Microsoft Security Bulletin MS10-009 - Crítica

Vulnerabilidades de TCP/IP no Windows Poderiam Permitir Execução Remota de Código (974145)

Data de publicação: 9 de fevereiro de 2010 | Updated: 10 de fevereiro de 2010

actualizada: 1.1

Informações Gerais

Resumo Executivo

Esta actualização de segurança resolve quatro vulnerabilidades no Microsoft Windows, comunicadas de forma privada. A mais grave destas vulnerabilidades poderia permitir a execução remota de código se fossem enviados pacotes especialmente concebidos para o efeito a um computador com o IPv6 activado. Um intruso poderia tentar explorar a vulnerabilidade criando pacotes ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito e enviando-os a um sistema com o IPv6 activado. Esta vulnerabilidade apenas pode ser explorada se o intruso tiver ligação activa.

Esta actualização de segurança está classificada como Crítica para o Windows Vista e o Windows Server 2008. Para mais informações, consulte a subsecção Software Afectado e Software Não Afectado, nesta secção.

A actualização de segurança resolve as vulnerabilidades alterando a forma como o TCP/IP do Windows executa a verificação de limites e outras operações de processamento de pacotes. Para mais informações sobre as vulnerabilidades, consulte a subsecção de Perguntas Mais Frequentes quanto à vulnerabilidade específica na secção seguinte, Informações sobre as vulnerabilidades.

Recomendação. A maioria dos clientes tem a actualização automática activada e não necessitará de efectuar qualquer acção, porque esta actualização de segurança será transferida e instalada automaticamente. Os clientes que não tenham a actualização automática activada necessitam de verificar as actualizações e instalar esta actualização manualmente. Para informações sobre opções específicas de configuração da actualização automática, consulte o Artigo 294871 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Para administradores e instalações empresariais ou utilizadores finais que pretendam instalar esta actualização de segurança manualmente, a Microsoft recomenda que os clientes apliquem imediatamente a actualização, utilizando software de gestão de actualizações ou verificando as actualizações através do serviço Microsoft Update.

Consulte também a secção Orientações e Ferramentas de Detecção e Implementação, mais à frente neste boletim.

Questões conhecidas. Nenhum

Software Afectado e Software Não Afectado

O software que se segue foi testado para determinar quais as versões ou edições afectadas. As outras versões ou edições são antigas, ultrapassaram o respectivo ciclo de vida de suporte ou não são afectadas. Para determinar o ciclo de vida de suporte da versão ou edição do seu software, visite o Web site do Ciclo de Vida de Suporte Microsoft.

Software Afectado

Sistema OperativoImpacto de Segurança MáximoClassificação de Gravidade AgregadaBoletins substituídos por esta actualização
Windows Vista, Windows Vista Service Pack 1 e Windows Vista Service Pack 2 Execução Remota de CódigoCríticaNenhum
Windows Vista x64 Edition, Windows Vista x64 Edition Service Pack 1 e Windows Vista x64 Edition Service Pack 2 Execução Remota de CódigoCríticaNenhum
Windows Server 2008 para sistemas de 32 bits e Windows Server 2008 para sistemas de 32 bits Service Pack 2*Execução Remota de CódigoCríticaNenhum
Windows Server 2008 para sistemas baseados em x64 e Windows Server 2008 para sistemas baseados em x64 Service Pack 2*Execução Remota de CódigoCríticaNenhum
Windows Server 2008 para sistemas baseados em Itanium e Windows Server 2008 para sistemas baseados em Itanium Service Pack 2 Execução Remota de CódigoCríticaNenhum

*Instalação Server Core afectada. Esta actualização aplica-se, com a mesma classificação de gravidade, a edições suportadas do Windows Server 2008, quer a instalação tenha sido efectuada ou não utilizando a opção de instalação Server Core. Para mais informações sobre esta opção de instalação, consulte o artigo MSDN, Server Core. Tenha em atenção que a opção de instalação Server Core não se aplica a determinadas edições do Windows Server 2008; consulte Comparar as Opções de Instalação Server Core.

Software Não Afectado

Sistema Operativo
Microsoft Windows 2000 Service Pack 4
Windows XP Service Pack 2 e Windows XP Service Pack 3
Windows XP Professional x64 Edition Service Pack 2
Windows Server 2003 Service Pack 2
Windows Server 2003 x64 Edition Service Pack 2
Windows Server 2003 com SP2 para sistemas baseados em Itanium
Windows 7 para sistemas de 32 bits
Windows 7 para sistemas baseados em x64
Windows Server 2008 R2 para sistemas baseados em x64
Windows Server 2008 R2 para sistemas baseados em Itanium

Onde estão os pormenores sobre as informações do ficheiro?  
Consulte as tabelas de referência na secção Implementação da Actualização de Segurança para obter a localização dos pormenores sobre as informações do ficheiro.

Por que razão esta actualização resolve diversas vulnerabilidades de segurança comunicadas?  
Esta actualização contém suporte para diversas vulnerabilidades, porque as modificações necessárias para resolver essas questões estão incluídas nos ficheiros relacionados. Assim, em vez de instalarem diversas actualizações quase iguais, os clientes podem instalar apenas esta actualização.

Estou a usar uma edição anterior do software discutido neste boletim de segurança. O que devo fazer?  
O software afectado incluído neste boletim foi testado para determinar quais as edições afectadas. As outras edições ultrapassaram o respectivo ciclo de vida de suporte. Para mais informações sobre o ciclo de vida dos produtos, visite o Web site do Ciclo de Vida de Suporte da Microsoft.

Os utilizadores que tenham edições anteriores do software deviam considerar a migração para edições suportadas como uma prioridade, de modo a poderem proteger os seus sistemas contra a potencial exposição a vulnerabilidades. Para determinar o ciclo de vida de suporte para a edição do seu software, consulte Seleccionar um produto para obter informações sobre o ciclo de vida. Para mais informações sobre service packs para estas edições de software, consulte Service Packs com Suporte do Ciclo de Vida.

