Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo
Este artigo foi traduzido manualmente. Coloque o ponteiro do mouse sobre as frases do artigo para ver o texto original. Mais informações.
Tradução
Original
Este tópico ainda não foi avaliado como - Avalie este tópico

Dados hierárquicos (SQL Server)

O tipo de dados interno hierarchyid facilita o armazenamento e a consulta de dados hierárquicos. hierarchyid  foi otimizado para representar árvores, que são o tipo mais comum de dados hierárquicos.

Os dados hierárquicos são definidos como um conjunto de itens de dados mutuamente relacionados por relações hierárquicas. As relações hierárquicas existem onde um item de dados é o pai de outro item. Exemplos dos dados hierárquicos que geralmente são armazenados em bancos de dados incluem o seguinte:

  • Uma estrutura organizacional

  • Um sistema de arquivos

  • Um conjunto de tarefas em um projeto

  • Uma taxonomia de termos de linguagem

  • Um gráfico de links entre páginas da Web

Use hierarchyid como o tipo de dados para criar tabelas com uma estrutura hierárquica ou para descrever a estrutura hierárquica dos dados armazenados em outro local. Use as funções hierarchyid no Transact-SQL para consultar e gerenciar dados hierárquicos.

Um valor do tipo de dados hierarchyid representa uma posição em uma hierarquia de árvore. Os valores para hierarchyid têm as seguintes propriedades:

  • Extremamente compacto

    O número médio de bits necessários para representar um nó em uma árvore com n nós depende da média de fanout (o número médio de filhos de um nó). Para fanouts pequenos, o tamanho (0-7) é de aproximadamente 6*logAn bits, onde A é o fanout médio. Um nó em uma hierarquia organizacional de 100.000 pessoas com um fanout médio de 6 níveis usa cerca de 38 bits. Isso é arredondado para 40 bits, ou 5 bytes, para armazenamento.

  • A comparação está na ordem de profundidade

    Dado dois valores hierarchyid a e b, a<b significa que a vem antes de b em uma passagem de profundidade da árvore. Índices em tipos de dados hierarchyid estão na ordem de profundidade e os nós que estão próximos um do outro são armazenados em uma passagem de profundidade próximos um do outro. Por exemplo, os filhos de um registro são armazenados adjacentes àquele registro.

  • Suporte a inserções e exclusões arbitrárias

    Usando o método GetDescendant, é sempre possível gerar um irmão à direita de qualquer nó determinado, à esquerda de qualquer nó determinado, ou entre dois irmãos. A propriedade de comparação é mantida quando um número arbitrário de nós é inserido ou excluído da hierarquia. A maioria das inserções e exclusões preserva a propriedade de densidade. Porém, inserções entre dois nós produzirão valores hierarchyid com uma representação ligeiramente menos compacta.

[INÍCIO]

O tipo de dados hierarchyid tem as seguintes limitações:

  • Uma coluna de tipo hierarchyid não representa automaticamente uma árvore. Depende do aplicativo gerar e atribuir valores hierarchyid de maneira que a relação desejada entre as linhas seja refletida nos valores. Alguns aplicativos podem ter uma coluna do tipo hierarchyid que indica o local em uma hierarquia definida em outra tabela.

  • Depende de o aplicativo gerenciar a simultaneidade gerando e atribuindo valores hierarchyid. Não há nenhuma garantia que valores hierarchyid em uma coluna sejam exclusivos a menos que o aplicativo use uma restrição chave exclusiva ou force sua exclusividade em sua própria lógica.

  • Relações hierárquicas representadas por valores hierarchyid não são impostas como uma relação de chave estrangeira. É possível e, às vezes, apropriado ter uma relação hierárquica onde A tem um filho B e, depois, A é excluído deixando B com uma relação para um registro inexistente. Se esse comportamento for inaceitável, o aplicativo deverá fazer a consulta por descendentes antes de excluir os pais.

[INÍCIO]

As duas alternativas para hierarchyid para representar dados hierárquicos são:

  • Pai/filho

  • XML

Ahierarchyid é geralmente superior a essas alternativas. Porém, a seguir há situações específicas detalhadas em que as alternativas são provavelmente superiores.

