Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo

Guia de migração de servidor de Serviços de Domínio Active Directory e DNS

Atualizado: abril de 2009

Aplica-se a: Windows Server 2008 R2

Sobre este guia

Este documento apresenta orientação para migração das funções dos Servidores Active Directory® Domain Services (AD DS) ou Domain Name System (DNS) de um servidor com base em x86 ou x64 executando o Windows Server® 2003, o Windows Server 2008 ou o Windows Server 2008 R2 para um novo servidor Windows Server 2008 R2.

Este documento descreve as práticas recomendadas para migração dos Servidores AD DS e DNS do hardware antigo para o novo. Os elementos migrados de uma instalação preexistente são de total responsabilidade do administrador do servidor. No entanto, junto com a função do servidor, esses elementos normalmente incluem configuração, dados, identidade do sistema e configurações do sistema operacional. Este documento não faz suposições sobre as possíveis dependências que possam haver entre funções do servidor. Pelo contrário, para atingir seu objetivo, este guia parte da premissa de que você está migrando os Servidores AD DS e DNS de um computador para outro, pela rede, sem alterações das topologia ou das configurações dos sites, links de sites ou sub-redes.

Público-alvo

Este documento se destina a administradores e profissionais de TI (tecnologia da informação) e a outros trabalhadores de conhecimento que sejam responsáveis pela operação e implantação do Servidor AD DS ou DNS em um ambiente gerenciado. Talvez seja necessário algum conhecimento sobre scripts para executar algumas das etapas de migração deste guia.

O que este guia não contém

Os seguintes cenários não são abordados neste guia:

  • Este guia não fornece nenhuma orientação de processo para uma atualização in-loco, na qual o novo sistema operacional seja instalado no hardware do servidor preexistente usando a opção Atualizar durante a configuração do Windows.

  • Ele não apresenta instruções para migração de outras funções que não sejam as dos Servidores AD DS e DNS.

  • Não contém instruções para determinar que software em execução no servidor de origem é compatível com o servidor de destino do Windows Server 2008 R2. Consulte a documentação do software para obter informações sobre os sistemas operacionais com suporte.

  • O processo de migração que esse guia descreve é para migração com um único site. Ele não oferece suporte para cenários de migração em que os servidores de origem e de destino se encontram em sites diferentes. Além disso, alguns problemas de replicação relacionados à migração não são tratados no que se refere à migração das funções de um servidor bridgehead.

Cenários de migração com suporte

Este guia apresenta instruções para migrar de um servidor preexistente que execute os Servidores AD DS e DNS para outro que execute o Windows Server 2008 R2. Ele não contém instruções para migração quando o servidor de origem executa várias funções. Se o seu servidor executar várias funções, é recomendado que você projete um procedimento de migração personalizado específico para o ambiente do servidor, com base nas informações fornecidas nos outros guias de migração de função. Os guias para migração de funções adicionais estão disponíveis no Windows Server 2008 R2 TechCenter (http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkID=128554) (essa página pode estar em inglês).

CautionCuidado
Se o servidor de origem estiver executando várias funções, algumas etapas de migração neste guia (por exemplo, as referentes à configuração de nome e IP do computador), podem provocar a falha de outras funções em execução no servidor de origem.

Este guia também contém instruções separadas para migração da função do servidor DNS autônomo. Para obter mais informações, consulte Migração de servidor AD DS e DNS: Apêndice C - Migração de DNS autônomo

Este guia contém instruções apenas para a migração dos dados e configurações de servidores existentes que estejam sendo substituídos por um novo servidor físico ou virtual com base em x64 com um sistema operacional limpo instalado, conforme descrito na tabela a seguir.

Sistemas operacionais com suporte

Processador do servidor de origem Sistema operacional do servidor de origem Sistema operacional do servidor de destino Processador do servidor de destino

com base em x86 ou x64

Windows Server 2003 com SP2 (Service Pack 2)

Windows Server 2008 R2, com opções de instalação completa e Server Core

com base em x64

baseado em x86 ou x64

Windows Server 2003 R2

Windows Server 2008 R2, com opções de instalação completa e Server Core

baseado em x64

baseado em x86 ou x64

Windows Server 2008, com opções de instalação completa e Server Core

Windows Server 2008 R2, com opções de instalação completa e Server Core

baseado em x64

baseado em x64

Windows Server 2008 R2

Windows Server 2008 R2, com opções de instalação completa e Server Core

baseado em x64

baseado em x64

Opção de instalação Server Core do Windows Server 2008 R2

Windows Server 2008 R2, com opções de instalação completa e Server Core

baseado em x64

As versões dos sistemas operacionais mostrados na tabela anterior são as combinações mais antigas de sistemas operacionais e service packs aceitas. Se disponíveis, os service packs mais recentes serão aceitos.