Os clientes que necessitem de suporte personalizado para software anterior devem contactar o seu representante de equipa de contas da Microsoft, o seu Gestor Técnico de Contas ou o parceiro ou representante Microsoft adequado para mais informações sobre opções de suporte personalizado. Os clientes que não disponham de um Contrato Alliance, Premier ou Autorizado podem contactar a subsidiária local da Microsoft. Para obter informações de contacto, visite o Web site Microsoft Worldwide Information, seleccione o país na lista de informações de contacto e, em seguida, clique em Go para ver uma lista de números de telefone. Quando telefonar, peça para falar com o Gestor de Vendas de Suporte Premier local. Para mais informações, consulte as Perguntas Mais Frequentes sobre o Ciclo de Vida do Suporte da Microsoft.

Informações sobre as vulnerabilidades

As seguintes classificações de gravidade presumem o potencial impacto máximo da vulnerabilidade. Para informações sobre a probabilidade, dentro de 30 dias após a publicação deste boletim de segurança, de exploração da vulnerabilidade em relação à sua classificação de gravidade e impacto de segurança, consulte o Índice de Possibilidade de Exploração no resumo dos boletins de Fevereiro. Para mais informações, consulte o Índice de Possibilidade de Exploração da Microsoft.

Classificações da Gravidade da Vulnerabilidade e Impacto de Segurança Máximo por Software Afectado
Software AfectadoVulnerabilidade de Anúncio do Router ICMPv6 - CVE-2010-0239Vulnerabilidade na Fragmentação de MDL de Cabeçalho – CVE-2010-0240Vulnerabilidade de Informação de Encaminhamento ICMPv6 - CVE-2010-0241Vulnerabilidade de Reconhecimento Selectivo de TCP/IP – CVE-2010-0242Classificação de Gravidade Agregada
Windows Vista, Windows Vista Service Pack 1 e Windows Vista Service Pack 2 Crítica 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Crítica 
Execução Remota de Código
Importante 
Negação de Serviço
Crítica
Windows Vista x64 Edition, Windows Vista x64 Edition Service Pack 1 e Windows Vista x64 Edition Service Pack 2 Crítica 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Crítica 
Execução Remota de Código
Importante 
Negação de Serviço
Crítica
Windows Server 2008 para sistemas de 32 bits e Windows Server 2008 para sistemas de 32 bits Service Pack 2* Crítica 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Crítica 
Execução Remota de Código
Importante 
Negação de Serviço
Crítica
Windows Server 2008 para sistemas baseados em x64 e Windows Server 2008 para sistemas baseados em x64 Service Pack 2* Crítica 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Crítica 
Execução Remota de Código
Importante 
Negação de Serviço
Crítica
Windows Server 2008 para sistemas baseados em Itanium e Windows Server 2008 para sistemas baseados em Itanium Service Pack 2 Crítica 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Crítica 
Execução Remota de Código
Importante 
Negação de Serviço
Crítica

*Instalação Server Core afectada. Esta actualização aplica-se, com a mesma classificação de gravidade, a edições suportadas do Windows Server 2008, quer a instalação tenha sido efectuada ou não utilizando a opção de instalação Server Core. Para mais informações sobre esta opção de instalação, consulte o artigo MSDN, Server Core. Tenha em atenção que a opção de instalação Server Core não se aplica a determinadas edições do Windows Server 2008; consulte Comparar as Opções de Instalação Server Core.

Existe uma vulnerabilidade de execução remota de código na pilha de TCP/IP do Windows devido a uma verificação de limites insuficiente ao processar pacotes de Anúncio do Router ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito. Um intruso anónimo poderia explorar a vulnerabilidade enviando pacotes de Anúncio do Router ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito a um computador com o IPv6 activado. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-0239.

Factores Atenuantes para a Vulnerabilidade de Anúncio do Router ICMPv6 - CVE-2010-0239

A Microsoft não identificou quaisquer factores atenuantes para esta vulnerabilidade.

Soluções Alternativas para a Vulnerabilidade de Anúncio do Router ICMPv6 - CVE-2010-0239

Uma solução alternativa refere-se a uma definição ou alteração de configuração que não corrige a vulnerabilidade subjacente, mas que ajudaria a bloquear vectores de ataque conhecidos antes de aplicar a actualização. A Microsoft testou as seguintes soluções alternativas e estados na discussão acerca de casos em que uma solução alternativa reduz a funcionalidade:

  • Desactivar a regra de firewall de entrada "Componentes Essenciais de Rede - Anúncio do Router (Entrada de ICMPv6)"

    Para desactivar esta regra de firewall, execute o seguinte comando a partir de uma linha de comandos com privilégios elevados:

    netsh advfirewall firewall set rule name="Core Networking – Router Advertisement (ICMPv6-In)" dir=in new enable=No

    Impacto da solução alternativa. Os anúncios do router ICMPv6 serão bloqueados. Isto poderia ter um impacto negativo sobre a funcionalidade do IPv6 em cenários de implementações comuns, em que o Router Discovery Protocol é utilizado para a configuração de anfitriões.

    Como anular esta solução alternativa.

    Para reactivar esta regra de firewall, execute o seguinte comando a partir de uma linha de comandos com privilégios elevados:

    netsh advfirewall firewall set rule name="Core Networking – Router Advertisement (ICMPv6-In)" dir=in new enable=Yes

Perguntas Mais Frequentes sobre a Vulnerabilidade de Anúncio do Router ICMPv6 - CVE-2010-0239

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de execução remota de código. Um intruso que conseguisse explorar esta vulnerabilidade com êxito poderia executar código arbitrário com privilégios elevados em sistemas vulneráveis. Um intruso poderia então instalar programas, ver, alterar ou eliminar dados, ou ainda criar novas contas com todos os privilégios.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade é provocada pelo facto de a pilha de TCP/IP do Windows não executar o nível apropriado de verificação de limites em pacotes de Anúncio do Router ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito.

