Planear uma Estratégia de Sequências de Tarefas no Configuration Manager

 

Aplica-se a: System Center 2012 Configuration Manager, System Center 2012 Configuration Manager SP1, System Center 2012 Configuration Manager SP2, System Center 2012 R2 Configuration Manager, System Center 2012 R2 Configuration Manager SP1

Poderá criar sequências de tarefas que executem um conjunto de tarefas no ambiente do System Center 2012 Configuration Manager. Estas tarefas abrangem desde a captura de um sistema operativo num computador de referência até à implementação do sistema operativo num ou mais computadores de destino. As ações da sequência de tarefas são definidas nos passos individuais da sequência. Quando a sequência de tarefas é executada, as ações de cada passo são efetuadas ao nível da linha de comandos, sem necessidade de intervenção do utilizador.

É possível implementar uma sequência de tarefas para uma coleção que contenha computadores. No entanto, não é possível implementar uma sequência de tarefas para uma coleção de utilizadores.

Os passos são os componentes básicos de uma sequência de tarefas. Podem conter comandos que configurem e capturem o sistema operativo num computador de referência ou conter comandos que instalem o sistema operativo, controladores, o cliente do Gestor de configuração e software no computador de destino.

Os comandos de um passo de sequência de tarefas são definidos pelas ações do passo. Existem dois tipos de ações: As ações definidas utilizando uma cadeia de linha de comandos são referidas como ações personalizadas. As ações predefinidas pelo Gestor de configuração são referidas como ações incorporadas. Uma sequência de tarefas permite executar qualquer combinação de ações personalizadas e incorporadas.

Os passos de sequências de tarefas também poderão incluir condições que controlem o comportamento dos passos, tais como interromper a sequência de tarefas ou continuar a sequência mesmo que ocorra um erro. A inclusão de uma variável de sequência de tarefas no passo permite adicionar condições ao passo. Por exemplo, poderá utilizar a variável SMSTSLastActionRetCode para testar a condição do passo anterior. As variáveis podem ser adicionadas a um único passo ou a um grupo de passos.

Os passos de sequências de tarefas são processados sequencialmente, o que inclui a ação do passo e as condições eventualmente atribuídas ao passo. Quando o Gestor de configuração começa a processar um passo da sequência de tarefas, o passo seguinte não será iniciado até que a ação anterior tenha sido concluída. Uma sequência de tarefas é considerada concluída quando todos os seus passos tiverem sido executados ou quando a falha de um passo obrigar o Gestor de configuração a interromper a execução da sequência antes de todos os passos terem sido executados. Por exemplo, se um passo de uma sequência de tarefas não conseguir localizar uma imagem ou pacote referenciados num ponto de distribuição, a sequência de tarefas conterá uma referência incompleta e o Gestor de configuração interromperá a execução da sequência de tarefas nesse ponto, a menos que o passo falhado possua uma condição que especifique a continuação mesmo que ocorra um erro.

System_CAPS_importantImportante

Por predefinição, uma sequência de tarefas falhará se falhar um passo ou ação. Se pretender que a sequência de tarefas continue após a falha de um dos respetivos passos, edite a sequência, clique no separador Opções e selecione Continuar com o erro.

Para mais informações sobre os passos que podem ser adicionados a uma sequência de tarefas, consulte Passos de Sequência de Tarefas no Configuration Manager.

Grupos são conjuntos de passos numa sequência de tarefas. Um grupo de sequência de tarefas consiste num nome, descrição opcional e eventuais condições opcionais, avaliados como uma unidade antes de a sequência de tarefas prosseguir para o passo seguinte. Os grupos podem ser aninhados uns nos outros, e um grupo poderá conter uma mistura de passos e subgrupos. Os grupos são úteis para combinar diversos passos que partilhem uma condição comum.

System_CAPS_importantImportante

Por predefinição, um grupo de sequência de tarefas falhará se falhar qualquer passo ou grupo incorporado no grupo. Se pretender que a sequência de tarefas continue após a falha de um passo ou grupo incorporado, edite a sequência, clique no separador Opções e selecione Continuar com o erro.

A tabela seguinte ilustra o funcionamento da opção Continuar com o erro ao agrupar passos.

Neste exemplo, existem dois grupos de sequências de tarefas que contêm três passos de sequência de tarefas cada.

Grupo ou passo de sequência de tarefas

Definição Continuar com o erro

Grupo de Sequência de Tarefas 1

Continuar com o erro selecionado.

Sequência de Tarefas Passo 1

Continuar com o erro selecionado.

Sequência de Tarefas Passo 2

Não definido.

Sequência de Tarefas Passo 3

Não definido.

Grupo de Sequência de Tarefas 2

Não definido.

Sequência de Tarefas Passo 4

Não definido.

Sequência de Tarefas Passo 5

Não definido.

Sequência de Tarefas Passo 6

Não definido.