Pai/filho

Ao usar a abordagem Pai/Filho, cada linha contém uma referência ao pai. A tabela a seguir define uma tabela típica usada para conter as linhas pai e filho em uma relação Pai/Filho:

USE AdventureWorks2012 ;
GO

CREATE TABLE ParentChildOrg
   (
    BusinessEntityID int PRIMARY KEY,
    ManagerId int REFERENCES ParentChildOrg(BusinessEntityID),
    EmployeeName nvarchar(50) 
   ) ;
GO

Comparando pai/filho e hierarchyid em operações comuns

  • Consultas de subárvore são significativamente mais rápidas com hierarchyid.

  • Consultas de descendente direto são ligeiramente mais lentas com hierarchyid.

  • A movimentação de nós é mais lenta com hierarchyid.

  • A inserção de nós não folha e a inserção ou a movimentação de nós folha têm a mesma complexidade com hierarchyid.

Pai/Filho pode ser superior quando existem as seguintes:

  • O tamanho da chave é crítico. Para o mesmo número de nós, um valor hierarchyid é igual ou maior que um valor família inteiro (smallint, int, bigint). Essa é a única razão para usar Pai/Filho em casos raros, porque hierarchyid tem localidade significativamente melhor de E/S e complexidade de CPU que as expressões de tabela comuns exigidas quando você está usando uma estrutura Pai/Filho.

  • Consultas raramente examinam por seções da hierarquia. Em outras palavras, as consultas normalmente se dirigem apenas a um único ponto na hierarquia. Nesses casos, a colocação não é importante. Por exemplo, Pai/Filho é superior quando a tabela de organização é usada somente para processar a folha de pagamento de funcionários individuais.

  • Subárvores de não folha mudam frequentemente e o desempenho é muito importante. Em uma representação pai/filho, alterando o local de uma linha em uma hierarquia afeta uma linha única. Alterando o local de uma linha em um uso hierarchyid afeta n linhas, onde n é número de nós na subárvore que é modificada.

    Se as subárvores sem folha mudarem frequentemente e o desempenho for importante, mas a maioria das mudanças estiver em um nível bem definido da hierarquia, considere dividir os níveis superiores e inferiores em duas hierarquias. Isso faz todas as mudanças em níveis de folha da hierarquia mais alta. Por exemplo, considere uma hierarquia de sites hospedados por um serviço. Sites contêm muitas páginas organizadas de uma maneira hierárquica. Sites hospedados poderiam ser movidos a outros locais na hierarquia do site, mas as páginas subordinadas raramente seriam reorganizadas. Isso poderia ser representado por:

    CREATE TABLE HostedSites 
       (
        SiteId hierarchyid, PageId hierarchyid
       ) ;
    GO
    

[INÍCIO]

XML

Um documento XML é uma árvore e, portanto, uma instância de tipo de dados XML única pode representar uma hierarquia completa. No SQL Server quando um índice XML é criado, valores hierarchyid são internamente usados para representar a posição na hierarquia.

Usar um tipo de dados XML pode ser vantajoso quando todos os seguintes itens forem verdadeiros:

  • A hierarquia completa é sempre armazenada e recuperada.

  • Os dados são consumidos no formato XML pelo aplicativo.

  • Pesquisas de predicado são extremamente limitadas e não têm de desempenho crítico.

Por exemplo, se um aplicativo controla várias organizações, ele sempre armazena e recupera a hierarquia organizacional completa, e não faz a consulta em uma organização única, uma tabela do formulário a seguir faria sentido:

CREATE TABLE XMLOrg 
    (
    Orgid int,
    Orgdata xml
    ) ;
GO

[INÍCIO]

Há duas estratégias para indexar dados hierárquicos:

  • Profundidade

    Um índice de profundidade armazena as linhas em uma subárvore próximas umas das outras. Por exemplo, todos os funcionários que se reportam a gerente são armazenados próximos do registro de seus gerentes.

