Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo

Criando a infraestrutura de nuvem: data center convergido com armazenamento do servidor de arquivos

Publicado: fevereiro de 2012

Atualizado: setembro de 2012

Aplica-se a: Windows Server 2012

Este documento contém instruções para criar uma configuração de nuvem privada ou pública que use:

  • Uma sub-rede convergida para o tráfego de membros do cluster (migração ao vivo, cluster, armazenamento e gerenciamento) que será usada para demonstrar as capacidades de QoS (Qualidade de Serviço).

  • Agrupamento NIC para failover e agregação de largura de banda da rede da sub-rede do locatário.

  • Um servidor de arquivos clusterizado para armazenar arquivos de máquinas virtuais.

Uma nuvem do Windows Server® 2012 é um cluster Hyper-V de alto desempenho e alta disponibilidade que hospeda máquinas virtuais que podem ser gerenciadas para criar nuvens privadas ou públicas. Este documento explica como configurar os blocos de construção básicos dessa nuvem. Ele não aborda aspectos das implantações relacionadas ao Microsoft® System Center ou outros softwares de gerenciamento; o foco está na configuração dos hosts principais do Windows Server usados para criar a nuvem.

Para obter informações sobre a criação de nuvens usando o Windows Server 2012, consulte Criando nuvens IaaS (Infraestrutura como Serviço) usando o Windows Server 8.

A figura a seguir fornece uma representação de alto nível da topologia usada neste documento.

Imagem de topologia em nuvem

Figura 1   Topologia de nuvem

A tabela a seguir resume as etapas abordadas neste documento:

 

Etapa Tarefa Destino Tarefas

1

Configuração inicial do nó

Todos os nós

  • Fazer os computadores ingressarem no domínio depois da instalação limpa do sistema operacional.

  • Desabilitar interfaces não usadas e desconectadas e renomear as conexões ativas.

  • Criar agrupamentos NIC e atribuir IPs estáticos conforme necessário.

  • Modificar a métrica de rede e/ou a ordem de associação para corresponder à topologia.

2

Configuração inicial do armazenamento

Todos os nós de armazenamento

  • Apresentar todo o armazenamento compartilhado aos nós relevantes.

  • Para cenários com múltiplos caminhos, instalar e configurar o MPIO (Microsoft® Multipath I/O) conforme necessário.

  • Instalar funções e recursos (a função Serviços de Arquivo e o recurso de clustering de failover), reinicializando conforme necessário.

3

Instalação de Espaços de Armazenamento (opcional: execute se não estiver usando uma SAN (rede de área de armazenamento) e usando espaços)

Nó de armazenamento único

  • Todos os discos compartilhados: apagar, colocar online e inicializar.

  • Criar um pool.

  • Criar um disco virtual (espelhado) no pool.

  • Criar um novo volume no disco virtual e formatar o NTFS (sem letra de unidade).

4

Configuração do cluster de armazenamento

Nó de armazenamento único (o mesmo que acima)

  • Executar o Assistente para Validação de Cluster.

  • Resolver todos os avisos e/ou erros indicados.

  • Concluir o Assistente para Criação de Clusters (definição de nome e IP, mas não adicione o armazenamento qualificado).

  • Executar o ajuste manual do cluster conforme necessário (prioridade e função de rede, configuração de quorum).

  • Adicionar o disco virtual ao cluster (o pool também será adicionado): execute apenas se estiver usando espaços.

  • Adicionar o disco virtual aos CSVs (Volumes Compartilhados do Cluster).

  • Adicionar a função Expandir Servidor de Arquivos ao cluster.

  • Adicionar pastas compartilhadas à função Expandir Servidor de Arquivos no volume CSV (habilitando a disponibilidade contínua e personalizando as permissões).

5

Configuração inicial do Hyper-V

Todos os nós do Hyper-V

  • Habilitar as configurações de BIOS necessárias para o Hyper-V.

  • Instalar funções e recursos (a função Hyper-V e o recurso de clustering de failover), reinicializando conforme necessário.

6

Configuração do cluster Hyper-V

Nó do Hyper-V único

  • Executar o Assistente para Validação de Cluster.

  • Resolver todos os avisos e/ou erros indicados.

  • Concluir o Assistente para Criação de Clusters

  • Executar o ajuste manual do cluster conforme necessário (prioridade e função de rede, configuração de quorum).

7

Configuração do Hyper-V

Todos os nós do Hyper-V

  • Alterar os locais de arquivos padrão, mapeando para compartilhamentos de arquivos (se não configurado anteriormente pelo Assistente de Adição de Funções e Recursos).

  • Configurar comutadores virtuais (se não configurado anteriormente pelo Assistente de Adição de Funções e Recursos ou pelo Assistente para Criação de Clusters).

8

Validação de nuvem

Nó do Hyper-V único

  • Criar uma máquina virtual, conectando um VHD (disco rígido virtual) do sistema operacional existente.

  • Iniciar a máquina virtual.

  • Fazer a migração rápida e/ou a migração ao vivo para outros nós do cluster.

Esta configuração de nuvem consiste no seguinte:

  • Vários computadores em um cluster Hyper-V.

    Cada computador do cluster Hyper-V deve ter quatro adaptadores de rede:

    • Dois adaptadores de rede de 10 GbE (Gigabit Ethernet) para o tráfego de migração ao vivo, do cluster e de gerenciamento do host Hyper-V do cluster.

    • Dois adaptadores de rede (podem ser de 1 GbE ou 10 GbE) para o tráfego de e para as máquinas virtuais Hyper-V virtual em execução no cluster Hyper-V.

  • Um cluster de armazenamento separado com pelo menos dois computadores para hospedar o armazenamento das máquinas virtuais em execução no cluster Hyper-V.

  • O hardware de rede apropriado para conectar todos os computadores dos clusters Hyper-V e de armazenamento entre si e com uma rede maior na qual as máquinas virtuais hospedadas estão disponíveis.

Essa configuração usa as seguintes tecnologias e os seguintes recursos do Windows Server 2012:

  • LBFO (Balanceamento de Carga com Failover): o Balanceamento de Carga e o Failover combinam vários adaptadores de rede de maneira lógica para fornecer agregação de largura de banda e failover de tráfego a fim de evitar a perda de conectividade em caso de falha no componente de rede. O Balanceamento de Carga com Failover também é conhecido como Agrupamento NIC.

  • DCB (Ponte de Data Center): se houver suporte nos adaptadores de rede de 10 GbE e nos recursos de infraestrutura de comutação, a DCB oferece garantias de desempenho para os diferentes tipos de tráfego do cluster.

  • QoS (Qualidade de Serviço): se não houver suporte a DCB nos adaptadores de rede de 10 GbE e nos recursos de infraestrutura de comutação, o recurso de agendamento de pacotes de QoS do Windows Server 2012 pode oferecer garantias de desempenho dos diferentes tipos de tráfego do cluster Hyper-V.

  • Armazenamento de Rede para Arquivos VHD: permite que as máquinas virtuais estejam localizadas em um compartilhamento de rede e acessadas por meio do protocolo SMB 2.2, em vez da unidade local do host Hyper-V.

  • RDMA (Acesso Remoto Direto à Memória): o RDMA permite que o tráfego SMB ignore a pilha da rede e seja transferido diretamente entre a origem e o destino do arquivo pela rede, com um desempenho significativamente melhor.

  • Espaços de Armazenamento: os espaços de armazenamento permitem criar pools de discos a partir de discos SAS simples que se apresentam como um único local de armazenamento em massa econômico no qual os volumes ou discos virtuais podem ser criados e formatados.