  • Se o passo 1 da sequência de tarefas falhar, a sequência de tarefas continuará com o passo 2 da sequência.

  • Se o passo 2 da sequência de tarefas falhar, o passo 3 da sequência não será executado. Em vez disso, serão executados os passos 4 e 5 da sequência de tarefas, que pertencem a outro grupo de sequência de tarefas.

  • Se o passo 4 da sequência de tarefas falhar, não serão executados mais passos e a sequência de tarefas falhará, porque a definição Continuar com o erro não foi configurada para o grupo 2 da sequência de tarefas.

Terá de atribuir um nome aos grupos de sequências de tarefas, embora o nome do grupo não tenha de ser exclusivo. Também poderá fornecer uma descrição opcional para o grupo de sequência de tarefas.

As variáveis de sequência de tarefas são um conjunto de pares de nome e valor que fornecem configurações e definições de implementação do sistema operativo para tarefas de configuração de computador, sistema operativo e estado do utilizador num computador cliente do Gestor de configuração. As variáveis de sequência de tarefas fornecem um mecanismo de configuração e personalização dos passos de uma sequência de tarefas.

Quando executa uma sequência de tarefas, muitas das respetivas definições são armazenadas como variáveis de ambiente. Poderá aceder a ou alterar os valores de variáveis incorporadas de sequência de tarefas ou criar novas variáveis de sequência de tarefas para personalizar a forma como uma sequência de tarefas é executada num computador de destino.

Poderá utilizar variáveis de sequência de tarefas no ambiente de sequência de tarefas para executar as seguintes ações:

  • Configurar definições para uma ação de sequência de tarefas

  • Fornecer argumentos de linha de comandos para um passo de sequência de tarefas

  • Avaliar uma condição que determina se um passo ou grupo de sequência de tarefas é executado

  • Fornecer valores para scripts personalizados utilizados numa sequência de tarefas

Por exemplo, poderá ter uma sequência de tarefas que inclua o passo de sequência de tarefas Associar Domínio ou Grupo de Trabalho. A sequência de tarefas poderá ser implementada para diversas coleções, em que a associação à coleção é determinada pela associação ao domínio. Nesse caso, poderá especificar uma variável de sequência de tarefas por coleção para o nome de domínio de cada coleção e, em seguida, utilizar essa variável da sequência de tarefas para fornecer o nome de domínio apropriado na sequência de tarefas.

Poderá adicionar novas variáveis de sequência de tarefas para personalizar e controlar os passos de uma sequência de tarefas. Por exemplo, poderá criar uma variável de sequência de tarefas para substituir uma definição de um passo incorporado de sequência de tarefas. Também poderá criar uma variável personalizada de sequência de tarefas para utilizar com condições, linhas de comandos ou passos personalizados na sequência de tarefas. Ao criar uma variável de sequência de tarefas, a variável e o valor associado serão mantidos no ambiente de sequência de tarefas, mesmo se a sequência reiniciar o computador de destino. A variável e o respetivo valor podem ser utilizados na sequência de tarefas em diversos ambientes de sistema operativo. Por exemplo, podem ser utilizados num sistema operativo Windows completo e no ambiente do Windows PE.

A tabela seguinte descreve os métodos de criação de uma variável de sequência de tarefas, bem como informações adicionais sobre a sua utilização.

Método de criação

Utilização

Definir campos em passos de sequência de tarefas utilizando o Editor de Sequência de Tarefas

Especifica os valores predefinidos do passo de sequência de tarefas. A variável e o valor só estarão acessíveis quando o passo for executado na sequência de tarefas. Não fazem parte do ambiente geral da sequência, não estando acessíveis para outros passos da sequência de tarefas.

Para obter uma lista de variáveis incorporadas e respetivas ações associadas, consulte Variáveis de ação de sequência de tarefas no Configuration Manager.

Adicionar um passo de definição de variável de sequência de tarefas a uma sequência de tarefas

Especifica a variável e o valor de sequência de tarefas no ambiente de sequência de tarefas quando o passo de sequência de tarefas é executado como parte de uma sequência de tarefas. Todos os passos de sequência de tarefas subsequentes poderão aceder à variável de ambiente e ao respetivo valor.

Definir uma variável por coleção

Especifica variáveis e valores de sequência de tarefas para uma coleção de computadores. Todas as sequências de tarefas direcionadas para a coleção poderão aceder às variáveis de sequência de tarefas e aos respetivos valores.

Definir uma variável por computador

Especifica variáveis e valores de sequência de tarefas para um computador específico. Todas as sequências de tarefas direcionadas para o computador poderão aceder às variáveis de sequência de tarefas e aos respetivos valores.

Adicionar uma variável de sequência de tarefas na página Personalização do Assistente de Criação de Suporte de Dados da Sequência de Tarefas

Especifica variáveis e valores de sequência de tarefas para a sequência de tarefas que é executada a partir do suporte de dados que consegue aceder à variável de sequência de tarefas e ao respetivo valor.