O que é o TCP/IP?  
O TCP/IP é um conjunto de protocolos de rede amplamente utilizados na Internet. O TCP/IP fornece comunicações através das redes de computadores interligadas que têm arquitecturas de hardware diferentes e que executam vários sistemas operativos. O TCP/IP inclui padrões para a forma como os computadores comunicam e convenções para a ligação de redes e para o encaminhamento de tráfego. Para mais informações sobre o TCP/IP, consulte o artigo TechNet sobre a Descrição Geral de Ligações em Rede e TCP/IP.

O que é o IPv6?  
O Internet Protocol versão 6 (IPv6), uma nova versão de protocolos de padrões para o patamar de rede da Internet, está incorporado no Microsoft Windows XP e versões posteriores. O IPv6 está concebido para resolver muitos dos problemas da versão actual do IP (conhecido como IPv4), tais como esgotamento de número de endereços, segurança, autoconfiguração e alargamento. Para saber mais sobre o IPv6, consulte as Perguntas Mais Frequentes sobre o IPv6 no site TechNet.

O que são Anúncios do Router?  
Os Anúncios do Router permitem que os routers dêem instruções aos anfitriões sobre como executar a Autoconfiguração de Endereços. Por exemplo, os routers podem especificar se os anfitriões devem utilizar o DHCPv6 e/ou a configuração de endereços autónoma (sem estado). Os routers indicam a sua presença juntamente com vários parâmetros de Internet e ligações, seja periodicamente ou como resposta a uma mensagem de Solicitação de Router. Os Anúncios do Router contêm prefixos que são utilizados para determinar se outro endereço partilha a mesma ligação (determinação de ligação activa) e/ou configuração de endereço, um valor de limite de salto sugerido, etc. Para obter mais informações sobre Anúncios do Router e Detecção da Vizinhança no IPv6, consulte RFC 4861.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que explorasse esta vulnerabilidade poderia executar código arbitrário. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
Um intruso poderia tentar explorar a vulnerabilidade criando pacotes ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito e enviando-os a um sistema com o IPv6 activado. Esta vulnerabilidade apenas pode ser explorada se o intruso tiver ligação activa. Os protocolos de túnel, como o ISATAP, podem permitir efectivamente que os intrusos entreguem pacotes corrompidos à máquina visada, mesmo que o intruso não esteja presente na mesma ligação física.

Quando se considera que um intruso tem "ligação activa"?  
Para efeitos desta vulnerabilidade, considera-se que um intruso tem ligação activa se este estiver na mesma ligação física ou virtual e puder enviar uma mensagem válida de detecção da vizinhança ao anfitrião visado. Uma ligação que ocorre através de um túnel ISATAP é um exemplo de ligação virtual. Para obter mais informações sobre endereços com ligação activa e Detecção da Vizinhança no IPv6, consulte RFC 4861.

Quais os sistemas mais susceptíveis face a esta vulnerabilidade?  
Todos os sistemas operativos com as funcionalidades do IPv6 activadas estão susceptíveis a esta vulnerabilidade. Por predefinição, todas as funcionalidades suportadas para o IPv6 estão activadas no Windows Vista e no Windows Server 2008.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve esta vulnerabilidade alterando a forma como a pilha de TCP/IP do Windows executa a verificação de limites em pacotes de Anúncio do Router ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação responsável.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido relatórios indicando que esta vulnerabilidade estava a ser explorada?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Existe uma vulnerabilidade de execução remota de código na pilha de TCP/IP do Windows devido à forma como esta processa ESPs (Encapsulamentos de Segurança de Carga Útil) especialmente concebidos para o efeito sobre fragmentos de datagramas UDP ao executar um controlador de rede personalizado. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-0240.

Factores Atenuantes para a Vulnerabilidade na Fragmentação de MDL de Cabeçalho - CVE-2010-0240

A atenuação refere-se a uma definição, uma configuração comum ou uma prática recomendada geral, que existe num estado predefinido, que poderia reduzir a gravidade da exploração de uma vulnerabilidade. Os seguintes factores atenuantes podem ser úteis para a sua situação:

  • Esta vulnerabilidade apenas tem impacto sobre sistemas Windows se estes tiverem instalado um controlador de rede personalizado que divide o cabeçalho UDP em vários MDL. A Microsoft não tem conhecimento de qualquer controlador que execute esta acção.

Soluções Alternativas para a Vulnerabilidade na Fragmentação de MDL de Cabeçalho - CVE-2010-0240

Uma solução alternativa refere-se a uma definição ou alteração de configuração que não corrige a vulnerabilidade subjacente, mas que ajudaria a bloquear vectores de ataque conhecidos antes de aplicar a actualização. A Microsoft testou as seguintes soluções alternativas e estados na discussão acerca de casos em que uma solução alternativa reduz a funcionalidade:

  • Activar a filtragem TCP/IP avançada em sistemas que suportem esta funcionalidade

    Para ajudar a proteger o seu sistema contra tentativas de exploração dessa vulnerabilidade com base na rede, active a filtragem avançada TCP/IP em sistemas que suportem essa funcionalidade. É possível activar a filtragem TCP/IP avançada para bloquear todo o tráfego de entrada não solicitado. Para obter informações adicionais sobre como configurar a filtragem TCP/IP, consulte o artigo 309798 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Perguntas Mais Frequentes sobre a Vulnerabilidade na Fragmentação de MDL de Cabeçalho - CVE-2010-0240

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de execução remota de código. Um intruso que conseguisse explorar esta vulnerabilidade com êxito poderia executar código arbitrário com privilégios elevados em sistemas vulneráveis. Um intruso poderia então instalar programas, ver, alterar ou eliminar dados, ou ainda criar novas contas com todos os privilégios.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade é provocada pelo facto de a pilha de TCP/IP do Windows não processar fragmentos de datagramas de IP especialmente concebidos para o efeito ao executar um controlador de rede personalizado.

O que é o TCP/IP?  
O TCP/IP é um conjunto de protocolos de rede amplamente utilizados na Internet. O TCP/IP fornece comunicações através das redes de computadores interligadas que têm arquitecturas de hardware diferentes e que executam vários sistemas operativos. O TCP/IP inclui padrões para a forma como os computadores comunicam e convenções para a ligação de redes e para o encaminhamento de tráfego. Para mais informações sobre o TCP/IP, consulte o artigo TechNet sobre a Descrição Geral de Ligações em Rede e TCP/IP.