O processo de instalação e configuração dessa nuvem consiste no seguinte:

  1. Configuração de um cluster Hyper-V.

  2. Configuração de um cluster de armazenamento.

  3. Validação da configuração.

    noteObservação
    Pelo menos um controlador de domínio AD DS (Serviços de Domínio Active Directory) é necessário para a segurança e o gerenciamento centralizados dos computadores membros do cluster (não mostrado). Ele deve estar acessível para todos os computadores membros do cluster, inclusive os membros do cluster de armazenamento compartilhado.

As seções a seguir descrevem como definir essa configuração de nuvem usando o Gerenciador do Servidor e outras ferramentas baseadas na interface do usuário, e também incluem referências a scripts do Windows PowerShell® que permitirão a configuração automatizada. Esses scripts devem ser executados no computador local e não podem ser executados remotamente.

Depois que a nuvem for criada, você poderá começar a executar o seguinte:

  • Carregamento de máquinas virtuais.

  • Migração de máquinas virtuais em execução entre servidores no cluster Hyper-V (migração ao vivo).

  • Failover do armazenamento de um proprietário para outro.

A criação desta configuração de nuvem IaaS (Infraestrutura como Serviço) consiste nas seguintes fases:

  • Fase 1: Preparar a infraestrutura de TI para os clusters

  • Fase 2: Preparar os computadores dos clusters Hyper-V e de armazenamento

  • Fase 3: Criar o cluster de armazenamento

  • Fase 4: Criar o cluster Hyper-V

  • Fase 5: Validar a configuração

Nesta fase, você vai configurar a infraestrutura de TI necessária para essa nuvem, que consistente no seguinte:

  • A sub-rede Locatário Uma sub-rede para o tráfego entre máquinas virtuais em computadores diferentes do cluster e para o tráfego da rede privada ou da Internet. Essa sub-rede pode fazer parte de uma sub-rede de intranet existente ou de uma sub-rede dedicada que se conecta à intranet por meio de um roteador. O adaptador de rede que hospeda a sub-rede Locatário normalmente não tem informações de endereçamento IP associadas e todos os serviços de rede devem ser desassociados desse adaptador. Você pode usar um adaptador de 1 GbE ou 10 GbE, dependendo do perfil de tráfego e dos requisitos de largura de banda de sua rede do locatário.

  • A sub-rede Hoster Uma sub-rede dedicada para 10 GbE para o tráfego de rede convergido no cluster, que consiste nos seguintes tipos de tráfego:

    • Migração ao vivo: migração do Hyper-V de máquinas virtuais entre computadores enquanto a máquina virtual está em execução.

    • Management: gerenciamento remoto de computadores do cluster.

    • Cluster: tráfego do serviço de cluster de failover entre os nós do cluster.

    • Armazenamento: tráfego para o cluster do servidor de arquivos.

Para a sub-rede Locatário, é necessário um comutador compatível com 1 GbE com portas de comutador suficientes para o seguinte:

  • Duas portas para cada computador membro do cluster Hyper-V.

  • Se necessário, uma porta para um roteador conectado à rede privada ou à Internet.

Para a sub-rede Hoster, é necessário um comutador compatível com 10 GbE com portas de comutador suficientes para o seguinte:

  • Duas portas para cada computador membro do cluster Hyper-V.

  • Duas portas para cada computador membro do cluster de armazenamento.

Se o comutador compatível com 10 GbE der suporte a DCB, habilite a DCB usando as ferramentas de configuração do comutador.

A figura a seguir mostra um exemplo de configuração.

Figura 2   Configuração de exemplo

Para cada computador nos clusters de armazenamento e Hyper-V, execute as seguintes tarefas:

  • Instalar o Windows Server 8.

  • Conectar e configurar as propriedades do adaptador de rede.

  • Adicionar o armazenamento compartilhado aos membros do cluster do servidor de arquivos.

  • Ingressar no domínio apropriado.

  • Configurar o Balanceamento de Carga de Rede e o Failover.

Instale o Windows Server 8, dando ao computador seu nome designado e ingressando no domínio do AD DS apropriado.

O domínio apropriado do AD DS normalmente é um domínio interno da organização ou um domínio de provedor de hospedagem. Observe que esse domínio pode ser independente do domínio das máquinas virtuais que estão sendo hospedadas no cluster Hyper-V, dependendo de sua implantação e dos cenários de casos de uso.

Para os adaptadores de rede de 10 GbE que estão na sub-rede Hoster, execute o seguinte procedimento:

  1. Conecte-os às portas de comutador de 10 GbE.

  2. Para configurar mais facilmente os adaptadores de rede, renomeie-os usando nomes que indiquem sua conexão com a sub-rede de tráfego convergido (por exemplo, HosterNet1 e HosterNet2). Você pode fazer isso na pasta Conexões de Rede.

  3. Defina as propriedades de TCP/IP para uma configuração de endereço IPv4 estático para a sub-rede de tráfego convergido. Você pode fazer isso nas propriedades do adaptador de rede na pasta Conexões de Rede.

Para os adaptadores de rede de 1 GbE que estão na sub-rede Locatário, execute o seguinte procedimento:

  1. Conecte-os às portas de comutador de 1 GbE.

  2. Para configurar mais facilmente os adaptadores de rede, renomeie-os usando nomes que indiquem seu uso ou sua conexão com a intranet ou a Internet (por exemplo, TenantNet1 e TenantNet2). Você pode fazer isso na pasta Conexões de Rede.

  3. Desassocie todos os serviços, exceto o Balanceamento de Carga/Provedor de Failover da Microsoft e as pilhas de TCP/IP dessas interfaces da sub-rede Locatário. Você pode perder a conectividade com o servidor por um curto período depois de desassociar todos os serviços e as pilhas de TCP/IP das interfaces.

  4. Desabilite todas as interfaces não usadas em todos os computadores. Isso é feito que essas interfaces não usadas não sejam exibidas em vários dos assistentes de configuração a fim de evitar problemas de configuração.

Se estiver usando um armazenamento FC (Fibre Channel), conecte os cabos de fibra ótica da controladora (HBA) a um hub ou comutador FC que esteja conectado ao dispositivo de armazenamento. Se for necessária uma grande disponibilidade de acesso ao armazenamento, cada nó do cluster deverá ter duas HBAs.

Defina o dispositivo de armazenamento com as configurações e os volumes de RAID (LUNs, números de unidade lógica) apropriados de forma que o armazenamento no dispositivo esteja disponível no console de Gerenciamento de Disco do snap-in de Gerenciamento do Computador de cada computador membro do cluster.

Se estiver usando discos SAS JBOD, conecte o cabeamento e todas as interconexões conforme exigido pelo hardware e confirme se os discos estão conectados a suas placas SAS. O cenário abordado neste documento trata do armazenamento SAS JBOD e de Espaços de Armazenamento do Windows Server 2012.

Se não estiver usando o armazenamento SAS JBOD e Espaços de Armazenamento, no primeiro computador que está conectado ao armazenamento, você precisará do seguinte:

  • Um volume de 1 GB que pode ser usado para o volume de quorum do cluster.

  • Um volume com uma quantidade de espaço apropriada que será usado para armazenar as pastas e os arquivos da máquina virtual do cluster Hyper-V.