    Em um índice por profundidade, todos os nós na subárvore de um nó são colocados. Índices por profundidade são portanto eficientes para responder consultas sobre subárvores, como "Localizar todos os arquivos nesta pasta e subpastas""""""""".

  • Amplitude

    Uma amplitude armazena as linhas de cada nível da hierarquia juntas. Por exemplo, os registros de funcionários que se reportam diretamente ao mesmo gerente são armazenados próximos um do outro.

    Em um índice por amplitude todos os filhos diretos de um nós são colocados. Índices por amplitude são, portanto, eficientes para responder consultas sobre filhos diretos, como "Localizar todos os empregados que se reportam diretamente a esse gerente".

Ter opções por profundidade, por amplitude, ou ambas, e qual delas tornar a chave de clustering (se houver), depende da importância relativa dos tipos de consultas anteriores e da importância relativa de operações SELECT versus DML. Para obter um exemplo detalhado de indexação de estratégias, consulte Tutorial: Usando o tipo de dados hierarchyid.

[INÍCIO]

O método GetLevel() pode ser usado para criar uma ordem por amplitude. No exemplo seguinte, são criados índices por amplitude e por profundidade:

USE AdventureWorks2012 ; 
GO

CREATE TABLE Organization
   (
    BusinessEntityID hierarchyid,
    OrgLevel as BusinessEntityID.GetLevel(), 
    EmployeeName nvarchar(50) NOT NULL
   ) ;
GO

CREATE CLUSTERED INDEX Org_Breadth_First 
ON Organization(OrgLevel,BusinessEntityID) ;
GO

CREATE UNIQUE INDEX Org_Depth_First 
ON Organization(BusinessEntityID) ;
GO

[INÍCIO]

Migrando de Pai/Filho para hierarchyid

A maioria das árvores é representada usando Pai/Filho. O modo mais fácil de migrar de uma estrutura Pai/Filho para uma tabela usando hierarchyid é usar uma coluna ou uma tabela temporária para manter o controle do número de nós em cada nível da hierarquia. Para obter um exemplo de migração de uma tabela Pai/Filho, consulte a lição 1 de Tutorial: Usando o tipo de dados hierarchyid.

[INÍCIO]

Gerenciando uma árvore com hierarchyid

Embora uma coluna hierarchyid não represente necessariamente uma árvore, um aplicativo pode garantir facilmente que essa representação ocorra.

  • Para gerar novos valores, execute uma das ações abaixo:

    • Mantenha registro do último número filho da linha pai.

    • Compute o último filho. Para executar esse procedimento com eficácia, é necessário um índice de primeira amplitude.

  • Imponha a exclusividade criando um índice exclusivo na coluna, talvez como parte de uma chave de clustering. Para assegurar a inserção de valores únicos, execute uma das ações a seguir:

    • Detecte as falhas de violação de chave exclusiva e tente novamente.

    • Determine a exclusividade de cada novo nó filho e insira-o como parte de uma transação serializável.

[INÍCIO]

Exemplo utilizando detecção de erro

No exemplo a seguir, o código de exemplo computa o novo valor filho de EmployeeId, detectando depois quaisquer violações de chave para retorná-las ao marcador INS_EMP para computar novamente o valor de EmployeeId na nova linha:

USE AdventureWorks ;
GO

CREATE TABLE Org_T1
   (
    EmployeeId hierarchyid PRIMARY KEY,
    OrgLevel AS EmployeeId.GetLevel(),
    EmployeeName nvarchar(50) 
   ) ;
GO

CREATE INDEX Org_BreadthFirst ON Org_T1(OrgLevel, EmployeeId)
GO

CREATE PROCEDURE AddEmp(@mgrid hierarchyid, @EmpName nvarchar(50) ) 
AS
BEGIN
    DECLARE @last_child hierarchyid
INS_EMP: 
    SELECT @last_child = MAX(EmployeeId) FROM Org_T1 
    WHERE EmployeeId.GetAncestor(1) = @mgrid
INSERT Org_T1 (EmployeeId, EmployeeName)
SELECT @mgrid.GetDescendant(@last_child, NULL), @EmpName 
-- On error, return to INS_EMP to recompute @last_child
IF @@error <> 0 GOTO INS_EMP 
END ;
GO