O que é o Encapsulamento de Segurança de Carga Útil (ESP)?  
O Encapsulamento de Segurança de Carga Útil (ESP) fornece confidencialidade (além de autenticação, integridade e protecção anti-repetição) para a carga útil de IP. O ESP no modo de transporte não assina todo o pacote. Apenas é protegida a carga útil de IP (não o cabeçalho de IP). O ESP pode ser utilizado independentemente ou em combinação com um Cabeçalho de Autenticação (AH).

O que é uma Lista do Descritor de Memória (MDL)?  
Uma lista do descritor de memória (MDL) é uma estrutura definida pelo sistema que descreve uma memória intermédia através de um conjunto de endereços físicos. Um controlador que executa a entrada/saída directa recebe um apontador para um MDL, a partir do gestor de entrada/saída, e lê e escreve dados através do MDL. Alguns controladores também utilizam MDLs quando executam a entrada/saída directa para satisfazer um pedido de controlo de entrada/saída de dispositivo. Para obter mais informações sobre MDLs, consulte o artigo do Windows Hardware Developer Central sobre O que há realmente num MDL?

Este ataque requer que o tráfego UDP seja fragmentado?  
Não. Este ataque não se baseia em tráfego de rede de fragmentado. Em vez disso, a fragmentação envolvida requer que o controlador de rede no sistema visado fragmente o cabeçalho UDP em MDLs separados.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que explorasse esta vulnerabilidade poderia executar código arbitrário. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
Um intruso poderia tentar explorar a vulnerabilidade criando fragmentos de datagramas de IP especialmente concebidos para o efeito e enviando os pacotes a um sistema que tenha instalado um controlador de rede personalizado.

Quais os sistemas mais susceptíveis face a esta vulnerabilidade?  
Todos os sistemas operativos afectados podem estar susceptíveis a esta vulnerabilidade se tiverem instalado um controlador de rede personalizado que divide o cabeçalho UDP em vários MDL. Nenhum dos controladores de rede fornecidos com o Windows pode executar esta acção. A Microsoft não tem conhecimento de qualquer controlador de rede que possa executar esta acção.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve esta vulnerabilidade alterando a forma como a pilha de TCP/IP do Windows processa ESPs especialmente concebidos para o efeito sobre datagramas UDP.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação responsável.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido relatórios indicando que esta vulnerabilidade estava a ser explorada?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Existe uma vulnerabilidade de execução remota de código na pilha de TCP/IP do Windows devido a uma verificação de limites insuficiente ao processar pacotes de Informação de Encaminhamento ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito. Um intruso anónimo poderia explorar a vulnerabilidade enviando pacotes de Informação de Encaminhamento ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito a um computador com o IPv6 activado. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-0241.

Factores Atenuantes para a Vulnerabilidade de Informação de Encaminhamento ICMPv6 - CVE-2010-0241

A Microsoft não identificou quaisquer factores atenuantes para esta vulnerabilidade.

Soluções Alternativas para a Vulnerabilidade de Informação de Encaminhamento ICMPv6 - CVE-2010-0241

Uma solução alternativa refere-se a uma definição ou alteração de configuração que não corrige a vulnerabilidade subjacente, mas que ajudaria a bloquear vectores de ataque conhecidos antes de aplicar a actualização. A Microsoft testou as seguintes soluções alternativas e estados na discussão acerca de casos em que uma solução alternativa reduz a funcionalidade:

  • Desactivar a regra de firewall de entrada "Componentes Essenciais de Rede - Anúncio do Router (Entrada de ICMPv6)"

    Para desactivar esta regra de firewall, execute o seguinte comando a partir de uma linha de comandos com privilégios elevados:

    netsh advfirewall firewall set rule name="Core Networking – Router Advertisement (ICMPv6-In)" dir=in new enable=No

    Impacto da solução alternativa. Os anúncios do router ICMPv6 serão bloqueados. Isto poderia ter um impacto negativo sobre a funcionalidade do IPv6 em cenários de implementações comuns, em que o Router Discovery Protocol é utilizado para a configuração de anfitriões.

    Como anular esta solução alternativa.

    Para reactivar esta regra de firewall, execute o seguinte comando a partir de uma linha de comandos com privilégios elevados:

    netsh advfirewall firewall set rule name="Core Networking – Router Advertisement (ICMPv6-In)" dir=in new enable=Yes

Perguntas Mais Frequentes sobre a Vulnerabilidade de Informação de Encaminhamento ICMPv6 - CVE-2010-0241

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de execução remota de código. Um intruso que conseguisse explorar esta vulnerabilidade com êxito poderia executar código arbitrário com privilégios elevados em sistemas vulneráveis. Um intruso poderia então instalar programas, ver, alterar ou eliminar dados, ou ainda criar novas contas com todos os privilégios.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade é provocada pelo facto de a pilha de TCP/IP do Windows não executar o nível apropriado de verificação de limites em pacotes de Informação de Encaminhamento ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito.

O que é o TCP/IP?  
O TCP/IP é um conjunto de protocolos de rede amplamente utilizados na Internet. O TCP/IP fornece comunicações através das redes de computadores interligadas que têm arquitecturas de hardware diferentes e que executam vários sistemas operativos. O TCP/IP inclui padrões para a forma como os computadores comunicam e convenções para a ligação de redes e para o encaminhamento de tráfego. Para mais informações sobre o TCP/IP, consulte o artigo TechNet sobre a Descrição Geral de Ligações em Rede e TCP/IP.

O que é o IPv6?  
O Internet Protocol versão 6 (IPv6), uma nova versão de protocolos de padrões para o patamar de rede da Internet, está incorporado no Microsoft Windows XP e versões posteriores. O IPv6 está concebido para resolver muitos dos problemas da versão actual do IP (conhecido como IPv4), tais como esgotamento de número de endereços, segurança, autoconfiguração e alargamento. Para saber mais sobre o IPv6, consulte as Perguntas Mais Frequentes sobre o IPv6 no site TechNet.