  • Se você tiver vários caminhos de dados para o armazenamento (por exemplo, duas HBAs), certifique-se de instalar o MPIO (Microsoft® Multipath I/O) em cada nó. Esta etapa pode exigir que você reinicie o sistema. Para obter mais informações sobre o MPIO, consulte Novidades do Microsoft Multipath I/O.

    noteObservação
    Na maioria das situações, use a configuração de quorum que o software do cluster identifica como apropriada para seu cluster. Só altere a configuração de quorum se tiver determinado que a alteração é apropriada para o cluster. Para obter mais informações sobre a configuração de quorum, consulte Entendendo configurações de quorum em um cluster de failover.

Se você não fez ou não conseguiu fazer o computador ingressar em seu domínio do AD DS durante a instalação do sistema operacional, faça isso agora. Para ingressar em um domínio do AD DS, execute o seguinte procedimento:

  1. Pressione a Tecla Windows no teclado e pressione R. Insira Painel de Controle e clique em OK.

  2. Na janela do Painel de Controle, clique em Sistema e Segurança e clique em Sistema.

  3. Na janela Sistema, em Nome do computador, domínio e configurações de grupo de trabalho, clique em Alterar configurações.

  4. Na caixa de diálogo Propriedades do Sistema, clique em Alterar.

  5. Em Membro de, clique em Domínio, digite o nome do domínio e clique em OK.

O Balanceamento de Carga de Rede e Failover permite a agregação de largura de banda e o failover do tráfego para evitar a perda de conectividade em caso de uma falha da porta ou da placa de rede. Neste cenário, você criará dois agrupamentos:

  • Um para o tráfego convergido de e para a sub-rede Hoster.

  • Um para o tráfego de máquina virtual de e para a sub-rede Locatário.

Para configurar os agrupamentos NIC usando o Gerenciador do Servidor, execute o seguinte procedimento em cada computador dos clusters Hyper-V e de armazenamento:

noteObservação
Várias etapas do procedimento a seguir interromperão a conectividade de rede por um período. É recomendável que todos os servidores estejam acessíveis por KVM (teclado, vídeo e mouse) para que você possa verificar o status desses computadores, caso a conectividade de rede fique indisponível por mais de cinco minutos.

  1. No Gerenciador do Servidor, clique em Servidor Local na árvore de console.

  2. Em Propriedades, clique em Desabilitado ao lado de Agrupamento NIC.

  3. Na janela Para o adaptador TenantNet, clique no nome do computador servidor em Servidores.

  4. Em Equipes, clique em Tarefas e em Nova Equipe.

  5. Na janela Adicionar Equipe, na caixa de texto Nome da Equipe, insira o nome do agrupamento NIC da sub-rede de tráfego convergido (Por exemplo, HosterNet Team). Na lista Adaptadores disponíveis, selecione os dois adaptadores de rede que estão conectados à sub-rede de tráfego convergido (neste exemplo, HosterNet1 e HosterNet2) e clique em OK. Observe que pode haver um atraso de vários minutos antes que a conectividade seja restaurada depois da alteração.

  6. Defina as propriedades de TCP/IP para uma configuração de endereço IPv4 estático para o novo adaptador de agrupamento NIC conectado à sub-rede de tráfego convergido (por exemplo, HosterNet Team). Você pode fazer isso nas propriedades do adaptador de rede na pasta Conexões de Rede. Você verá um novo adaptador no qual o nome do NIC agrupado será o nome atribuído na etapa 5. Você perderá a conectividade por alguns momentos depois de atribuir as novas informações de endereçamento IP.

  7. Agora, você criará um agrupamento usando os NICs de TenantNet. Retorne ao Gerenciador do Servidor, clique em Servidor Local e, em Propriedades, clique em Habilitado ao lado de Equipe de adaptador de rede. Na janela Agrupamento NIC, em Equipe, clique em Tarefas e em Nova Equipe. Na janela Adicionar Equipe, na caixa de texto Nome da Equipe, insira o nome do agrupamento NIC da sub-rede de tráfego de máquina virtual (por exemplo, TenantNet Team), selecione os dois adaptadores de rede conectados à sub-rede de tráfego de máquina virtual e clique em OK.

    noteObservação
    Talvez seja necessário atualizar manualmente a exibição da janela Agrupamento NIC para mostrar o novo agrupamento e pode haver um atraso na conectividade enquanto o agrupamento NIC é criado. Se estiver gerenciando este servidor remotamente, talvez você perca a conectividade com o servidor temporariamente. Além disso, se for exibido um “aviso”, feche a janela Agrupamento NIC e abra-a novamente de forma que a exibição seja atualizada.

  8. Para o adaptador TenantNet, desassocie tudo, exceto o Balanceamento de Carga/Provedor de Failover da Microsoft.

  9. Na janela Conexões de Rede, pressione ALT+N e clique em Configurações Avançadas.

  10. Na área Conexões da caixa de diálogo Configurações Avançadas, modifique a ordem das conexões de forma que o agrupamento NIC da sub-rede Hoster (por exemplo, HosterNet Team) seja a primeira e o agrupamento NIC da sub-rede Locatário (por exemplo, TenantNet Team) seja a segunda. Clique em OK para salvar as alterações.

Para cada computador do cluster Hyper-V, execute o seguinte procedimento:

  • Configure o isolamento de desempenho de tráfego.

  • Configure o BIOS do hipervisor.

  • Instale o Hyper-V.

Se o seu adaptador de rede de 10 GbE e o comutador compatível com 10 GbE derem suporte a DCB (Ponte de Data Center) e você desejar usar a DCB para o isolamento de desempenho, adicione o recurso Ponte de Data Center a cada computador usando o seguinte procedimento:

  1. No Gerenciador do Servidor, clique em Dashboard na árvore de console.

  2. Em Bem-vindo ao Gerenciador do Servidor, clique em 2 Adicionar funções e recursos.

  3. Na página Antes de Começar do Assistente de Adição de Funções e Recursos, clique em Avançar.

  4. Na página Tipo de Instalação, clique em Avançar.

  5. Na página Seleção de Servidor, clique em Avançar.

  6. Na página Funções do Servidor, clique em Avançar.

  7. Na página Selecionar recursos, selecione Ponte de Data Center na lista Recursos e clique em Avançar.

  8. Na página Confirmar seleções de instalação, marque a caixa de seleção Reiniciar cada servidor de destino automaticamente, se necessário. Na caixa de diálogo do Assistente de Adição de Funções e Recursos, clique em Sim e em Instalar.

  9. Na página Progresso da instalação, clique em Fechar depois que a instalação for bem-sucedida.

Independentemente de usar ou não a DCB, você deve criar políticas de QoS para classificar e marcar cada tipo de tráfego de rede. Você deve usar comandos do Windows PowerShell (New-NetQosPolicy -Name) para criar novas políticas de QoS para cada tipo de tráfego em cada computador do cluster. Veja a seguir alguns comandos de exemplo:

New-NetQosPolicy –Name “Live Migration policy” –LiveMigration –MinBandwidthWeightAction 20
New-NetQosPolicy –Name “SMB policy” –SMB –MinBandwidthWeightAction 50
New-NetQosPolicy –Name “Cluster policy” -IPProtocolMatchCondition UDP -IPDstPortMatchCondition 3343 –MinBandwidthWeightAction 20
New-NetQosPolicy –Name “Management policy” –DestinationAddress 10.7.124.0/24 –MinBandwidthWeightAction 10

Esses comandos usam o parâmetro MinBandwidthWeightAction, que especifica uma largura de banda mínima como porcentagem do total. Os filtros “-LiveMigration” e “-SMB” são internos do Windows Server 2012. Eles correspondem respectivamente aos pacotes enviados para a porta TCP 6600 (migração ao vivo) e a porta TCP 445 (protocolo SMB usado para armazenamento de arquivos). O tráfego do serviço de cluster usa a porta UDP 3343. O exemplo de gerenciamento de tráfego é o intervalo de endereços 10.7.124.0/24, correspondente à sub-rede Hoster.

