Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo
Expandir Minimizar

Desenvolvimento da compatibilidade de aplicativos

Desenvolver

Publicado em: 30/11/2006

A figura 3 ilustra as atividades primárias que ocorrem durante a Fase Desenvolver. A maioria dessas atividades envolve a preparação dos servidores utilizados para instalar aplicativos e a migração dos dados existentes do usuário. Essas tarefas podem ser repetitivas dependendo da estratégia de implantação. Algumas implantações podem requerer que a seguinte seqüência da instalação, estabilização e implantação do servidor seja repetida várias vezes, em série ou paralelamente, a fim de concluir uma implantação em toda a empresa.

Bb490272.SE_AppCompat03(pt-br,TechNet.10).gif

Figura 3. Atividades durante a Fase Desenvolver
Nesta página

Funções e responsabilidades
Criação do ambiente de teste
Definição de quando a virtualização é apropriada
Testando as estratégias de atenuação
Criação dos pacotes de atenuação de aplicativos
Etapa: Atenuações de aplicativos criadas

Funções e responsabilidades

Todos os seis clusters de funções do Modelo de Equipe do MSF desempenham uma função na Fase Desenvolver da iniciativa. A tabela 5 apresenta essas funções e define as áreas de enfoque para cada grupo de função relativo ao processo de implantação na Fase Planejar. Para obter mais informações sobre os grupos de funções do MSF, consulte Microsoft Solutions Framework (em inglês) em http://www.microsoft.com/technet/itsolutions/msf/default.mspx.

Tabela 5. Funções e responsabilidades da equipe na Fase Desenvolver

Função

Foco

Gerenciamento de produto

  • Análise dos requisitos comerciais

  • Planejamento das comunicações

Gerenciamento de programa

  • Orçamento

  • Planejamento e agendamento do projeto mestre

Desenvolvimento

  • Planejamento e agendamento do desenvolvimento

  • Estabelecimento do laboratório

  • Design lógico e físico

  • Avaliações da tecnologia

Teste

  • Planejamento e agendamento do teste

  • Definição dos requisitos de teste

Experiência do usuário

  • Requisitos de localização e acessibilidade

  • Cronogramas

  • Planos de treinamento

  • Cenários/casos de uso

  • Documentação do usuário

  • Requisitos do usuário

Gerenciamento de versões

  • Inventário de aplicativos e hardware

  • Interface com as equipes de prontidão para operações e recursos de segurança

  • Descoberta de rede

  • Requisitos das operações

  • Planejamento/agendamento do piloto e da implantação

Criação do ambiente de teste

Depois da criação do portfólio de aplicativos e da identificação das estratégias de atenuação para cada aplicativo incompatível, crie o ambiente de teste no qual as estratégias de atenuação possam ser validadas. Na maioria dos casos, esse ambiente de teste pode ser compartilhado com a equipe de recursos do gerenciamento de aplicativos.

O ambiente de teste é um investimento a longo prazo no processo geral de implantação. Retenha o ambiente de teste depois da implantação, a fim de auxiliar nos futuros projetos de implantação.

Para criar o ambiente de teste:

  • Defina como modelar o ambiente de produção no ambiente de teste.

  • Configure o ambiente de teste para oferecer suporte aos testes automatizados das estratégias de atenuação.

Definindo como modelar o ambiente de produção

O objetivo do ambiente de teste é modelar o ambiente de produção nesse aspecto. Quanto mais precisão a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos puder aplicar ao modelo do ambiente de produção, maior será a validade do teste realizado nesse ambiente de teste.

Siga essas recomendações ao criar um ambiente de teste:

  • Use imagens virtuais ou físicas dos computadores de produção para criar seus correspondentes no ambiente. As imagens virtuais ou físicas ajudam a garantir que a configuração do ambiente de teste reflita no ambiente de produção. Além disso, as imagens contêm informações ao vivo (como usuários, perfis de usuário e permissões de arquivo) para uso no teste.

  • Separe fisicamente o ambiente de teste do ambiente de produção. Um ambiente de teste separado fisicamente permite que a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos use uma configuração de IP idêntica e ajuda a garantir que os testes conduzidos no ambiente de teste não afetem o ambiente de produção. O uso de endereço IP, sub-redes e outras informações da configuração de rede idênticos ajuda a garantir a fidelidade do ambiente de teste. No entanto, a duplicação de endereços IP nem sempre é a melhor opção quando os aplicativos não dependem de um endereço IP embutido em código. Pode ser preferível passar algum tráfego de rede através do roteador do ambiente de produção, a fim de reduzir a necessidade de replicação dos serviços de rede – por exemplo, abrindo as portas para que o DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol, protocolo de configuração dinâmica de hosts) passe, eliminando a necessidade de um servidor DHCP separado no laboratório de teste.

