Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo

Utilitários de linha de comando

Utilitários de linha de comando

Exibindo configuração usando ipconfig /all

Ao solucionar um problema de rede TCP/IP, comece verificando a configuração TCP/IP do computador que está apresentando problema. Você pode usar o comando ipconfig para obter informações sobre a configuração do computador host, inclusive o endereço IP, a máscara de sub-rede e o gateway padrão.

Observação

  • Para clientes Windows 95, Windows 98 e Windows Millennium Edition, use o comando winipcfg em vez de ipconfig.

Quando você usa o comando ipconfig com a opção /all, um relatório de configuração detalhado é gerado para todas as interfaces, inclusive qualquer porta serial configurada. Com ipconfig /all, você pode redirecionar a saída do comando para um arquivo e colar a saída em outros documentos. Você também pode usá-la para confirmar a configuração TCP/IP de cada computador da rede ou investigar ainda mais os problemas da rede TCP/IP.

Por exemplo, se um computador está configurado com um endereço IP que é uma cópia de um endereço IP existente, a máscara de sub-rede aparece como 0.0.0.0.

O exemplo a seguir mostra a saída do comando ipconfig /all em um computador com Windows XP Professional configurado para usar o servidor DHCP para configuração TCP/IP automática e servidores WINS e DNS para resolução de nome.

 Configuração de IP 



        Tipo de nó . . . . . . . . . : Roteamento IP híbrido ativado. . . . . : Não há proxy WINS ativado. . . . . : Não



Conexão local de adaptador Ethernet:



        Nome do host . . . . . . . . . : client1.microsoft.com Servidores DNS . . . . . . . . : 10.1.0.200 Descrição . . . . . . . . : Endereço físico da placa Ethernet 3Com 3C90x. . . . . . : 00-60-08-3E-46-07 DHCP ativado. . . . . . . . : Sim Configuração automática ativada . : Sim Endereço IP. . . . . . . . . : 192.168.0.112 Máscara de sub-rede . . . . . . . . : 255.255.0.0 Gateway padrão . . . . . . : 192.168.0.1 Servidor DHCP . . . . . . . . : 10.1.0.50 Servidor WINS primário . . . . : 10.1.0.101 Servidor WINS secundário . . . : 10.1.0.102 Concessão obtida. . . . . . . : Quarta-feira, 2 de setembro de 1998 10:32:13 AM Concessão expira . . . . . . . : 18.09.98 10:32:13 p.m.




Se não aparecer nenhum problema na configuração TCP/IP, a próxima etapa é testar a capacidade de conectar-se a outros computadores host na rede TCP/IP.

Exibindo configuração usando o recurso Status

Um método alternativo para exibir a configuração está disponível pelo recurso <b>Status</b> de uma conexão de rede. Para obter mais informações, consulte Exibir o status de uma conexão de rede local.

Atualizando configuração usando ipconfig /renew

Ao solucionar um problema de rede TCP/IP, comece verificando a configuração TCP/IP do computador que está apresentando problema. Se o computador foi ativado para DHCP e está usando um servidor DHCP para obter a configuração, você pode iniciar uma atualização da concessão usando o comando ipconfig /renew.

Quando você usa ipconfig /renew, todos os adaptadores de rede do computador que usa DHCP (exceto aqueles configurados manualmente) tentam entrar em contato com um servidor DHCP e renovar sua configuração existente ou obter uma nova configuração.

Você também pode usar o comando ipconfig com a opção /release para liberar imediatamente a configuração DHCP atual de um host.

Observação

  • Para os clientes Windows 95, Windows 98 e Windows Millennium Edition ativados para DHCP, use as opções release e renew do comando winipcfg em vez de ipconfig /release e ipconfig /renew para executar a liberação ou renovação manual da concessão da configuração IP para um cliente.

Recurso de reparação

Como alternativa a ipconfig, você pode usar Repair para renovar as configurações IP da conexão à Internet de alta velocidade ou à LAN. Repair executa uma série de comandos que reparam a conexão. Os comandos iniciados por Repair estão listados a seguir com a linha de comando equivalente:

 

Repair Linha de comando equivalente

Verifica se o DHCP está ativo e, em caso positivo, emite uma renovação de difusão para atualizar o endereço IP.

