Skip to main content

Ferramentas de implantação da Microsoft — Escolha suas armas com sabedoria!

Publicado em: 9 de julho de 2010

A Microsoft possui uma infinidade de opções de ferramentas de implantação, e como saber qual é a melhor para você? Você toma sua decisão com base no número de computadores em que precisa fazer a implantação? Que tal a topologia geográfica de sua empresa? Ou o conjunto de habilidades atual de seus profissionais de TI? Pessoas já me perguntaram: "Preciso instalar o ConfigMgr, os Serviços de Implantação do Windows, o Microsoft Deployment Toolkit e o WAIK (Windows Automated Installation Kit – Kit de Instalação Automatizada do Windows) para Windows 7 somente para começar? E o que é Modena?"

A resposta é... bem, depende de suas necessidades de implantação. Você precisa enviar por push uma OSD (Operating System Deployment - Implantação de sistema operacional) sem nenhuma intervenção humana para suas máquinas cliente, além de executar uma instalação ZTI (Zero Touch Installation)? Ou é necessário que alguém inicie a instalação/migração do Windows 7 em seus clientes executando uma instalação LTI (Lite Touch Installation)? Não considere apenas a maneira de implantar o Windows 7 em seus clientes (ou o Windows Server 2008 R2 nos servidores). Você também deve considerar como lidar com a geração de novas imagens, pois essa é uma etapa de solução de problemas usada com frequência na TI atualmente. Neste breve artigo, eu gostaria de apresentar uma visão geral de cada uma das ferramentas e cada um dos motivos pelos quais você deve escolher uma ferramenta ao invés de outra, além de como integrar várias ferramentas a fim de obter a solução de implantação correta para o seu ambiente.

System Center Configuration Manager (ConfigMgr)

O principal produto de implantação da Microsoft é o ConfigMgr, e ele é fornecido com todas as características avançadas de uma implantação dos sonhos: ZTI de OSD agendada/obrigatória, capacidade de direcionar para máquinas específicas com uma OSD com base em critérios determinados por você (por exemplo, processador de 1 GHz ou mais rápido, 2 GB de RAM e 40 GB de espaço em disco disponível). O ConfigMgr permite enviar por push uma OSD para as máquinas de sua escolha, no momento que você determinar, devido ao seu recurso WOL (Wake on LAN) embutido.

Além de OSD, o ConfigMgr oferece muito mais: inventário de hardware e software, gerenciamento de patches usando o WSUS (Windows Server Update Services) e recursos de geração de relatórios detalhados que permitem que você siga cada etapa de uma OSD. O ConfigMgr também pode ser dimensionado para organizações de qualquer porte, independentemente do número de escritórios ou da extensão geográfica. O lado negativo é que o ConfigMgr pode ser difícil de instalar e configurar corretamente — o esquema do Active Directory deve ser estendido, o SQL Server é necessário e existem várias funções de servidor de site a serem configuradas. Se o ConfigMgr for uma novidade para você, encontre uma aula ministrada por alguém bem conceituado e aprenda detalhes da instalação e da configuração a fim de evitar erros onerosos que podem gastar um tempo valioso. A execução de implantações OSD exige o Microsoft Deployment Toolkit (MDT) 2010, e o MDT 2010 exige o Windows AIK para Windows 7 e, por isso, a integração é essencial. Você também pode optar por integrar os WDS (Windows Deployment Services — Serviços de Implantação do Windows) para sua funcionalidade de multicast. O WDS fornece a capacidade de enviar uma imagem de SO a várias máquinas ao mesmo tempo, em vez do tráfego unicast, que impõe um esforço muito maior ao servidor.

Microsoft Deployment Toolkit 2010

Se o ConfigMgr não for uma opção para você, a segunda melhor ferramenta é o Microsoft Deployment Toolkit. O MDT 2010 Update 1 (U1) exige o Windows AIK para Windows 7; ambos são downloads gratuitos da Microsoft. O MDT 2010 U1 executa LTIs e fornece modelos incorporados para instalações bare-metal, de atualização e de substituição. Um dos meus recursos favoritos do MDT é a maneira que ele compartimentaliza toda a sua solução de implantação. Isso acelera o gerenciamento de suas imagens, desde a adição/remoção de drivers até a fácil alternância para o sistema operacional que você deseja implantar.

Existe, obviamente, o antigo debate sobre imagens espessas versus finas que devemos levar em consideração. No MDT 2010 U1, as imagens finas são a melhor opção — ok, possivelmente, uma imagem fina com seu software corporativo incluído (chamada imagem híbrida) e, depois, um software opcional que você pode instalar durante o processo de implantação. O MDT 2010 U1 pode fazer algo semelhante a uma ZTI com um pouco de alterações extras, mas você talvez tenha que integrar soluções de terceiros (às vezes, pagas) para funções como o WOL, que o ConfigMgr já fornece por padrão. O MDT também oferece dois excelentes recursos para as empresas com pequenas filiais que possivelmente nem possuem um servidor:

  • A mídia permite colocar uma solução de implantação completa em um DVD (ou em um conjunto de DVDs, dependendo do tamanho), um UFD ou um disco rígido externo; ou
  • Você pode criar um compartilhamento de implantação vinculado e copiar toda a solução de implantação (ou apenas algumas partes) para um escritório local, de forma que esses clientes possam executar suas implantações localmente.

Também é possível integrar o WDS com o MDT 2010 U1 para obter dois recursos: a capacidade da inicialização PXE (F12) de iniciar uma implantação e a funcionalidade multicast para imagens do MDT. A integração do MDT com o WDS para a incialização PXE exige que você armazene o WinPE (Windows Preinstallation Environment – Ambiente de Pré-Instalação do Windows) gerado pelo MDT para imagens de inicialização do WDS.

Kit de Instalação Automatizada do Windows para Windows 7

O Windows AIK contém ferramentas que o ConfigMgr e o MDT 2010 U1 utilizam "nos bastidores". O Windows AIK inclui o ImageX para criar e aplicar imagens, além do DISM (Deployment Image Servicing and Management – Gerenciamento e Manutenção de Imagens de Implantação) para montar, desmontar e gerenciar imagens (adicionar/remover drivers e pacotes em uma imagem de SO). Outras ferramentas incluem:

  • OSCDIMG, que converte imagens .wim em .ISO
  • WSIM (Windows System Image Manager – Gerenciador de Imagem de Sistema do Windows), que cria arquivos de resposta autônomos em formato .xml
  • User State Migration Tool 4.0 para ajudá-lo na migração de informações de perfil de usuário, favoritos do IE, documentos e configurações de aplicativos
  • Copype.cmd para criar um ambiente de trabalho de WinPE, de forma que você possa criar um WinPE personalizado
  • Volume Activation Management Tool 1.2 para ajudá-lo a gerenciar centralmente a ativação por volume

A maioria das ferramentas no Windows AIK são apenas de linha de comando e as poucas que fornecem uma interface de usuário possuem uma curva de aprendizado acentuada. Embora seja possível executar uma implantação completa usando o Windows AIK, as ferramentas podem ser difíceis de aprender, pois cada uma delas tem sua própria sintaxe.

Serviços de Implantação do Windows

O WDS é uma função pronta para uso com o Windows Server 2008 (e o Windows Server 2008 R2) e a mais recente evolução do RIS (Remote Installation Service – Serviço de instalação remota). O WDS exige Active Directory, DHCP e DNS (a menos que você implemente apenas o Serviço de Transporte) e fornece somente LTI. A Microsoft oferece suporte à implantação dos formatos de imagem .wim e .vhd. A instalação e a configuração são muito fáceis, embora o gerenciamento de drivers seja um pouco complicado. O WDS fornece recursos de inicialização PXE e multicast de imagens para as máquinas de destino. Duas desvantagens do WDS são o gerenciamento de imagens e o fato de ele conseguir fornecer apenas instalações bare-metal. As imagens espessas são a sua única opção e, se desejar fazer alterações em uma imagem de SO, você deverá exportar a imagem do snap-in do WDS, usar as ferramentas do Windows AIK para fazer as alterações e adicioná-la de volta ao snap-in do WDS. Se for necessário executar uma atualização ou substituir um cenário, você precisará criar seus scripts totalmente. Então, por que se preocupar; o MDT 2010 U1 faz tudo isso e muito mais para você!

O resultado é, se você já possui o ConfigMgr, a integração dele com o MDT 2010 U1, o Windows AIK e o WDS fornecerá o mais robusto conjunto de recursos. Em seguida, seria o MDT 2010 U1 (que exige o Windows AIK) por sua facilidade de uso, capacidade de gerenciamento de imagens e assistentes amigáveis. Por fim, o WDS é uma excelente ferramenta se você estiver apenas fazendo instalações bare-metal e sua imagem de SO não for alterada com frequência. A maior vantagem do WDS é a sua facilidade de se integrar com o ConfigMgr e o MDT 2010 U1. Quanto às ferramentas do Windows AIK, é realmente necessário aprendê-las. Eu sei que isso exige tempo, mas o ConfigMgr e o MDT 2010 U1 usam as ferramentas do Windows AIK e, para conseguir solucionar os problemas de suas implantações de maneira rápida e eficiente, é obrigatório conhecer essas ferramentas. Por isso, se você tem 200 ou 200.000 computadores para implantação, cada uma dessas ferramentas pode fornecer uma solução de implantação completa juntamente com seus próprios conjuntos de vantagens e desvantagens. Em relação ao conjunto de habilidades necessário, qualquer um pode aprender essas ferramentas; só é necessário um pouco de tempo e de testes. Espero que este artigo tenha lhe ajudado a decidir qual ferramenta irá fazer o trabalho por você e que também seja um ponto de partida para obter mais informações.

Voltar ao início

A Microsoft está realizando uma pesquisa online para saber sua opinião sobre o site. Se você optar por participar, a pesquisa online lhe será apresentada quando você sair do site.

Deseja participar?