Para substituir o valor predefinido de uma variável incorporada de sequência de tarefas, terá de definir uma variável de sequência de tarefas com o mesmo nome que a variável incorporada de sequência de tarefas. Para obter uma lista de variáveis incorporadas de sequência de tarefas com as ações associadas e utilização, consulte Variáveis de Sequência de Tarefas Incorporadas no Configuration Manager.

Poderá eliminar uma variável de sequência de tarefas do ambiente de sequência de tarefas utilizando os mesmos métodos usados para criar uma variável de sequência de tarefas. Neste caso, para eliminar uma variável do ambiente de sequência de tarefas deverá definir o valor da variável de sequência de tarefas como uma cadeia vazia.

Poderá combinar diversos métodos para definir uma variável de ambiente de sequência de tarefas para diferentes valores para a mesma sequência. Num cenário avançado, poderá definir os valores predefinidos dos passos de uma sequência utilizando o Editor de Sequência de Tarefas e, em seguida, definir um valor personalizado para a variável utilizando os diversos métodos de criação. A lista seguinte descreve as regras que determinam que valor é utilizado quando uma variável de sequência de tarefas é criada utilizando mais do que um método.

  1. O passo Definir Variável da Sequência de Tarefas substitui todos os outros métodos de criação.

  2. As variáveis por computador têm precedência sobre as variáveis por coleção. Se especificar o mesmo nome de variável de sequência de tarefas para uma variável por computador e para uma variável por coleção, a variável por computador será utilizada quando o computador de destino executar a sequência de tarefas implementada.

  3. As sequências de tarefas podem ser executadas a partir de suportes de dados. Utilize as variáveis de suporte de dados em vez de variáveis por coleção ou por computador. Se a sequência de tarefas for executada a partir de suportes de dados, as variáveis por computador e por coleção não se aplicarão, não sendo utilizadas. Em vez disso, serão utilizadas as variáveis de sequência de tarefas definidas na página Personalização do Assistente de Criação de Suporte de Dados da Sequência de Tarefas para definir valores específicos para uma sequência de tarefas executada a partir de suportes de dados.

  4. Se um valor de variável de sequência de tarefas não for definido no ambiente geral da sequência, as ações incorporadas utilizarão o valor predefinido do passo, conforme definido no Editor de Sequência de Tarefas.

Além de substituir os valores de definições de passos incorporados de sequência de tarefas, poderá também criar uma nova variável de ambiente para utilização num passo de sequência de tarefas, script, linha de comandos ou condição. Ao especificar um nome para uma nova variável de sequência de tarefas, siga estas diretrizes:

  • O nome da variável de sequência de tarefas que especificar poderá conter letras, números, o caráter de sublinhado (_) e um hífen (-).

  • Os nomes de variáveis de sequência de tarefas têm um comprimento mínimo de 1 caráter e um comprimento máximo de 256 carateres.

  • As variáveis definidas pelo utilizador têm de começar por uma letra (A-Z ou a-z).

  • Os nomes de variáveis definidas pelo utilizador não podem começar pelo caráter de sublinhado. Só as variáveis de sequência de tarefas só de leitura são precedidas pelo caráter de sublinhado.

    System_CAPS_noteNota

    As variáveis de sequência de tarefas só de leitura podem ser lidas, mas não podem ser definidas, por passos de uma sequência de tarefas. Por exemplo, poderá utilizar uma variável de sequência de tarefas só de leitura como parte de uma linha de comandos de uma variável de ação de sequência de tarefas Executar Linha de Comandos, mas não poderá definir uma variável só de leitura utilizando a variável de ação Definir Variável da Sequência de Tarefas.

  • Os nomes de variáveis de sequência de tarefas não são sensíveis a maiúsculas e minúsculas. Por exemplo, OSDVAR e osdvar representam a mesma variável de sequência de tarefas.

  • Os nomes de variáveis de sequência de tarefas não podem começar ou terminar com um espaço nem conter espaços incorporados. Os espaços no início ou fim de um nome de variável de sequência de tarefas serão ignorados.

A tabela seguinte apresenta exemplos de variáveis de sequência de tarefas especificadas pelo utilizador válidas e não válidas.

Exemplos de nomes válidos de variáveis especificadas pelo utilizador

Exemplos de nomes não válidos de variáveis especificadas pelo utilizador

MyVariable

1Variable

As variáveis de sequência de tarefas especificadas pelo utilizador não podem começar com um número.

My_Variable

MyV@riable

As variáveis de sequência de tarefas especificadas pelo utilizador não podem conter o símbolo @.

My_Variable_2

_MyVariable

As variáveis de sequência de tarefas especificadas pelo utilizador não podem começar com um caráter de sublinhado.