Não há linha de comando equivalente disponível

Libera o cache do ARP

arp -d *

Libera o cache do NetBIOS

nbtstat -R

Libera o cache do DNS

ipconfig /flushdns

Cria um novo registro no WINS

nbtstat -RR

Cria um novo registro no DNS

ipconfig /registerdns

Importante

  • Repair usa uma renovação de difusão e fará com que um computador aceite qualquer concessão de qualquer servidor DHCP da rede. Ao contrário, uma renovação de difusão ponto a ponto (ipconfig /renew) renovará apenas a concessão existente do último servidor DHCP do qual o cliente recebeu uma concessão.

Para obter mais informações, consulte Reparar um conexão com a Internet de alta velocidade ou de rede local.

Gerenciando identificações de classe DNS e DHCP usando ipconfig

Também é possível usar o comando ipconfig para:

Testando conexões usando ping

O comando ping ajuda a verificar a conectividade no nível IP. Ao solucionar problemas, você pode usar ping para enviar solicitações de eco ICMP para um nome de host de destino ou endereço IP. Use ping sempre que precisar verificar se um computador host pode conectar-se à rede e a recursos de rede TCP/IP. Você também pode usar o ping para isolar problemas de hardware de rede e configurações incompatíveis.

Geralmente, o mais indicado é verificar se existe uma rota entre o computador local e um host de rede usando primeiro o comando ping e o endereço IP do host da rede a qual você deseja conectar-se. Tente fazer o ping do endereço IP do host de destino para ver se ele responde da seguinte maneira:

ping Endereço_IP

Execute as seguintes etapas ao usar ping:

  1. Faça o ping do endereço de auto-retorno para verificar se o TCP/IP foi configurado corretamente no computador local.
    ping 127.0.0.1
  2. Faça o ping do endereço IP do computador local para verificar se ele foi adicionado à rede corretamente.
    pingEndereço_IP_do_host_local
  3. Faça o ping do endereço IP do gateway padrão para verificar se o gateway padrão está funcionando e se você consegue comunicar-se com um host local da rede local.
    pingEndereço_IP_do_gateway_padrão
  4. Faça o ping do endereço IP do host remoto para verificar se você consegue comunicar-se através de um roteador.
    pingEndereço_IP_do_host_remoto

O comando ping usa a resolução de nome do estilo Windows Sockets para resolver um nome de computador para um endereço IP; portanto, se fazer o ping por endereço der certo, mas por nome não funcionar, o problema está no endereço ou na resolução de nome e não na conectividade de rede. Para obter mais informações, consulte Solucionando problemas de endereços de hardware usando arp.

Se você não puder usar ping com sucesso em nenhum ponto, confirme o seguinte:

  • Se o computador foi reiniciado após a configuração do TCP/IP.
  • Se o endereço IP do computador local é válido e aparece corretamente na guia Geral da caixa de diálogo Propriedades do Protocolo Internet (TCP/IP).
  • Se o roteamento IP está ativado e o vínculo entre os roteadores está funcionando.

Você pode usar opções diferentes com o comando ping para especificar o tamanho dos pacotes a serem usados, quantos pacotes serão enviados, se a rota usada deve ser registrada, o valor de tempo de vida (TTL) a usar e se deve ser definido o sinalizador de não fragmentação. Você pode digitar ping –? para ver essas opções.

O exemplo a seguir ilustra como enviar dois pings, cada um com tamanho de 1.450 bytes, ao endereço IP 131.107.8.1:

C:\>ping -n 2 -l 1450 131.107.8.1 Ping 131.107.8.1 com 1450 bytes de dados:



Resposta de 131.107.8.1: bytes=1450 time<10ms TTL=32 Resposta de 131.107.8.1: bytes=1450 time<10ms TTL=32



Estatísticas de ping para 131.107.8.1: Pacotes: Enviados = 2, Recebidos = 2, Perdidos = 0 (0% de perda), Tempo de resposta aproximado em milissegundos: Mínimo = 0ms, Máximo =  10ms, Média=  2ms

Por padrão, o ping espera 4.000 ms (4 segundos) por resposta a ser retornada antes de exibir a mensagem Tempo limite do pedido esgotado. Se o sistema remoto que está sendo submetido a ping está do outro lado de um link com grande atraso, como um link de satélite, as respostas podem demorar mais para serem retornadas. Você pode usar a opção –w (espera) para especificar um tempo limite mais longo.