  • Certifique-se de que o ambiente de teste tenha o mesmo service pack e nível de atualização que o ambiente de produção. Se a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos tiver criado o ambiente de teste há algum tempo, a versão atual dos service packs e atualizações poderá estar desatualizada. Antes de executar o teste de atenuação de aplicativos, atualize o ambiente de laboratório aplicando os service packs e atualizações ou atualizando as imagens virtuais ou físicas dos correspondentes de produção. Considere adicionar o ambiente de teste ao processo de gerenciamento de alterações, a fim de simplificar o acompanhamento das atualizações.

  • Certifique-se de que os testes sejam realizados com contas que tenham permissões semelhantes ao ambiente de produção. Se os usuários na empresa não forem usuários no nível administrativo em seus computadores locais, certifique-se de que as permissões semelhantes estejam disponíveis para os usuários no ambiente de teste. Esse processo garante que os membros da equipe da compatibilidade de aplicativos testem com precisão todos os problemas de compatibilidade, alguns dos quais podem estar relacionados à segurança.

Em seguida, defina quais computadores de produção modelar no ambiente de teste. Os computadores de produção do modelo devem ser:

  • Parte da infra-estrutura de rede, incluindo o DHCP, DNS, WINS, e outros serviços de infra-estrutura de rede, a menos que a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pretenda permitir que esses serviços passem no ambiente de teste a partir da rede de produção.

  • Parte da infra-estrutura de acesso remoto, incluindo o roteamento e acesso remoto e serviço de autenticação da Internet.

  • Parte da infra-estrutura do Active Directory, incluindo controladores de domínio e serviços DNS.

  • Parte da infra-estrutura de mensagem, incluindo os servidores de front-end do Microsoft Exchange Server, servidores de back-end e servidores bridgehead.

  • Parte da extranet da empresa, incluindo os servidores da Web e firewalls.

  • Incluído no inventário de aplicativo anteriormente no processo.

Configuração do ambiente de teste para teste automatizado

Na maioria dos casos, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos deve testar as estratégias de atenuação mais de uma vez. Automatize esse teste o máximo possível, a fim de garantir capacidade de repetição e consistência no processo de teste.

Além disso, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos deve garantir que possa restaurar o ambiente de teste para uma configuração antes de executá-lo, de forma que os membros da equipe possam repetir o mesmo teste na mesma configuração. A automatização da restauração do ambiente de teste para um estado anterior ajuda a garantir que os membros da equipe executem os seus testes usando dados e configuração idênticos.

Os membros da equipe de recursos da compatibilidade podem automatizar:

  • A execução de seus casos de teste usando as ferramentas de automatização de testes que adquiriram ou desenvolveram. Para obter mais informações sobre o desenvolvimento de uma ferramenta de automatização de teste, consulte “Lightweight UI Test Automation with .NET” (em inglês) em http://msdn.microsoft.com/msdnmag/issues/05/01/TestRun.

  • A restauração do ambiente de teste para um estado anterior usando:

    • Software de imagem de disco para imagens físicas dos servidores.

    • Recursos de virtualização de software que permitem reverter as alterações para discos rígidos virtualizados (como as configurações Undo Disks no Virtual PC 2004 e no Virtual Server 2005).

Definição de quando a virtualização é apropriada

Ao usar o Virtual PC 2004 e o Virtual Server 2005, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode criar e executar servidores virtualizados em computadores que executam o Windows Vista e o Windows Server 2003, respectivamente. Um dos principais objetivos desses produtos é ajudar a facilitar os ambientes de teste.

As vantagens da virtualização incluem:

  • A capacidade de oferecer um grande número de servidores em uma quantidade limitada de espaço em rack físico é aprimorada. Muitos ambientes possuem uma quantidade limitada de espaço em rack no qual posicionar computadores físicos. A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode executar tantos servidores virtuais quanto os recursos do computador físico (como memória, vários processadores e espaço livre em disco) permitam.

  • O compartilhamento de um ambiente de teste entre as equipes é facilitado. Depois da criação de um ambiente de teste, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode compartilhar esse ambiente com as outras equipes. Por exemplo, a equipe de recursos de teste pode criar um ambiente de teste virtualizado e fornecer a função de papel de desenvolvimento com uma cópia de seu ambiente de teste para uso em seu processo de desenvolvimento.

  • Vários desenvolvedores ou testadores podem executar testes simultâneos. Nos ambientes tradicionais de teste, vários usuários podem estar competindo pelo acesso ao ambiente de teste. A virtualização dos servidores permite que cada usuário tenha potencialmente um ambiente de teste dedicado. Com esse processo, os processos de teste e desenvolvimento são muito mais simplificados.

  • A configuração do servidor virtualizado pode facilmente ser restaurada para um estado anterior. A maior parte do software de virtualização inclui um método para reverter as alterações para discos rígidos virtualizados (como o recurso Undo Disks no Virtual PC 2004 e no Virtual Server 2005). Esse recurso permite que a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos reverta a configuração do servidor para um estado anterior. Em situações nas quais os membros da equipe devam executar a mesma seqüência de etapas repetidamente, esse recurso pode ajudar a restaurar o ambiente rapidamente.

As desvantagens da virtualização incluem:

  • O desempenho dos servidores virtualizados é inferior ao de seus concorrentes físicos. Os servidores virtualizados são significativamente mais lentos, pois muitos dos recursos físicos (como discos) estão virtualizados. Especificamente, qualquer atividade relacionada ao disco é significativamente mais lenta em ambientes virtualizados.

  • Drivers de dispositivo específicos de hardware e aplicativos não compatíveis em servidores virtualizados. Em alguns casos, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos deve testar a compatibilidade dos drivers de dispositivo específicos de hardware e aplicativos: Os servidores virtualizados usam os drivers de dispositivo virtualizado que emulam os seus concorrentes físicos. O acesso a quaisquer recursos de hardware é realizado através desses drivers de dispositivo virtualizado.

Testando as estratégias de atenuação

Depois de identificar a configuração do ambiente de teste, defina as estratégias de atenuação a serem testadas. A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos deve testar cada estratégia identificada no portfólio de aplicativos anteriormente no processo.

Teste as estratégias de atenuação através da:

  • Criando a matriz de teste (que inclui a lista de aplicativos a serem testados e os critérios para definição da compatibilidade bem-sucedida).

  • Implantação do ambiente de teste para testar as estratégias de atenuação.

Criação da matriz de teste

A matriz de teste define os testes que a equipe de recursos da compatibilidade concluirá e como a equipe definirá o êxito ou falha de cada teste. A matriz de teste é um plano gráfico para a conclusão dos testes e é o principal documento utilizado para comunicar os procedimentos de teste entre os grupos de função de desenvolvimento e teste.

Crie a matriz de teste:

  • Categorizando os aplicativos que a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos testará, de forma que os membros da equipe possam determinar a sua prioridade no processo de teste.

  • Definindo os critérios para o êxito da atenuação de incompatibilidades de aplicativos.

Para obter mais informações sobre a criação da matriz de teste e estratégias de teste, consulte o Test Feature Team Guide (em inglês).

Categorização dos aplicativos para testes

A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos deve categorizar os aplicativos que testará, de forma que os membros da equipe possam testá-los com base na prioridade e complexidade da atenuação.

Categorize os aplicativos na matriz de teste com base em:

  • Prioridade dos aplicativos.

  • Status da atenuação de aplicativos, incluindo:

    • Aplicativos com problemas de compatibilidade e atenuações conhecidos.

    • Aplicativos com problemas conhecidos de compatibilidade e atenuações não conhecidas.

    • Aplicativos com problemas desconhecidos de compatibilidade.

Crie a matriz de teste usando uma ferramenta como o Microsoft Office Excel 2003 que possa classificar e organizar os aplicativos por essas categorias e subcategorias.

Definindo os critérios de compatibilidade

Na matriz de teste, especifique os critérios para a atenuação bem-sucedida de quaisquer problemas de compatibilidades. Para cada aplicativo que a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos testar, especifique:

  • As etapas que os membros da equipe concluirão durante os testes.

  • As respostas corretas para execução de cada etapa.

Quando um aplicativo atingir esses critérios, ele será considerado compatível.

Implantação do ambiente de teste simulado

Anteriormente no processo, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos definiu a infra-estrutura e os computadores necessários para conduzir os testes. Além disso, a equipe definiu quais partes do ambiente de teste teriam base em computadores virtualizados e quais partes deveriam ser testadas em computadores físicos.

Independentemente do método utilizado, implante o ambiente de teste usando imagens (virtuais ou físicas) obtidas do ambiente de produção. A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode criar imagens para restaurar para servidores físicos usando qualquer software de imagem de disco.

