Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo
3 de 5 pessoas classificaram isso como útil - Avalie este tópico

Perguntas frequentes: discos rígidos virtuais no Windows Server 7 e no Windows Server 2008 R2

Atualizado: outubro de 2010

Aplica-se a: Windows 7, Windows Server 2008 R2

Este artigo oferece respostas a perguntas comuns sobre VHDs (discos rígidos virtuais) no Windows 7 e Windows Server 2008 R2.

O que é uma inicialização nativa de VHD?

No Windows 7 e Windows Server 2008 R2 você pode configurar um VHD para inicialização nativa. Isso significa que um VHD pode ser usado como o sistema operacional em execução no hardware designado sem um sistema operacional pai, na máquina virtual ou no hipervisor. Além disso, se usar uma inicialização nativa, você terá acesso total a todos os dispositivos e volumes de sistema de arquivos no computador físico, incluindo volumes dentro do VHD. Em contraste, quando o Windows é executado em uma máquina virtual, apenas um volume de sistema de arquivos no disco virtual (volume C:) está disponível para máquinas de convidados (a menos que você compartilhe outro volume com a máquina virtual).

Observe a seguinte funcionalidade com inicialização nativa:

  • A inicialização nativa do VHD está disponível no Windows 7 Enterprise, Windows 7 Ultimate e todas as versões do Windows Server 2008 R2.

  • Quando você executa uma inicialização nativa, as partições do sistema de arquivos que são contidas no VHD são anexadas automaticamente e os volumes virtuais ficam visíveis.

  • A inicialização nativa oferece suporte a todos os três tipos de arquivo VHD: fixo, de expansão dinâmica e diferencial. Durante a inicialização nativa a partir de um arquivo VHD de expansão dinâmica, o VHD é expandido automaticamente até o tamanho máximo. Se o volume de host físico do arquivo VHD não tiver espaço livre em disco suficiente para o tamanho máximo do VHD de expansão dinâmica, o processo de inicialização falhará.

  • O suporte à inicialização nativa está disponível em computadores que têm firmware BIOS ou UEFI.

Para obter instruções sobre como configurar um computador para inicialização nativa de um VHD, consulte os recursos a seguir: .

Quais são os diferentes tipos de arquivo VHD?

Há três tipos de arquivo VHD: fixo, de expansão dinâmica e diferencial. Você pode criar esses arquivos usando o Gerenciador Hyper-V™ ou as ferramentas de gerenciamento de discos do Windows. Para obter instruções sobre como criar e configurar VHDs, consulte Creating Virtual Hard Disks.

 

Tipo Explicação

Fixo

Um VHD fixo tem um tamanho alocado que não muda. Por exemplo, se você criar um VHD fixo de 24 gigabytes (GB), o arquivo terá aproximadamente 24 GB (com algum espaço usado para estrutura interna de VHD), independentemente dos dados gravados nele.

Expansão dinâmica

O tamanho de um VHD de expansão dinâmica é o mesmo dos dados gravados nele. À medida que mais dados são gravados em um VHD de expansão dinâmica, o arquivo aumenta para o tamanho máximo. Por exemplo, um VHD de expansão dinâmica de 24 GB inicialmente tem em torno de 80 megabytes (MB) no sistema de arquivos de host. À medida que dados são gravados no VHD, o arquivo aumenta, mas ele terá um tamanho máximo de 24 GB.

Diferencial

Um VHD diferencial é semelhante a um VHD de expansão dinâmica, mas contém apenas os blocos de disco modificados de um VHD pai associado. O VHD pai é somente leitura, de modo que você pode modificar o VHD de diferencial. Um VHD diferencial algumas vezes é mencionado como VHD "filho". O VHD pai pode ser qualquer dos três tipos de arquivo VHD, inclusive outro VHD diferencial. Vários VHDs diferenciais criam uma cadeia diferencial. Observe os seguintes requisitos para VHDs diferenciais:

  • Você não deve modificar o pai de um VHD diferencial. Se o VHD pai for alterado ou substituído por outro arquivo VHD (mesmo que tenha o mesmo nome de arquivo), a estrutura de blocos entre o pai e o VHD diferencial não será mais correspondente e o VHD diferencial será corrompido.

