Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo

Novidades sobre redes

Atualizado: outubro de 2012

Aplica-se a: Windows 8, Windows Server 2012

As tecnologias de rede a seguir são novas ou foram aprimoradas no Windows Server® 2012.

Para o Windows Server 2012 e o Windows® 8, o acesso com e sem fio autenticado 802.1X proporciona o tipo de autenticação EAP-TTLS do protocolo EAP. O EAP-TTLS é uma novidade do Windows Server 2012 e do Windows 8 e não está disponível em outras versões do Windows Server.

O EAP-TTLS é um método de encapsulamento EAP baseado em padrões que aceita autenticação mútua. Ele gera um túnel seguro para a autenticação do cliente usando métodos de EAP e outros protocolos herdados. Além disso, o EAP-TTLS também pode ser configurado em computadores cliente para soluções de acesso à rede nas quais servidores RADIUS que não são da Microsoft e que oferecem suporte ao EAP-TTLS são usados para autenticação.

Para saber mais sobre o acesso com fio autenticado 802.1X, consulte Visão Geral do Acesso Com Fio Autenticado 802.1X.

Para saber mais sobre o acesso sem fio autenticado 802.1X, consulte 802.1X Authenticated Wireless Access Overview.

O BranchCache é uma tecnologia de otimização de largura de banda da WAN (rede de longa distância) incluída em algumas edições dos sistemas operacionais Windows Server 2012 e Windows 8. Para otimizar a largura de banda da WAN quando os usuários acessam conteúdo em servidores remotos, o BranchCache copia o conteúdo dos servidores de conteúdo da matriz ou da nuvem hospedada e o armazena em cache nas filiais, permitindo que os computadores cliente das filiais acessem o conteúdo localmente e não pela WAN.

As melhorias do BranchCache no Windows Server 2012 incluem: configuração automática dos computadores cliente do BranchCache; profunda integração com o servidor de arquivos do Windows; a capacidade de armazenar em cache pequenas atualizações feitas nos arquivos, resultando em maior economia na largura de banda; melhorias na segurança; implantação simplificada do servidor de cache hospedado; e muito mais. Para saber mais, consulte Novidades do BranchCache.

O DCB é introduzido como uma nova tecnologia no Windows Server 2012. Trata-se de um conjunto de padrões do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers) que habilitam a Malha Convergida no data center, onde o armazenamento, a rede de dados, o IPC de cluster e o tráfego de gerenciamento compartilham a mesma infraestrutura de rede Ethernet. O DCB disponibiliza alocação de largura de banda baseada em hardware para um determinado tipo de tráfego e melhora a confiabilidade do transporte Ethernet com o uso de controle de fluxo baseado na prioridade.

A alocação de largura de banda baseada em hardware é essencial quando o tráfego é desviado do sistema operacional e é descarregado para um adaptador de rede convergido, que pode dar suporte a iSCSI, RDMA (Acesso Remoto Direto à Memória) por Ethernet Convergida ou FCoE (Fibre Channel por Ethernet). O controle de fluxo baseado na prioridade é essencial quando o protocolo de camada superior, como o Fibre Channel, presume um transporte subjacente sem perda. Para saber mais, consulte Visão geral do DCB (Data Center Bridging).

O DNS (Sistema de Nomes de Domínio) é usado em redes TCP/IP para nomear computadores e serviços de rede. Usando o DNS, os computadores podem localizar dispositivos e serviços em uma rede por meio de nomes amigáveis.

No Windows, o DNS inclui o serviço Cliente DNS e o serviço Servidor DNS. O Windows Server 2012 e o Windows 8 incluem várias melhorias no DNS. Para saber mais, consulte o tópico sobre as Novidades no DNS.

O DHCP é um padrão da IETF (Internet Engineering Task Force) projetado para reduzir a carga administrativa e a complexidade da configuração de hosts em uma rede baseada em TCP/IP, por exemplo, uma intranet privada. Quando o serviço Servidor DHCP é utilizado, o processo de configuração de TCP/IP em clientes DHCP é automático. O Windows Server 2012 apresenta diversas melhorias no serviço Servidor DHCP, como failover de DHCP e atribuição baseada em política de DHCP. Para saber mais, consulte o tópico sobre as Novidades no DHCP.

Com o sucesso dos data centers virtualizados, as organizações de TI e os provedores de hospedagem (provedores que fornecem aluguéis de servidores físicos ou colocação) começaram a oferecer infraestruturas virtualizadas mais flexíveis que facilitam a oferta de instâncias de servidor sob demanda a seus clientes. Essa nova classe de serviços é chamada de Infraestrutura como Serviço (IaaS). O Windows Server 2012 fornece todos os recursos de plataforma necessários para permitir que os clientes corporativos criem nuvens privadas e façam a transição para a TI como um modelo operacional de serviço. Além disso, o Windows Server 2012 permite que os hosters criem nuvens públicas e ofereçam soluções de IaaS a seus clientes. Quando combinado com o System Center para gerenciar a política da Virtualização de Rede Hyper-V, a Microsoft fornece uma poderosa solução de nuvem.

A Virtualização de Rede Hyper-V do Windows Server 2012fornece virtualização de rede controlada por software e baseada em políticas, que reduz a sobrecarga de gerenciamento que as empresas enfrentam ao expandir nuvens IaaS dedicadas, e fornece aos hosters em nuvem maior flexibilidade e escalabilidade para gerenciar as máquinas virtuais e promover uma melhor utilização dos recursos.

Para saber mais, consulte Visão geral da Virtualização de Rede Hyper-V.

O comutador virtual do Hyper-V é um comutador de rede virtual da camada 2 que fornece recursos extensíveis gerenciados programaticamente para conectar máquinas virtuais à rede física. Ele proporciona imposição de políticas para segurança, isolamento e níveis de serviço. Além disso, o comutador virtual do Hyper-V no Windows Server® 2012 introduz uma série de recursos novos e aprimorados de isolamento de locatários, modelagem de tráfego, proteção contra máquinas virtuais mal-intencionadas e solução de problemas simplificada. Para saber mais, consulte Visão geral do comutador virtual do Hyper-V.

No Windows Server 2012, o IPAM é uma estrutura integrada inteiramente nova para descobrir, monitorar, auditar e gerenciar o espaço de endereço IP usado em uma rede corporativa. O IPAM fornece a administração e o monitoramento de servidores que executam o protocolo DHCP e o DNS (Serviço de Nomes de Domínio). Para saber mais, consulte Visão geral sobre o IPAM (Gerenciamento de Endereços IP).

Os ambientes de computação de baixa latência geralmente contêm aplicativos que exigem grande rapidez na IPC (comunicação entre processos) e na comunicação entre computadores, um alto grau de previsibilidade da latência e dos tempos de resposta das transações e a capacidade de lidar com taxas muito altas de mensagens.

No Windows Server 2012, as tecnologias de cargas de trabalho de baixa latência incluem DCB (Data Center Bridging), kRDMA (Acesso Remoto Direto à Memória no Modo Kernel), Agrupamento NIC, NetworkDirect, Otimização de Loopback TCP e outras. Para saber mais, consulte Tecnologias de cargas de trabalho de baixa latência.

O recurso NLB (Balanceamento de Carga de Rede) distribui o tráfego por diversos servidores usando o protocolo de rede TCP/IP. Combinando dois ou mais computadores que executam aplicativos no Windows Server 2012 em um único cluster virtual, o NLB proporciona confiabilidade e desempenho para servidores Web e outros servidores críticos.

Os servidores em um cluster NLB são chamados de hosts, e cada host executa uma cópia separada dos aplicativos de servidor. O NLB distribui as solicitações de entrada dos clientes pelos hosts do cluster. Você pode configurar a carga a ser manipulada por cada host e também adicionar hosts dinamicamente ao cluster para lidar com aumentos da carga. Além disso, o NLB pode direcionar todo o tráfego para um único host designado, chamado de host padrão.

noteObservação
De modo geral, a funcionalidade do NLB no Windows Server 2012 é a mesma do Windows Server® 2008 R2; porém, alguns detalhes de tarefas mudaram no Windows Server 2012. Para obter informações sobre novas maneiras de realizar tarefas, consulte Tarefas comuns de gerenciamento e navegação no Windows Server 2012.

Para saber mais sobre o NLB, consulte Visão geral do balanceamento de carga de rede.

Entre os Serviços de Acesso e Política de Rede no Windows Server 2012, estão os serviços de função NPS (Servidor de Políticas de Rede), HRA (Autoridade de Registro de Integridade) e protocolo HCAP. Você pode usar a função de servidor Serviços de Acesso e Política de Rede para implantar o NPS como um servidor RADIUS e proxy RADIUS que executa autenticação e autorização para solicitações de conexão por parte de clientes RADIUS, por exemplo, comutadores Ethernet e pontos de acesso sem fio compatíveis com 802.1X. Além disso, é possível configurar políticas de integridade de NAP (Proteção de Acesso à Rede) no NPS.

Agora você pode usar o Windows PowerShell para automatizar a instalação da função de servidor Serviços de Acesso e Política de Rede. Também pode implantar e configurar alguns aspectos do NPS utilizando o Windows PowerShell.

Para saber mais, consulte Visão geral de Serviços de Acesso e Política de Rede.

O Agrupamento NIC (placa de interface de rede) é introduzido como uma nova tecnologia no Windows Server 2012. Também conhecido como LBFO (balanceamento de carga e failover), ele permite que vários adaptadores de rede em um computador sejam colocados em uma equipe com as seguintes finalidades:

  • Agregação de largura de banda

  • Failover de tráfego para evitar perda de conectividade em caso de falha em um componente de rede

Para saber mais, consulte Visão geral de LBFO (Balanceamento de Carga e Failover).

O QoS é um conjunto de tecnologias para gerenciar o tráfego de rede de forma econômica a fim de melhorar as experiências do usuário em ambientes corporativos, assim como em escritórios pequenos e domésticos. As tecnologias de QoS permitem medir a largura de banda, detectar mudanças nas condições da rede (como congestionamento ou disponibilidade de largura de banda) e priorizar ou suprimir o tráfego. Por exemplo, você pode usar o QoS para priorizar o tráfego de aplicativos que reconhecem latência (como voz ou vídeo) e para controlar o impacto do tráfego que não reconhece latência (como transferências de dados em massa).

No Windows Server 2012, o QoS inclui novos recursos de gerenciamento de largura de banda que permitem às empresas e aos provedores de hospedagem na nuvem prestar serviços que ofereçam um desempenho de rede previsível a máquinas virtuais em um servidor com o Hyper-V. Em ambientes hospedados, o QoS do Hyper-V permite que os provedores de hospedagem garantam níveis de desempenho específicos com base em SLAs (contratos de nível de serviço). o QoS do Hyper-V ajuda a garantir que nenhum cliente seja afetado nem comprometido por outros clientes na infraestrutura compartilhada, que inclui recursos de computação, de armazenamento e de rede.

Novos recursos adicionais de QoS incluem a capacidade de: impor largura de banda mínima a um fluxo de tráfego; configurar limites de taxa em um comutador virtual do Hyper-V por porta de comutador usando o Windows PowerShell ou a WMI (Instrumentação de Gerenciamento do Windows); e impor políticas de QoS em adaptadores de rede compatíveis com SR-IOV (virtualização de E/S de raiz única) que dão suporte à reserva de largura de banda por porta virtual.

Para saber mais, consulte Visão geral da QoS (Qualidade de Serviço).

No Windows Server 2012, o Acesso Remoto combina dois serviços de rede em uma função de servidor unificada:

O Windows Server® 2008 R2 introduziu o DirectAccess, uma nova funcionalidade de acesso remoto que permite a conectividade com recursos de rede corporativa sem precisar de conexões tradicionais de VPN (rede virtual privada). O DirectAccess fornece suporte apenas para os clientes das edições Windows 7 Enterprise e Ultimate que ingressaram no domínio. O RRAS (Servidor de Roteamento e Acesso Remoto) Windows oferece conectividade tradicional de VPN para clientes herdados, clientes que não ingressaram no domínio e clientes VPN de terceiros. O RRAS também fornece conexões site a site entre servidores. No Windows Server 2008 R2, o RRAS não pode coexistir no mesmo servidor de borda do DirectAccess e deve ser implantado e gerenciado de forma separada do DirectAccess.

O Windows Server 2012 combina o recurso DirectAccess e o serviço de função RRAS em uma nova função de servidor unificada. Essa nova função de servidor Acesso Remoto permite a centralização da administração, da configuração e do monitoramento dos serviços de acesso remoto baseados no DirectAccess e na VPN. Além disso, o DirectAccess do Windows Server 2012 fornece várias atualizações e melhorias para lidar com bloqueadores da implantação e simplificar o gerenciamento. Para saber mais, consulte a Visão geral do Acesso Remoto.

Estes são alguns dos novos recursos do Firewall do Windows com Segurança Avançada:

  • O IKEv2 para o modo de transporte IPsec foi adicionado ao Windows Server 2012, o que permite a interoperabilidade do Windows com outros sistemas operacionais usando o IKEv2 para fins de segurança ponta a ponta. Isso adiciona suporte aos requisitos da Suite B (RFC 4869).

  • Os administradores podem configurar o Firewall do Windows de forma personalizada para ajustar o acesso à rede, caso desejem ter mais controle sobre os aplicativos estilo Windows 8.

  • O Windows PowerShell apresenta cmdlets extensivos para permitir a configuração e o gerenciamento do Firewall do Windows.

Para saber mais, consulte Visão geral do Firewall do Windows com Segurança Avançada.

Isso foi útil para você?
(1500 caracteres restantes)
Agradecemos os seus comentários

Contribuições da comunidade

ADICIONAR
A Microsoft está realizando uma pesquisa online para saber sua opinião sobre o site do MSDN. Se você optar por participar, a pesquisa online lhe será apresentada quando você sair do site do MSDN.

Deseja participar?
Mostrar:
© 2014 Microsoft