Solucionando problemas de endereços de hardware usando arp

O protocolo de resolução de endereço ARP (Address Resolution Protocol) permite que um host encontre o endereço de controle de acesso à mídia de um host na mesma rede física, dado o endereço IP do host. Para tornar o ARP eficiente, cada computador armazena em cache mapeamentos de endereço IP para endereço de controle de acesso à mídia a fim de eliminar solicitações de difusão ARP repetitivas.

Você pode usar o comando arp para exibir e modificar as entradas da tabela ARP do computador local. O comando arp é útil para exibir o cache do ARP e resolver problemas de resolução de endereço.

Para obter mais informações, consulte Exibir o cache do protocolo de resolução de endereços (ARP) e Adicionar uma entrada de cache do ARP estática.

Solucionando problemas de nomes NetBIOS usando nbtstat

NetBIOS sobre TCP/IP (NetBT) resolve nomes NetBIOS para endereços IP. O TCP/IP oferece muitas opções para resolução de nome NetBIOS, inclusive pesquisa de cache local, consulta ao servidor WINS, difusão, consulta ao servidor DNS e pesquisa aos arquivos Lmhosts e Hosts.

<b>Nbtstat </b>é uma ferramenta útil para a solução de problemas de resolução de nomes NetBIOS. Você pode usar o comando nbtstat para remover ou corrigir entradas pré-carregadas:

  • nbtstat -n exibe os nomes registrados localmente no sistema por programas como o servidor e o redirecionador.
  • nbtstat -c mostra o cache de nomes NetBIOS, que contém mapeamentos de nomes a endereços de outros computadores.
  • nbtstat -R limpa o cache de nomes e o recarrega a partir do arquivo Lmhosts.
  • nbtstat -RR libera os nomes NetBIOS registrados por um servidor WINS e renova seu registro.
  • nbtstat -a nome executa um comando de status do adaptador NetBIOS em relação ao computador especificado por nome. O comando de status do adaptador retorna a tabela de nomes NetBIOS local desse computador mais o endereço de controle de acesso à mídia do adaptador.
  • nbtstat -S lista as sessões NetBIOS atuais e seus status, incluindo estatísticas, conforme ilustrado no exemplo a seguir:
    Tabela de conexões de NetBIOS
    
    
    
    Nome local Estado     Ent/Sai Host remoto    Entrada Saída ------------------------------------------------------------------ CORP1 <00> Conectado    CORPSUP1<20>   6MB     5MB CORP1 <00> Conectado    CORPPRINT<20>  108KB   116KB CORP1 <00> Conectado    CORPSRC1<20>   299KB   19KB CORP1 <00> Conectado    CORPEMAIL1<20> 324KB   19KB CORP1 <03> Escuta
    

Exibindo estatísticas de conexão usando netstat

Você pode usar o comando netstat para exibir estatísticas do protocolo e conexões TCP/IP atuais. O comando netstat -a exibe todas as conexões, e netstat -r exibe a tabela de rotas mais as conexões ativas. O comando netstat -o exibe as identificações dos processos, de modo que você pode visualizar o proprietário da porta de cada conexão. O comando netstat -e exibe estatísticas da Ethernet, e netstat -s exibe estatísticas por protocolo. Se você usar netstat -n, endereços e números de porta não são convertidos em nomes. A seguir, um exemplo de saída de netstat:

C:\>netstat -e Estatísticas de interface



                       Bytes Recebidos      Enviados                  3995837940    47224622 Pacotes de difusão ponto a ponto        120099        131015 Pacotes que não são de difusão ponto a ponto    7579544       3823 Descartes               0             0 Erros                 0             0 Protocolos desconhecidos      363054211



C:\>netstat -n -o



Conexões ativas

 