  • Você deve manter os dois arquivos (o VHD pai e o VHD diferencial) no mesmo diretório em um volume local para situações de inicialização nativa. Para VHDs de inicialização nativa, o VHD pai e o disco diferencial não podem residir em volumes diferentes, mesmo que residam no mesmo disco local. Porém, quando você anexa um VHD diferencial que não é usado para inicialização nativa (por exemplo, se você planeja usá-lo para gerenciamento de imagens), o VHD pai pode estar em diretórios diferentes, e em um volume diferente ou mesmo em um compartilhamento remoto.

Por que os VHDs fixos são recomendados para produção?

Os VHDs fixos são recomendados para produção em vez de VHDs de expansão dinâmica ou diferenciais pelos seguintes motivos:

  • O desempenho de E/S é mais alto para VHDs fixos porque o arquivo não é expandido dinamicamente.

  • Quando um disco de expansão dinâmica é expandido, o volume de host pode ficar sem espaço e fazer com que as operações de gravação falhem. O uso de VHDs fixos garante que isso não aconteça.

  • Os dados do arquivo não se tornarão inconsistentes devido à falta de espaço de armazenamento ou perda de energia. Os VHDs de expansão dinâmica e diferenciais dependem de várias operações de gravação para expandir o arquivo. As informações de alocação de blocos internos podem se tornar inconsistentes se todas as operações de E/S para o arquivo VHD e o volume de host não forem concluídos e persistirem no disco físico. Isso poderá acontecer se o computador perder energia subitamente.

Quando é apropriado usar VHDs de expansão dinâmica?

Os VHDs de expansão dinâmica são úteis em ambientes de não produção, em que os requisitos de armazenamento flexíveis e alterações frequentes da imagem de VHD são mais vantajosos que a confiabilidade dos dados no VHD. Além disso, os VHDs de expansão dinâmica são melhores para ambientes de teste, pois haverá menos impacto se você tiver que recriar o VHD. Por exemplo, um ambiente de teste pode usar vários VHDs de expansão dinâmica, cada um com uma imagem diferente do Windows e um conjunto de aplicativos para testar. Se os arquivos VHD forem modificados durante um teste ou forem corrompidos acidentalmente, você poderá substituir os VHDs de uma cópia segura e reiniciar o teste.

O uso de VHDs de expansão dinâmica em um ambiente de teste oferece os seguintes benefícios:

  • Uso flexível de espaço de disco. Você pode usar o espaço livre para o VHD para expandir durante a sua inicialização nativa. Esse espaço ficaria indisponível se o volume tivesse hospedado vários VHDs em um formato físico.

  • Tempo de transferência mais curto ao copiar VHDs entre locais. O tamanho do arquivo de um VHD de expansão dinâmica, que não está usando sua capacidade máxima, será transferido em menos tempo entre um compartilhamento de rede e um disco local que um VHD fixo de tamanho máximo equivalente.

Embora seja raro, você poderá considerar o uso de VHDs de expansão dinâmica em ambientes de produção se 1) todo o conteúdo do VHD de expansão dinâmica puder ser regenerado a partir de outras fontes e 2) se os dados essenciais forem armazenados em volumes fora do VHD de expansão dinâmica.

O que significa criar, anexar e desanexar VHDs?

As ferramentas de gerenciamento de disco (a ferramenta de linha de comando DiskPart e o console de Gerenciamento de Disco) permitem criar, anexar e desanexar VHDs.

  • Criar. É possível criar um novo VHD com um tipo e tamanho que você especificar. Quando você criar um VHD , ele será similar a uma unidade de disco rígido com inicialização cancelada. Você pode criar uma ou mais partições no VHD e formatá-las usando FAT, ExFAT ou NTFS.

  • Anexar. A anexação de um VHD ativa o VHD de modo que ele aparece no computador host como uma unidade de disco rígido local. Às vezes, isso é chamado de "trazer um VHD à tona” porque o VHD agora está visível aos usuários. Se o VHD já tiver uma partição de disco e um volume de sistema de arquivos quando você anexá-lo, o volume interno do VHD será atribuído a uma letra de unidade A letra de unidade atribuída ficará então disponível para uso, semelhante a quando você insere uma unidade flash USB em um conector USB. Todos os usuários (não somente o usuário atual) pode usar o VHD anexado da mesma maneira que usam outros volumes em unidades de disco rígido físico local (dependendo das permissões de segurança). Além disso, como é possível anexar um VHD que esteja localizado em um SMB (bloco de mensagens do servidor) remoto, você poderá gerenciar suas imagens de maneira remota.

