de aplicativos:

  1. Criando um banco de dados no SQL Server 2000 para ser um repositório centralizado de informações de inventário e compatibilidade de aplicativos.

  2. Exportando informações dos diversos bancos de dados para o repositório centralizado.

  3. Gerando relatórios com base no repositório centralizado para ajudar a criar um portfólio de aplicativos mais adiante no processo.

Criando o portfólio de aplicativos

O produto final do inventário e da análise de aplicativos é a criação do portfólio de aplicativos da empresa. O portfólio de aplicativos é uma lista de todos os aplicativos e do seu status de compatibilidade.

Para criar um portfólio de aplicativos

  1. Levante o inventário de aplicativos das várias fontes (como o ACT ou o SMS 2003).

  2. Identifique qualquer aplicativo que esteja faltando no inventário.

  3. Selecione versões específicas de aplicativos que devem ser incluídos na implantação.

  4. Solucione os problemas da compatibilidade de aplicativos da Web.

  5. Priorize os aplicativos de maior risco para a implantação devido a problemas pendentes de compatibilidade de aplicativos.

Coletando os resultados do inventário de aplicativos

Neste momento, todos os formulários automatizados de aplicativos estão preenchidos. Anterioremente no processo, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos correlacionou o inventário de aplicativos em um repositório centralizado de inventários e problemas e soluções de compatibilidade de aplicativos (armazenado no banco de dados SQL Server 2000).

A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode gerar relatórios com base nesse repositório centralizado, utilizando ferramentas de emissão de relatórios como o Microsoft SQL Server 2000 Reporting Services Standard Edition ou o Access 2003. Esses relatórios são a base do portfólio de aplicativos.

Identificando aplicativos faltando no inventário

Uma das maiores dificuldades na criação de um portfólio de aplicativos é identificar os aplicativos que os processos automatizados não incluíram no inventário. Esses aplicativos podem estar em computadores portáteis ou em sistemas de alta segurança que não podem ser contemplados no inventário. Nessas situações, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos deve documentar manualmente o seu conhecimento desses aplicativos.

Para ajudar a reduzir a probabilidade de omissão de qualquer aplicativo no portfólio de aplicativos

  1. Distribua o portfólio de aplicativos criado pelos métodos automatizados a todos os integrantes da equipe que conheçam os aplicativos que funcionam na organização. Também é aconselhável pedir que um grupo piloto de usuários verifique a precisão da lista de aplicativos.

  2. Peça que todos os integrantes da equipe verifiquem a lista em busca de qualquer erro no portfólio existente.

  3. Examine as respostas dos integrantes da equipe para analisar os erros do portfólio existente.

  4. Faça as alterações apropriadas no portfólio de acordo com a análise.

  5. Publique o portfólio de aplicativos revisado e obtenha junto às partes envolvidas a aprovação da lista e o status de compatibilidade dos aplicativos.

Escolhendo versões específicas dos aplicativos

Uma situação comum em muitas empresas é o uso de várias versões do mesmo aplicativo pelos usuários. Por exemplo, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode descobrir que usuários diferentes na empresa estão usando o Microsoft Office Word 2003, o Word XP e o Word 2000.

Além disso, a equipe pode descobrir que mais de um aplicativo realiza a mesma função. Por exemplo, o inventário pode revelar que os usuários exibem um vídeo otimizado usando o Microsoft Windows Media® Player e aplicativos que não são da Microsoft.

Nessas e em outras situações, selecione um conjunto de aplicativos que possam atender às necessidades dos negócios da organização, ao mesmo tempo reduzindo o suporte para certo número de aplicativos e versões. Otimize as versões atuais do portfólio de aplicativos reduzindo o número de versões de aplicativos no portfólio.

Escolha versões específicas dos aplicativos:

  • Identificando a importância de padronização em uma versão específica.

  • Selecionando a versão adequada de um aplicativo.

  • Selecionando um aplicativo para desempenhar uma função de negócio.

Padronizando em uma versão específica

Para ajudar a reduzir o TCO (custo total de propriedade) a longo prazo, reduza o número de aplicativos suportados na organização. Para cada aplicativo suportado no padrão da organização, aloque tempo, treinamento, ferramentas e recursos de planejamento, implantação e suporte para o aplicativo. Padronizar a lista de aplicativos suportados ajuda a reduzir a quantidade de esforços necessários para dar suporte à configuração do computador implantado.

