Skip to main content

Aproveitar as Potencialidades da Cloud na sua Organização

A informática na Cloud é a próxima revolução no modo como os serviços de TI serão fornecidos em empresas de todas as dimensões. Como profissional de TI, irá desempenhar um papel fundamental à medida que a sua empresa efectuar esta importante transição. Trata-se de uma oportunidade que poderá definir a sua carreira: adicionar mais-valias comerciais através da sua compreensão estratégica e táctica da relação entre a Cloud e os objectivos da sua organização.

Existem várias noções erradas sobre a Cloud e o que esta tem para oferecer. Ao aumentar os seus conhecimentos sobre este assunto, poderá ajudar a transmitir uma noção mais adequada dos próximos passos a tomar para permitir que a sua organização aproveite ao máximo as vantagens da informática na Cloud. Esta tecnologia poderá oferecer muito mais do que apenas uma redução de custos, criando uma base para novas vantagens competitivas nas suas relações com clientes e parceiros.

A equipa Microsoft Cloud Services criou esta página para lhe fornecer os recursos de que irá necessitar para iniciar a sua jornada com sucesso. Poderá começar consultando os factos reais sobre a Cloud, abaixo, ou acedendo a qualquer um dos recursos existentes do lado direito da página.

#1. Segurança do Emprego

Mito:

Se a minha organização implementar os Microsoft Online Services, a minha função como Administrador do Exchange desaparece.

Facto:

A função do Administrador do Exchange não se torna obsoleta devido à Cloud. Existem várias tarefas que irão permanecer no local. Continuará a ter de gerir os seus utilizadores e as caixas de correio destes. A conformidade com a retenção de dados específica do sector, bem como a implementação de fluxos de trabalho personalizados, continuarão a ser da sua responsabilidade. Apesar de algumas tarefas deixarem de residir no local, os serviços geridos na Cloud disponibilizam-lhe tempo para se dedicar a funções mais estratégicas, apresentando-lhe novas oportunidades.

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#2. Alterações nas Funções de TI

Mito:

Se a minha organização utilizar um serviço de Cloud Pública, como o Windows Azure, a minha função tornar-se-á menos técnica.

Facto:

Os Profissionais de TI passam a ser mais essenciais às suas organizações ao optarem por utilizar serviços de Cloud pública, como o Windows Azure. O Windows Azure facilita a passagem de algumas aplicações para a Cloud mas, excluindo as tarefas relacionadas com a aplicação de correcções e a manutenção física desses servidores, todos os outros aspectos relacionados com a gestão de aplicações permanecem nas mãos do Profissional de TI. As tarefas de monitorização, actualização, integração com serviços como o Active Directory, segurança e monitorização da rede continuarão a ser necessárias nas organizações que utilizem serviços de Cloud.

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#3. Perspectivas de Emprego

Mito:

A função de Profissional de TI desaparece com a informática na Cloud.

Facto:

As organizações poderão encarar a Cloud como uma oportunidade para reduzirem os custos associados ao hardware e ao software. No entanto, quaisquer reduções potenciais de custos serão postas em causa pela eliminação da função de Profissional de TI. Continuarão a ser necessárias competências nas áreas da segurança, gestão de redes, integração, Active Directory e infra-estrutura. A função de Profissional de TI irá evoluir com o aumento da disponibilidade de ciclos de cálculo e armazenamento em rede – isto é inegável, especialmente tomando em consideração a forma como a função de TI evoluiu no passado. A pergunta que os Profissionais de TI terão de perguntar a si próprios é a seguinte: estarei preparado para desempenhar uma função mais estratégica na minha organização?

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#4. Controlo de Dados

Mito:

Se passar para a Cloud, a minha organização ficará presa a um fornecedor e perderá o controlo dos seus dados.

Facto:

A essência dos serviços de Cloud é a flexibilidade. Uma aplicação poderá chamar outra aplicação, localizada num serviço de Cloud diferente, e os dados poderão estar armazenados noutro local, incluindo na sua própria rede, mas permanecerão acessíveis às aplicações na Cloud. Nenhum fornecedor de Cloud oferece um serviço que afaste totalmente o controlo do seu ambiente. As melhores soluções na Cloud consistirão numa combinação de serviços no local e na Cloud. Independentemente do fornecedor de Cloud que seleccionar, este deverá atribuir a máxima prioridade à segurança dos seus dados. Não deverá seleccionar nenhum fornecedor que trate os dados da sua organização como se fossem propriedade dele.

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#5. Integração

Mito:

A integração desaparece quando for efectuado o outsourcing das aplicações para a Cloud.

Facto:

Não. As equipas de TI dedicadas à compatibilidade e integração de aplicações irão desempenhar um papel fundamental nas suas organizações, tal como acontecia antes da Cloud. Apesar de algumas aplicações autónomas poderem passar a ser independentes de outros sistemas existentes, muitas irão necessitar de integração com aplicações no local e com outras aplicações na Cloud.

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#6. Vantagens da Cloud

Mito:

Apenas uma pequena empresa poderá beneficiar de uma redução de custos utilizando a Informática na Cloud.

Facto:

As vantagens da informática na Cloud aplicam-se de modo igual a todas as empresas. Muitas empresas estão actualmente a apostar na Cloud. A Microsoft tem 40 milhões de utilizadores do Online Services, incluindo empresas de grandes e pequenas dimensões. Além disso, 10.000 clientes empresariais estão a utilizar o Windows Azure, como a 3M, a Siemens e a T-Systems.

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#7. Cloud Privada

Mito:

A minha empresa pode tirar partido de todas as vantagens da informática na Cloud com uma Cloud "privada", em execução no nosso próprio hardware.

Facto:

A sua empresa pode tirar partido das vantagens de uma cloud privada. No entanto, quando falar com a direcção da empresa sobre uma cloud privada, não se esqueça de que o ponto fundamental é que continuam a ser proprietários de tudo: hardware, software e até mesmo da responsabilidade pela gestão do tempo de actividade. Isto significa que terá de gerir a infra-estrutura e os requisitos de capacidade para satisfazer os contratos de nível de serviço internos, tal como acontece hoje em dia. Uma cloud privada no local continua a ser uma despesa de capital, contrariamente aos recursos na cloud operados por um fornecedor como a Microsoft. Para tirar partido das vantagens de uma cloud privada, a previsão da redução de custos associada ao aumento da utilização da infra-estrutura existente tem de ser superior ao custo incremental de criação dessa cloud. Uma alternativa é optar por uma cloud privada alojada (Hosting), na qual a manutenção do hardware é responsabilidade do fornecedor de alojamento; esta solução permite-lhe reduzir as despesas de investimento e transformá-las em despesas operacionais. Uma cloud privada é exclusiva da sua empresa; terá de suportar todos os custos de manutenção dos recursos informáticos disponíveis, em vez de os partilhar com terceiros quando não os estiver a utilizar, mas poderá ser menos dispendiosa do que a utilização dos sistemas actuais.

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#8. Redução de Custos

Mito:

A minha empresa tem de mover todas as aplicações para um serviço de Cloud de modo a tirar o máximo partido das vantagens da informática na Cloud.

Facto:

Actualmente, a transição de uma infra-estrutura de dados completa para a cloud é praticamente impossível. Além disso, também não é recomendada por nenhum fornecedor de Cloud. Comece por identificar as aplicações do seu pipeline que poderão beneficiar a empresa estando na Cloud. Procure aplicações cujos recursos sejam utilizados intensivamente durante um curto período de cada mês e que permaneçam inactivas o resto do tempo, ou aplicações onde seja utilizado continuamente um nível moderado de recursos, mas registem períodos de actividade extremamente elevada. Estas aplicações são boas candidatas para a Cloud, visto que a Cloud permite expandir e reduzir os recursos a pedido. A Cloud foi concebida de modo a permitir o acesso flexível a recursos que possam ser alocados a outras aplicações, ou até mesmo a outros clientes, durante os períodos de inactividade.

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#9. Tipos de Cloud

Mito:

Só existe um tipo de "Cloud".

Facto:

Existem vários tipos de Cloud. Por exemplo, uma "Cloud de cliente" é uma Cloud privada alojada no local. Uma "Cloud de parceiro" é uma variação da Cloud privada que é alojada por um parceiro de outsourcing. Finalmente, a "Cloud pública", uma rede interligada de serviços Web e aplicações, envolve um nível de serviço que nenhum fornecedor proporciona actualmente e é a variação de informática na Cloud mais discutida actualmente. Quando analisarem qualquer serviço de Cloud, os Profissionais de TI deverão tomar em consideração a disponibilidade de protocolos e pilhas de aplicações padrão e familiares.

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#10. Começar a Utilizar a Cloud

Mito:

Para começar a utilizar a informática na Cloud, basta utilizar o cartão de crédito.

Facto:

Na realidade, basta utilizar um cartão de crédito para começar a utilizar serviços de informática na Cloud. Este é um método adequado para ganhar experiência nesta nova fronteira de serviços. A maior parte dos serviços de Cloud proporcionam um ambiente concebido para uma introdução inicial e para o desenvolvimento de aplicações. Na maior parte dos casos, os fornecedores de Cloud disponibilizam gratuitamente um nível introdutório de recursos. A Microsoft é um destes fornecedores. Experimentar o Windows Azure

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#11. Máquinas Virtuais = Informática na Cloud?

Mito:

Se estiver a executar aplicações ou serviços de rede em máquinas virtuais, já estou a utilizar informática na Cloud.

Facto:

O simples facto de utilizar máquinas virtuais não significa que iniciou um ambiente de informática na Cloud. Poderá já estar no caminho da informática da Cloud, mas ainda não está a tirar partido de todas as vantagens inerentes. Para fornecer um serviço comparável ao de um recurso de informática na Cloud, uma máquina virtual tem de fornecer a capacidade de expandir ou reduzir instantaneamente a capacidade de cálculo e armazenamento. Para se aproximar das reduções de custos disponibilizadas pelos serviços a pedido da Cloud, teria também de dispor da capacidade de fornecer um esquema de preços dinâmico, baseado na utilização, aos departamentos da sua organização.

Mais informações

Avançar para o próximo mito sobre a Cloud

^ Regressar ao início

#12. Segurança

Mito:

Um fornecedor de Cloud não consegue garantir a segurança.

Facto:

Apesar de esta afirmação ser basicamente verdadeira, há um pormenor importante a tomar em consideração. A execução de uma aplicação na Cloud é um esforço conjunto entre a sua organização e o fornecedor de Cloud. Do ponto de vista físico, os centros de dados de Cloud pública encontram-se entre as instalações mais seguras do planeta. No entanto, do ponto de vista físico, nem mesmo um fornecedor de Cloud que possua todas as certificações de segurança conseguirá garantir a integridade de servidores, aplicações e redes específicas se as aplicações da sua empresa não forem eficientes do ponto de vista do código, da configuração e da segurança. É neste aspecto que os Profissionais de TI mantêm todo o controlo e são essenciais para o sucesso da Cloud. Todas as práticas de segurança de um fornecedor de Cloud são insignificantes se as práticas de segurança da organização de um cliente forem fracas.

Mais informações

^ Regressar ao início

^ Regressar ao início

^ Regressar ao início