  Protocolos desconhecidos          Endereço externo        Estado           PID TCP    172.31.71.152:1136     157.54.2.84:389       ENCERRADO_ESPERA      180 TCP    172.31.71.152:2730     172.31.71.99:139       ESTABELECIDO     4 TCP    172.31.71.152:3110     157.54.2.84:389        ENCERRADO_ESPERA      364 TCP    172.31.71.152:3796     172.30.236.233:1479    ESTABELECIDO     1128 TCP    172.31.71.152:3800     172.30.236.233:1740    ESTABELECIDO     1128 TCP    172.31.71.152:3815     172.30.236.233:1479    ESTABELECIDO     908 TCP    172.31.71.152:3819     172.30.236.233:1740    ESTABELECIDO     908 TCP    172.31.71.152:4034     172.31.16.197:139      TEMPO_ESPERA       0 TCP    172.31.71.152:4037     157.54.4.183:445       TEMPO_ESPERA       0 TCP    172.31.71.152:4043     157.60.218.11:119      TEMPO_ESPERA       0 TCP    172.31.71.152:4044     157.60.218.11:119     TEMPO_ESPERA       0 TCP    172.31.71.152:4045     157.60.218.11:119      TEMPO_ESPERA       0 TCP    172.31.71.152:4046     157.60.218.11:119      TEMPO_ESPERA       0 TCP    172.31.71.152:4047     157.60.218.11:119      TEMPO_ESPERA       0 TCP    172.31.71.152:4048     157.60.218.11:119      TEMPO_ESPERA       0 TCP    172.31.71.152:4049     157.60.218.11:119      TEMPO_ESPERA       0 TCP    172.31.71.152:4050     157.60.218.11:119      TEMPO_ESPERA       0



C:\>netstat -a



Conexões ativas



 Proto Endereço local       Endereço externo       Estado TCP  CORP1:1572       172.16.48.10:nbsession   ESTABELECIDO TCP  CORP1:1589       172.16.48.10:nbsession   ESTABELECIDO TCP  CORP1:1606       172.16.105.245:nbsession ESTABELECIDO TCP  CORP1:1632       172.16.48.213:nbsession  ESTABELECIDO TCP  CORP1:1659       172.16.48.169:nbsession  ESTABELECIDO TCP  CORP1:1714       172.16.48.203:nbsession  ESTABELECIDO TCP  CORP1:1719       172.16.48.36:nbsession   ESTABELECIDO TCP  CORP1:1241       172.16.48.101:nbsession  ESTABELECIDO UDP  CORP1:1025       *:* UDP  CORP1:snmp       *:* UDP  CORP1:nbname     *:* UDP  CORP1:nbdatagram *:* UDP  CORP1:nbname     *:* UDP  CORP1:nbdatagram *:*
C:\>netstat -s Estatística IP



 Pacotes recebidos             = 5378528 Erros do cabeçalho recebidos      = 738854 Erros de endereço recebidos      = 23150 Datagramas encaminhados          = 0 Protocolos desconhecidos recebidos   = 0 Pacotes descartados recebidos   = 0 Pacotes recebidos entregues   = 4616524 Solicitações de saída              = 132702 Descartes de roteamento            = 157 Pacotes de saída descartados     = 0 Pacote de saída sem rota       = 0 	Reagrupamento necessário          = 0 Reagrupamento bem-sucedido             = 0 Falhas de reagrupamento              = 0 Datagramas fragmentados c/ êxito = 0 Falhas de fragmentação de datagramas   = 0 Fragmentos criados                 = 0



Estatística ICMP Mensagem Recebida Enviada                 693       4 Erros                   0         0 Destino inatingível  685       0 Tempo excedido            0         0 Problemas de parâmetro       0         0 Retardamentos de origem          0         0 Redirecionamentos                0         0 Ecos                   4         0 	Respostas de eco             0         4 	Carimbo de data/hora               0         0 Respostas de carimbos de data/hora        0         0 Máscara de endereço            0         0 Respostas máscaras end.     0         0



Estatísticas TCP



 	Abertos ativos                 = 597 Abertos passivos                = 135 Falha em tentativas de conexão   = 107 Conexões redefinidas            = 91 Conexões atuais          = 8 Segmentos recebidos            = 106770 Segmentos enviados                = 118431 Segmentos retransmitidos       = 461

 

Estatísticas UDP



 Datagramas recebidos   = 4157136 Nenhuma porta             = 351928 Erros de recebimento       = 2 Datagramas enviados       = 13809

Rastreando conexões de rede usando tracert

Tracert (Trace Route) é um utilitário de rastreamento de rota usado para determinar o caminho que um datagrama IP segue para atingir um destino. O comando tracert usa o campo Vida últi de IP (TTL) e as mensagens de erro ICMP para determinar a rota de um host a outro por uma rede.