Limitações genéricas para variáveis de sequência de tarefas:

  • Os valores das variáveis de sequência de tarefas não podem exceder 4.000 carateres.

  • É impossível criar ou substituir uma variável de sequência de tarefas só de leitura. As variáveis só de leitura são designadas por nomes que começam com um caráter de sublinhado (_). Pode aceder ao valor das variáveis de sequência de tarefas só de leitura na sua sequência de tarefas; no entanto, é impossível alterar os respetivos valores associados.

  • Os valores das variáveis de sequência de tarefas podem ser sensíveis a maiúsculas e minúsculas consoante a utilização do valor. Na maioria dos casos, os valores das variáveis de sequência de tarefas não são sensíveis a maiúsculas e minúsculas. No entanto, alguns valores podem ser sensíveis a maiúsculas e minúsculas, tal como uma variável que contém uma palavra-passe.

  • Não existe limite para quantas variáveis de sequência de tarefas podem ser criadas. No entanto, o número de variáveis é limitado pelo tamanho do ambiente de sequência de tarefas. No Gestor de configuração sem qualquer service pack e no Gestor de configuração SP1, o tamanho total do ambiente de sequência de tarefas não pode exceder 10 MB. A partir do System Center 2012 R2 Configuration Manager, o cliente utiliza a memória disponível com mais eficácia e o limite de tamanho total para o ambiente de sequência de tarefas aumentou para 32 MB.

Depois de especificar a variável de sequência de tarefas e respetivo valor utilizando um dos métodos da secção anterior, pode utilizar o valor da variável de ambiente nas suas sequências de tarefas. Pode aceder a valores predefinidos para variáveis incorporadas de sequência de tarefas, especificar um novo valor para uma variável incorporada ou utilizar uma variável personalizada de sequência de tarefas numa linha de comandos ou script.

A tabela seguinte descreve as operações de sequência de tarefas que podem ser executadas acedendo às variáveis de ambiente de sequência de tarefas.

Operação de sequência de tarefas

Utilização

Configurar definições de ação

Pode especificar que uma definição do passo de sequência de tarefas seja fornecida por um valor variável quando a sequência é executada.

Para fornecer uma definição do passo de sequência de tarefas utilizando uma variável de ambiente de sequência de tarefas, utilize o Editor de Sequência de Tarefas para editar o passo e especificar o nome da variável como o valor do campo. O nome da variável tem de estar entre símbolos de percentagem (%) para indicar que é uma variável de ambiente.

Fornecer argumentos da linha de comandos

Pode especificar parte ou a totalidade de uma linha de comandos personalizada utilizando um valor da variável de ambiente.

Para fornecer uma definição da linha de comandos utilizando uma variável de ambiente, utilize o nome da variável enquanto parte do campo Linha de Comandos do passo de sequência de tarefas Executar Linha de Comandos. O nome da variável tem de estar entre símbolos de percentagem (%).

Por exemplo, a seguinte linha de comandos utiliza uma variável de ambiente incorporada para escrever o nome do computador em C:\File.txt.

Cmd /C %_SMSTSMachineName% > C:\File.txt

Avaliar uma condição do passo

Pode utilizar variáveis de ambiente incorporadas ou personalizadas de sequência de tarefas como parte de uma condição do passo de sequência de tarefas ou grupo. O valor da variável de ambiente será avaliado antes do passo de sequência de tarefas ou grupo ser executado.

Para adicionar uma condição que avalia o valor de uma variável, efetue o seguinte:

  1. Selecione o passo ou grupo ao qual pretende adicionar a condição.

  2. No separador Opções para o passo ou grupo, selecione Variável de Sequência de Tarefas na lista pendente Adicionar Condição.

  3. Na caixa de diálogo Variável de Sequência de Tarefas, especifique o nome da variável, a condição que é testada e o valor da variável.

Fornecer informações para um script personalizado

É possível ler e escrever as variáveis da sequência de tarefas, utilizando o objeto Microsoft.SMS.TSEnvironment COM enquanto a sequência de tarefas está em execução.

O exemplo a seguir ilustra um ficheiro de script do Visual Basic que consulta a variável de sequência de tarefas _SMSTSLogPath para obter a localização do registo atual. O script também define uma variável personalizada.

dim osd: set env = CreateObject("Microsoft.SMS.TSEnvironment")

dim logPath

' You can query the environment to get an existing variable.
logPath = env("_SMSTSLogPath")

' You can also set a variable in the OSD environment.
env("MyCustomVariable") = "varname"

Para mais informações sobre como utilizar variáveis de sequência de tarefas em scripts, consulte a documentação do SDK

Pode configurar sequências de tarefa para serem executadas simultaneamente em vários computadores ou coleções. Pode especificar informações exclusivas por computador ou por coleção, tais como especificar uma chave de produto exclusiva do sistema operativo ou juntar todos os membros de uma coleção a um domínio especificado.