O que são Anúncios do Router?  
Os Anúncios do Router permitem que os routers dêem instruções aos anfitriões sobre como executar a Autoconfiguração de Endereços. Por exemplo, os routers podem especificar se os anfitriões devem utilizar o DHCPv6 e/ou a configuração de endereços autónoma (sem estado). Os routers indicam a sua presença juntamente com vários parâmetros de Internet e ligações, seja periodicamente ou como resposta a uma mensagem de Solicitação de Router. Os Anúncios do Router contêm prefixos que são utilizados para determinar se outro endereço partilha a mesma ligação (determinação de ligação activa) e/ou configuração de endereço, um valor de limite de salto sugerido, etc. Para obter mais informações sobre Anúncios do Router e Detecção da Vizinhança no IPv6, consulte RFC 4861.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que explorasse esta vulnerabilidade poderia executar código arbitrário. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
Um intruso poderia tentar explorar a vulnerabilidade criando pacotes ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito e enviando-os a um sistema com o IPv6 activado. Esta vulnerabilidade apenas pode ser explorada se o intruso tiver ligação activa. Os protocolos de túnel, como o ISATAP, podem permitir efectivamente que os intrusos entreguem pacotes corrompidos à máquina visada, mesmo que o intruso não esteja presente na mesma ligação física.

Quando se considera que um intruso tem "ligação activa"?  
Para efeitos desta vulnerabilidade, considera-se que um intruso tem ligação activa se este estiver na mesma ligação física ou virtual e puder enviar uma mensagem válida de detecção da vizinhança ao anfitrião visado. Uma ligação que ocorre através de um túnel ISATAP é um exemplo de ligação virtual. Para obter mais informações sobre endereços com ligação activa e Detecção da Vizinhança no IPv6, consulte RFC 4861.

Quais os sistemas mais susceptíveis face a esta vulnerabilidade?  
Todos os sistemas operativos com as funcionalidades do IPv6 activadas estão susceptíveis a esta vulnerabilidade. Por predefinição, todas as funcionalidades suportadas para o IPv6 estão activadas no Windows Vista e no Windows Server 2008.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve esta vulnerabilidade alterando a forma como a pilha de TCP/IP do Windows executa a verificação de limites em pacotes de Informação de Encaminhamento ICMPv6 especialmente concebidos para o efeito.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação responsável.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido relatórios indicando que esta vulnerabilidade estava a ser explorada?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Existe uma vulnerabilidade de negação de serviço no processamento de TCP/IP no Microsoft Windows devido a um erro no processamento de pacotes TCP especialmente concebidos para o efeito com um valor de reconhecimento selectivo (SACK) mal formado. Um intruso poderia explorar a vulnerabilidade enviando ao sistema visado um pequeno número de pacotes especialmente concebidos para o efeito, fazendo com que o sistema afectado deixasse de responder e reiniciasse automaticamente.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-0242.

Factores Atenuantes para a Vulnerabilidade de Reconhecimento Selectivo de TCP/IP - CVE-2010-0242

A Microsoft não identificou quaisquer factores atenuantes para esta vulnerabilidade.

Soluções Alternativas para a Vulnerabilidade de Reconhecimento Selectivo de TCP/IP - CVE-2010-0242

A Microsoft não identificou quaisquer soluções alternativas para esta vulnerabilidade.

Perguntas Mais Frequentes sobre a Vulnerabilidade de Reconhecimento Selectivo de TCP/IP - CVE-2010-0242

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de "negação de serviço". Um intruso que explorasse esta vulnerabilidade poderia fazer com que o sistema afectado deixasse de responder. Tenha em atenção que a vulnerabilidade na negação de serviço não permitiria que um intruso executasse o código ou elevasse os seus direitos de utilizador, mas poderia fazer com que o sistema afectado deixasse de aceitar pedidos.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade é provocada pelo facto de a pilha de TCP/IP do Windows não processar adequadamente valores de SACK de TCP mal formados.

O que é o TCP/IP?  
O TCP/IP é um conjunto de protocolos de rede amplamente utilizados na Internet. O TCP/IP fornece comunicações através das redes de computadores interligadas que têm arquitecturas de hardware diferentes e que executam vários sistemas operativos. O TCP/IP inclui padrões para a forma como os computadores comunicam e convenções para a ligação de redes e para o encaminhamento de tráfego. Para mais informações sobre o TCP/IP, consulte o artigo TechNet sobre a Descrição Geral de Ligações em Rede e TCP/IP.

O que é o Reconhecimento Selectivo (SACK) de TCP/IP?  
O reconhecimento selectivo (SACK) é utilizado para ligações com tamanhos grandes de janelas de TCP. Quando o SACK é activado, se for ignorado um pacote ou série de pacotes, o receptor pode informar o remetente sobre exactamente que dados foram recebidos e onde se encontram falhas nos dados. O remetente pode então retransmitir selectivamente os dados em falta sem necessitar de retransmitir blocos de dados que já foram recebidos com êxito. Antes do SACK, que foi adicionado à pilha de TCP/IP do Windows no Microsoft Windows 2000, um receptor apenas podia reconhecer o último número de sequência de dados contíguos que tivesse sido recebido, ou a parte esquerda da janela de recepção. Para obter mais informações sobre o SACK, consulte o artigo MSDN sobre as Funcionalidade de Implementação de TCP do Windows.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia fazer com que um sistema afectado deixasse de responder.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
Um intruso poderia explorar a vulnerabilidade enviando a um sistema um pequeno número de pacotes de TCP especialmente concebidos para o efeito com um valor de reconhecimento selectivo (SACK) mal formado.

Quais os sistemas mais susceptíveis face a esta vulnerabilidade?  
Todos os sistemas operativos correm o risco associado a esta vulnerabilidade.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve esta vulnerabilidade corrigindo a forma como a pilha de TCP/IP do Windows processa valores de SACK de TCP mal formados.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação responsável.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido relatórios indicando que esta vulnerabilidade estava a ser explorada?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Informação de actualização

Faça a gestão do software e actualizações de segurança de que necessita para implementação em servidores, ambientes de trabalho e sistemas portáteis na sua organização. Para mais informações, visite o Centro de Gestão de Actualizações TechNet. O Web Site Microsoft TechNet Security fornece informações adicionais sobre segurança em produtos Microsoft.

As actualizações de segurança estão disponíveis no Microsoft Update e no Windows Update. As actualizações de segurança estão também disponíveis no Centro de Transferências da Microsoft. Pode encontrá-las mais facilmente através de uma procura pelas palavras "security update".

Finalmente, as actualizações de segurança podem ser transferidas a partir do Catálogo do Microsoft Update. O Catálogo do Microsoft Update permite pesquisar conteúdos disponibilizados através do Windows Update e do Microsoft Update, incluindo actualizações de segurança, controladores e service packs. Utilizando o número do boletim de segurança para pesquisar (por exemplo, "MS07-036"), pode adicionar todas as actualizações aplicáveis ao seu cesto (incluindo diferentes idiomas para uma actualização) e transferi-las para uma pasta à sua escolha. Para mais informação sobre o Catálogo do Microsoft Update, consulte as Perguntas Mais Frequentes sobre o Catálogo do Microsoft Update.

Nota Desde 1 de Agosto de 2009, a Microsoft deixou de prestar suporte para o Office Update e a ferramenta Office Update Inventory Tool. Para continuar a obter as mais recentes actualizações para produtos Microsoft Office, utilize o Microsoft Update. Para mais informações, consulte Acerca do Microsoft Office Update: Perguntas Mais Frequentes.

Orientações de detecção e implementação

A Microsoft fornece orientações sobre detecção e implementação de actualizações de segurança. Estas orientações contêm recomendações e informação que podem auxiliar os profissionais de TI a compreender como utilizar as diversas ferramentas para detecção e implementação de actualizações de segurança. Para obter mais informações, consulte o Artigo 961747 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Microsoft Baseline Security Analyzer

O Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA) permite aos administradores procurar actualizações de segurança em falta e comuns erros de configuração de segurança em sistemas locais e remotos. Para obter mais informações acerca do MBSA, visite o Web site do Microsoft Baseline Security Analyzer.

A tabela seguinte fornece o resumo de detecções do MBSA para esta actualização de segurança.

Software MBSA 2.1.1
Windows Vista, Windows Vista Service Pack 1 e Windows Vista Service Pack 2Sim
Windows Vista x64 Edition, Windows Vista x64 Edition Service Pack 1 e Windows Vista x64 Edition Service Pack 2Sim
Windows Server 2008 para sistemas de 32 bits e Windows Server 2008 para sistemas de 32 bits Service Pack 2Sim
Windows Server 2008 para sistemas baseados em x64 e Windows Server 2008 para sistemas baseados em x64 Service Pack 2Sim
Windows Server 2008 para sistemas baseados em Itanium e Windows Server 2008 para sistemas baseados em Itanium Service Pack 2Sim

A versão mais recente do MBSA foi relançada: Microsoft Baseline Security Analyzer 2.1.1. Para mais informações, consulte Microsoft Baseline Security Analyzer 2.1.

Windows Server Update Services

Ao utilizar o Windows Server Update Services (WSUS), os administradores podem implementar as actualizações críticas e as actualizações de segurança mais recentes para os sistemas operativos Microsoft Windows 2000 e posteriores, Office XP e posteriores, Exchange Server 2003 e SQL Server 2000. Para mais informações sobre como implementar esta actualização de segurança usando o Windows Server Update Services, visite o Web site do Windows Server Update Services.

Systems Management Server

A tabela seguinte fornece o resumo de detecções e implementação do SMS para esta actualização de segurança.

SoftwareSMS 2.0SMS 2003 com SUITSMS 2003 com ITMUConfiguration Manager 2007
Windows Vista, Windows Vista Service Pack 1 e Windows Vista Service Pack 2NãoNãoSimSim
Windows Vista x64 Edition, Windows Vista x64 Edition Service Pack 1 e Windows Vista x64 Edition Service Pack 2NãoNãoSimSim
Windows Server 2008 para sistemas de 32 bits e Windows Server 2008 para sistemas de 32 bits Service Pack 2NãoNãoSimSim
Windows Server 2008 para sistemas baseados em x64 e Windows Server 2008 para sistemas baseados em x64 Service Pack 2NãoNãoSimSim
Windows Server 2008 para sistemas baseados em Itanium e Windows Server 2008 para sistemas baseados em Itanium Service Pack 2NãoNãoSimSim

Para SMS 2.0 e SMS 2003, a ferramenta Security Update Inventory Tool (SUIT) pode ser utilizada pelo SMS para detectar actualizações de segurança. Consulte também as transferências para o Systems Management Server 2.0.

Para o SMS 2003, a ferramenta SMS 2003 Inventory Tool for Microsoft Updates (ITMU) pode ser usada pelo SMS para detectar actualizações de segurança que foram oferecidas pelo Microsoft Update e que são suportadas pelos Windows Server Update Services. Para mais informações sobre o SMS 2003 ITMU, consulte SMS 2003 Inventory Tool for Microsoft Updates. Para obter mais informações sobre as ferramentas de análise do SMS, consulte SMS 2003 Software Update Scanning Tools. Consulte também as transferências para o Systems Management Server 2003.

O System Center Configuration Manager 2007 utiliza o WSUS 3.0 para a detecção de actualizações. Para mais informações sobre o Configuration Manager 2007 Software Update Management, visite o System Center Configuration Manager 2007.

Para mais informações sobre o SMS, visite o Web site do SMS.

Para obter informações mais detalhadas, consulte o Artigo 910723 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft: Lista de resumo de artigos mensais sobre orientações de detecção e implementação.

