Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo
Expandir Minimizar
Este artigo foi traduzido manualmente. Coloque o ponteiro do mouse sobre as frases do artigo para ver o texto original. Mais informações.
Tradução
Original

CREATE ENDPOINT (Transact-SQL)

Cria pontos de extremidade e define suas propriedades, incluindo os métodos disponíveis para os aplicativos clientes. Para obter informações de permissões relacionadas, consulte Permissões de ponto de extremidade GRANT (Transact-SQL).

A sintaxe para CREATE ENDPOINT pode ser dividida logicamente em duas partes:

  • A primeira parte começa com AS e termina antes da cláusula FOR.

    Nessa parte, você fornece informações específicas para o protocolo de transporte (TCP) e define um número de porta de escuta para o ponto de extremidade, como também o método de autenticação do ponto de extremidade e/ou uma lista de endereços IP (se houver) para os quais você quer restringir acesso ao ponto de extremidade.

  • A segunda parte começa com a cláusula FOR.

    Nessa parte, você define a carga útil que tem suporte no ponto de extremidade. A carga útil pode ser uma de vários tipos com suporte: Transact-SQL, agente de serviços, espelhamento de banco de dados. Nesta parte, você inclui também informações específicas de linguagem.

Observação Observação

Serviços Web XML nativos (pontos de extremidade SOAP/HTTP) foram removidos do SQL Server 2012.

Ícone de vínculo de tópico Convenções da sintaxe Transact-SQL

CREATE ENDPOINT endPointName [ AUTHORIZATION login ]
[ STATE = { STARTED | STOPPED | DISABLED } ]
AS { TCP } (
   <protocol_specific_arguments>
        )
FOR { TSQL | SERVICE_BROKER | DATABASE_MIRRORING } (
   <language_specific_arguments>
        ) 

<AS TCP_protocol_specific_arguments> ::=
AS TCP (
  LISTENER_PORT = listenerPort
  [ [ , ] LISTENER_IP = ALL | ( 4-part-ip ) | ( "ip_address_v6" ) ]

) 

<FOR SERVICE_BROKER_language_specific_arguments> ::=
FOR SERVICE_BROKER (
   [ AUTHENTICATION = { 
            WINDOWS [ { NTLM | KERBEROS | NEGOTIATE } ] 
      | CERTIFICATE certificate_name 
      | WINDOWS [ { NTLM | KERBEROS | NEGOTIATE } ] CERTIFICATE certificate_name 
      | CERTIFICATE certificate_name WINDOWS [ { NTLM | KERBEROS | NEGOTIATE } ] 
    } ]
   [ [ , ] ENCRYPTION = { DISABLED | { { SUPPORTED | REQUIRED } 
       [ ALGORITHM { RC4 | AES | AES RC4 | RC4 AES } ] } 
   ]
   [ [ , ] MESSAGE_FORWARDING = { ENABLED | DISABLED } ]
   [ [ , ] MESSAGE_FORWARD_SIZE = forward_size ]
)

<FOR DATABASE_MIRRORING_language_specific_arguments> ::=
FOR DATABASE_MIRRORING (
   [ AUTHENTICATION = { 
            WINDOWS [ { NTLM | KERBEROS | NEGOTIATE } ] 
      | CERTIFICATE certificate_name 
      | WINDOWS [ { NTLM | KERBEROS | NEGOTIATE } ] CERTIFICATE certificate_name 
      | CERTIFICATE certificate_name WINDOWS [ { NTLM | KERBEROS | NEGOTIATE } ] 
   [ [ [ , ] ] ENCRYPTION = { DISABLED | { { SUPPORTED | REQUIRED } 
       [ ALGORITHM { RC4 | AES | AES RC4 | RC4 AES } ] } 

    ] 
   [ , ] ROLE = { WITNESS | PARTNER | ALL }
)

endPointName

É o nome atribuído ao ponto de extremidade que está sendo criado. Use ao atualizar ou excluir o ponto de extremidade.

AUTHORIZATION login

Especifica um logon de SQL Server ou Windows válido, ao qual é atribuído a propriedade do objeto de ponto de extremidade recém-criado. Se AUTHORIZATION não for especificado, por padrão, o chamador se tornará proprietário do objeto recém-criado.

Para atribuir propriedade especificando AUTHORIZATION, o chamador deve ter permissão IMPERSONATE no login especificado.

Para reatribuir propriedade, consulte ALTER ENDPOINT (Transact-SQL).

STATE = { STARTED | STOPPED | DISABLED }

É o estado do ponto de extremidade quando ele é criado. Se o estado não for especificado quando o ponto de extremidade for criado, STOPPED será o padrão.

STARTED

O ponto de extremidade é iniciado e está escutando ativamente as conexões.

DISABLED

O ponto de extremidade está desabilitado. Neste estado, o servidor escuta as solicitações da porta, mas devolve erros aos clientes.

STOPPED

O ponto de extremidade está parado. Nesse estado, o servidor não escuta a porta do ponto de extremidade nem responde a qualquer solicitação de tentativa para usar o ponto de extremidade.

Para alterar o estado, use ALTER ENDPOINT (Transact-SQL).

AS { TCP }

Especifica o protocolo de transporte a ser usado.

FOR { TSQL | SERVICE_BROKER | DATABASE_MIRRORING }

Especifica o tipo de carga útil.

No momento, não há nenhum argumento específico de linguagem Transact-SQL a ser passado no parâmetro <language_specific_arguments>.

Opção de protocolo TCP

Os argumentos a seguir se aplicam apenas à opção protocolo TCP.

LISTENER_PORT =listenerPort

Especifica o número da porta de escuta para conexões pelo protocolo TCP/IP service broker. Por convenção, 4022 é usado, mas qualquer número entre 1024 e 32767 é válido.

LISTENER_IP = ALL | (4-part-ip ) | ( "ip_address_v6" )

Especifica o endereço IP de escuta do ponto de extremidade. O padrão é ALL. Isso significa que o ouvinte aceitará uma conexão em qualquer endereço IP válido.

Se você configurar o espelhamento de banco de dados com um endereço IP, em vez de um nome de domínio totalmente qualificado (ALTER DATABASE SET PARTNER = partner_IP_address ou ALTER DATABASE SET WITNESS = witness_IP_address), especifique LISTENER_IP =IP_address, em vez de LISTENER_IP=ALL, ao criar pontos de extremidade de espelhamento.

Opções SERVICE_BROKER e DATABASE_MIRRORING

Os argumentos AUTHENTICATION e ENCRYPTION a seguir são comuns às opções SERVICE_BROKER e DATABASE_MIRRORING.

Observação Observação

Para opções específicas do SERVICE_BROKER, consulte "Opções SERVICE_BROKER", posteriormente nesta seção. Para opções específicas de DATABASE_MIRRORING, consulte "Opções DATABASE_MIRRORING", posteriormente nesta seção.

AUTHENTICATION = <authentication_options>

Especifica os requisitos de autenticação TCP/IP em conexões para esse ponto de extremidade. O valor padrão é Windows.

Os métodos de autenticação com suporte incluem NTLM e ou Kerberos ou ambos.

Observação importante Importante

Todas as conexões de espelhamento em uma instância de servidor usam um único ponto de extremidade de espelhamento de banco de dados. Qualquer tentativa para criar um ponto de extremidade de espelhamento de banco de dados adicional falhará.

<authentication_options> ::=

WINDOWS [ { NTLM | KERBEROS | NEGOTIATE } ]

Especifica que o ponto de extremidade deve ser conectado usando o protocolo de Autenticação do Windows para autenticar os pontos de extremidade. Esse é o padrão.

Se você especificar um método de autorização (NTLM ou KERBEROS), esse método sempre será usado como o protocolo de autenticação. O valor padrão, NEGOTIATE, faz o ponto de extremidade usar o protocolo de negociação Windows para escolher NTLM ou Kerberos.

CERTIFICATE certificate_name

Especifica que o ponto de extremidade é para autenticar a conexão usando o certificado especificado por certificate_name para estabelecer identidade para autorização. Os pontos de extremidade distantes devem ter um certificado com a chave pública correspondente à chave privada do certificado especificado.

WINDOWS [ { NTLM | KERBEROS | NEGOTIATE } ] CERTIFICATE certificate_name

Especifica que ponto de extremidade deve tentar conexão usando a Autenticação do Windows e, se essa tentativa falhar, tentar o certificado especificado.

CERTIFICATE certificate_name WINDOWS [ { NTLM | KERBEROS | NEGOTIATE } ]

Especifica que ponto de extremidade deve tentar conexão usando certificado especificado e, se essa tentativa falhar, tentar a Autenticação do Windows.

ENCRYPTION = { DISABLED | SUPPORTED | REQUIRED } [ALGORITHM { RC4 | AES | AES RC4 | RC4 AES } ]

Especifica se a criptografia deve usada no processo. O padrão é REQUIRED.

DISABLED

Especifica que os dados enviados em uma conexão não estão criptografados.

SUPPORTED

Especifica que os dados só serão criptografados se o ponto de extremidade oposto especificar SUPPORTED ou REQUIRED.

REQUIRED

Especifica que conexões para esse ponto de extremidade devem usar criptografia. Portanto, para conexão com esse ponto de extremidade, outros pontos de extremidade deverão ter ENCRYPTION definido como SUPPORTED ou REQUIRED.

Opcionalmente, você pode usar o argumento ALGORITHM para especificar a forma de criptografia usada pelo ponto de extremidade, como segue:

RC4

Especifica que o ponto de extremidade deve usar o algoritmo RC4. Esse é o padrão.

Observação Observação

O algoritmo RC4 tem suporte somente para compatibilidade com versões anteriores. O novo material só pode ser criptografado por meio do algoritmo RC4 ou RC4_128 quando o banco de dados está no nível de compatibilidade 90 ou 100. (Não recomendável.) Use um algoritmo mais recente; por exemplo, um dos algoritmos AES. No SQL Server 2012 e versões posteriores, o material criptografado por meio do algoritmo RC4 ou RC4_128 pode ser descriptografado em qualquer nível de compatibilidade.

AES

Especifica que o ponto de extremidade deve usar o algoritmo AES.

AES RC4

Especifica que o dois pontos de extremidade negociarão por um algoritmo de criptografia com esse ponto de extremidade, dando preferência ao algoritmo AES.

RC4 AES

Especifica que o dois pontos de extremidade negociarão por um algoritmo de criptografia com esse ponto de extremidade, dando preferência ao algoritmo RC4.

Observação Observação

O algoritmo RC4 é preterido. Esse recurso será removido em uma versão futura do Microsoft SQL Server. Não utilize esse recurso em desenvolvimentos novos e modifique, assim que possível, os aplicativos que atualmente o utilizam. Recomendamos usar AES.

Se ambos os ponto de extremidade especificarem ambos os algoritmos, mas em ordens diferentes, vence o ponto de extremidade que aceita a conexão.

Opções SERVICE_BROKER

Os argumentos a seguir são específicos da opção SERVICE_BROKER.

MESSAGE_FORWARDING = { ENABLED | DISABLED }

Determina se mensagens recebidas por esse ponto de extremidade que são para serviços localizados em outro lugar serão enviadas.

ENABLED

Encaminha mensagens se um endereço de encaminhamento estiver disponível.

DISABLED

Descarta mensagens para serviços localizados em outro lugar. Este é o padrão.

MESSAGE_FORWARD_SIZE =forward_size

Especifica a quantidade máxima de armazenamento em megabytes a ser alocada para ser usada no ponto de extremidade ao armazenar mensagens a serem encaminhadas.

Opções DATABASE_MIRRORING

O argumento seguinte é específico da opção DATABASE_MIRRORING.

ROLE = { WITNESS | PARTNER | ALL }

Especifica a função ou funções de espelhamento de banco de dados com suporte no ponto de extremidade.

WITNESS

Permite que o ponto de extremidade execute a função de testemunha no processo de espelhamento.

Observação Observação

Para SQL Server 2005 Express Edition, WITNESS é a única opção disponível.

PARTNER

Permite que o ponto de extremidade execute a função de parceiro no processo de espelhamento.

ALL

Permite que o ponto de extremidade execute a função de testemunha e parceiro no processo de espelhamento.

Para obter mais informações sobre essas funções, consulte Espelhamento de banco de dados (SQL Server).

Observação Observação

Não há nenhuma porta padrão para DATABASE_MIRRORING.

Não podem ser executadas instruções ENDPOINT DDL em uma transação de usuário. Instruções ENDPOINT DDL não falham, mesmo que uma transação ativa de nível de isolamento de instantâneo esteja usando o ponto de extremidade que está sendo alterado.

Podem ser executadas solicitações em um ENDPOINT pelo seguinte:

  • Membros da função de servidor fixa sysadmin

  • O proprietário do ponto de extremidade

  • Usuários ou grupos com permissão CONNECT no ponto de extremidade

Requer permissão CREATE ENDPOINT ou associação na função de servidor fixa sysadmin. Para obter mais informações, consulte Permissões de ponto de extremidade GRANT (Transact-SQL).

Criando um ponto de extremidade de espelhamento de banco de dados

O exemplo a seguir cria um ponto de extremidade de espelhamento de banco de dados. O ponto de extremidade usa número de porta 7022, embora nenhum número da porta disponível funcione. O ponto de extremidade é configurado para usar Autenticação do Windows que só usa Kerberos. A opção ENCRYPTION é configurada ao valor não padrão de SUPPORTED para oferecer suporte a dados criptografados ou não criptografados. O ponto de extremidade está sendo configurado para oferecer suporte às funções de parceiro e testemunha.

CREATE ENDPOINT endpoint_mirroring
    STATE = STARTED
    AS TCP ( LISTENER_PORT = 7022 )
    FOR DATABASE_MIRRORING (
       AUTHENTICATION = WINDOWS KERBEROS,
       ENCRYPTION = SUPPORTED,
       ROLE=ALL);
GO
Isso foi útil para você?
(1500 caracteres restantes)
Agradecemos os seus comentários

Contribuições da comunidade

ADICIONAR
Mostrar:
© 2014 Microsoft