Como resultado, o tráfego de migração ao vivo, SMB, cluster e gerenciamento terá aproximadamente 20%, 50%, 20% e 10% da largura de banda total, respectivamente. Para exibir as classes de tráfego resultantes, execute o comando Get-NetQosTrafficClass do Windows PowerShell.

Se não estiver usando o a DCB, o Windows vai impor o isolamento de desempenho por meio dessas políticas de QoS.

Se seus adaptadores de rede e seu comutador derem suporte a DCB, habilite a DCB nos adaptadores de rede conectados à sub-rede da rede convergida usando o Windows PowerShell. Veja estes exemplos:

Enable-NetAdapterQos “HosterNet 1”
Enable-NetAdapterQos “HosterNet 2”

Observe que “HosterNet1” e “HosterNet2” são os nomes atribuídos aos adaptadores de rede individuais e não os nomes dos Agrupamentos NIC.

Para verificar as configurações de um adaptador de rede, use o comando get-netadapterqos. Veja a seguir um exemplo de saída após a execução do comando do Windows PowerShell:

Network Adapter Name : HosterNet 1
QOS Enabled : True
MACsec Bypass Supported : False
Pre-IEEE DCBX Supported : True
IEEE DCBX Supported : False
Traffic Classes (TCs) : 8
ETS-Capable TCs : 8
PFC-Enabled TCs : 8
Operational TC Mappings : TC TSA Bandwidth Priorities
                   -- --- --------- ----------
                          0  ETS 20%       0-3,5,7
                          1  ETS 50%       4
                          2  ETS 30%       6
Logotipo do PowerShell

Windows PowerShell

Para obter um exemplo de um script do Windows PowerShell que configura o LBFO e o isolamento de desempenho, consulte ConfigureNetworking.ps1.

Habilite a DEP (Prevenção de Execução de Dados) e a virtualização assistida por hardware em suas configurações de BIOS. Para obter mais informações, consulte Hyper-V: considerações de hardware.

Para instalar o Hyper-V, execute os seguintes procedimentos nos nós do Hyper-V:

  1. No Gerenciador do Servidor, clique em Dashboard na árvore de console.

  2. Em Bem-vindo ao Gerenciador do Servidor, clique em 2 Adicionar funções e recursos e em Avançar.

  3. Na página Antes de Começar do Assistente de Adição de Funções e Recursos, clique em Avançar.

  4. Na página Tipo de Instalação, clique em Avançar.

  5. Na página Seleção de Servidor, clique em Avançar.

  6. Na página Funções do Servidor, selecione Hyper-V na lista Funções. Na caixa de diálogo do Assistente de Adição de Funções e Recursos, clique em Adicionar Recursos e em Avançar.

  7. Na página Selecionar recursos, selecione Clustering de Failover na lista Recursos. Na caixa de diálogo do Assistente de Adição de Funções e Recursos, clique em Adicionar Recursos e em Avançar.

  8. Na página Hyper-V, clique em Avançar.

  9. Na página Comutadores Virtuais, clique em Avançar.

  10. Na página Migração, marque a caixa de seleção Permitir que este servidor envie e receba as migrações ao vivo de máquinas virtuais e confirme se Usar CredSSP está habilitado. Clique em Avançar.

  11. Na página Repositórios Padrão, clique em Avançar.

  12. Na página Confirmar seleções de instalação, marque a caixa de seleção Reiniciar cada servidor de destino automaticamente, se necessário. Na caixa de diálogo do Adicionar Funções e Recursos, clique em Sim e em Instalar.

  13. Na página Progresso da instalação, clique em Fechar depois que a instalação for bem-sucedida.

  14. Reinicie o computador. Esse processo pode exigir que o computador seja reiniciado duas vezes. Se for o caso, o instalador disparará as várias reinicializações automaticamente.

Depois de reiniciar o servidor, abra o Gerenciador do Servidor e confirme se a instalação foi concluída com êxito. Clique em Fechar na página Progresso da Instalação.

Para cada computador do cluster de armazenamento, instale os Serviços de Arquivo e o Clustering de Failover com o seguinte:

  1. No Gerenciador do Servidor, clique em Dashboard na árvore de console.

  2. Em Bem-vindo ao Gerenciador do Servidor, clique em 2 Adicionar funções e recursos.

  3. Na página Antes de Começar do Assistente de Adição de Funções e Recursos, clique em Avançar.

  4. Na página Tipo de Instalação, clique em Avançar.

  5. Na página Seleção de Servidor, clique em Avançar.

  6. Na página Funções do Servidor, selecione Serviços de Arquivo na lista Funções e clique em Adicionar Recursos na caixa de diálogo do Assistente de Adição de Funções e Recursos. Clique em Avançar.

  7. Na página Selecionar recursos, selecione Clustering de Failover na lista Recursos e clique em Adicionar Recursos na caixa de diálogo do Assistente de Adição de Funções e Recursos. Clique em Avançar.

  8. Na página Serviços de Arquivo, clique em Avançar.

  9. Na página Selecionar Serviços de Função, clique em Avançar.

  10. Na página Confirmar seleções de instalação, marque a caixa de seleção Reiniciar cada servidor de destino automaticamente, se necessário. Clique em Sim na caixa de diálogo do Assistente de Adição de Funções e Recursos e clique em Instalar.

  11. Na página Progresso da instalação, clique em Fechar depois que a instalação for bem-sucedida.

Nesta fase, você criará o cluster de armazenamento. Os membros do cluster hospedarão a função de Servidor de Arquivos e, neste cenário, estão conectados a um dispositivo de armazenamento SAS JBOD.

É importante primeiro provisionar o armazenamento e depois instalar a função de Cluster de Failover. O provisionamento do armazenamento inclui a conexão dos cabos e a confirmação de que toda a fiação foi instalada corretamente. Ao usar discos SAS JBOD, você criará um pool de armazenamento (que é uma coleção de discos rígidos que se apresentarão como um local de armazenamento único para os membros do cluster de armazenamento), criará e formatará um volume no pool de armazenamento.

Depois de provisionar o armazenamento, você criará o cluster de armazenamento e adicionará o disco virtual (que é o volume que você criou no pool de armazenamento) ao armazenamento do cluster. Por fim, você criará compartilhamentos de arquivos no disco virtual onde os arquivos e dados de máquinas virtuais podem ser armazenados e acessados pelo cluster Hyper-V.

Você executará as seguintes tarefas ao reunir o cluster de armazenamento usando Espaços de Armazenamento:

  • Criar um pool de armazenamento.

  • Criar um disco virtual.

  • Criar um volume simples no disco virtual.

  • Criar o cluster de armazenamento.

  • Adicionar um pool de armazenamento ao cluster.

  • Adicionar o disco virtual ao armazenamento do cluster.

  • Adicionar a função Expandir Servidor de Arquivos ao cluster.

  • Criar os compartilhamentos de arquivos de armazenamento da máquina virtual

Se estiver usando Espaços de Armazenamento, antes de criar o cluster de armazenamento, você deve:

  • Confirme se os JBODs conectados ao SAS estão com a fiação correta e fisicamente conectados aos nós do armazenamento compartilhado usando cabos SAS.