Pode atribuir variáveis de sequência de tarefas a um único computador ou a uma coleção. Quando a sequência de tarefas começa a ser executada no computador ou coleção de destino, os valores especificados são aplicados ao computador ou coleção de destino.

Pode especificar variáveis de sequência de tarefas para um único computador ou uma coleção. Quando a sequência de tarefas começa a ser executada no computador ou coleção de destino, as variáveis especificadas são adicionadas ao ambiente e os valores estão disponíveis para todos os passos de sequência de tarefas na sequência de tarefas.

System_CAPS_warningAviso

Se utilizar o mesmo nome da variável tanto para uma variável por coleção como para uma variável por computador, o valor da variável do computador tem precedência sobre a variável da coleção. As variáveis de sequência de tarefas que atribui às coleções têm precedência sobre as variáveis incorporadas de sequência de tarefas.

Para mais informações sobre como criar variáveis de sequência de tarefas para computadores e coleções, consulte Como criar variáveis de sequência de tarefas para computadores e coleções

Pode especificar variáveis de sequência de tarefas para sequências de tarefas que são executadas a partir de suportes de dados. Ao utilizar suportes de dados para implementar o sistema operativo, adicione as variáveis de sequência de tarefas e especifique os respetivos valores quando criar os suportes de dados; as variáveis e os respetivos valores são armazenados nos suportes de dados.

System_CAPS_noteNota

As sequências de tarefas são armazenadas no suporte de dados autónomo. No entanto, todos os outros tipos de suportes de dados, tais como suportes de dados pré-configurados, obtêm a sequência de tarefas de um ponto de gestão.

Pode especificar variáveis de sequência de tarefas na página Personalização do Assistente de Criação de Suporte de Dados da Sequência de Tarefas. Para obter informações sobre como criar suportes de dados, consulte Como Implementar Sistemas Operativos Utilizando Suporte de Dados no Configuration Manager.

System_CAPS_tipSugestão

A sequência de tarefas escreve o ID do pacote e a linha de comando de pré-início, incluindo o valor das eventuais variáveis de sequência de tarefas, para o ficheiro de registo CreateTSMedia.log no computador com a consola do Gestor de configuração. Poderá consultar este ficheiro de registo para verificar o valor das variáveis da sequência de tarefas.

Pode criar sequências de tarefas utilizando o Assistente de Criação de Sequência de Tarefas. O assistente pode criar sequências de tarefas incorporadas que efetuem tarefas específicas ou sequências de tarefas personalizadas que podem executar muitas tarefas diferentes.

Por exemplo, pode criar sequências de tarefas que compilam e capturam uma imagem do sistema operativo de um computador de referência, instalar uma imagem do sistema operativo existente num computador de destino ou criar uma sequência de tarefas personalizada que realiza uma tarefa personalizada. Pode utilizar sequências de tarefas personalizadas para efetuar implementações especializadas do sistema operativo.

Para mais informações sobre como criar sequências de tarefas, consulte a secção Como Criar Sequências de Tarefas do tópico Como gerir sequências de tarefas no Configuration Manager.

Edita a sequência de tarefas, utilizando o Editor de Sequência de Tarefas. O editor pode efetuar as seguintes alterações na sequência de tarefas:

  • Pode adicionar ou remover passos da sequência de tarefas.

  • Pode alterar a ordem dos passos da sequência de tarefas.

  • Pode adicionar ou remover grupos de passos.

  • Pode especificar se a sequência de tarefas continua quando ocorre um erro.

  • Pode adicionar condições aos passos e grupos de uma sequência de tarefas.

System_CAPS_importantImportante

Se a sequência de tarefas tiver quaisquer referências não associadas a um pacote ou um programa em resultado da edição, terá de corrigir a referência, eliminar o programa sem referência da sequência de tarefas ou desativar temporariamente o passo de sequência de tarefas falhado até a referência quebrada ser corrigida ou removida.

Para mais informações sobre como editar sequências de tarefas, consulte a secção Como Editar uma Sequência de Tarefas do tópico Como gerir sequências de tarefas no Configuration Manager.

Pode implementar uma sequência de tarefas em computadores de destino que estejam em qualquer coleção Gestor de configuração. Isto inclui a coleção Todos os Computadores Desconhecidos que é utilizada para implementar sistemas operativos em computadores desconhecidos. No entanto, não é possível implementar uma sequência de tarefas em coleções de utilizador.

System_CAPS_importantImportante

Não implemente sequências de tarefas que instalem sistemas operativos em coleções inadequadas, por exemplo a coleção Todos os Sistemas. Certifique-se de que a coleção na qual implementa a sequência de tarefas contém apenas os computadores onde pretende que o sistema operativo seja instalado.