[INÍCIO]

Exemplo utilizando uma transação serializável

O índice Org_BreadthFirst assegura que a determinação de @last_child use uma busca de intervalo. Além de outros casos de erro que um aplicativo tente verificar, uma violação da chave duplicada depois da inserção indica uma tentativa de adicionar vários funcionários com o mesmo id e, portanto, @last_child deve ser novamente computado. O código a seguir usa uma transação serializável e um índice de primeira amplitude para computar o valor do novo nó:

CREATE TABLE Org_T2
    (
    EmployeeId hierarchyid PRIMARY KEY,
    LastChild hierarchyid, 
    EmployeeName nvarchar(50) 
    ) ;
GO

CREATE PROCEDURE AddEmp(@mgrid hierarchyid, @EmpName nvarchar(50)) 
AS
BEGIN
DECLARE @last_child hierarchyid
SET TRANSACTION ISOLATION LEVEL SERIALIZABLE
BEGIN TRANSACTION 

UPDATE Org_T2 
SET @last_child = LastChild = EmployeeId.GetDescendant(LastChild,NULL)
WHERE EmployeeId = @mgrid
INSERT Org_T2 (EmployeeId, EmployeeName) 
    VALUES(@last_child, @EmpName)
COMMIT
END ;

O código a seguir popula a tabela com três linhas e retorna os resultados:

INSERT Org_T2 (EmployeeId, EmployeeName) 
    VALUES(hierarchyid::GetRoot(), 'David') ;
GO
AddEmp 0x , 'Sariya'
GO
AddEmp 0x58 , 'Mary'
GO
SELECT * FROM Org_T2

Aqui está o conjunto de resultados.

EmployeeId LastChild EmployeeName
---------- --------- ------------
0x        0x58       David
0x58      0x5AC0     Sariya
0x5AC0    NULL       Mary

[INÍCIO]

Aplicando uma árvore

Os exemplos anteriores ilustram como um aplicativo pode assegurar a manutenção de uma árvore. Para impor uma árvore usando restrições, uma coluna computada que define o pai de cada nó pode ser criada com uma restrição de chave estrangeira na ID de chave primária.

CREATE TABLE Org_T3
(
   EmployeeId hierarchyid PRIMARY KEY,
   ParentId AS EmployeeId.GetAncestor(1) PERSISTED  
      REFERENCES Org_T3(EmployeeId),
   LastChild hierarchyid, 
   EmployeeName nvarchar(50)
)
GO

O método de impor uma relação é preferido quando o código que não é confiável para manter a árvore hierárquica tiver acesso DML direto à tabela. No entanto, esse método pode reduzir o desempenho porque a restrição deve ser verificada em todas as operações DML.

[INÍCIO]

Localizando ancestrais usando o CLR

Uma operação comum que envolve dois nós em uma hierarquia é encontrar o mais baixo ancestral comum. Isso pode ser escrito em Transact-SQL ou CLR, porque o tipo hierarchyid está disponível em ambos. CLR é recomendado porque o desempenho é superior.

Use o código CLR a seguir para listar os ancestrais e localizar o ancestral comum mais baixo:

using System;
using System.Collections;
using System.Text;
using Microsoft.SqlServer.Server;
using Microsoft.SqlServer.Types;

public partial class HierarchyId_Operations
{
    [SqlFunction(FillRowMethodName = "FillRow_ListAncestors")]
    public static IEnumerable ListAncestors(SqlHierarchyId h)
    {
        while (!h.IsNull)
        {
            yield return (h);
            h = h.GetAncestor(1);
        }
    }
    public static void FillRow_ListAncestors(Object obj, out SqlHierarchyId ancestor)
    {
        ancestor = (SqlHierarchyId)obj;
    }

    public static HierarchyId CommonAncestor(SqlHierarchyId h1, HierarchyId h2)
    {
        while (!h1.IsDescendant(h2))
            h1 = h1.GetAncestor(1);
        
        return h1;
    }
}

Para usar os métodos ListAncestor e CommonAncestor nos exemplos Transact-SQL a seguir, construa a DLL e crie o assembly HierarchyId_Operations em SQL Server executando um código semelhante ao seguinte:

CREATE ASSEMBLY HierarchyId_Operations 
FROM '<path to DLL>\ListAncestors.dll'
GO

[INÍCIO]

Listando os ancestrais

A criação de uma lista de ancestrais de um nó é uma operação comum; por exemplo, para mostrar a posição em uma organização. Uma das formas de fazer isso é usar uma função com valor de tabela, através da classe HierarchyId_Operations definida acima:

Usando Transact-SQL:

CREATE FUNCTION ListAncestors (@node hierarchyid)
RETURNS TABLE (node hierarchyid)
AS
EXTERNAL NAME HierarchyId_Operations.HierarchyId_Operations.ListAncestors
GO

Exemplo de uso:

DECLARE @h hierarchyid
SELECT @h = OrgNode 
FROM HumanResources.EmployeeDemo  
WHERE LoginID = 'adventure-works\janice0' -- /1/1/5/2/

SELECT LoginID, OrgNode.ToString() AS LogicalNode
FROM HumanResources.EmployeeDemo AS ED
JOIN ListAncestors(@h) AS A 
   ON ED.OrgNode = A.Node
GO

[INÍCIO]

Localizando o mais baixo ancestral comum

Usando a classe HierarchyId_Operations definida acima, crie a seguinte função Transact-SQL para localizar o mais baixo ancestral comum que envolva dois nós em uma hierarquia:

CREATE FUNCTION CommonAncestor (@node1 hierarchyid, @node2 hierarchyid)
RETURNS hierarchyid
AS
EXTERNAL NAME HierarchyId_Operations.HierarchyId_Operations.CommonAncestor
GO

Exemplo de uso:

DECLARE @h1 hierarchyid, @h2 hierarchyid

SELECT @h1 = OrgNode 
FROM  HumanResources.EmployeeDemo 
WHERE LoginID = 'adventure-works\jossef0' -- Node is /1/1/3/

SELECT @h2 = OrgNode 
FROM HumanResources.EmployeeDemo  
WHERE LoginID = 'adventure-works\janice0' -- Node is /1/1/5/2/

SELECT OrgNode.ToString() AS LogicalNode, LoginID 
FROM HumanResources.EmployeeDemo  
WHERE OrgNode = dbo.CommonAncestor(@h1, @h2) ;

O nó resultante é /1/1/

[INÍCIO]

Movendo subárvores

Outra operação comum é mover subárvores. O procedimento abaixo toma uma subárvore de @oldMgr e a transforma em (@oldMgr inclusive) uma subárvore de @newMgr.

CREATE PROCEDURE MoveOrg(@oldMgr nvarchar(256), @newMgr nvarchar(256) )
AS
BEGIN
DECLARE @nold hierarchyid, @nnew hierarchyid
SELECT @nold = OrgNode FROM HumanResources.EmployeeDemo WHERE LoginID = @oldMgr ;

SET TRANSACTION ISOLATION LEVEL SERIALIZABLE
BEGIN TRANSACTION
SELECT @nnew = OrgNode FROM HumanResources.EmployeeDemo WHERE LoginID = @newMgr ;

SELECT @nnew = @nnew.GetDescendant(max(OrgNode), NULL) 
FROM HumanResources.EmployeeDemo WHERE OrgNode.GetAncestor(1)=@nnew ;

UPDATE HumanResources.EmployeeDemo  
SET OrgNode = OrgNode.GetReparentedValue(@nold, @nnew)
WHERE OrgNode.IsDescendantOf(@nold) = 1 ;

COMMIT TRANSACTION
END ;
GO

[INÍCIO]

Isso foi útil para você?
(1500 caracteres restantes)
Agradecemos os seus comentários

Contribuições da comunidade

ADICIONAR
Mostrar:
© 2014 Microsoft. Todos os direitos reservados.