  • Confirme se todos os discos do armazenamento compartilhado não têm informações de partição, nem dados. Se houver partições em algum dos discos, talvez ele não seja exibido como disponível nas interfaces de configuração.

  • Inicialize cada disco antes de usá-lo. Você pode usar o Diskmgmt.msc ou o Diskpart para concluir as tarefas baseadas em disco.

  • Esteja ciente de que, depois dos discos serem atribuídos a um Espaço de Armazenamento, eles não serão exibidos em Diskmgmt.msc.

Execute as seguintes etapas em um dos membros do cluster de armazenamento para criar o pool de armazenamento:

  1. Abra o Gerenciador do Servidor, clique em Serviços de Arquivo no painel esquerdo do console.

  2. Clique em Pools de Armazenamento. Na seção Espaços de Armazenamento, clique em Primordial. Verifique se todos os seus discos físicos são exibidos na seção Discos Físicos.

    noteObservação
    Se os discos físicos não aparecerem na seção Discos Físicos, confirme se os discos estão online e funcionando corretamente.

  3. Vá para cada membro do cluster de armazenamento e repita as etapas 1 e 2 para confirmar se os discos físicos estão disponíveis para cada membro do cluster.

  4. Retorne ao primeiro nó e clique com o botão direito do mouse em Primordial. Clique em Novo Pool de Armazenamento.

  5. No Assistente de Novo Pool de Armazenamento, clique em Avançar na página Antes de Começar.

  6. Na página Especifique o nome e o subsistema de um pool de armazenamento, na caixa de texto Nome, insira um nome para o pool de armazenamento. Clique em Avançar.

  7. Na página Selecionar discos físicos para o pool de armazenamento, marque as caixas de seleção correspondentes aos discos que você deseja que participem do pool de armazenamento. Clique em Avançar.

    noteObservação
    Em um ambiente de servidor clusterizado, os discos que participam do pool de armazenamento devem ser unidades SAS.

  8. Na página Confirmar seleções, clique em Criar.

  9. Na página Exibir resultados, confirme se todas as tarefas foram concluídas e clique em Fechar.

  10. Na seção Pools de Armazenamento, confirme se o novo pool de armazenamento é exibido na lista de espaços de armazenamento. Clique no nome de seu novo pool de armazenamento. Você deve ver os discos físicos que compreendem o pool exibidos na seção Disco Físico.

A próxima etapa é a criação de um disco virtual no pool de armazenamento. Um disco virtual é um volume criado no pool de armazenamento. Posteriormente, esse volume será formatado usando o sistema de arquivos NTFS e adicionado ao armazenamento do cluster.

Execute as seguintes etapas no primeiro membro do cluster de armazenamento para criar o disco virtual:

  1. Clique com o botão direito do mouse no nome do pool de armazenamento que você criou na seção anterior e clique em Novo Disco Virtual.

  2. No Assistente de Novo Disco Virtual, na página Antes de começar, clique em Avançar.

  3. Na página Selecione o servidor e o pool de armazenamento para este disco virtual, selecione o servidor e o pool de armazenamento e clique em Avançar.

  4. Na página Especifique o nome do disco virtual, insira um nome para seu disco virtual na caixa de texto Nome e clique em Avançar.

  5. Na página Especificar redundância de dados, selecione Espelho e clique em Avançar.

  6. Na página Especificar o tipo de provisionamento, selecione Fixo e clique em Avançar.

  7. Na página Especificar o tamanho do disco virtual, insira o tamanho do disco virtual e selecione o valor correto na lista suspensa (MB, GB ou TB); em seguida, clique em Avançar.

  8. Na página Confirmar seleções, clique em Criar.

  9. Na página Exibir resultados, confirme se todas as tarefas foram concluídas e clique em Fechar.

  10. Agora o novo disco virtual deve ser exibido a seção Discos Virtuais.

  11. Opcionalmente, você pode repetir as etapas de 1 a 10 para criar discos virtuais adicionais.

Agora que o disco virtual foi criado, você pode criar um volume nesse disco. Execute as seguintes etapas para criar um volume em seus discos virtuais:

  1. No Gerenciador do Servidor, clique em Ferramentas e em Gerenciamento do Computador.

  2. No console de Gerenciamento do Computador, clique em Gerenciamento de Disco. Confirme se os discos virtuais que você criou são mostrados como estando Online e Inicializado.

  3. Clique com o botão direito do no disco virtual e clique em Novo Volume Simples.

  4. No Assistente para Novas Partições Simples, na página Assistente para Novas Partições Simples, clique em Avançar.

  5. Na página Especificar o volume da partição, confirme se o tamanho do volume simples está definido de acordo com a capacidade total do disco virtual e clique em Avançar.

  6. Na página Atribuir uma Letra de Unidade ou Caminho, não atribua uma letra ou um caminho de unidade. Clique em Avançar.

  7. Na página Formatar Partição, confirme se o sistema de arquivos está definido como NTFS e clique em Avançar.

  8. Na página Concluindo o Assistente para Novas Partições Simples, clique em Concluir.

  9. Opcionalmente, repita as etapas de 1 a 9 para qualquer disco virtual adicional.

Agora que o armazenamento foi provisionado, você está pronto para criar o cluster de armazenamento.

Execute as seguintes etapas na primeira máquina virtual que participará do cluster de armazenamento:

  1. No Gerenciador do Servidor, clique em Ferramentas e em Gerenciador de Cluster de Failover.

  2. No console do Gerenciador de Cluster de Failover, na seção Gerenciamento, clique em Validar Configuração.

  3. Na página Antes de Começar do Assistente para Validar Configuração, clique em Avançar.

  4. Na página Selecionar Servidores ou um Cluster, digite o nome do servidor local e clique em Adicionar. Depois que o nome for exibido na lista Servidores selecionados, digite o nome de outro computador membro do cluster Hyper-V e clique em Adicionar. Repita esta etapa para todos os computadores do cluster Hyper-V. Quando todos os servidores do cluster Hyper-V forem exibidos na lista Servidores selecionados, clique em Avançar.

  5. Na página Opções de Teste, clique em Avançar.

  6. Na página Confirmação, clique em Avançar.

  7. Na página Resumo, se o texto do resumo indicar que a configuração é adequada para a clusterização, clique em Concluir. Marque a caixa de seleção Criar o cluster agora usando os nós validados....

    noteObservação
    O processo de teste pode levar vários minutos, dependendo da conectividade da Internet. Você pode ignorar com segurança os erros relacionados a atualizações de software. O botão Relatórios pode não funcionar como esperado; esse é um problema conhecido.

  8. Na página Antes de Começar do Assistente para Criação de Clusters, clique em Avançar.

  9. Na página Selecionar Servidores, insira os nomes dos servidores do cluster Hyper-V na caixa de texto Inserir nome do servidor. Separe cada nome de servidor que você listar usando um ponto e vírgula e clique em Adicionar. Clique em Avançar.

  10. Se o clique em não passar na validação depois de executar o teste de validação do cluster, você verá a página Aviso de Validação. Nessa página, selecione Não. Eu não preciso de suporte da Microsoft para este cluster e, portanto, não desejo executar os testes de validação. Quando eu clicar em Avançar, continuar a criação do cluster. Em seguida, clique em Avançar. Se o cluster foi aprovado em todos os testes de validação, passe para a etapa 11.

    noteObservação
    Em um ambiente de produção, você deve investigar o motivo do cluster não passar na validação, corrigir os problemas e executar novamente o assistente de validação.

  11. Na página Ponto de Acesso para Administrar o Cluster, insira um nome NetBIOS válido para o cluster, selecione a rede na qual você deseja colocar o cluster, digite um endereço IP estático para o cluster e clique em Avançar.

  12. Na página Confirmação, desmarque Adicione todo o armazenamento qualificado ao cluster e clique em Avançar.

  13. Na página Criando Novo Cluster, você verá uma barra de progresso conforme o cluster é criado.

  14. Na página Resumo, clique em Concluir.

  15. Na árvore de console do snap-in Gerenciador de Cluster de Failover, abra o nó Redes sob o nome do cluster.

  16. Clique com o botão direito do mouse na rede de cluster que corresponde à sub-rede Hoster e clique em Propriedades.

  17. Na guia Geral, confirme se Permitir comunicação de rede em cluster nesta rede está selecionado e se Permitir que os clientes se conectem por esta rede está habilitado; em seguida, clique em OK.

Para que os membros do cluster de armazenamento acessem o armazenamento provisionado, você deve adicionar o pool de armazenamento ao cluster.

Execute as seguintes etapas para adicionar o pool de armazenamento ao cluster:

  1. No Gerenciador de Cluster de Failover, expanda o nome do cluster, expanda Armazenamento e clique em Pools de Armazenamento.

  2. No painel Ações, clique em Adicionar Pool de Armazenamento.

  3. Na caixa de diálogo Adicionar Pools a um Cluster, selecione o pool de armazenamento disponível e clique em OK.

Agora que o pool de armazenamento está disponível para o cluster, você pode adicione o disco virtual de forma que ele fique disponível para o cluster.

Execute as seguintes etapas para adicionar o disco virtual ao cluster de armazenamento:

  1. No Gerenciador de Cluster de Failover, expanda o nome do cluster, expanda Armazenamento e clique em Pools de Armazenamento.

  2. Clique com o botão direito do mouse no pool de armazenamento que você criou e clique em Adicionar Disco Virtual.

  3. Na caixa de diálogo Adicionar Discos a um Cluster, selecione o disco virtual que você deseja adicionar ao pool de armazenamento e clique em OK.

  4. Para confirmar se o disco virtual foi adicionado ao pool de armazenamento, clique na guia Discos Virtuais na parte inferior do painel central e confirme se os discos são exibidos.

O recurso Servidor de Arquivos para Expandir Dados de Aplicativos permite que o cluster forneça serviços de arquivo de uma maneira ao vivo/ao vivo. Ele permite que os serviços de arquivo estejam disponíveis continuamente sem interrupções no caso de um ou mais dos servidores de arquivos ficarem indisponíveis.

Execute as seguintes etapas para adicionar o recurso de expandir servidor de arquivos ao cluster de armazenamento:

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciador de Cluster de Failover, clique com o botão direito do mouse em Funções e clique em Configurar Função.

  2. Na página Antes de Começar do Assistente para Alta Disponibilidade, clique em Avançar.

  3. Na página Selecionar Função, clique em Servidor de Arquivos na lista de funções (haverá um atraso) e clique em Avançar.

  4. Na página Tipo de Servidor de Arquivos, clique em Servidor de arquivos para expandir dados de aplicativos e em Avançar.

  5. Na página Ponto de Acesso do Cliente, digite o nome que os clientes do servidor de arquivos usarão ao acessar a função e clique em Avançar.

  6. Na página Confirmação, clique em Avançar.

  7. Na página Resumo, clique em Concluir.

Agora, você precisa criar os compartilhamentos de arquivos nos discos virtuais para armazenar os arquivos e os arquivos de dados da máquina virtual.

Execute as seguintes etapas para criar um compartilhamento de arquivos para armazenar as máquinas virtuais do cluster Hyper-V em execução:

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciador de Cluster de Failover, clique em Funções.

  2. No painel de detalhes, clique com o botão direito do mouse no nome da função Dimensionar Servidor de Arquivos e clique em Adicionar Pasta Compartilhada. O Assistente de Novo Compartilhamento é exibido.

  3. Na página Selecionar Perfil (pode haver um atraso), clique em Avançar (correspondente ao perfil Compartilhamento SMB - Básico).

  4. Na página Localização do Compartilhamento, clique no Volume Compartilhado do Cluster em Selecionar por volume e clique em Avançar.

  5. Na página Nome de Compartilhamento, digite o nome do compartilhamento no Volume Compartilhado do Cluster a ser usado para máquinas virtuais do cluster Hyper-V. Observe o nome do local do compartilhamento de rede em Caminho remoto para o compartilhamento (por exemplo, \\FS-CLUSTERAP01\VMShare).

  6. Clique em Avançar.

  7. Na página Outras Configurações, clique em Avançar.

  8. Na página Permissões, clique em Personalizar permissões.

  9. Na caixa de diálogo Configurações de Segurança Avançadas, clique em Adicionar.

  10. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Selecionar uma Entidade de Segurança.

  11. Em Selecionar Usuário, Computador, Conta de Serviço ou Grupo, clique em Tipos de Objeto.

  12. Em Tipos de Objeto, clique em Adicionar, selecione Computadores e clique em OK.

  13. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome de um computador individual do cluster Hyper-V e clique em OK.

  14. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Controle Total sob Permissões e clique em OK.

  15. Na caixa de diálogo Configurações de Segurança Avançadas, clique em Adicionar.

  16. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome de um computador individual do cluster Hyper-V e clique em OK.

  17. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Controle Total sob Permissões e clique em OK.

  18. Repita as etapas 16-18 para cada computador do cluster Hyper-V.

  19. Na caixa de diálogo Configurações de Segurança Avançadas, clique em Adicionar.

  20. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Selecionar uma Entidade de Segurança.

  21. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome individual de uma conta de usuário ou um grupo de segurança que contém as contas de usuário que criarão as máquinas virtuais no cluster Hyper-V e clique em OK.

    noteObservação
    Talvez seja necessário alterar o objeto novamente para Grupos ou usuários, dependendo de seus requisitos.

  22. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Controle Total sob Permissões e clique em OK.

  23. Repita as etapas 20-22 para cada conta de usuário ou para os grupos de segurança que contêm as contas de usuário que criarão máquinas virtuais no cluster Hyper-V.

  24. Clique na guia Compartilhamento e clique em Adicionar.

  25. Na página Entrada de Permissão, clique no link Selecionar Entidades de Segurança.

  26. Em Selecionar Usuário, Computador, Conta de Serviço ou Grupo, clique em Tipos de Objeto.

  27. Em Tipos de Objeto, clique em Adicionar, selecione Computadores e clique em OK.

  28. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome de um computador individual do cluster Hyper-V e clique em OK.

  29. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Controle Total sob Permissões e clique em OK.

  30. Na guia Compartilhamento, clique em Adicionar.

  31. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome de um computador individual do cluster Hyper-V e clique em OK.

  32. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Controle Total sob Permissões e clique em OK.

  33. Repita as etapas 29-31 para cada computador do cluster Hyper-V.

  34. Na guia Compartilhamento, clique em Adicionar.

  35. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome individual de uma conta de usuário ou um grupo de segurança que contém as contas de usuário que criarão as máquinas virtuais no cluster Hyper-V e clique em OK.

    noteObservação
    Talvez seja necessário alterar o objeto novamente para Grupos ou usuários, dependendo de seus requisitos.

  36. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Controle Total sob Permissões e clique em OK.

  37. Repita as etapas 33-35 para cada conta de usuário ou para os grupos de segurança que contêm as contas de usuário que criarão máquinas virtuais no cluster Hyper-V.