Cada computador de destino que recebe a sequência de tarefas executa a sequência de tarefas em conformidade com as definições especificadas na implementação. As sequências de tarefas propriamente ditas não contêm ficheiros ou programas associados. Quaisquer ficheiros que sejam referenciados por uma sequência de tarefas terão de já estar presentes no computador de destino ou residir num ponto de distribuição ao qual os clientes podem aceder. Além disso, a sequência de tarefas instala os pacotes que são referenciados por programas, mesmo que o programa ou o pacote já esteja instalado no computador de destino.

System_CAPS_noteNota

Em comparação com pacotes e programas, se a sequência de tarefas instalar uma aplicação, a aplicação só é instalada se as regras de requisitos para a aplicação forem satisfeitas e a aplicação ainda não estiver instalada, com base no método de deteção que é especificado para a aplicação.

O Gestor de configuração cliente executa uma implementação de sequência de tarefas quando transfere a política de cliente. Para iniciar esta ação em vez de aguardar pelo próximo ciclo de consulta, consulte Iniciar a Obtenção de Política para um Cliente do Configuration Manager.

A partir do Gestor de configuração SP1, ao implementar sequências de tarefas em dispositivos Windows Embedded que tenham o filtro de escrita ativado, pode especificar se pretende desativar o filtro de escrita no dispositivo durante a implementação e reiniciar o dispositivo após a implementação. Se o filtro de escrita não estiver desativado, a sequência de tarefas é implementada para uma sobreposição temporária e não estará disponível quando o dispositivo for reiniciado.

System_CAPS_noteNota

Ao implementar uma sequência de tarefas num dispositivo Windows Embedded, certifique-se de que o dispositivo é membro de uma coleção que tenha uma janela de manutenção configurada. Desta forma, poderá gerir a desativação e a ativação do filtro de escrita, bem como o reinício do dispositivo.

Se os clientes transferirem sequências de tarefa fora de uma janela de manutenção, a sequência de tarefas é transferida duas vezes. Neste cenário, os clientes irão transferir a sequência de tarefas, desativar os filtro de escrita, reiniciar o computador e, em seguida, transferir novamente a sequência de tarefas porque a sequência de tarefas foi transferida para a sobreposição temporária que é apagada quando o dispositivo é reiniciado.

Para mais informações sobre como implementar sequências de tarefas, consulte a secção Como Implementar uma Sequência de Tarefas do tópico Como gerir sequências de tarefas no Configuration Manager.

O Gestor de configuração permite-lhe exportar e importar sequências de tarefas. Quando exporta uma sequência de tarefas, pode incluir os objetos referenciados pela sequência de tarefas. Estes incluem uma imagem do sistema operativo, uma imagem de arranque, um pacote de agente do cliente, um pacote de controladores e aplicações que têm dependências.

System_CAPS_noteNota

O processo de exportação e importação para sequências de tarefas é extremamente semelhante ao processo de exportação e importação para aplicações no Gestor de configuração.

Para mais informações sobre como exportar e importar sequências de tarefas, consulte a secção Como Exportar e Importar Sequências de Tarefas do tópico Como gerir sequências de tarefas no Configuration Manager.

Por predefinição, as sequências de tarefas são sempre executadas utilizando a conta de Sistema Local. O passo da linha de comandos da sequência de tarefas fornece a capacidade para executar a sequência de tarefas como uma conta diferente. Ao executar a sequência de tarefas, o Gestor de configuração cliente começa por verificar quaisquer pacotes referenciados antes de iniciar os passos da sequência de tarefas. Se um pacote referenciado não for validado ou não estiver disponível num ponto de distribuição, a sequência de tarefas devolve um erro para o passo associado da sequência de tarefas.

Se uma sequência de tarefas for configurada para ser transferida e executada, todos os pacotes e aplicações dependentes são transferidos para a cache do Gestor de configuração cliente. Os pacotes e aplicações necessários são obtidos em pontos de distribuição e se o tamanho da cache do Gestor de configuração cliente for demasiado pequeno ou não for possível encontrar o pacote ou aplicação, a sequência de tarefas falha e é gerada uma mensagem de estado. Pode também especificar que o cliente transfere conteúdo apenas quando é necessário, quando seleciona Transferir o conteúdo localmente quando necessário para a sequência de tarefas em execução, ou pode utilizar a opção Executar o programa a partir do ponto de distribuição para especificar que o cliente instala os ficheiros diretamente a partir do ponto de distribuição sem transferi-los primeiro para a cache. A opção Executar o programa a partir do ponto de distribuição só está disponível se os pacotes referenciados tiverem a definição Copiar o conteúdo neste pacote para uma partilha de pacote em pontos de distribuição ativada no separador Acesso a Dados das propriedades do Pacote.