As edições Foundation, Standard, Enterprise e Datacenter do Windows Server têm suporte para servidores de origem e de destino. A edição Foundation Server tem suporte apenas no servidor de destino em cenários limitados. Certifique-se de compreender as limitações da edição Foundation Server antes de usá-la como o servidor de destino.

Também há suporte para migrações entre sistemas operacionais físicos e virtuais.

Não há suporte para a migrar um servidor de origem para um de destino que esteja executando um sistema operacional cujo idioma da interface do usuário do sistema (o idioma instalado) seja diferente do idioma do servidor de origem. O idioma da interface do usuário do sistema é o mesmo do pacote de instalação localizado que foi usado para configurar o sistema operacional Windows. Por exemplo, não é possível migrar funções, opções do sistema operacional, dados ou recursos compartilhados de um computador que esteja executando o Windows Server 2008 com a interface do usuário do sistema em francês para outro que execute o Windows Server 2008 R2 com a mesma interface em alemão.

Visão geral da migração de servidor AD DS e DNS

Antes que os procedimentos de migração ou preparação iniciem, as seguintes premissas devem ser verdadeiras:

  • O servidor de origem é um controlador de domínio em funcionamento com o Servidor DNS instalado.

  • O servidor de destino tem o Windows Server 2008 R2 instalado. Além disso, ele está adicionado à rede como um servidor membro e seu nome e endereço IP (fixo) são exclusivos.

  • Quando a migração das funções do servidor de origem para o destino estiver completa, o servidor de destino executará as funções do servidor de origem. O servidor de origem se tornará um servidor membro, será desativado ou removido da rede, ou permanecerá como um controlador de domínio adicional.

Visão geral do processo de migração para essas funções

Ao executar uma migração, execute as etapas a seguir:

Os detalhes destas etapas são fornecidos em outros tópicos deste guia.

A ilustração a seguir mostra o processo de migração.

Processo de migração do AD DS/DNS

Diferenças entre atualização e migração

Há três opções para implantar um novo sistema operacional do Windows Server 2008 R2:

  • Atualização in-loco

  • Instalação limpa

  • Migração

A atualização in-loco e a instalação limpa têm suas vantagens e desvantagens. Este guia descreve da terceira opção: migração.

Há uma diferença entre migração e atualização in-loco. A migração é necessária quando as diferenças de hardware não permitem a atualização. Como o Windows Server 2008 R2 é um sistema operacional com base apenas em x64, é impossível atualizar as versões com base em x86 do Windows Server 2003 ou Windows Server 2008 para um computador que execute o Windows Server 2008 R2.

Além disso, a migração do servidor pode ser o mecanismo de implantação preferencial para um número de outros cenários:

  • Quando o desempenho do servidor antigo tiver diminuído em consequência de várias instalações, atualizações e patches de software.

  • Quando um servidor físico tiver que ser migrado para um servidor virtual

  • Quando o cenário exigir migração de uma opção de instalação completa para uma opção de instalação Server Core

Você pode usar as instruções neste guia para migrar configurações herdadas e dados para o novo sistema operacional.

noteObservação
Se o hardware preexistente tiver base em x64, mas você estiver executando um sistema operacional com base em x86, será necessário usar as instruções deste guia para migrar as funções do servidor.

Métodos de atualização e migração

Método Vantagem Desvantagem

Atualização in-loco (não abordada neste guia)

Todas as definições e configurações atuais são preservadas.

O servidor atualizado preserva os dados antigos.

A atualização in-loco requer mais tempo de inatividade porque o sistema operacional preexistente está sendo substituído pelo novo sistema operacional.

Se a atualização in-loco não for bem-sucedida, o processo de reversão será mais complexo.

Instalação limpa (não abordada neste guia)

Remove todos os dados e configurações antigos que não sejam mais necessários.

É necessário reconfigurar o novo computador.

Migração (descrita neste guia)

Todas as definições e configurações atuais são preservadas, enquanto que todos os dados e configurações antigos que não são mais necessários são removidos.

Fornece um caminho de transição de um ambiente físico para um ambiente virtualizado e de uma instalação completa para uma instalação Server Core.

Requer menos tempo de inatividade visto que o servidor antigo permanece operacional durante a maior parte do processo de migração.

Exige mais planejamento e verificação para garantir uma migração bem-sucedida.

Impacto da migração

O objetivo do processo de migração é que o servidor de destino execute as mesmas funções que o servidor de origem, sem nenhuma interrupção dos serviços para os computadores cliente na rede. Ao término da migração, o servidor de destino deve poder autenticar usuários e computadores. Os computadores cliente que usam os serviços do servidor de origem não precisam ser modificados e vivenciam pouca ou nenhuma interrupção no serviço. O servidor de destino dos Servidores AD DS ou DNS trata as consultas LDAP do mesmo modo que o servidor de origem fazia.

Em um ambiente em que os computadores cliente estão configurados com um único servidor DNS e este é o servidor de origem, é essencial considerar que, durante a migração, os serviços do DNS podem ser temporariamente interrompidos. Nesse caso, os computadores cliente não poderão resolver os nomes de domínios para endereços IP. É recomendado que, durante esse período, um ou mais servidores DNS adicionais sejam configurados de modo que os clientes possam resolver nomes durante a migração do servidor de origem primário.

Permissões necessárias para concluir a migração

É necessário ter permissões de administrador de domínio para acessar todas as ferramentas, dados e configurações necessários para o processo de migração.

Duração estimada

Normalmente, você pode esperar que a migração dos Servidores AD DS e DNS em um ambiente simples leve de duas a três horas, incluindo o teste. É necessário tempo adicional para promover o novo servidor a controlador do domínio. Em ambientes mais complexos, de grande porte, a promoção do controlador do domínio pode variar muito, dependendo da quantidade de dados a ser replicada no novo servidor e da conectividade da rede. No entanto, o processo recomendado é usar certas ferramentas e a opção instalar da mídia (IFM) para mover todo o banco de dados ao mesmo tempo.

Cenário de migração do Servidor AD DS e DNS

É recomendado desenvolver um cenário de migração para os servidores que leve em consideração todas as circunstâncias, configurações ou topologias que possam afetar sua migração. Talvez você precise responder as seguintes perguntas sobre a migração:

  • Possui várias instâncias do Active Directory que serão replicadas para vários servidores físicos ou virtuais?

  • O AD DS está localizado somente no mesmo servidor físico ou virtual?

Se estiver migrando o Servidor DNS, determine como ele está distribuído no domínio. Por exemplo, o Servidor DNS será migrado junto com o Servidor AD DS a partir do mesmo computador? Embora o Servidor DNS possa ser migrado separadamente do Servidor AD DS, na maioria dos casos, ambas as funções do servidor ficam hospedadas no mesmo computador e devem ser migradas conjuntamente, ao mesmo tempo. Assim, recomendamos que você desenvolva um cenário de migração do Servidor DNS que leve em conta todas as circunstâncias, configurações ou topologias que afetam a migração Servidor DNS.

No entanto, este guia contém instruções separadas sobre como migrar a função de Servidor DNS autônomo na Migração de servidor AD DS e DNS: Apêndice C - Migração de DNS autônomo

Considerações sobre migração especial

Há determinadas configurações do servidor que requerem etapas especiais antes, durante ou depois da migração. As instruções para a migração de algumas dessas configurações não estão fornecidas, por ora, neste guia. Esses casos especiais estão descritos na próxima seção.

Servidores que funcionam apropriadamente versus servidores incompatíveis

A migração pode ser afetada pela “integridade” do servidor de origem. A integridade do servidor é uma medida dos seus problemas ou da ausência de problemas. O Windows Server apresenta vários meios para coletar e salvar muitos tipos diferentes de dados do servidor. Você pode usar esses dados para estabelecer uma linha de base que descreva o funcionamento adequado de um servidor íntegro. Se a integridade do servidor for afetada, será possível determinar o que foi alterado comparando as medidas atuais com os dados da linha de base coletados quando o servidor era íntegro.

Se os logs de eventos do servidor de origem mostrarem que a integridade do servidor de origem não está preservada, você terá duas opções para migrar o servidor de origem:

  • Criar o novo servidor de destino e ignorar os problemas do servidor de origem.

  • Corrigir todos os problemas do servidor de origem e migrar todas as definições para o servidor de destino.

Se houver problemas conhecidos no servidor de origem, considere o impacto possível que eles podem ter sobre a migração. A prática recomendada é migrar de um servidor de origem íntegro para um servidor de destino íntegro. No entanto, podem ocorrer situações em que seja necessário executar uma migração de um servidor de origem com integridade afetada. Esses casos especiais precisam análise cuidadosa.

Consulte também

Isso foi útil para você?
(1500 caracteres restantes)
Agradecemos os seus comentários

Contribuições da comunidade

ADICIONAR
A Microsoft está realizando uma pesquisa online para saber sua opinião sobre o site do MSDN. Se você optar por participar, a pesquisa online lhe será apresentada quando você sair do site do MSDN.

Deseja participar?
Mostrar:
© 2014 Microsoft