  38. Ao concluir, clique em OK e em Avançar.

  39. Na página Confirmação, clique em Criar.

  40. Na página Conclusão, clique em Fechar.

Para criar um compartilhamento de arquivos para armazenar as imagens da máquina virtual para criar novas máquinas virtuais, execute o seguinte procedimento:

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciador de Cluster de Failover, clique em Funções.

  2. No painel de detalhes, clique com o botão direito do mouse no nome da função Dimensionar Servidor de Arquivos e clique em Adicionar Pasta Compartilhada. O Assistente de Novo Compartilhamento é exibido.

  3. Na página Selecionar Perfil, clique em Avançar (correspondente ao perfil Compartilhamento SMB - Básico).

  4. Na página Localização do Compartilhamento, clique no volume compartilhado do cluster em Selecionar por volume e clique em Avançar.

  5. Na página Nome de Compartilhamento, digite o nome do compartilhamento do volume compartilhado do cluster a ser usado para armazenar imagens de novas máquinas virtuais do cluster Hyper-V. Observe o nome do local do compartilhamento de rede em Caminho remoto para o compartilhamento (por exemplo, \\FS-CLUSTERAP01\ImageShare).

  6. Clique em Avançar.

  7. Na página Outras Configurações, clique em Avançar.

  8. Na página Permissões, clique em Personalizar permissões.

  9. Na caixa de diálogo Configurações de Segurança Avançadas, clique em Adicionar.

  10. Em Selecionar Usuário, Computador, Conta de Serviço ou Grupo, clique em Tipos de Objeto.

  11. Em Tipos de Objeto, clique em Adicionar, selecione Computadores e clique em OK.

  12. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome de um computador individual do cluster Hyper-V e clique em OK.

  13. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em OK.

  14. Na caixa de diálogo Configurações de Segurança Avançadas, clique em Adicionar.

  15. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome de um computador individual do cluster Hyper-V e clique em OK.

  16. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em OK.

  17. Repita as etapas 14-16 para cada computador do cluster Hyper-V.

  18. Na caixa de diálogo Configurações de Segurança Avançadas, clique em Adicionar.

  19. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome individual de uma conta de usuário ou um grupo de segurança que contém as contas de usuário que criarão as máquinas virtuais no cluster Hyper-V e clique em OK.

  20. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Controle Total sob Permissões e clique em OK.

  21. Repita as etapas 18-20 para cada conta de usuário ou para os grupos de segurança que contêm as contas de usuário que criarão máquinas virtuais no cluster Hyper-V.

  22. Clique na guia Compartilhamento e clique em Adicionar.

  23. Em Selecionar Usuário, Computador, Conta de Serviço ou Grupo, clique em Tipos de Objeto.

  24. Em Tipos de Objeto, clique em Adicionar, selecione Computadores e clique em OK.

  25. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome de um computador individual do cluster Hyper-V e clique em OK.

  26. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Controle Total sob Permissões e clique em OK.

  27. Na guia Compartilhamento, clique em Adicionar.

  28. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome de um computador individual do cluster Hyper-V e clique em OK.

  29. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em OK.

  30. Repita as etapas 27-29 para cada computador do cluster Hyper-V.

  31. Na guia Compartilhamento, clique em Adicionar.

  32. Em Digite o nome do objeto a ser selecionado, digite o nome individual de uma conta de usuário ou um grupo de segurança que contém as contas de usuário que criarão as máquinas virtuais no cluster Hyper-V e clique em OK.

  33. Na caixa de diálogo Entrada de Permissão, clique em Controle Total sob Permissões e clique em OK.

  34. Repita as etapas 31-33 para cada conta de usuário ou para os grupos de segurança que contêm as contas de usuário que criarão máquinas virtuais no cluster Hyper-V.

  35. Ao concluir, clique em OK e em Avançar.

  36. Na página Confirmação, clique em Confirmar.

  37. Na página Conclusão, clique em Fechar.

Para criar um novo cluster e adicionar todos os computadores do cluster Hyper-V a ele, execute o seguinte procedimento em um nó:

  1. Faça logon com uma conta que tenha privilégios administrativos para todos os membros do cluster Hyper-V.

  2. No Gerenciador do Servidor, vá para Ferramentas e clique em Gerenciador de Cluster de Failover.

  3. No Gerenciador de Cluster de Failover, sob Gerenciamento, clique em Validar Configuração.

  4. Na página Antes de Começar do Assistente para Validar Configuração, clique em Avançar.

  5. Na página Selecionar Servidores ou um Cluster, digite o nome do servidor local e clique em Adicionar. Depois que o nome for exibido na lista Servidores selecionados, digite o nome de outro computador membro do cluster Hyper-V e clique em Adicionar. Repita esta etapa para todos os computadores do cluster Hyper-V. Quando todos os servidores do cluster Hyper-V forem exibidos na lista Servidores selecionados, clique em Avançar.

  6. Na página Opções de Teste, clique em Avançar.

  7. Na página Confirmação, clique em Avançar.

  8. Na página Resumo, se o texto do resumo indicar que a configuração é adequada para a clusterização, clique em Concluir. Marque a caixa de seleção Criar o cluster agora usando os nós validados....

    noteObservação
    O processo de validação pode levar vários minutos, dependendo da conectividade da Internet. Você pode ignorar com segurança os erros relacionados a atualizações de software. Observe que o botão Exibir pode não funcionar como esperado; esse é um problema conhecido.

  9. Na página Antes de Começar do Assistente para Criação de Clusters, clique em Avançar.

  10. Na página Selecionar Servidores, insira os nomes dos servidores do cluster Hyper-V na caixa de texto Inserir nome do servidor. Separe cada nome de servidor que você listar usando um ponto e vírgula e clique em Adicionar. Clique em Avançar.

  11. E o cluster não passar na validação depois de executar o teste de validação do cluster, você verá a página Aviso de Validação. Nessa página, selecione Não. Eu não preciso de suporte da Microsoft para este cluster e, portanto, não desejo executar os testes de validação. Quando eu clicar em Avançar, continuar a criação do cluster.. Em seguida, clique em Avançar. Se o cluster foi aprovado em todos os testes de validação, passe para a etapa 12.

    noteObservação
    Em um ambiente de produção, você deve investigar o motivo do cluster não passar na validação, corrigir os problemas e executar novamente o assistente de validação.

  12. Na página Ponto de Acesso para Administrar o Cluster, insira o nome do cluster e selecione a rede na qual você deseja colocar o cluster. Digite um endereço IP estático para o cluster e clique em Avançar.

  13. Na página Confirmação, desmarque Adicione todo o armazenamento qualificado ao cluster e clique em Avançar.

  14. Na página Criando Novo Cluster, você verá uma barra de progresso conforme o cluster é criado.

  15. Na página Resumo, clique em Concluir.

  16. Na árvore de console do snap-in Gerenciador de Cluster de Failover, abra o nó Redes sob o nome do cluster.

  17. Clique com o botão direito do mouse na rede de cluster que corresponde à sub-rede Hoster e clique em Propriedades.

  18. Na guia Geral, confirme se Permitir comunicação de rede em cluster nesta rede está selecionado e se Permitir que os clientes se conectem por esta rede está habilitado; em seguida, clique em OK.

Logotipo do PowerShell

Windows PowerShell

Para obter um exemplo de um script do Windows PowerShell que cria o cluster Hyper-V, consulte o script ConfigureHyperVCluster.ps1.