Se um pacote dependente ou uma aplicação não puderem ser localizados pelo cliente que executa a sequência de tarefas, o cliente enviará imediatamente uma mensagem de erro quando a implementação for configurada como Disponível. No entanto, se a instalação estiver configurada como Necessária, o cliente do Gestor de configuração deve aguardar e tentar transferir o conteúdo até ao prazo, no caso de este ainda não ter sido replicado num ponto de distribuição a que o cliente pode aceder.

Quando uma sequência de tarefas é concluída com sucesso ou falha, o Gestor de configuração regista o resultado no histórico do cliente do Gestor de configuração. Não pode cancelar nem parar uma sequência de tarefas depois de iniciada num computador.

System_CAPS_importantImportante

Se um passo da sequência da tarefas requerer o reinício do computador cliente, o cliente tem de conseguir arrancar para uma partição de disco formatado. Caso contrário, a sequência de tarefas falha independentemente de qualquer tratamento de erros especificada pela mesma.

Quando um objeto dependente de uma sequência de tarefas, como um pacote de distribuição de software, é atualizado para uma versão mais recente, qualquer sequência de tarefas que referencia o pacote é atualizada automaticamente e referencia a versão mais recente, independentemente do número de atualizações implementadas.

System_CAPS_noteNota

Para que um cliente do Gestor de configuração execute uma sequência de tarefas, este verifica todas as sequências de tarefas para deteção de possíveis dependências e de disponibilidade dessas dependências num ponto de distribuição. Se o cliente localizar um objeto eliminado do qual depende a sequência de tarefas, o cliente gera um erro e não executa a sequência de tarefas.

Pode selecionar um programa que é executado antes da execução da sequência a tarefas. Para especificar um programa para ser executado primeiro, abra a caixa de diálogo Propriedades para a sequência de tarefas e selecione o separador Avançadas para definir as seguintes opções:

System_CAPS_importantImportante

Para executar um programa para que a sequência de tarefas seja executada, todo o conteúdo da sequência de tarefas e do programa deve estar disponível numa partilha de pacote. Configure a partilha de pacote no separador Acesso a Dados das propriedades do pacote.

  • Executar outro programa primeiro: Especifique que pretende que seja executado outro programa antes da execução da sequência de tarefas.

    System_CAPS_importantImportante

    Esta definição aplica-se apenas a sequências de tarefas executadas no sistema operativo completo. Gestor de configuração ignora esta definição se a sequência de tarefas for iniciada através de PXE ou de um suporte de dados de arranque.

  • Pacote: Especifique o pacote que contém o programa.

  • Programa: Especifique o programa para execução.

  • Executar sempre este programa primeiro: Especifique que pretende que o Gestor de configuração execute este programa sempre que executar a sequência de tarefas no mesmo cliente. Por predefinição, após a execução bem-sucedida de um programa, este não é executado novamente se a sequência de tarefas for executada novamente no mesmo cliente.

Se o programa selecionado não for executado num cliente, a sequência de tarefas não é executada.

Pode especificar quando a sequência de tarefas pode ser executada definindo uma janela de manutenção para a coleção que contém os computadores de destino. As janelas de manutenção são configuradas com uma data de início, uma hora de início e de fim e um padrão de periodicidade. Além disso, quando definir a agenda para a janela de manutenção, pode especificar que a janela de manutenção só se aplica a sequências de tarefas. Para mais informações sobre janelas de manutenção, consulte .

System_CAPS_importantImportante

Quando configura uma janela de manutenção para executar uma sequência de tarefas, uma vez as sequências de tarefas iniciadas, continuam a ser executadas mesmo que a janela de manutenção se feche. A sequência de tarefas será concluída com sucesso ou falha.

Apesar de as sequências de tarefas serem executadas apenas no contexto da conta do Sistema Local, pode necessitar de configurar a Conta de Acesso à Rede nas seguintes circunstâncias:

  • Deve configurar a Conta de Acesso à Rede corretamente ou a sequência de tarefas falhará se tentar aceder aos pacotes do Gestor de configuração nos pontos de distribuição para concluir a tarefa. Para mais informações sobre a conta de Acesso à Rede, consulte a secção Configurar a Conta de Acesso à Rede do tópico Configurar a Gestão de Conteúdos no Configuration Manager.

    System_CAPS_noteNota

    A Conta de Acesso à Rede nunca é utilizada como o contexto de segurança para executar programas, instalar aplicações, instalar atualizações ou executar sequências de tarefas; porém, a Conta de Acesso à Rede é utilizada para aceder aos recursos associados na rede.

  • Quando utiliza uma imagem de arranque para iniciar uma implementação do sistema operativo, o Gestor de configuração utiliza o ambiente do Windows PE, que não é um sistema operativo completo. O ambiente do Windows PE utiliza um nome aleatório gerado automaticamente que não é um membro de qualquer domínio. Se não configurar a Conta de Acesso à Rede corretamente, o computador pode não ter as permissões necessárias para aceder aos pacotes necessários do Gestor de configuração para concluir a sequência de tarefas.