Selecionando a versão adequada de um aplicativo.

Quando mais de uma versão do mesmo aplicativo é implantada na organização, padronize tudo em uma versão do aplicativo sempre que possível.

Para selecionar a versão adequada de um aplicativo

  1. Identifique a versão mais recente do aplicativo instalado atualmente na organização.

  2. Determine se uma versão mais recente do aplicativo está disponível atualmente. Se estiver, inclua a versão mais recente do aplicativo na análise.

  3. Verifique se há suporte do fornecedor para cada versão de um aplicativo.

  4. Identifique a disponibilidade e o custo da licença para cada aplicativo.

  5. Selecione (de todas as versões disponíveis) uma versão suportada em todos os clientes.

  6. Valide no ambiente de teste se a versão selecionada é compatível com o novo padrão de implantação do sistema operacional.

Selecionando um aplicativo para desempenhar uma função de negócio.

Quando mais de um aplicativo puder atender às mesmas funções de negócios para a organização, selecione um dos aplicativos para incluir no padrão da organização. Considere preferencialmente um dos aplicativos quando esse aplicativo:

  • Fizer parte de um conjunto de aplicativos. Os aplicativos que fazem parte de um conjunto de aplicativos (como Word 2003 do Microsoft Office 2003) são mais difíceis de eliminar do portfólio, pois todo o conjunto deve ser eliminado.

  • Tiver suporte do fornecedor no novo sistema operacional. Identificar as opções de suporte pode reduzir os custos depois.

  • Seguir o programa do logotipo Designed for Windows. Os aplicativos que exibirem o logotipo de compatibilidade atual atenderam às instruções de compatibilidade com a versão atual do Windows.

  • Fornecer um pacote .msi para implantação. Se o aplicativo fornecer um pacote .msi, será necessário gastar menos tempo preparando o aplicativo para implantação.

  • Reconhecer o Active Directory. Tente selecionar aplicativos que podem ser gerenciados através do uso da Diretiva de Grupo.

  • For mais recente que outros aplicativos. Implantar uma versão mais recente ajuda a garantir um suporte a longo-prazo para o aplicativo. Os aplicativos mais antigos têm menor probabilidade de serem suportados em relação aos aplicativos mais recentes.

  • Fornecer suporte para vários idiomas. O suporte para vários idiomas permite que a organização atenda mais computadores quando em conjunto com suporte para vários idiomas no sistema operacional (como o suporte para vários idiomas do Windows Vista). Esse recurso ajuda a eliminar as versões localizadas de aplicativos.

  • Fornecer um maior número de recursos. Os aplicativos que suportam um maior número de recursos são mais propensos a atenderem às necessidades dos negócios de um número maior de usuários.

Solucionando os problemas da compatibilidade de aplicativos da Web.

Use o IECE para identificar e ajudar a reduzir a compatibilidade da Web. O IECE analisa a compatibilidade de aplicativos da Web e registra todas as incompatibilidades nos logs de evento do Windows. Quando possível, o IECE cria atualizações de registro que correspondem para as configurações de segurança do Internet Explorer.

Solucione os problemas da compatibilidade de aplicativos da Web:

  • Determinando como o IECE pode identificar problemas de compatibilidade de aplicativos da Web e sugerindo reduções possíveis a tais problemas.

  • Testando aplicativos da Web usando o IECE.

  • Reduzindo a compatibilidade da Web criando um agrupamento de modificações de registro.

Identificando como o IECE funciona

O IECE monitora o comportamento relacionado à segurança de sites no Internet Explorer 7. O IECE detecta esses comportamentos e os registra nos logs de evento dos aplicativos do Windows. As categorias de comportamentos relacionados à segurança incluem:

  • Bloqueio de download automático.

  • Bloqueio de certificado incorreto ActiveX.

  • Restrições aos comportamentos binários.

  • LZL (Bloqueio de Zona de Computador Local).

  • Restrições à manipulação do MIME (Multipurpose Internet Mail Extensions).

  • Bloqueio ao Protocolo MK.

  • Proteção ao objeto em cache.