Para computadores virtualizados em ambientes de teste, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode usar ferramentas para criar representações virtuais de servidores físicos no ambiente de produção, como Virtual Server Migration Toolkit. (Para obter mais informações sobre o Virtual Server Migration Toolkit, consulte “Virtual Server 2005 Migration Toolkit” (em inglês) em http://www.microsoft.com/windowsserversystem/virtualserver/evaluation/vsmt.mspx.)

Criação dos pacotes de atenuação de aplicativos

Os resultados finais do processo de teste são os pacotes de atenuação de aplicativos que serão implantados na empresa. Crie esses pacotes automaticamente usando as ferramentas de aplicativos (como as atenuações que o ACT cria). Para outros métodos de atenuação de aplicativos, crie os pacotes e os scripts de instalação ou executáveis (incluindo arquivos .msi).

Crie os pacotes de atenuação de aplicativos através da:

  • Criação automática de pacotes.

  • Criação manual de pacotes.

Criando pacotes automaticamente

Em vários casos, as ferramentas de compatibilidade de aplicativos utilizadas podem criar automaticamente pacotes de atenuações de aplicativos. Esses pacotes podem então ser implantados nos computadores de destino apropriados.

Use o Solution Builder do ACT 4.1 ou o Application Compatibility Manager do ACT 5 para empacotar as soluções para implantação nos ambientes de teste e produção. O Solution Builder contém um componente denominado Packager ,, o qual pode utilizar como entrada qualquer número dos arquivos .adq do Analyzer .adq ou arquivos .sdb do Compatibility Administrator e criar um pacote executável auto-extraível. A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos pode então implantar o pacote executável para corrigir os aplicativos.

Os pacotes executáveis que o Packager cria incluem atenuações criadas em resposta a problemas encontrados no:

  • Compatibility Administrator.

  • Firewall Compatibility Evaluator.

  • DCOM Compatibility Evaluator.

A equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos deve usar métodos manuais para empacotar separadamente essas atenuações que outras ferramentas, como o IECE, identificam e criam.

Criando pacotes manualmente

Quando outras ferramentas que não sejam automatizadas detectam e criam atenuações, crie manualmente os pacotes a serem instalados. Em alguns casos, esse processo pode incluir a criação de scripts ou arquivos .msi para facilitar a instalação.

Certifique-se de que os pacotes possam ser:

  • Incorporados nas imagens de implantação.

  • Implantados separadamente nos computadores de destino existentes.

O método selecionado para instalação dos pacotes no computador de destino deve ser compatível com ambos os cenários de implantação. Por exemplo, uma ferramenta de atenuação (como o IECE) pode criar arquivos .reg que modifiquem as configurações do Internet Explorer. Para criar um pacote para o arquivo .reg, os membros da equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos devem:

  1. Escrever um script ou desenvolver um arquivo .msi para execução das seguintes tarefas:

    • Inserir o arquivo.reg no local apropriado.

    • Executar regedit com o arquivo .reg para modificar as configurações no computador de destino.

  2. Incluir o arquivo .msi no pacote de aplicativos na imagem de implantação ou implantar o arquivo .msi usando o método de distribuição de software escolhido.

Etapa: Atenuações de aplicativos criadas

As etapas são pontos de sincronização de toda a solução. Para obter mais informações, consulte o Plan , Build , and Deploy Guide (em inglês).

Nesta etapa, mostrada na tabela 6, a equipe de recursos da compatibilidade de aplicativos terá desenvolvido os pacotes de atenuação necessários.

Tabela 6. Resultados finais da Fase Desenvolver

Etapa da Fase Desenvolver

Descrição do resultado final

Proprietário

Ambiente de teste criado

O ambiente de teste é criado para modelar o ambiente de produção. O ambiente de teste é utilizado posteriormente na Fase Desenvolver para testar as estratégias de atenuação e criar os pacotes de atenuação.

Desenvolvimento

Estratégias de atenuação a serem testadas definidas

As estratégias de atenuação que devem ser testadas no ambiente de testes são identificadas. Além disso, é criado o plano de teste a ser conduzido no laboratório para cada estratégia de atenuação.

Teste

Pacotes de atenuação de aplicativos criados

As correções de compatibilidade de aplicativos são combinadas em um pacote que possa ser integrado com as imagens do sistema operacional ou implantado separadamente.

Desenvolvimento

Consenso e aprovação da equipe obtidos

Todos os participantes no projeto BDD 2007 fornecem consenso para atenuação de todos os problemas de compatibilidade de aplicativos e futuras etapas do projeto.

Gerenciamento de produto

Isso foi útil para você?
(1500 caracteres restantes)
Agradecemos os seus comentários
Mostrar:
© 2014 Microsoft