Como o tracert funciona

O utilitário de diagnóstico Tracert determina a rota adotada até um destino enviando pacotes de eco do protocolo ICMP com valores de Vida útil IP (TTL) para o destino. Cada roteador ao longo do caminho é solicitado a diminuir o TTL do pacote por pelo menos 1 unidade antes de encaminhá-lo. Quando o TTL do pacote alcança 0, o roteador deve retornar uma mensagem ICMP do tipo "Time Exceeded" (Término do tempo) ao computador de origem.

O utilitário <b>tracert </b>determina a rota enviando o primeiro pacote de eco com TTL de 1, e com incrementos de 1 ao TTL em cada transmissão subseqüente, até que o destino responda ou alcance o valor máximo de TTL. A rota é determinada examinando-se as mensagens ICMP do tipo "Time Exceeded" (Término do tempo) devolvidas por roteadores intermediários. Alguns roteadores soltam silenciosamente pacotes com TTLs expirados e são invisíveis ao utilitário <b>Tracert</b>.

O comando tracert imprime uma lista ordenada da interface próxima dos roteadores do caminho que retornaram a mensagem ICMP do tipo "Tempo de recebimento excedido" do ICMP. Se a opção -d for usada, o utilitário Tracert não executa uma pesquisa DNS em cada endereço IP.

No exemplo a seguir, o pacote deve percorrer dois roteadores (10.0.0.1 e 192.168.0.1) para chegar ao host 172.16.0.99. O gateway padrão do host é 10.0.0.1 e o endereço IP do roteador da rede 192.168.0.0 é 192.168.0.1.

C:\>tracert 172.16.0.99 -d 	Rastreando rota até 172.16.0.99 por um máximo de 30 saltos 1     2 ms     3 ms     2 ms  10.0.0.1 2    75 ms    83 ms    88 ms  192.168.0.1 3    73 ms    79 ms    93 ms  172.16.0.99 Rastreamento completo.

Solucionando problemas com tracert

Você pode usar o comando tracert para determinar onde um pacote parou na rede. No exemplo a seguir, o gateway padrão determinou que não há um caminho válido para o host em 192.168.10.99. Há provavelmente um problema de configuração do roteador ou a rede 192.168.10.0 não existe (um endereço IP inválido).

C:\>tracert 192.168.10.99 Rastreando rota até 192.168.10.99 por um máximo de 30 saltos 1  10.0.0.1  relatórios: Rede de destino inatingível. Rastreamento completo.

O utilitário <b>tracert</b> é útil para solucionar problemas de redes de grande porte nas quais vários caminhos podem ser seguidos para se chegar ao mesmo ponto.

Opções de linha de comando tracert

O comando tracert aceita várias opções, conforme apresentado na tabela a seguir.

tracert [-d] [-hmáximo_de_saltos] [–jlista_de_hosts] [-wtempo_limite] nome_de_destino

 

Opção Descrição

-d

Especifica que os endereços IP não estão convertidos em nomes de hosts.

-h máximo_de_saltos

Especifica o número de saltos permitidos durante o rastreamento de uma rota para o host definido em nome_de_destino.

-j lista_de_hosts

Especifica a lista de interfaces de roteador no caminho percorrido pelos pacotes do utilitário <b>Tracert</b>.

-w tempo_limite

Aguarda o número de milissegundos especificado em tempo_limite para cada resposta.

nome_de_destino

Nome ou endereço IP do host de destino.

Para obter mais informações, consulte Rastrear um caminho usando o comando tracert.

Testando roteadores usando pathping

O comando pathping é uma ferramenta de rastreamento de rota que combina recursos dos comandos ping e tracert com informações adicionais que essas duas ferramentas não fornecem. O comando pathping envia pacotes para cada roteador no caminho até o destino final durante um período de tempo e depois calcula os resultados com base nos pacotes retornados de cada salto. Como o comando indica o grau de perda de pacotes em um determinado roteador ou link, fica fácil determinar quais roteadores ou links podem estar provocando problemas na rede. Há diversas opções disponíveis, como mostra a tabela a seguir.

 

Opção Nome Função

-n

Nomes de host

Não resolve endereços para nomes de host.

-h

Máximo de saltos

Especifica o número máximo de saltos a pesquisar até o destino.

-g

Lista de hosts

Caminho de origem indefinido ao longo da lista de hosts.

-p

Período

Número de milissegundos de espera entre pings.

-q

Número de consultas

Número de consultas por salto

-w

Tempo limite

Número de milissegundos a aguardar para cada resposta.

-i

endereço

Use o endereço de origem especificado.

-4

IPv4

Força o pathping a usar IPv4.

-6

IPv6

Força o pathping a usar IPv6.

O número padrão de saltos é 30, e o tempo padrão de espera antes do tempo limite é de 3 segundos. O período padrão é de 250 milissegundos, e o número padrão de consultas a cada roteador ao longo do caminho é 100.

A seguir temos um relatório típico de pathping. As estatísticas completas que após a lista de saltos indicam a perda de pacotes em cada roteador individual.

D:\>pathping -n server1



Rota de rastreamento para [10.54.1.196] acima do máximo de 30 saltos: 0  172.16.87.35 1  172.16.87.218 2  192.168.52.1 3  192.168.80.1 4  10.54.247.14 5  10.54.1.196



Computando estatísticas por 125 segundos... Origem até aqui   Este nó/link Salto  RTT    Perd./Env.= Pct  Perd./Env. = Pct  Endereço 0                                           172.16.87.35 0/ 100 =  0%   | 1   41ms     0/ 100 =  0%     0/ 100 =  0%  172.16.87.218 13/ 100 = 13%   | 2   22ms    16/ 100 = 16%     3/ 100 =  3%  192.168.52.1 0/ 100 =  0%   | 3   24ms    13/ 100 = 13%     0/ 100 =  0%  192.168.80.1 0/ 100 =  0%   | 4   21ms    14/ 100 = 14%     1/ 100 =  1%  10.54.247.14 0/ 100 =  0%   | 5   24ms    13/ 100 = 13%     0/ 100 =  0%  10.54.1.196



Rastreamento concluído.

Quando pathping é executado, você primeiro vê os resultados para uma rota enquanto ela é testada para verificar se tem problemas. Esse é o mesmo caminho mostrado pelo comando tracert. O comando pathping então exibe uma mensagem de ocupado durante os próximos 125 segundos (esse tempo varia de acordo com a contagem de saltos). Durante esse tempo, o pathping reúne informações de todos os roteadores anteriormente listados e dos links entre eles. No final desse período, exibe os resultados do teste.

As duas colunas mais à direita--Este nó/link Perd./Env.=Pct e Endereço--contêm as informações mais úteis. O link entre 172.16.87.218 (salto 1) e 192.68.52.1 (salto 2) está perdendo 13 por cento dos pacotes. Todos os outros links estão funcionando normalmente. Os roteadores nos saltos 2 e 4 também perdem pacotes endereçados a eles (como mostrado na coluna Este nó/Vínculo), mas essa perda não afeta seu caminho de encaminhamento.

As taxas de perda exibidas para os links (marcadas como um | na coluna mais à direita) indicam perdas de pacotes sendo encaminhados ao longo do caminho. Essa perda indica congestionamento no link. As taxas de perda exibidas para os roteadores (indicadas por seus endereços IP na coluna mais à direita) indicam aqueles roteadores cujas CPUs devem estar sobrecarregadas. Esses roteadores congestionados também podem ser um fator de problemas ponto a ponto, especialmente se os pacotes forem encaminhados por roteadores de software.

Isso foi útil para você?
(1500 caracteres restantes)
Agradecemos os seus comentários

Contribuições da comunidade

ADICIONAR
Mostrar:
© 2014 Microsoft