  • Bloqueio de janelas de pop-up.

  • Restrições ao Windows.

  • Restrições à elevação de zona.

Além de detectar e registrar os comportamentos, o IECE pode sugerir reduções automáticas para certos problemas de compatibilidade do Internet Explorer.

Testando os aplicativos da Web

Quando o IECE é iniciado, todas as janelas abertas do Internet Explorer são fechadas e uma nova janela do Internet Explorer é aberta. Teste um site navegando nele e realizando as operações típicas de um usuário, como ler um texto, clicar em links e navegar em diferentes partes do site. Quando o recurso de segurança do Internet Explorer bloquear uma ação, o IECE criará uma entrada no log de evento do aplicativo do Windows.

Teste os aplicativos da Web como usuários com privilégios de nível de administrador e com o LUA (Acesso Limitado do Usuário). Para obter mais informações, consulte “Executar o Avaliador de Compatibilidade no LUA” em Perguntas Mais Freqüentes do Avaliador de Compatibilidade na Documentação de ajuda e suporte do ACT.

Atenuando a compatibilidade de aplicativos da Web

O IECE ativa a atenuação automática de certos problemas encontrados no ambiente de teste. Se uma atenuação automática estiver disponível, clique em Aplicar no canto inferior direito da página do Log de Teste. O botão Aplicar modifica automaticamente o registro local para ajudar a solucionar a incompatibilidade do aplicativo da Web.

Após aplicar a atenuação automática, teste o aplicativo da Web novamente para garantir que a atenuação seja bem-sucedida. Para obter mais informações, consulte “Atenuação automática do Internet Explorer” na Documentação de ajuda e suporte do ACT.

Priorizando a solução de compatibilidade de aplicativos

Após o portfólio de aplicativos ser realizado e a equipe de recursos de Compatibilidade de Aplicativos ter identificado os aplicativos que têm problemas de compatibilidade, priorize a lista de aplicativos com problemas de compatibilidade.ize a iAternet Explorer.bilidade de aplicativos da Web e se_ Priorizar a lista permite que os membros solucionem os problemas de compatibilidade que têm maiores efeitos nas funções principais do LOB. Portanto, continue solucionando os problemas de compatibilidade com uma menor prioridade até que os membros da equipe tenham encontrado soluções para todos os aplicativos.

Priorizar a solução de compatibilidade de aplicativos inclui:

  • Identificar a ordem em que os aplicativos serão implantados.

  • Solucionar problemas de compatibilidade de aplicativos com problemas conhecidos.

  • Solucionar problemas de compatibilidade de aplicativos com problemas desconhecidos.

Identificar a ordem de implantação dos aplicativos.

Priorizar os aplicativos por importância dentro do plano de implantação ou uso diário. Atribua maior importância aos aplicativos cuja funcionalidade é considerada principal no esquema de implantação; programas que devem ficar disponíveis na área de trabalho do usuário quando o sistema operacional estiver completo. Por outro lado, se um pequeno grupo de usuários usa um aplicativo apenas ocasionalmente, atribua-lhe menor prioridade de teste e implantação.

Solucionando problemas de compatibilidade conhecidos.

Os aplicativos com problemas de compatibilidade são aplicativos identificados mais rapidamente no processo, quando usada uma ferramenta de compatibilidade de aplicativos apropriada (como o ACT, o Windows Catalog, o Windows Upgrade Advisor ou o Access 2003 Conversion Toolkit).

Priorize aplicativos com problemas de compatibilidade e atenuações conhecidos:

  • Determinando o estado de compatibilidade dos aplicativos.

  • Selecionando o método apropriado de atenuação.

  • Identificando aplicativos que apresentam o mesmo problema de compatibilidade.

Determinando o estado de compatibilidade dos aplicativos

Uma das maneiras mais fáceis de priorizar as resoluções é determinar o estado de compatibilidade dos aplicativos. Organize os aplicativos nas seguintes categorias:

  • Aplicativos com problemas de compatibilidade e atenuações conhecidos. Os aplicativos nessa categoria representam um risco muito baixo para o projeto de implantação, pois há atenuações conhecidas. Atribua a esses aplicativos um status que indique que a atenuação está completa e que os aplicativos estão prontos para implantação no ambiente de testes.

  • Aplicativos com problemas conhecidos, mas sem atenuações disponíveis. Esses aplicativos representam um risco mais alto para o projeto de implantação, pois, nesse caso, não há atenuações conhecidas para os problemas. Atribua aos aplicativos um status que indique a necessidade de mais investigações de compatibilidade.

  • Aplicativos com um estado de compatibilidade desconhecido. Esses aplicativos representam o risco mais alto para o projeto de implantação, pois o seu estado é desconhecido. Atribua a prioridade mais alta aos testes desses aplicativos para determinar sua compatibilidade.

Selecionando o método apropriado de atenuação

Em alguns casos, pode haver à disposição alguns métodos para atenuar problemas de compatibilidade de aplicativos. Alguns dos métodos de atenuação normalmente disponíveis são os seguintes:

  • Aplicação de atualizações ou service packs no aplicativo. Quando houver atualizações ou service packs disponíveis para tornar o aplicativo compatível, aplique-os. Depois, teste o aplicativo atualizado no ambiente de testes para verificar se o problema de compatibilidade foi atenuado.

  • Modificando a configuração do aplicativo existente. Em alguns casos, solucione os problemas de compatibilidade modificando a configuração do aplicativo (por exemplo, transferindo arquivos para pastas diferentes, modificando as entradas do Registro ou alterando as permissões de acesso a arquivos e pastas). No caso de produtos de software disponíveis no mercado, entre em contato com o fabricante do software para saber se existe algum contorno para o problema de compatibilidade.

  • Upgrade do aplicativo para uma versão compatível. Quando existir uma versão mais recente e certamente compatível do aplicativo, o upgrade para a versão mais recente é a melhor atenuação de longo prazo. As desvantagens dessa abordagem são o impacto financeiro do custo do upgrade e a possibilidade de surgir um problema de coexistência por causa da presença de mais de uma versão do mesmo aplicativo.

  • Modificando a configuração de segurança. Modifique a configuração de segurança nos casos em que as necessidades de segurança da empresa não forem comprometidas. Antes de selecionar esse método como solução definitiva de atenuação, obtenha a aceitação da equipe de recursos de segurança da empresa em relação às modificações.

  • Modificando o aplicativo. Quando os integrantes da equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos tiverem acesso ao código-fonte do aplicativo, eles poderão modificá-lo para atenuar os problemas de compatibilidade. Dependendo da extensão das modificações, o impacto pode ser muito pequeno ou considerável sobre o cronograma geral do projeto. Se as modificações tiverem um custo muito alto ou se não for possível concluí-las dentro do cronograma do projeto, escolha outro método.

  • Escolhendo outro aplicativo que realize a mesma função de negócios. Quando houver outro aplicativo que certamente seja compatível, escolha esse outro aplicativo. São as seguintes as desvantagens dessa atenuação:

    • O custo do novo aplicativo.

    • Necessidade de treinamento de usuários e suporte para introduzir o novo aplicativo na organização.

  • Utilizando as ferramentas de compatibilidade de aplicativos As ferramentas de compatibilidade de aplicativos também podem atualizar aplicativos incompatíveis para atenuar os problemas. Para obter mais informações, consulte a Ajuda e Documentação do ACT.

  • Executando o aplicativo em um ambiente virtualizado. Quando nenhum outro método estiver disponível, execute o aplicativo em uma versão mais antiga do Windows através das ferramentas de virtualização (tais como Microsoft Virtual PC 2004 e Virtual Server 2005) ou de ferramentas de área de trabalho remota (como os Serviços de Terminal) executadas em um sistema operacional Windows Server mais antigo. Embora esse método seja uma boa solução de curto prazo, implemente um dos outro métodos ao longo do tempo.

Identificando aplicativos que apresentam o mesmo problema

Em alguns casos, mais de um aplicativo pode apresentar o mesmo problema de compatibilidade. Nesses casos, atribua à descoberta dessas atenuações uma prioridade mais alta que a outras atenuações, pois elas afetam vários aplicativos.

Solucionando problemas de compatibilidade desconhecidos.