Em cada membro do cluster Hyper-V, execute o seguinte procedimento:

  1. No Gerenciador do Servidor, clique em Ferramentas e em Gerenciador do Hyper-V.

  2. Na árvore de console do Gerenciador do Hyper-V, clique com o botão direito do mouse no nome do servidor Hyper-V e clique em Configurações do Hyper-V.

  3. Na caixa de diálogo Configurações do Hyper-V, clique em Discos Rígidos Virtuais sob Servidor, digite o local do compartilhamento de arquivos em Especifique a pasta padrão para armazenar discos rígidos virtuais e clique em Aplicar.

  4. Clique em Máquinas Virtuais sob Servidor, digite o local do compartilhamento de arquivos em Especifique a pasta padrão para armazenar arquivos de configuração de máquina virtual e clique em OK.

  5. Clique com o botão direito do mouse no ícone de rede na área de notificação da área de trabalho e clique em Abrir a Central de Rede e Compartilhamento.

  6. Na janela Central de Rede e Compartilhamento, clique em Alterar as configurações do adaptador.

  7. Na janela Conexões de Rede, clique duas vezes no adaptador com o nome do agrupamento NIC que está conectado à sub-rede do locatário (por exemplo, TenantNet Team) e clique em Detalhes.

  8. Na janela Detalhes da Conexão de Rede, observe o valor do campo Descrição e clique em Fechar.

  9. Na árvore de console do Hyper-V, clique com o botão direito do mouse no nome do servidor e clique em Gerenciador de Comutador Virtual.

  10. Em Criar comutador virtual, clique em Externo e em Criar comutador virtual.

  11. Em Nome, digite um nome para a rede virtual para indicar que ela está conectada à sub-rede do locatário (por exemplo, TenantNet).

  12. Em Externo, selecione a descrição do agrupamento NIC conectado à sub-rede Locatário, conforme observado na etapa 7, e clique em OK.

  13. Quando solicitado na janela Aplicar Alterações de Rede, clique em Sim.

Para verificar a configuração de seu ambiente de nuvem, serão executadas as seguintes operações:

  • Criar uma nova máquina virtual no ambiente de cluster.

  • Instalar um novo sistema operacional nessa nova máquina virtual.

  • Testar a conectividade de rede básica dessa Máquina Virtual com a rede corporativa.

  • Testar a migração ao vivo e a migração rápida

Para criar uma nova máquina virtual no ambiente de cluster, execute as seguintes etapas:

  1. Abra o Gerenciador de Cluster de Failover, clique em Funções sob o nome do cluster e clique em Máquinas Virtuais sob o painel Ações; em seguida, clique em Nova Máquina Virtual.

  2. Na página Nova Máquina Virtual, selecione o nó do cluster onde você deseja criar a máquina virtual e clique em OK.

  3. Na página Antes de Começar do Assistente de Nova Máquina Virtual, clique em Avançar.

  4. Na página Especificar Nome e Local, insira um nome amigável para essa máquina virtual e clique em Avançar.

  5. Na página Atribuir Memória, insira a quantidade de memória que será usada para essa máquina virtual (o mínimo para este laboratório é 1024 MB de RAM) e clique em Avançar.

  6. Na página Configurando Rede, selecione o TenantSwitch e clique em Avançar.

  7. Na página Conectar Disco Rígido Virtual, deixe as opções padrão selecionadas e clique em Avançar.

  8. Na página Opções de Instalação, selecione Instalar um sistema operacional com um CD/DVD-ROM de inicialização e escolha o local onde o CD/DVD se encontra. Se estiver instalando o novo sistema operacional com base em um arquivo ISO, selecione a opção de arquivo de imagem (.iso) e procure o local do arquivo. Depois de selecionar a opção apropriada para seu cenário, clique em Avançar.

  9. Na página Concluindo o Assistente de Nova Máquina Virtual, reveja as opções e clique em Concluir.

  10. O processo de criação da máquina virtual será iniciado. Depois que ele for concluído, você verá a página Resumo, na qual é possível acessar o relatório criado pelo assistente. Se a máquina virtual foi criada com êxito, clique em Concluir.

Logotipo do PowerShell

Windows PowerShell

Para criar uma nova máquina virtual com o Windows PowerShell, consulte o script Onboardvm.ps1.

Neste momento, sua máquina virtual foi criada e você deve usar o Gerenciador de Cluster de Failover para iniciar a máquina virtual e executar a instalação do sistema operacional que você escolheu. Para a finalidade dessa validação, o sistema operacional convidado pode ser de qualquer versão do Windows Server.

Depois de concluir a instalação do sistema operacional na máquina virtual, você deve fazer logon e verificar se essa máquina virtual conseguiu obter um endereço IP da rede corporativa. Se a rede à qual esse cluster está conectado não for compatível com o protocolo DHCP, a página seguinte solicitará um endereço IP. Para executar o teste de conectividade de rede básica, use a seguinte abordagem:

  • Use o comando ping para um endereço IP acessível na mesma sub-rede.

  • Use o comando ping para o mesmo destino, mas agora use o nome de domínio totalmente qualificado para o host de destino. A meta aqui é testar a resolução básica de nomes.

    noteObservação
    Se você instalou o Windows 8 Developer Preview nessa máquina virtual, precisará abrir o Firewall do Windows com Segurança Avançada e criar uma nova regra para permitir o protocolo ICMP antes de executar os testes anteriores. Isso pode ser verdadeiro para outros hosts nos quais você deseja executar ping; confirme se o firewall baseado no host no destino permite Solicitações de Eco ICMP.

Depois de confirmar se esse teste básico está funcionando corretamente, deixe uma janela de prompt de comando aberta e insira o comando ping <Endereço_IP_ou_FQDN_de_Destino> -t. A meta aqui é ter um teste contínuo enquanto você executa a migração ao vivo para o segundo nó.

Para executar uma migração ao vivo desta máquina virtual do nó do cluster atual para o outro nó no cluster, execute as seguintes etapas:

  1. No Gerenciador de Cluster de Failover, clique em Funções sob o nome do cluster. No painel Funções, clique com o botão direito do mouse na máquina virtual que você criou, clique em Mover, Migração ao Vivo e em Selecionar Nó.

  2. Na página Mover Máquina Virtual, selecione o nó para o qual você deseja mover a máquina virtual e clique em OK.

Logotipo do PowerShell

Windows PowerShell

Para executar uma migração ao vivo com o Windows PowerShell, consulte o script MigrateVM.ps1.

Quando a migração ao vivo iniciar, você observará na coluna Status; levará algum tempo para a coluna Informações atualizar o estado atual da migração. Enquanto a migração estiver ocorrendo, você poderá voltar para a máquina virtual com o ping em execução e observar se há alguma perda de pacotes.

Para executar a migração rápida dessa máquina virtual do nó atual para o outro, execute as seguintes etapas:

  1. No Gerenciador de Cluster de Failover, clique em Funções sob o nome do cluster. No painel Funções, clique com o botão direito do mouse na máquina virtual que você criou, clique em Mover, Migração Rápida e em Selecionar Nó.

  2. Na janela Mover Máquina Virtual, selecione o nó para o qual você deseja mover a máquina virtual e clique em OK.

Você observará no status que a migração rápida será iniciada muito mais rápido que a migração ao vivo. Enquanto a migração estiver ocorrendo, você poderá voltar para a máquina virtual com o ping em execução e observar se há alguma perda de pacotes.

Isso foi útil para você?
(1500 caracteres restantes)
Agradecemos os seus comentários

Contribuições da comunidade

ADICIONAR
Mostrar:
© 2014 Microsoft