É possível escrever sequências de tarefa e os respetivos ficheiros e dependências relacionados para vários tipos de suportes de dados. Isto inclui a escrita em suportes de dados amovíveis, como um conjunto de DVD ou CD ou uma unidade flash USB para suportes de dados de captura, autónomos e de arranque, ou a escrita num ficheiro WIM (Windows Imaging Format) para suportes de dados pré-configurados.

Pode criar os seguintes tipos de suportes de dados:

  • Suporte de dados de captura. O suporte de dados de captura captura uma imagem do sistema operativo configurada e criada fora da infraestrutura do Gestor de configuração. O suporte de dados de captura pode conter programas personalizados que podem ser executados antes da execução de uma sequência de tarefas. O programa personalizado pode interagir com o ambiente de trabalho, solicitar ao utilizador valores de entrada ou criar variáveis para serem utilizadas pela sequência de tarefas.

    Para mais informações sobre os suportes de dados de captura, consulte a secção Suporte de dados de captura de imagens do sistema operativo do tópico Planeamento de Implementações do Sistema Operativo com Suporte de Dados no Configuration Manager.

  • Suporte de dados autónomo. O suporte de dados autónomo contém a sequência de tarefas e todos os objetos associados necessários à execução da sequência de tarefas. As sequências de tarefas do suporte de dados autónomo podem ser executadas quando o Gestor de configuração tiver uma conectividade à rede limitada ou ausente. O suporte de dados autónomo pode ser executado da seguinte forma:

    • Se o computador de destino não for inicializado, a imagem do Windows PE associada à sequência de tarefas será utilizada a partir do suporte de dados autónomo e a sequência de tarefas terá início.

    • O suporte de dados autónomo pode ser iniciado manualmente se um utilizador tiver sessão iniciada na rede e iniciar a instalação.

    System_CAPS_importantImportante

    Os passos de uma sequência de tarefas de suporte de dados autónomo devem ser capazes de executar sem obter dados da rede; caso contrário, o passo da sequência de tarefas que tenta obter os dados falha. Por exemplo, um passo de sequência de tarefas que requer um ponto de distribuição para obter um pacote falha; no entanto, se o pacote necessário estiver contido no suporte de dados autónomo, o passo será bem-sucedido.

    Para mais informações sobre suportes de dados autónomos, consulte a secção Implementações do sistema operativo do suporte de dados autónomo do tópico Planeamento de Implementações do Sistema Operativo com Suporte de Dados no Configuration Manager.

  • Suporte de dados de arranque. O suporte de dados de arranque contém os ficheiros necessários para iniciar um computador de destino para que possa estabelecer ligação com a infraestrutura do Gestor de configuração para determinar que sequências de tarefas executar com base na associação a uma coleção. A sequência de tarefas e os objetos dependentes não estão contidos no suporte de dados. Em vez disso, são obtidos pela rede a partir do cliente do Gestor de configuração. Este método é útil para novos computadores ou implementações bare-metal ou quando não existe nenhum cliente ou sistema operativo do Gestor de configuração no computador de destino.

    Para mais informações sobre suportes de dados de arranque, consulte a secção Implementações do sistema operativo do suporte de dados de arranque do tópico Planeamento de Implementações do Sistema Operativo com Suporte de Dados no Configuration Manager.

  • Suporte de dados pré-configurado. O suporte de dados pré-configurado implementa uma imagem do sistema operativo num computador de destino que não está aprovisionado. O suporte de dados pré-configurado é armazenado num ficheiro WIM (Formato Windows Imaging) que pode ser instalado num computador bare-metal pelo fabricante ou num centro de transição empresarial com ligação ao ambiente do Gestor de configuração.

    Para mais informações sobre suportes de dados pré-configurados, consulte a secção Implementações do sistema operativo do suporte de dados pré-configurado do tópico Planeamento de Implementações do Sistema Operativo com Suporte de Dados no Configuration Manager.

Quando cria suportes de dados, especifique uma palavra-passe para o suporte de dados para controlar o acesso aos ficheiros que estão contidos no mesmo. Se especificar uma palavra-passe, um utilizador tem de estar presente para introduzir a palavra-passe no computador de destino quando a sequência de tarefas é executada.

Quando executa uma sequência de tarefas com suportes de dados, a arquitetura de chips do computador especificado contido no suporte de dados não será reconhecida e a sequência tarefas tentará ser executada mesmo que a arquitetura especificada não corresponda à que está atualmente instalada no computador de destino. Se a arquitetura de chips contida no suporte de dados não coincidir com a arquitetura de chips instalada no computador de destino, a instalação falha.

Para obter mais informações sobre como implementar sistemas operativos utilizando suportes de dados, consulte Planeamento de Implementações do Sistema Operativo com Suporte de Dados no Configuration Manager.

Mostrar: