Skip to main content

Alterações e otimização do Windows: mitos e verdades

Publicado em: 4 de agosto de 2010

Existem muitos sites que alteram o comportamento ou as configurações do Windows, alguns deles até mesmo desabilitam serviços ou funcionalidades. É interessante que quase nenhum desses sites explique os reais benefícios de alterar o Windows. Você talvez veja garantias como "o sistema parece estar muito mais rápido" ou promessas de ganhos de 10% a 20% no desempenho. Eu já vi uma promessa de tornar um sistema Windows até 50 vezes mais rápido!

Entretanto, é difícil encontrar quaisquer resultados mensuráveis. Alguns sites apresentam métricas de resultados reais e, quando fazem isso, os números relatam principalmente tempos de inicialização menores. [Eu ignoro a "falsificação" com alterações na HAL (Hardware Abstraction Layer – Camada de Abstração de Hardware) do Windows durante a instalação para compatibilidade com 486C.] Embora seja possível diminuir o tempo de inicialização, não existem dependências robustas entre o tempo de inicialização e o desempenho. O processo de inicialização tem diferenças significativas em relação aos processos de trabalho. Além disso, a redução do tempo de inicialização pode, na verdade, aumentar o tempo de início de aplicativos.

É possível ter métricas que mostrem os reais efeitos de qualquer alteração? Na teoria, sim. Mas, na prática, não.

Durante a era do Windows 98, eu realizei um estudo sobre a influência da chave do Registro ConservativeSwapfileUsage sobre o desempenho geral do sistema e utilizei métodos estatísticos matemáticos para analisar os resultados. Descobri que teria de realizar centenas de testes para obter resultados de desempenho do sistema precisos e confiáveis. Você acha que alguém pode gastar uma ou duas semanas acumulando resultados de testes a fim de determinar os efeitos que podem ser obtidos com alterações no Windows? Acredito que a resposta seja não.

O Windows é um sistema operacional complexo com processos em segundo plano que podem afetar os resultados de testes de desempenho. Por isso, os resultados de repetidos testes podem diferir em 2% a 3%, ou mais. O efeito das alterações é, em média, menor do que 2% a 3%. Entretanto, após um ou dois testes, é difícil dizer se existe uma diferença real nos resultados ou apenas um desvio aleatório.

Então, que tal declarações como aquelas mencionadas acima: "o sistema parece estar muito mais rápido". Essas declarações são falsas? Não. O sistema realmente pode parecer mais rápido após a realização de alterações. Entretanto, ele pode, na verdade, não estar mais rápido. Nós tendemos a perceber coisas que desejamos acreditar, independentemente de sua real existência.

Você já observou como trabalham os provadores de vinhos? Eles provam vinhos numerados, em vez de nomeados. O método cego torna a comparação válida. Entretanto, quando você sabe o que está comparando, não há como evitar reações subconscientes. Infelizmente, é por isso que as vendas de programas inúteis podem ser muito boas. Basta acreditar que o computador ficará mais rápido e, muito provavelmente, você perceberá isso.

Há dez anos, escrevi um programa para aprimorar o desempenho do Windows em computadores Pentium I com um determinado hardware. O programa não funcionou com nenhum outro hardware, mas sua descrição era muito convincente — até o ponto de eu receber vários emails de usuários demonstrando o poder da sugestão. Os usuários escreveram comentários como: "o arquivo de log diz 'não instalado'; entretanto, tenho CERTEZA de que está instalado, pois as coisas parecem MUITO mais rápidas".

Agora, vejamos outro lado da "teoria das alterações". Você acredita que os desenvolvedores estão perdendo oportunidades de melhorar o desempenho do Windows, ou que eles não levam as alterações em consideração? Eu não acredito. A equipe de desempenho do Windows na Microsoft executa uma grande variedade de parâmetros de comparação/cargas de trabalho de desempenho em um grande espectro de máquinas.

Inicialmente, os resultados da luta por desempenho podem não ser muito impressionantes, mas uma diferença de 5% no desempenho é uma grande diferença. E algumas alterações simples e fáceis podem resultar em aumentos de desempenho superiores a 10%.

Você pode achar que de 5% a 10% de aumento de desempenho não seja uma diferença significativa, mas é sim. A tarefa primária do sistema operacional é executar aplicativos do usuário. Quanto menos recursos forem utilizados pelo sistema operacional, mais rapidamente serão executados os aplicativos. Suponha que o Windows (n-1) normalmente use 10% dos recursos do computador e que um aplicativo use os 90% restantes. Ou, em vez disso, suponha que o Windows (n+1) seja duas vezes mais eficiente (uma grande conquista) e utilize 5% dos recursos do computador. Nesse caso, o aplicativo será executado 95/90 = 1,056 vezes mais rapidamente. Esse exemplo mostra que uma diferença significativa no desenvolvimento do sistema operacional pode oferecer apenas um pequeno ganho no desempenho geral. E isso é uma enorme contradição quanto à realização de alterações a fim de melhorar o desempenho. A realização de alterações pode simplesmente não fornecer os resultados esperados.

Perguntei ao Michael Fortin, conceituado engenheiro do Windows, se a equipe do Windows estuda as alterações e dicas publicadas. Fortin disse: "Eu perguntei a várias pessoas [da equipe] e fiquei um pouco surpreso. Descobri que a maioria das pessoas faz coisas, mas, coletivamente, tudo me pareceu muito barulho por nada. Com uma única exceção: desinstalar tudo o que não estiver usando."

Dessa maneira, concluí que praticamente todas as alterações no Windows são inúteis quando se trata de acelerar o computador. Para obter resultados significativos, você deve comprar um novo computador ou atualizar o sistema existente; ou ainda, no mínimo, desinstalar alguns programas raramente utilizados.

Por fim, gostaria de dar algumas dicas sobre como considerar algumas "otimizações" sugeridas com frequência:

  • Se receber uma dica para configurar a chave do Registro SecondLevelDataCache, lembre-se de que ela não é utilizada desde o Windows 2000 SP1.
  • Se vir uma declaração de que a chave DisablePagingExecutive pode aumentar o desempenho, ela é falsa. Na verdade, ela pode reduzir o desempenho geral; entretanto, como ela diminui o tempo de resposta, o sistema parece mais rápido.
  • A definição de números de processador ou núcleo no Msconfig não é capaz de acelerar a inicialização, pois todos os núcleos são utilizados por padrão.

Voltar ao início

A Microsoft está realizando uma pesquisa online para saber sua opinião sobre o site. Se você optar por participar, a pesquisa online lhe será apresentada quando você sair do site.

Deseja participar?