Exportar (0) Imprimir
Expandir Todos

Noções sobre o Processo de Migração para um Cluster Com o Windows Server 2008 R2

Actualizado: Setembro de 2007

Aplica-se a: Windows Server 2008

Pode utilizar um assistente para migrar as definições de vários tipos de recursos para um cluster com o Windows Server 2008 R2. A partir da terceira página do assistente de migração, pode ver um relatório de pré-migração que explica se cada recurso está elegível para migração e descreve passos adicionais a executar depois de executar o assistente. Depois de o assistente terminar, fornece um relatório que descreve passos adicionais que podem ser necessários para executar a migração. O assistente suporta a migração de definições para um cluster com o Windows Server 2008 R2 a partir de um cluster com qualquer um dos seguintes sistemas operativos:

  • Windows Server 2003

  • Windows Server 2008

  • Windows Server 2008 R2

Para obter informações sobre os passos específicos para executar o Assistente para Migrar Clusters, consulte Migrar Grupos de Recurso para um Cluster de Activação Pós-Falha Com o Windows Server 2008 R2.

CautionCuidado
Se for utilizado novo armazenamento, tem de copiar ou mover os dados ou pastas nos volumes partilhados durante a migração. Para migrar grupos de recursos em cluster, o assistente não copia dados de uma localização para outra.

Este tópico contém as seguintes subsecções:

Esta secção lista os serviços ou aplicações em cluster (recursos em cluster) que podem ser migrados para um cluster com o Windows Server 2008 R2.

ImportantImportante
Não pode utilizar o Assistente para Migrar Clusters para migrar definições para servidores virtualizados, servidores de correio, servidores de base de dados e servidores de impressão, ou quaisquer outros recursos que não estejam listados nas seguintes subsecções. Existem outras ferramentas de migração para algumas destas aplicações. Para obter informações sobre como migrar aplicações de servidor de correio, consulte http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=91732 (pode estar em inglês) e http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=91733 (pode estar em inglês).

Depois de utilizar o Assistente para Migrar Clusters para migrar as definições dos seguintes recursos para um cluster de activação pós-falha com o Windows Server 2008 R2, são necessários poucos ou nenhuns passos adicionais antes de os recursos ficarem online.

CautionCuidado
Se for utilizado novo armazenamento, tem de copiar ou mover os dados ou pastas durante uma migração a partir dos volumes partilhados. O assistente para migrar as definições de grupos de recursos em cluster não copia dados de uma localização para outra.

  • Recursos Servidor de Ficheiros ou Partilha de Ficheiros: Pode migrar definições para um servidor de ficheiros em cluster (ou a partir de um cluster com o Windows Server 2003, um grupo de recursos Partilha de Ficheiros) e para os recursos Disco Físico, Endereço IP e Nome de Rede associados.

    Ao efectuar a migração a partir de um cluster com o Windows Server 2003, o Assistente para Migrar Clusters converte automaticamente todos os grupos de recursos Partilha de Ficheiros para um único servidor de ficheiros em cluster (com múltiplos recursos Partilha de Ficheiros) no Windows Server 2008 R2. Por conseguinte, alguns recursos poderão parecer diferentes após a migração. A tabela seguinte fornece os seguintes detalhes:

     

    Recurso Visto como num Cluster de Servidores Com o Windows Server 2003Recurso Migrado Visto Como num Cluster de Activação Pós-Falha Com o Windows Server 2008 R2

    Um recurso Partilha de Ficheiros

    Um recurso Servidor de Ficheiros

    Vários recursos Partilha de Ficheiros

    Vários recursos Partilha de Ficheiros num único servidor de ficheiros em cluster (grupo de recursos)

    Recurso Partilha de Ficheiros com raiz DFS

    Recurso DFS (Sistema de Ficheiros Distribuído) e recurso Partilha de Ficheiros (ambos num Servidor DFS em cluster)

  • Disco Físico: Pode migrar definições para recursos Disco Físico para além do recurso de quórum.

    Não é necessário migrar o recurso de quórum. Ao executar o Assistente para Criar Clusters, o software de cluster escolhe automaticamente a configuração de quórum que irá fornecer a disponibilidade mais elevada para o novo cluster de activação pós-falha. Se for necessário para o seu ambiente específico, pode alterar as definições da configuração de quórum. Para obter informações sobre como alterar definições (incluindo as definições de configuração do quórum) para um cluster de activação pós-falha, consulte Modificar Definições de um Cluster de Activação Pós-Falha.

  • Endereço IP: Pode migrar definições de Endereço IP para além do endereço IP de cluster. Os endereços IP estão elegíveis para migração apenas na mesma sub-rede.

  • Nome de Rede: Pode migrar definições de Nome de Rede para além do nome de cluster. Se a autenticação Kerberos estiver activada para o recurso Nome de Rede, o assistente irá solicitar-lhe a palavra-passe para a conta de serviço Cluster utilizada pelo cluster antigo.

Depois de utilizar o Assistente para Migrar Clusters para migrar as definições dos seguintes grupos de recursos para um cluster de activação pós-falha com o Windows Server 2008 R2, poderão ser necessários alguns passos adicionais antes de os recursos poderem ser colocados online, dependendo da configuração original. O relatório de migração indica os passos necessários, se existirem, para estes grupos de recursos:

  • Serviço DHCP

  • Espaço de Nome DFS (Sistema de Ficheiros Distribuído)

  • Coordenador de Transacções Distribuídas (DTC)

  • Protocolo ISNS (Internet Storage Name Service)

  • Colocação de Mensagens em Fila

  • Serviço NFS

  • Serviço WINS

  • Aplicação Genérica

  • Script Genérico

  • Serviço Genérico

O assistente fornece um relatório que descreve os passos adicionais necessários. Geralmente, os passos que tem de executar incluem:

  • Instalar funções ou funcionalidades de servidor necessárias no novo cluster (todos os nós).

  • Copiar ou instalar quaisquer aplicações, serviços ou scripts associados no novo cluster (todos os nós).

  • Certificar-se de que não são copiados quaisquer dados.

  • Fornecer endereços IP estáticos se o novo cluster estiver numa sub-rede diferente.

  • Actualizar localizações de caminho de unidade para aplicações se o novo cluster utilizar uma letra de volume diferente.

As definições de recurso são migradas, tal como as definições para os recursos Endereço IP e Nome de Rede que se encontram no grupo de recursos. Se existir um recurso Disco Físico no grupo de recursos, as definições para o recurso Disco Físico também são migradas.

Existem três fases para este cenário de migração:

  1. Instalar dois ou mais servidores novos, executar a validação e criar um novo cluster. Nesta fase, enquanto o cluster antigo continuar em execução, instale o Windows Server 2008 R2 e o Cluster de Activação Pós-Falha em, no mínimo, dois servidores. Crie as redes que os servidores irão utilizar e ligue o armazenamento. Em seguida, execute um conjunto completo de testes de validação do cluster para confirmar se o hardware e as suas definições podem suportar um cluster de activação pós-falha. Finalmente, crie o novo cluster. Neste momento, tem dois clusters.

    Informações adicionais sobre como ligar o armazenamento: Se o novo cluster estiver ligado a armazenamento antigo, torne acessíveis, no mínimo, dois números de unidades lógicas (LUNs) ou discos para os servidores, e não os torne acessíveis para quaisquer outros servidores. (Estes LUNs ou discos são necessários para validação e para o testemunho de disco, que, embora não sendo igual, é semelhante ao recurso de quórum no Windows Server 2003.) Se o novo cluster estiver ligado a novo armazenamento, torne acessível o maior número possível de discos ou LUNs que achar necessário.

    Os passos para criar um cluster estão listados em Lista de verificação: Criar um Cluster de Activação Pós-Falha.

  2. Migrar definições para o novo cluster e determinar como irá disponibilizar todos os dados existentes para o novo cluster. Quando o Assistente para Migrar Clusters estiver concluído, todos os recursos migrados ficarão offline. Deixe-os offline nesta fase. O novo cluster irá permanecer online e continuar a servir clientes. Se o novo cluster reutilizar armazenamento antigo, planeie como irá disponibilizar-lhe o armazenamento, mas deixe o cluster antigo ligado ao armazenamento até estar preparado para efectuar a transição. Se o novo cluster utilizar novo armazenamento, copie as pastas e dados apropriados para o armazenamento.

  3. Efectuar a transição do cluster antigo para o novo. O primeiro passo da transição é colocar os serviços e as aplicações em cluster offline no cluster antigo. Se o novo cluster utilizar armazenamento antigo,siga o seu plano para tornar os LUNs ou discos inacessíveis para o cluster antigo e acessíveis para o novo cluster. Em seguida, independentemente do armazenamento que o novo cluster utilizar, coloque os serviços e as aplicações em cluster online no novo cluster.

Existem quatro fases para este cenário de migração:

  1. Instalar um novo servidor e executar testes de validação seleccionados. Neste fase, permita que um servidor existente continue com o Windows Server 2003, Windows Server 2008 ou Windows Server 2008 R2 e o serviço Cluster, enquanto inicia o processo de migração. Expulse o outro servidor do cluster antigo e, em seguida, instale o Windows Server 2008 R2 e a funcionalidade Clustering de Activação Pós-falha. Nesse servidor, execute todos os testes que o Assistente para Validar uma Configuração irá executar. O assistente irá reconhecer que este é um nó único sem armazenamento e limitar os testes que o mesmo executa. Os testes que necessitarem de dois nós (por exemplo, testes que comparem os nós ou simulem a activação pós-falha) não serão executados.

    Tenha em atenção que os testes que executa nesta fase não fornecem informações completas sobre se o armazenamento irá funcionar num cluster com o Windows Server 2008 R2. Conforme descrito mais à frente nesta secção, irá executar o Assistente para Validar uma Configuração posteriormente com todos os testes incluídos.

  2. Criar o novo servidor num cluster de nó único e migrar definições para o mesmo. Crie um novo cluster de nó único e utilize o Assistente de Migração para migrar definições para o mesmo, mas mantenha os recursos em cluster offline no novo cluster.

  3. Colocar o novo cluster online e disponibilizar dados existentes para o mesmo. Coloque os serviços e aplicações do cluster antigo offline. Se o novo cluster utilizar armazenamento antigo, deixe os dados no armazenamento antigo, e torne os discos ou LUNs acessíveis para o novo cluster. Se o novo cluster utilizar novo armazenamento, copie as pastas e os dados para LUNs ou discos apropriados no novo armazenamento, e certifique-se de que esses LUNs ou discos estão visíveis para o novo cluster (e não estão visíveis para quaisquer outros servidores). Confirme se as definições para os serviços e aplicações migrados estão correctas. Coloque os serviços e as aplicações do novo cluster online e certifique-se de que os recursos estão a funcionar e podem aceder ao armazenamento.

  4. Colocar o segundo nó no novo cluster. Destrua o cluster antigo e nesse servidor instale o Windows Server 2008 R2 e a funcionalidade Clustering de Activação Pós-falha. Ligue esse servidor às redes e ao armazenamento utilizados pelo novo cluster. Se os discos ou LUNs apropriados ainda não estiverem acessíveis para ambos os servidores, torne-os acessíveis. Execute o Assistente para Validar uma Configuração, especificando ambos os servidores, e confirme se todos os testes passam. Finalmente, adicione o segundo servidor ao novo cluster.

Considera isto útil?
(1500 caracteres restantes)
Obrigado pelos seus comentários

Conteúdo da Comunidade

Adicionar
Mostrar:
© 2014 Microsoft