  • Desanexação. A desanexação de um VHD impede que o VHD apareça no computador host. Quando um VHD é desanexado, você pode copiá-lo a outros locais.

Existem restrições que eu devo saber ao anexar VHDs?

Observe as seguintes restrições para anexar VHDs:

  • Você deve ter privilégios de gerenciamento de volume (que é concedido por padrão somente a administradores) para anexar um VHD, pois a anexação de um VHD é equivalente a colocar uma unidade de disco rígido ou volume online.

  • Você pode anexar somente VHDs localizados em um volume NTFS. Porém, se você já tiver um arquivo VHD, será possível colocar o arquivo em qualquer volume FAT, ExFAT, NTFS ou UDFS para armazenamento ou transferência.

  • Você não pode anexar um VHD que tenha sido compactado por NTFS ou criptografado usando o Sistema de Arquivos com Criptografia no volume de host. Porém, você poderá compactar ou criptografar os volumes dentro do VHD se a compactação e a criptografia tiverem suporte.

  • Você não pode configurar dois VHDs anexados para ser um VHD de expansão dinâmica. Um VHD de expansão dinâmica é um disco físico que você inicializou para armazenamento dinâmico. Ele contém volumes dinâmicos, como simples, estendidos, removidos ou espelhados ou volumes de RAID-5.

  • Você não pode anexar um VHD localizado em um servidor NFS (sistema de arquivos de rede) ou FTP (Protocolo de Transferência de Arquivos). Entretanto, como mencionado anteriormente, você pode anexar um VHD que esteja localizado em um compartilhamento SMB (Bloco de Mensagens do Servidor).

  • Você não pode usar armazenamento em cache do lado do cliente no compartilhamento SMB remoto para anexar um VHD. Se você usar um compartilhamento de arquivos de rede para armazenar arquivos VHD que deseja anexar remotamente, altere as propriedades de cache do compartilhamento para desabilitar o armazenamento em cache automático.

  • Você pode anexar somente dois VHDs aninhados. Ao criar um VHD em outro VHD, ele será mencionado como um VHD aninhado. O limite para VHDs aninhados é dois. Isto é, você pode anexar um VHD em outro VHD aninhado, mas não pode anexar um terceiro.

    Por exemplo, você tem um VHD fixo em um computador em C:\vhd\ExampleFixed.vhd. Dentro do ExampleFixed.vhd, você cria uma partição, inicializa um volume de sistema de arquivos NTFS e atribui a letra de unidade M ao volume. Em seguida, cria outro VHD em M:\vhd\NestedFixed.vhd. O arquivo NestedFixed.vhd é chamado de VHD aninhado porque é criado no volume de sistema de arquivos dentro do primeiro VHD. Se você anexar ambos os VHDs (C:\vhd\ExampleFixed.vhd e M:\vhd\NestedFixed.vhd), ambas as unidades (N: e M:) estarão disponíveis no computador para utilização dos usuários.

  • Quando um sistema operacional é reiniciado, os VHDs que foram anexados antes da reinicialização não são anexados automaticamente. Se você fizer a inicialização nativa em um VHD, somente as partições do sistema de arquivos contidas no VHD serão anexadas automaticamente. Caso existam outros VHDs no volume físico que foram anexados durante uma inicialização anterior, eles não serão anexados automaticamente.

Quais são as recomendações para usar VHDs de inicialização nativa?

É preciso usar as seguintes práticas recomendadas ao usar VHDs para inicialização nativa.

  • Armazene todos os dados críticos fora dos VHDs de inicialização nativa. Quando você armazena dados críticos fora do VHD que contém as imagens de inicialização do Windows, é mais fácil recuperar os dados se o VHD se tornar inutilizável.

  • Use VHDs fixos para ambientes de produção. Você pode usar todos os três tipos de arquivo VHD (fixo, de expansão dinâmica e diferencial) para inicialização nativa, mas é recomendável usar VHDs fixos para produção e VHDs de expansão dinâmica ou diferenciais para ambientes de teste e desenvolvimento.

  • Crie arquivos VHD com um tamanho máximo que seja maior que os requisitos mínimos de disco para o sistema operacional. Quando você cria um VHD que é usado para inicialização nativa, o tamanho máximo do VHD deve ser maior que os requisitos mínimos de espaço em disco para o sistema operacional que pretende implantar. Os requisitos mínimos de espaço em disco são 16 GB para Windows 7 e 10 GB (mas, 40 GB é recomendado) para o Windows Server 2008 R2. O VHD contém informações adicionais sobre o disco virtual, de modo que você precisa adicionar aproximadamente 100 MB quando determinar o tamanho máximo do VHD.

  • Verifique se há espaço suficiente no volume de host para arquivos de paginação (Pagefile.sys). Durante a inicialização nativa, um VHD de expansão dinâmica é expandido automaticamente para o tamanho máximo no volume de host, e o arquivo de paginação é criado no volume de host fora do volume virtual. Os arquivos de paginação devem estar localizados em um volume físico fora do VHD para execução do sistema. Se o volume de host não tiver espaço livre suficiente para um arquivo de paginação, o Windows tentará encontrar espaço livre em outro volume. O tamanho do arquivo de paginação depende do quanta RAM física está disponível no sistema (você deve estimar aproximadamente 5 GB de espaço disponível além do tamanho máximo do arquivo VHD).

    noteObservação
    Quando o Windows é executado em uma máquina virtual, um arquivo de paginação é criado dentro do VHD porque o volume do sistema do disco virtual é usado para paginação.

  • Execute o Sysprep para gerar a imagem antes de usar um VHD para inicialização nativa em um computador diferente. A geração do Sysprep prepara uma imagem do Windows, que está instalada em uma partição física ou em um VHD de inicialização nativa, que será usada em outro computador. Depois de executar o Sysprep, você pode copiar o VHD em vários computadores físicos ou máquinas virtuais para inicialização nativa. Durante a primeira inicialização a partir do VHD, o Windows conclui o passo de configuração especializada para detectar os dispositivos de hardware e inicializar o Windows no novo computador.

O que não tem suporte para inicialização nativa ao usar VHDs?

Os VHDs de inicialização nativa não oferecem suporte a todos os recursos que ficam disponíveis quando o Windows é instalado ou implantado em um disco físico. É recomendável considerar as limitações de inicializar o Windows de um VHD quando você estiver planejando como implantar o Windows para o seu ambiente. As seguintes situações não têm suporte para inicialização nativa usando VHDs:

  • Uso de VHDs para inicialização nativa com versões anteriores do Windows. O Windows Vista® e o Windows Server 2008 (e versões anteriores do Windows) não oferecem suporte à inicialização nativa. O VHD de inicialização nativa requer alterações significativas no sistema operacional e essas alterações são novas no Windows 7.

  • Hibernação para conservar energia. Um sistema operacional que é inicializado de uma imagem de VHD não oferece suporte à hibernação. A inicialização nativa é destinada ao Windows Server ou desktops gerenciados, e aos computadores de teste e desenvolvimento onde a hibernação não é um recurso crítico.

  • Uso de VHDs compactados ou criptografados para inicialização nativa. Os VHDs que foram compactados por NTFS ou criptografados usando Sistema de Arquivos com Criptografia no volume de host não têm suporte para inicialização nativa.

  • Configurando a inicialização nativa do VHD se o volume de host está protegido por BitLocker. Você pode salvar um arquivo VHD em um sistema de arquivos que seja protegido pelo BitLocker™, mas não pode usar o VHD para inicialização nativa ou habilitar o Bitlocker em volumes contidos dentro de um VHD.

  • Inicialização para um VHD que está localizado em um compartilhamento remoto ou em uma unidade flash USB. O Windows não oferece suporte à inicialização em um compartilhamento remoto ou uma unidade flash USB, seja instalado em um volume físico ou de um VHD. Você pode inicializar o Windows PE (Ambiente de Pré-instalação do Windows) de uma unidade flash USB que tem suporte para implantação do Windows. O Windows PE geralmente é inicializado a partir de um Boot.wim ou uma imagem instalada, mas não há suporte para inicialização do Windows PE a partir de um VHD.

  • Atualização do sistema operacional inicializada a partir de um VHD. Se você inicializar a partir de um VHD, não poderá atualizar a versão do Windows no VHD para uma versão mais recente.

Isso foi útil para você?
(1500 caracteres restantes)
Agradecemos os seus comentários

Contribuições da comunidade

ADICIONAR
Mostrar:
© 2014 Microsoft. Todos os direitos reservados.