Como foi dito anteriormente, alguns aplicativos podem ser incompatíveis, mas os motivos da incompatibilidade são desconhecidos. Nessas situações, faça uma investigação mais detalhada para chegar à causa da incompatibilidade. As etapas a seguir podem ajudar a desenvolver atenuações para aplicativos com problemas de compatibilidade desconhecidos:

  1. Localize relatórios de incidentes ou problemas identificados em testes preliminares que indiquem a incompatibilidade do aplicativo.

    Antes de prosseguir, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos deve ter algumas informações preliminares capazes de apresentar as justificativas das causas da falha do aplicativo.

  2. Investigue mais detalhadamente e realize testes para compreender melhor a natureza da incompatibilidade.

  3. Realize a atenuação de riscos com base nas recomendações da MSF para determinar os riscos do projeto.

    A Disciplina de Gestão de Riscos da MSF defende uma abordagem preventiva ao lidar com essa incerteza, avalia continuamente os riscos e os utiliza para influenciar a tomada de decisões durante todo o ciclo de vida. Faça o download do white paper, “Disciplina de Gestão de Riscos da MSF”, no endereço http://www.microsoft.com/downloads/details.aspx?FamilyID=6c2f2c7e-ddbd-448c-a218-074d88240942&DisplayLang=en.

  4. Determine as possíveis atenuações que não exijam a identificação do problema de compatibilidade antes da conclusão do projeto.

Em alguns casos, a identificação e as atenuações normais não podem ser realizadas antes da conclusão do projeto. Nesses casos, escolha um dos seguintes métodos para identificar e atenuar os problemas de compatibilidade:

  • Execute os aplicativos em um ambiente virtualizado (por exemplo, do Virtual PC 2004 ou do Virtual Server 2005). Como a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos está executando o aplicativo em um sistema operacional visitante reconhecido pelo aplicativo, não é necessário identificar o problema de compatibilidade. A desvantagem desse método é o custo do software de virtualização e todos os outros upgrades de hardware necessários. A vantagem é que existem apenas aplicativos reconhecidos instalados na máquina cliente.

  • Execute os aplicativos utilizando uma solução de área de trabalho remota (como o Terminal Server) em versões anteriores do sistema operacional Windows Server. Como a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos está executando o aplicativo em uma versão anterior do Windows reconhecida pelo aplicativo, não é necessário identificar o problema de compatibilidade. A desvantagem desse método é o custo do software de área de trabalho remota e todos os outros upgrades de hardware necessários. A vantagem é que existem apenas aplicativos reconhecidos instalados na máquina cliente.

Observação   Embora esses métodos sejam apropriados como soluções de curto prazo, identifique os problemas de compatibilidade e escolha uma atenuação de longo prazo.

Etapa: portfólio de aplicativos criado

As etapas são pontos de sincronização de toda a solução. Para obter mais informações, consulte o Plan , Build , and Deploy Guide (em inglês).

Nesta etapa, mostrada na tabela 4, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos terá levantado o inventário e criado o portfólio de aplicativos. Além disso, todas as partes envolvidas terão aceitado um plano de atenuação.

Tabela 4. Resultados finais da Fase Planejar

Etapa da Fase Planejar

Descrição do resultado final

Proprietário

Inventário de aplicativos levantando

Os computadores relevantes foram identificados para inclusão no inventário de aplicativos. O inventário é levantado e inserido nos bancos de dados apropriados.

Desenvolvimento

Resultados do inventário de aplicativos analisados

O inventário levantado é analisado e os problemas de compatibilidade dos aplicativos estão identificados.

Desenvolvimento

Portfólio de aplicativos criado

A lista de aplicativos que serão contemplados na implantação fica armazenada em um banco de dados central.

Desenvolvimento

Obtida a aceitação do plano de compatibilidade de aplicativos

Todos os participantes no projeto BDD 2007 fornecem consenso para trabalhar no plano de compatibilidade de aplicativos e em futuras etapas do projeto.

Gerenciamento de produto

Isso foi útil para você?
(1500 caracteres restantes)
Agradecemos os seus comentários
A Microsoft está realizando uma pesquisa online para saber sua opinião sobre o site do MSDN. Se você optar por participar, a pesquisa online lhe será apresentada quando você sair do site do MSDN.

Deseja participar?
Mostrar:
© 2014 Microsoft