Update Compatibility Evaluator e Application Compatibility Toolkit

É frequente as actualizações utilizarem os mesmos ficheiros e configurações de registo necessários para a execução das aplicações. Isso pode dar origem a incompatibilidades e aumentar o tempo necessário para a implementação de actualizações de segurança. Pode simplificar o teste e a validação de actualizações do Windows relativamente às aplicações instaladas com os componentes do Update Compatibility Evaluator incluído no Application Compatibility Toolkit.

O Application Compatibility Toolkit (ACT) contém as ferramentas e documentação necessárias para avaliar e atenuar questões de compatibilidade da aplicação antes de implementar o Microsoft Windows Vista, uma Actualização do Windows, uma Actualização de Segurança da Microsoft ou uma nova versão do Windows Internet Explorer no seu ambiente.

Software Afectado

Para obter mais informações sobre a actualização de segurança específica do software afectado, clique na ligação adequada:

Windows Vista (todas as edições)

Tabela de referência

A tabela seguinte contém a informação sobre a actualização de segurança para este software. Pode encontrar informações adicionais na subsecção Informações de implementação, nesta secção.

Inclusão em Service Packs Futuros A actualização para esta questão será incluída num service pack ou num conjunto de actualizações futuros
Implementação
Instalação sem intervenção do utilizadorPara todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista:
Windows6.0-KB974145-x86 /quiet
Para todas as edições baseadas em x64 do Windows Vista suportadas:
Windows6.0-KB974145-x64 /quiet
Instalação sem reiniciarPara todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista:
Windows6.0-KB974145-x86 /quiet /norestart
Para todas as edições baseadas em x64 do Windows Vista suportadas:
Windows6.0-KB974145-x64 /quiet /norestart
Informações adicionaisConsultar a subsecção Orientações e ferramentas de detecção e implementação
Requisito de Reinício
Reinício necessário?Sim, é necessário reiniciar o sistema depois de aplicar esta actualização de segurança.
HotPatchingNão aplicável.
Informações de Remoção O WUSA.exe não suporta a desinstalação de actualizações. Para desinstalar uma actualização instalada pelo WUSA, clique em Painel de Controlo e, depois, clique em Segurança. Em Windows Update, clique em Ver actualizações instaladas e seleccione-a a partir da lista de actualizações.
Informações de Ficheiros Consulte o Artigo 974145 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft
Verificação da Chave de Registo Nota Não existe uma chave de registo para validar a presença desta actualização.

Informações de Implementação

Instalação da actualização

Quando instala esta actualização de segurança, o programa de instalação verifica se um ou mais ficheiros que estão a ser actualizados no seu sistema foram alvo de uma actualização anterior através de um hotfix da Microsoft.

Para mais informações sobre a terminologia que é usada neste boletim, tal como hotfix, consulte o Artigo 824684 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Esta actualização de segurança suporta os seguintes parâmetros de configuração.

Parâmetros de Instalação de Actualizações de Segurança Suportados
ParâmetroDescrição
/?, /h, /help Apresenta ajuda para os parâmetros suportados.
/quiet Elimina a janela de mensagem de estado ou de erro.
/norestart Quando combinado com /quiet, o sistema não será reiniciado depois da instalação, mesmo que seja necessário reiniciar para concluir a instalação.

Nota Para mais informações sobre o programa de instalação wusa.exe, consulte o Artigo 934307 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Verificar se a actualização foi aplicada

  • Microsoft Baseline Security Analyzer

    Para verificar se uma actualização de segurança foi aplicada num sistema afectado, poderá utilizar a ferramenta Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA). Consulte a secção "Orientações e ferramentas de detecção e implementação" mais acima neste boletim para obter mais informações.

  • Verificação das Versões dos Ficheiros

    Dado existirem várias edições do Microsoft Windows, os passos que se seguem podem ser diferentes no seu sistema. Caso efectivamente o sejam, consulte a documentação do produto para executar estes passos.

    1. Clique em Iniciar e depois introduza um nome de ficheiro de actualização em Iniciar pesquisa.
    2. Quando o ficheiro aparecer em Programas, clique com o botão direito do rato no nome do ficheiro e depois em Propriedades.
    3. No separador Geral, compare o tamanho do ficheiro com as tabelas de informação de ficheiros fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    4. Também pode clicar no separador Detalhes e comparar informações, como a versão de ficheiro e a data de modificação, com as tabelas de informação fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    5. Por fim, também pode clicar no separador Versões anteriores e comparar a informação de ficheiros sobre a versão anterior do ficheiro com a informação da versão do ficheiro nova ou actualizada.

Windows Server 2008 (todas as edições)

Tabela de referência

A tabela seguinte contém a informação sobre a actualização de segurança para este software. Pode encontrar informações adicionais na subsecção Informações de implementação, nesta secção.

Inclusão em Service Packs Futuros A actualização para esta questão será incluída num service pack ou num conjunto de actualizações futuros
Implementação
Instalação sem intervenção do utilizadorPara todas as edições de 32 bits do Windows Server 2008 suportadas:
Windows6.0-KB974145-x86 /quiet
Para todas as edições baseadas em x64 do Windows Server 2008 suportadas:
Windows6.0-KB974145-x64 /quiet
Para todas as edições baseadas em Itanium do Windows Server 2008 suportadas:
Windows6.0-KB974145-ia64 /quiet
Instalação sem reiniciarPara todas as edições de 32 bits do Windows Server 2008 suportadas:
Windows6.0-KB974145-x86 /quiet /norestart
Para todas as edições baseadas em x64 do Windows Server 2008 suportadas:
Windows6.0-KB974145-x64 /quiet /norestart
Para todas as edições baseadas em Itanium do Windows Server 2008 suportadas:
Windows6.0-KB974145-ia64 /quiet /norestart
Informações adicionaisConsultar a subsecção Orientações e ferramentas de detecção e implementação
Requisito de Reinício
Reinício necessário?Sim, é necessário reiniciar o sistema depois de aplicar esta actualização de segurança.
HotPatchingNão aplicável.
Informações de Remoção O WUSA.exe não suporta a desinstalação de actualizações. Para desinstalar uma actualização instalada pelo WUSA, clique em Painel de Controlo e, depois, clique em Segurança. Em Windows Update, clique em Ver actualizações instaladas e seleccione-a a partir da lista de actualizações.
Informações de Ficheiros Consulte o Artigo 974145 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft
Verificação da Chave de Registo Nota Não existe uma chave de registo para validar a presença desta actualização.

Informações de Implementação

Instalação da actualização

Quando instala esta actualização de segurança, o programa de instalação verifica se um ou mais ficheiros que estão a ser actualizados no seu sistema foram alvo de uma actualização anterior através de um hotfix da Microsoft.

Para mais informações sobre a terminologia que é usada neste boletim, tal como hotfix, consulte o Artigo 824684 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Esta actualização de segurança suporta os seguintes parâmetros de configuração.

Parâmetros de Instalação de Actualizações de Segurança Suportados
ParâmetroDescrição
/?, /h, /help Apresenta ajuda para os parâmetros suportados.
/quiet Elimina a janela de mensagem de estado ou de erro.
/norestart Quando combinado com /quiet, o sistema não será reiniciado depois da instalação, mesmo que seja necessário reiniciar para concluir a instalação.

Nota Para mais informações sobre o programa de instalação wusa.exe, consulte o Artigo 934307 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Verificar se a actualização foi aplicada

  • Microsoft Baseline Security Analyzer

    Para verificar se uma actualização de segurança foi aplicada num sistema afectado, poderá utilizar a ferramenta Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA). Consulte a secção "Orientações e ferramentas de detecção e implementação" mais acima neste boletim para obter mais informações.

  • Verificação das Versões dos Ficheiros

    Dado existirem várias edições do Microsoft Windows, os passos que se seguem podem ser diferentes no seu sistema. Caso efectivamente o sejam, consulte a documentação do produto para executar estes passos.

    1. Clique em Iniciar e depois introduza um nome de ficheiro de actualização em Iniciar pesquisa.
    2. Quando o ficheiro aparecer em Programas, clique com o botão direito do rato no nome do ficheiro e depois em Propriedades.
    3. No separador Geral, compare o tamanho do ficheiro com as tabelas de informação de ficheiros fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    4. Também pode clicar no separador Detalhes e comparar informações, como a versão de ficheiro e a data de modificação, com as tabelas de informação fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    5. Por fim, também pode clicar no separador Versões anteriores e comparar a informação de ficheiros sobre a versão anterior do ficheiro com a informação da versão do ficheiro nova ou actualizada.

Outras informações

Agradecimentos

A Microsoft agradece às seguintes entidades por trabalharem connosco para proteger os clientes:

  • Sumit Gwalani, Drew Hintz e Neel Mehta, da Google Security Team, por fornecerem informações sobre a Vulnerabilidade de Anúncio do Router ICMPv6 (CVE-2010-0239)
  • Sumit Gwalani, Drew Hintz e Neel Mehta, da Google Security Team, por fornecerem informações sobre a Vulnerabilidade na Fragmentação de MDL de Cabeçalho (CVE-2010-0240)
  • Sumit Gwalani, Drew Hintz e Neel Mehta, da Google Security Team, por fornecerem informações sobre a Vulnerabilidade de Informação de Encaminhamento ICMPv6 (CVE-2010-0241)

Microsoft Active Protections Program (MAPP)

Para melhorar as protecções de segurança dos clientes, a Microsoft fornece informações sobre as vulnerabilidades aos principais fornecedores de software de segurança antes de cada publicação mensal de actualizações de segurança. Os fornecedores de software de segurança podem então utilizar estas informações sobre as vulnerabilidades para assegurar protecções actualizadas aos clientes através do seu software ou dispositivos de segurança, tais como antivírus, sistemas de detecção de intrusos com base na rede ou sistemas de prevenção de intrusões com base no anfitrião. Para determinar se as protecções activas estão disponíveis nos fornecedores de software de segurança, visite os Web sites de protecções activas disponibilizados pelos parceiros do programa, indicados na lista de parceiros do Microsoft Active Protections Program (MAPP).

Assistência

  • Os clientes nos E.U.A. e no Canadá podem receber suporte técnico através do Suporte de Segurança ou da linha 1-866-PCSAFETY. As chamadas de suporte técnico associadas a actualizações de segurança são gratuitas. Para obter mais informações sobre opções de suporte disponíveis, consulte a Ajuda e Suporte da Microsoft.
  • Os clientes internacionais podem receber suporte das subsidiárias locais da Microsoft. O suporte técnico associado às actualizações de segurança é gratuito. Para mais informações sobre como contactar a Microsoft relativamente a questões de suporte, visite o Web site de Suporte Internacional.

Exclusão de garantia

As informações fornecidas na Base de Dados de Conhecimento da Microsoft são fornecidas "tal como estão", sem garantias de qualquer tipo. A Microsoft exclui todas as garantias, sejam expressas ou implícitas, incluindo as garantias de comercialização e adequação a um fim específico. Em caso algum serão a Microsoft Corporation ou os seus fornecedores responsáveis por quaisquer prejuízos, incluindo prejuízos directos, indirectos, incidentais ou consequentes, extraordinários ou por perda de lucros negociais, ainda que a Microsoft Corporation, ou os seus fornecedores tenham sido notificados da possibilidade de ocorrência de tais prejuízos. A exclusão ou limitação de responsabilidade por prejuízos consequentes ou incidentais não é permitida em alguns estados ou jurisdições, pelo que a limitação supra poderá não ser aplicável.

Revisões

  • V1.0 (9 de Fevereiro de 2010): Boletim publicado.
  • V1.1 (10 de Fevereiro de 2010) : Correcção de informações de linha de comando para a solução alternativa Desactivar a regra de firewall de entrada "Componentes Essenciais de Rede - Anúncio do Router (Entrada de ICMPv6)". Trata-se de uma alteração informativa apenas.

Built at 2014-04-18T01:50:00Z-07:00

Mostrar: