Microsoft Security Bulletin MS10-105 - Importante

Vulnerabilidades em Filtros de Gráficos do Microsoft Office Podem Permitir Execução Remota de Código (968095)

Data de publicação: 14 de dezembro de 2010 | Updated: 15 de dezembro de 2010

actualizada: 1.1

Informações Gerais

Resumo Executivo

Esta actualização de segurança resolve sete vulnerabilidades no Microsoft Office, comunicadas de forma privada. Estas vulnerabilidades poderiam permitir a execução remota de código se um utilizador visualizasse um ficheiro de imagem especialmente concebido para o efeito utilizando o Microsoft Office. Um intruso que conseguisse explorar qualquer uma destas vulnerabilidades com sucesso poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador local. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Esta actualização de segurança é classificada como Importante para Microsoft Works 9, Microsoft Office Converter Pack e edições suportadas de Microsoft Office XP e Microsoft Office 2003. Para obter mais informações, consulte a subsecção, Software Afectado e Software Não Afectado, nesta secção.

A actualização resolve as vulnerabilidades, modificando a forma como Microsoft Office analisa determinados formatos de imagem e valida dados ao processar imagens. Para mais informações sobre a vulnerabilidade, consulte a subsecção de Perguntas Mais Frequentes (FAQ) quanto à vulnerabilidade específica na secção seguinte, Informações sobre as vulnerabilidades.

Recomendação. A Microsoft recomenda que os clientes instalem esta actualização na primeira oportunidade.

Questões Conhecidas. O Artigo 968095 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft documenta as questões actualmente conhecidas que os clientes podem verificar quando instalam esta actualização de segurança. O artigo também documenta soluções recomendadas para estas questões. Quando as questões actualmente conhecidas e soluções recomendadas software dizem respeito apenas às edições específicas deste software, este artigo não fornece ligações a outros artigos.

Software Afectado e Software Não Afectado

O software que se segue foi testado para determinar quais as versões ou edições afectadas. As outras versões ou edições são antigas, ultrapassaram o respectivo ciclo de vida de suporte ou não são afectadas. Para determinar o ciclo de vida de suporte da versão ou edição do seu software, visite o Web site do Ciclo de Vida de Suporte Microsoft.

Software Afectado

Conjuntos de Aplicações do Microsoft Office e Outro SoftwareImpacto de Segurança MáximoClassificação de Gravidade AgregadaBoletins Substituídos por esta Actualização
Microsoft Office Suites
Microsoft Office XP Service Pack 3 [1]
(KB2289162)
Execução Remota de CódigoImportante MS08-044
Microsoft Office 2003 Service Pack 3 [1]
(KB2289163)
Execução Remota de CódigoImportante MS08-044
Microsoft Office 2007 Service Pack 2
(KB2288931)
NenhumSem classificação de gravidade[2]Nenhum
Microsoft Office 2010 (edições de 32 bits)
(KB2289078)
NenhumSem classificação de gravidade[2]Nenhum
Microsoft Office 2010 (edições de 64 bits)
(KB2289078)
NenhumSem classificação de gravidade[2]Nenhum
Outro Software Microsoft Office
Microsoft Office Converter Pack
(KB2456849)
Execução Remota de CódigoImportanteNenhum
Microsoft Works 9
(KB2431831)
Execução Remota de CódigoImportante MS10-056

[1]Os clientes que utilizam o software indicado têm também de instalar a actualização do Microsoft Office fornecida no MS10-087, para se protegerem contra as vulnerabilidades descritas neste boletim (MS10-105).

[2]As classificações de gravidade não se aplicam a esta actualização porque as vulnerabilidades discutidas neste boletim não afectam este software. No entanto, como medida de defesa profunda para protecção contra quaisquer vectores novos eventualmente identificados no futuro, a Microsoft recomenda que os clientes deste software apliquem esta actualização de segurança.

Software Não Afectado

Office e Outro Software
Microsoft Office 2004 para Mac
Microsoft Office 2008 para Mac
Microsoft Office para Mac 2011
Conversor de Formato de Ficheiros Open XML para Mac
Pack de Compatibilidade do Microsoft Office para formatos de ficheiros Word, Excel e PowerPoint 2007 Service Pack 2

Tenho de aplicar a actualização MS10-087 para ficar protegido contra as vulnerabilidades descritas neste boletim (MS10-105)?  
Os clientes que utilizam o Microsoft Office XP e o Microsoft Office 2003 têm também de instalar a actualização do Microsoft Office fornecida no MS10-087, Vulnerabilidades no Microsoft Office Poderiam Permitir Execução Remota de Código (2423930), para se protegerem contra as vulnerabilidades descritas neste boletim (MS10-105). As actualizações MS10-087 e MS10-105 têm de ser instaladas, mas os clientes não necessitam de instalar as actualizações por qualquer ordem especial.

Onde estão os pormenores sobre as informações do ficheiro?  
Consulte as tabelas de referência na secção Implementação da Actualização de Segurança para obter a localização dos pormenores sobre as informações do ficheiro.

Por que razão esta actualização resolve diversas vulnerabilidades de segurança comunicadas?  
Esta actualização contém suporte para diversas vulnerabilidades, porque as modificações necessárias para resolver essas questões estão incluídas nos ficheiros relacionados. Assim, em vez de instalarem diversas actualizações quase iguais, os clientes podem instalar apenas esta actualização.

Esta actualização contém alterações não relacionadas com segurança em termos de funcionalidade?  
Sim. Esta actualização, que inclui alterações que não estão relacionadas com a segurança, fornece um suporte para substituir a lista de conversores e filtros que estão bloqueados por predefinição no Microsoft Office 2007 e Microsoft Office 2010. Para obter mais informações sobre as definições de segurança para filtros de gráficos do Microsoft Office, consulte o Artigo 2479871 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Esta actualização contém outras alterações de segurança em termos de funcionalidade?  
Esta actualização inclui uma actualização de defesa em profundidade que expande a lista de conversores e filtros que estão bloqueados por predefinição no Microsoft Office 2007 e Microsoft Office 2010.

O que é uma medida de defesa profunda?  
Em termos de segurança de informações, uma medida de defesa profunda refere-se a uma abordagem em que se aplicam múltiplas camadas de defesa para ajudar a impedir que os intrusos comprometam a segurança de uma rede ou sistema.

Como são afectados pelas vulnerabilidades os programas autónomos do Microsoft Office?  
Um programa autónomo do Microsoft Office é afectado com a mesma classificação de gravidade que o componente correspondente de um conjunto de aplicações do Microsoft Office. Por exemplo, uma instalação autónoma do Microsoft Excel, Microsoft Word ou Microsoft PowerPoint é afectada com a mesma classificação de gravidade que uma instalação do conjunto de aplicações do Microsoft Office afectado.

Estou a usar uma edição anterior do software discutido neste boletim de segurança. O que devo fazer?  
O software afectado incluído neste boletim foi testado para determinar quais as edições afectadas. As outras edições ultrapassaram o respectivo ciclo de vida de suporte. Para mais informações sobre o ciclo de vida dos produtos, visite o Web site do Ciclo de Vida de Suporte da Microsoft.

Os utilizadores que tenham edições anteriores do software deviam considerar a migração para edições suportadas como uma prioridade, de modo a poderem proteger os seus sistemas contra a potencial exposição a vulnerabilidades. Para determinar o ciclo de vida de suporte para a edição do seu software, consulte Seleccionar um produto para obter informações sobre o ciclo de vida. Para mais informações sobre service packs para estas edições de software, consulte Service Packs com Suporte do Ciclo de Vida.

Os clientes que necessitem de suporte personalizado para software anterior devem contactar o seu representante de equipa de contas da Microsoft, o seu Gestor Técnico de Contas ou o parceiro ou representante Microsoft adequado para mais informações sobre opções de suporte personalizado. Os clientes que não disponham de um Contrato Alliance, Premier ou Autorizado podem contactar a subsidiária local da Microsoft. Para obter informações de contacto, visite o Web site Microsoft Worldwide Information, seleccione o país na lista de informações de contacto e, em seguida, clique em Go para ver uma lista de números de telefone. Quando telefonar, peça para falar com o Gestor de Vendas de Suporte Premier local. Para mais informações, consulte as Perguntas Mais Frequentes sobre o Ciclo de Vida do Suporte da Microsoft.

Informações sobre as Vulnerabilidades

As seguintes classificações de gravidade presumem o potencial impacto máximo da vulnerabilidade. Para obter informações sobre a probabilidade, dentro de 30 dias após a publicação deste boletim de segurança, de exploração da vulnerabilidade em relação à sua classificação de gravidade e impacto de segurança, consulte o Índice de Possibilidade de Exploração no resumo dos boletins de Dezembro. Para mais informações, consulte o Índice de Possibilidade de Exploração da Microsoft.

Classificações da Gravidade da Vulnerabilidade e Impacto de Segurança Máximo por Software Afectado
Software AfectadoVulnerabilidade de Sobrecarga da memória intermédia do Conversor de Imagem CGM - CVE-2010-3945Vulnerabilidade de ultrapassagem do número inteiro de dados do Conversor de Imagem PICT - CVE-2010-3946Vulnerabilidade de ultrapassagem de heap do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3947Vulnerabilidade de capacidade de memória intermédia excedida do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3949Vulnerabilidade de corrupção da memória do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3950Vulnerabilidade de capacidade de memória intermédia excedida do Conversor de Imagem FlashPix - CVE-2010-3951Vulnerabilidade de corrupção de heap do Conversor de Imagem FlashPix - CVE-2010-3952Classificação de Gravidade Agregada
Microsoft Office Suites
Microsoft Office XP Service Pack 3 Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante
Microsoft Office 2003 Service Pack 3 Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Não aplicávelNão aplicávelNão aplicávelNão aplicávelNão aplicável Importante
Microsoft Office 2007 Service Pack 2Sem classificação de gravidade[1]Não aplicávelNão aplicávelNão aplicávelNão aplicávelSem classificação de gravidade[1]Sem classificação de gravidade[1]Sem classificação de gravidade
Microsoft Office 2010 (edições de 32 bits)Sem classificação de gravidade[1]Não aplicávelNão aplicávelNão aplicávelNão aplicávelSem classificação de gravidade[1]Sem classificação de gravidade[1]Sem classificação de gravidade
Microsoft Office 2010 (edições de 64 bits)Sem classificação de gravidade[1]Não aplicávelNão aplicávelNão aplicávelNão aplicávelSem classificação de gravidade[1]Sem classificação de gravidade[1]Sem classificação de gravidade
Outro Software Microsoft Office
Microsoft Office Converter Pack Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante 
Execução Remota de Código
Importante
Microsoft Works 9Não aplicávelNão aplicável Importante 
Execução Remota de Código
Não aplicável Importante 
Execução Remota de Código
Não aplicávelNão aplicável Importante

[1]As classificações de gravidade não se aplicam a esta actualização porque as vulnerabilidades discutidas neste boletim não afectam este software. No entanto, como medida de defesa profunda para protecção contra quaisquer vectores novos eventualmente identificados no futuro, a Microsoft recomenda que os clientes deste software apliquem esta actualização de segurança.

Existe uma vulnerabilidade de execução remota de código na forma como o Microsoft Office atribui o tamanho de memória intermédia durante o processamento de ficheiros de imagem CGM. A vulnerabilidade poderia permitir uma execução remota de código se um utilizador abrisse um documento do Office contendo uma imagem CGM especialmente concebida. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-3945.

Factores atenuantes para a Vulnerabilidade de Sobrecarga da memória intermédia do Conversor de Imagem CGM - CVE-2010-3945

A atenuação refere-se a uma definição, uma configuração comum ou uma prática recomendada geral, que existe num estado predefinido, que poderia reduzir a gravidade da exploração de uma vulnerabilidade. Os seguintes factores atenuantes podem ser úteis para a sua situação:

  • A vulnerabilidade não pode ser automaticamente explorada através de correio electrónico. Para um ataque poder ser bem sucedido, é necessário que um utilizador abra um anexo que é enviado numa mensagem de correio electrónico.
  • Um intruso que explorasse com sucesso esta vulnerabilidade poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador local. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.
  • No cenário de um ataque baseado na Web, um intruso poderia alojar um Web site contendo uma página Web que fosse utilizada para explorar esta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos ou anúncios fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Contudo, em qualquer dos casos, o intruso não teria forma de forçar os utilizadores a visitar estes Web sites. Um intruso teria de convencer os utilizadores a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação presente numa mensagem de correio electrónico ou numa mensagem de um programa de mensagens instantâneas, que levasse os utilizadores para o Web site do intruso e, em seguida, convencendo-os a abrir o ficheiro Office especialmente concebido para o efeito.

Soluções alternativas para a Vulnerabilidade de Sobrecarga da memória intermédia do Conversor de Imagem CGM - CVE-2010-3945

Uma solução alternativa refere-se a uma definição ou alteração de configuração que não corrige a vulnerabilidade subjacente, mas que ajudaria a bloquear vectores de ataque conhecidos antes de aplicar a actualização. A Microsoft testou as seguintes soluções alternativas e estados na discussão acerca de casos em que uma solução alternativa reduz a funcionalidade:

  • Modificar a lista de controlo de acesso para negar o acesso a cgmimp32.flt para todos os utilizadores

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\cgmimp32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\cgmimp32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista , Windows Server 2008 e Windows 7:

    takeown /f "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\cgmimp32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\cgmimp32.flt" /save %TEMP%\cgmflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\cgmimp32.flt" /deny everyone:(F)

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    takeown /f "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\cgmimp32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\cgmimp32.flt" /save %TEMP%\cgmflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\cgmimp32.flt" /deny everyone:(F)

    Impacto da solução alternativa. As aplicações Office não poderão importar imagens CGM.

    Como anular esta solução alternativa.

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\cgmimp32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\cgmimp32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista, Windows Server 2008 e Windows 7:

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\cgmflt_ACL.TXT

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\cgmflt_ACL.TXT

  • Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual

    Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual. É possível tirar partido desta vulnerabilidade quando um utilizador abre um ficheiro especialmente concebido para o efeito.

Perguntas mais frequentes sobre a Vulnerabilidade de Sobrecarga da memória intermédia do Conversor de Imagem CGM - CVE-2010-3945

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de execução remota de código. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade é provocada quando o Microsoft Office atribui incorrectamente tamanhos de memória intermédia à memória.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que conseguisse explorar esta vulnerabilidade com êxito poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador com sessão iniciada. Se um utilizador tiver sessão iniciada com direitos de utilizador administrativos, um intruso poderia obter controlo total sobre o sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
A exploração desta vulnerabilidade requer que um utilizador abra um documento Office especialmente concebido para o efeito utilizando uma edição do Microsoft Office afectada.

Num cenário de ataque com base em correio electrónico, um intruso poderia explorar a vulnerabilidade enviando um documento Office especialmente concebido para o efeito ao utilizador e convencendo-o a abrir o ficheiro.

Num cenário de ataque com base na Web, um intruso teria de alojar um Web site contendo um documento do Office que fosse utilizado para tentar tirar partido desta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Um intruso não conseguiria obrigar os utilizadores a visitarem um Web site especialmente concebido para o efeito. Em vez disso, um intruso teria de os convencer a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação que os levasse ao site do intruso e, em seguida, convencê-los a abrir o documento Office especialmente concebido para o efeito.

Quais os sistemas mais susceptíveis a esta vulnerabilidade?  
Esta vulnerabilidade requer que um utilizador tenha sessão iniciada e que leia mensagens de correio electrónico, visite Web sites ou abra ficheiros a partir de uma área de rede partilhada, para que possa ocorrer qualquer acção maliciosa. Assim sendo, todos os sistemas utilizados para ler mensagens de correio electrónico, em que o Internet Explorer seja utilizado frequentemente ou onde os utilizadores tenham acesso a áreas de rede partilhadas, tais como estações de trabalho ou servidores de terminais, são os que estão mais susceptíveis a esta vulnerabilidade. Os sistemas que não sejam normalmente utilizados para visitar Web sites, como os sistemas de servidor, correm pouco risco.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve a vulnerabilidade modificando o forma como o Microsoft Office valida os dados ao processar imagens CGM.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação coordenada de vulnerabilidades.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido informações sobre a exploração desta vulnerabilidade?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Existe uma vulnerabilidade de execução remota de código na forma como o Microsoft Office atribui o tamanho de memória intermédia durante o processamento de ficheiros de imagem PICT. A vulnerabilidade poderia permitir uma execução remota de código se um utilizador abrisse um documento do Office contendo uma imagem PICT especialmente concebida. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-3946.

Factores atenuantes para a Vulnerabilidade de ultrapassagem do número inteiro de dados do Conversor de Imagem PICT - CVE-2010-3946

A atenuação refere-se a uma definição, uma configuração comum ou uma prática recomendada geral, que existe num estado predefinido, que poderia reduzir a gravidade da exploração de uma vulnerabilidade. Os seguintes factores atenuantes podem ser úteis para a sua situação:

  • A vulnerabilidade não pode ser automaticamente explorada através de correio electrónico. Para um ataque poder ser bem sucedido, é necessário que um utilizador abra um anexo que é enviado numa mensagem de correio electrónico.
  • Um intruso que explorasse com sucesso esta vulnerabilidade poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador local. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.
  • No cenário de um ataque baseado na Web, um intruso poderia alojar um Web site contendo uma página Web que fosse utilizada para explorar esta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos ou anúncios fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Contudo, em qualquer dos casos, o intruso não teria forma de forçar os utilizadores a visitar estes Web sites. Um intruso teria de convencer os utilizadores a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação presente numa mensagem de correio electrónico ou numa mensagem de um programa de mensagens instantâneas, que levasse os utilizadores para o Web site do intruso e, em seguida, convencendo-os a abrir o ficheiro Office especialmente concebido para o efeito.

Soluções alternativas para a Vulnerabilidade de ultrapassagem do número inteiro de dados do Conversor de Imagem PICT - CVE-2010-3946

Uma solução alternativa refere-se a uma definição ou alteração de configuração que não corrige a vulnerabilidade subjacente, mas que ajudaria a bloquear vectores de ataque conhecidos antes de aplicar a actualização. A Microsoft testou as seguintes soluções alternativas e estados na discussão acerca de casos em que uma solução alternativa reduz a funcionalidade:

  • Modificar a lista de controlo de acesso para negar o acesso a pictim32.flt para todos os utilizadores

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\pictim32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\pictim32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista , Windows Server 2008 e Windows 7:

    takeown /f "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\pictim32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\pictim32.flt" /save %TEMP%\pictflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\pictim32.flt" /deny everyone:(F)

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    takeown /f "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\pictim32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\pictim32.flt" /save %TEMP%\pictflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\pictim32.flt" /deny everyone:(F)

    Impacto da solução alternativa. As aplicações Office não poderão importar imagens PICT.

    Como anular esta solução alternativa.

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\pictim32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\pictim32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista, Windows Server 2008 e Windows 7:

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\pictflt_ACL.TXT

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\pictflt_ACL.TXT

  • Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual

    Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual. É possível tirar partido desta vulnerabilidade quando um utilizador abre um ficheiro especialmente concebido para o efeito.

Perguntas mais frequentes sobre a Vulnerabilidade de ultrapassagem do número inteiro de dados do Conversor de Imagem PICT - CVE-2010-3946

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de execução remota de código. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade é provocada quando o Microsoft Office atribui incorrectamente tamanhos de memória intermédia à memória.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que conseguisse explorar esta vulnerabilidade com êxito poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador com sessão iniciada. Se um utilizador tiver sessão iniciada com direitos de utilizador administrativos, um intruso poderia obter controlo total sobre o sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
A exploração desta vulnerabilidade requer que um utilizador abra um documento Office especialmente concebido para o efeito utilizando uma edição do Microsoft Office afectada.

Num cenário de ataque com base em correio electrónico, um intruso poderia explorar a vulnerabilidade enviando um documento Office especialmente concebido para o efeito ao utilizador e convencendo-o a abrir o ficheiro.

Num cenário de ataque com base na Web, um intruso teria de alojar um Web site contendo um documento do Office que fosse utilizado para tentar tirar partido desta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Um intruso não conseguiria obrigar os utilizadores a visitarem um Web site especialmente concebido para o efeito. Em vez disso, um intruso teria de os convencer a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação que os levasse ao site do intruso e, em seguida, convencê-los a abrir o documento Office especialmente concebido para o efeito.

Quais os sistemas mais susceptíveis a esta vulnerabilidade?  
Esta vulnerabilidade requer que um utilizador tenha sessão iniciada e que leia mensagens de correio electrónico, visite Web sites ou abra ficheiros a partir de uma área de rede partilhada, para que possa ocorrer qualquer acção maliciosa. Assim sendo, todos os sistemas utilizados para ler mensagens de correio electrónico, em que o Internet Explorer seja utilizado frequentemente ou onde os utilizadores tenham acesso a áreas de rede partilhadas, tais como estações de trabalho ou servidores de terminais, são os que estão mais susceptíveis a esta vulnerabilidade. Os sistemas que não sejam normalmente utilizados para visitar Web sites, como os sistemas de servidor, correm pouco risco.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve a vulnerabilidade modificando a forma como o Microsoft Office valida os dados ao processar imagens PICT.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação coordenada de vulnerabilidades.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido informações sobre a exploração desta vulnerabilidade?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Existe uma vulnerabilidade de execução remota de código na forma como o Microsoft Office analisa ficheiros de imagem TIFF especialmente concebidos para o efeito. A vulnerabilidade poderia permitir uma execução remota de código se um utilizador abrisse um documento do Office contendo uma imagem TIFF especialmente concebida. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-3947.

Factores atenuantes para a Vulnerabilidade de ultrapassagem de heap do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3947

A atenuação refere-se a uma definição, uma configuração comum ou uma prática recomendada geral, que existe num estado predefinido, que poderia reduzir a gravidade da exploração de uma vulnerabilidade. Os seguintes factores atenuantes podem ser úteis para a sua situação:

  • A vulnerabilidade não pode ser automaticamente explorada através de correio electrónico. Para um ataque poder ser bem sucedido, é necessário que um utilizador abra um anexo que é enviado numa mensagem de correio electrónico.
  • Um intruso que explorasse com sucesso esta vulnerabilidade poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador local. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.
  • No cenário de um ataque baseado na Web, um intruso poderia alojar um Web site contendo uma página Web que fosse utilizada para explorar esta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos ou anúncios fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Contudo, em qualquer dos casos, o intruso não teria forma de forçar os utilizadores a visitar estes Web sites. Um intruso teria de convencer os utilizadores a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação presente numa mensagem de correio electrónico ou numa mensagem de um programa de mensagens instantâneas, que levasse os utilizadores para o Web site do intruso e, em seguida, convencendo-os a abrir o ficheiro Office especialmente concebido para o efeito.

Soluções alternativas para a Vulnerabilidade de ultrapassagem de heap do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3947

Uma solução alternativa refere-se a uma definição ou alteração de configuração que não corrige a vulnerabilidade subjacente, mas que ajudaria a bloquear vectores de ataque conhecidos antes de aplicar a actualização. A Microsoft testou as seguintes soluções alternativas e estados na discussão acerca de casos em que uma solução alternativa reduz a funcionalidade:

  • Modificar a lista de controlo de acesso para negar o acesso a tiffim32.flt para todos os utilizadores

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista , Windows Server 2008 e Windows 7:

    takeown /f "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /save %TEMP%\tiffflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /deny everyone:(F)

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    takeown /f "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /save %TEMP%\tiffflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /deny everyone:(F)

    Impacto da solução alternativa. As aplicações Office não poderão importar imagens TIFF.

    Como anular esta solução alternativa.

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista, Windows Server 2008 e Windows 7:

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\tiffflt_ACL.TXT

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\tiffflt_ACL.TXT

  • Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual

    Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual. É possível tirar partido desta vulnerabilidade quando um utilizador abre um ficheiro especialmente concebido para o efeito.

Perguntas mais frequentes sobre a Vulnerabilidade de ultrapassagem de heap do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3947

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de execução remota de código. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade é provocada quando Microsoft Office valida incorrectamente os dados nos ficheiros de imagem TIFF.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que conseguisse explorar esta vulnerabilidade com êxito poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador com sessão iniciada. Se um utilizador tiver sessão iniciada com direitos de utilizador administrativos, um intruso poderia obter controlo total sobre o sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
A exploração desta vulnerabilidade requer que um utilizador abra um documento Office especialmente concebido para o efeito utilizando uma edição do Microsoft Office afectada.

Num cenário de ataque com base em correio electrónico, um intruso poderia explorar a vulnerabilidade enviando um documento Office especialmente concebido para o efeito ao utilizador e convencendo-o a abrir o ficheiro.

Num cenário de ataque com base na Web, um intruso teria de alojar um Web site contendo um documento do Office que fosse utilizado para tentar tirar partido desta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Um intruso não conseguiria obrigar os utilizadores a visitarem um Web site especialmente concebido para o efeito. Em vez disso, um intruso teria de os convencer a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação que os levasse ao site do intruso e, em seguida, convencê-los a abrir o documento Office especialmente concebido para o efeito.

Quais os sistemas mais susceptíveis a esta vulnerabilidade?  
Esta vulnerabilidade requer que um utilizador tenha sessão iniciada e que leia mensagens de correio electrónico, visite Web sites ou abra ficheiros a partir de uma área de rede partilhada, para que possa ocorrer qualquer acção maliciosa. Assim sendo, todos os sistemas utilizados para ler mensagens de correio electrónico, em que o Internet Explorer seja utilizado frequentemente ou onde os utilizadores tenham acesso a áreas de rede partilhadas, tais como estações de trabalho ou servidores de terminais, são os que estão mais susceptíveis a esta vulnerabilidade. Os sistemas que não sejam normalmente utilizados para visitar Web sites, como os sistemas de servidor, correm pouco risco.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve a vulnerabilidade modificando as validações de dados no Microsoft Office ao processar imagens TIFF.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação coordenada de vulnerabilidades.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido informações sobre a exploração desta vulnerabilidade?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Existe uma vulnerabilidade de execução remota de código na forma como o Microsoft Office analisa ficheiros de imagem TIFF especialmente concebidos para o efeito. A vulnerabilidade poderia permitir uma execução remota de código se um utilizador abrisse um documento do Office contendo uma imagem TIFF especialmente concebida. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-3949.

Factores atenuantes para a Vulnerabilidade de capacidade de memória intermédia excedida do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3949

A atenuação refere-se a uma definição, uma configuração comum ou uma prática recomendada geral, que existe num estado predefinido, que poderia reduzir a gravidade da exploração de uma vulnerabilidade. Os seguintes factores atenuantes podem ser úteis para a sua situação:

  • A vulnerabilidade não pode ser automaticamente explorada através de correio electrónico. Para um ataque poder ser bem sucedido, é necessário que um utilizador abra um anexo que é enviado numa mensagem de correio electrónico.
  • Um intruso que explorasse com sucesso esta vulnerabilidade poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador local. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.
  • No cenário de um ataque baseado na Web, um intruso poderia alojar um Web site contendo uma página Web que fosse utilizada para explorar esta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos ou anúncios fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Contudo, em qualquer dos casos, o intruso não teria forma de forçar os utilizadores a visitar estes Web sites. Um intruso teria de convencer os utilizadores a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação presente numa mensagem de correio electrónico ou numa mensagem de um programa de mensagens instantâneas, que levasse os utilizadores para o Web site do intruso e, em seguida, convencendo-os a abrir o ficheiro Office especialmente concebido para o efeito.

Soluções alternativas para a Vulnerabilidade de capacidade de memória intermédia excedida do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3949

Uma solução alternativa refere-se a uma definição ou alteração de configuração que não corrige a vulnerabilidade subjacente, mas que ajudaria a bloquear vectores de ataque conhecidos antes de aplicar a actualização. A Microsoft testou as seguintes soluções alternativas e estados na discussão acerca de casos em que uma solução alternativa reduz a funcionalidade:

  • Modificar a lista de controlo de acesso para negar o acesso a tiffim32.flt para todos os utilizadores

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista , Windows Server 2008 e Windows 7:

    takeown /f "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /save %TEMP%\tiffflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /deny everyone:(F)

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    takeown /f "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /save %TEMP%\tiffflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /deny everyone:(F)

    Impacto da solução alternativa. As aplicações Office não poderão importar imagens TIFF.

    Como anular esta solução alternativa.

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\tiffim32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista, Windows Server 2008 e Windows 7:

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\tiffflt_ACL.TXT

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\tiffflt_ACL.TXT

  • Modificar a lista de controlo de acesso para negar o acesso a MSPCORE.DLL para todos os utilizadores

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista , Windows Server 2008 e Windows 7:

    takeown /f "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll"

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /save %TEMP%\mspcore_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /deny everyone:(F)

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    takeown /f "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll"

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /save %TEMP%\mspcore_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /deny everyone:(F)

    Impacto da solução alternativa. A aplicação de Tratamento de imagem de documentos Office não poderá importar ficheiros TIFF.

    Como anular esta solução alternativa.

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista, Windows Server 2008 e Windows 7:

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\" /restore %TEMP%\mspcore_ACL.TXT

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\" /restore %TEMP%\mspcore_ACL.TXT

  • Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual

    Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual. É possível tirar partido desta vulnerabilidade quando um utilizador abre um ficheiro especialmente concebido para o efeito.

Perguntas mais frequentes sobre a Vulnerabilidade de capacidade de memória intermédia excedida do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3949

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de execução remota de código. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade é provocada quando o Microsoft Office converte incorrectamente os dados enquanto analise os ficheiros de imagem TIFF.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que conseguisse explorar esta vulnerabilidade com êxito poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador com sessão iniciada. Se um utilizador tiver sessão iniciada com direitos de utilizador administrativos, um intruso poderia obter controlo total sobre o sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
A exploração desta vulnerabilidade requer que um utilizador abra um documento Office especialmente concebido para o efeito utilizando uma edição do Microsoft Office afectada.

Num cenário de ataque com base em correio electrónico, um intruso poderia explorar a vulnerabilidade enviando um documento Office especialmente concebido para o efeito ao utilizador e convencendo-o a abrir o ficheiro.

Num cenário de ataque com base na Web, um intruso teria de alojar um Web site contendo um documento do Office que fosse utilizado para tentar tirar partido desta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Um intruso não conseguiria obrigar os utilizadores a visitarem um Web site especialmente concebido para o efeito. Em vez disso, um intruso teria de os convencer a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação que os levasse ao site do intruso e, em seguida, convencê-los a abrir o documento Office especialmente concebido para o efeito.

Quais os sistemas mais susceptíveis a esta vulnerabilidade?  
Esta vulnerabilidade requer que um utilizador tenha sessão iniciada e que leia mensagens de correio electrónico, visite Web sites ou abra ficheiros a partir de uma área de rede partilhada, para que possa ocorrer qualquer acção maliciosa. Assim sendo, todos os sistemas utilizados para ler mensagens de correio electrónico, em que o Internet Explorer seja utilizado frequentemente ou onde os utilizadores tenham acesso a áreas de rede partilhadas, tais como estações de trabalho ou servidores de terminais, são os que estão mais susceptíveis a esta vulnerabilidade. Os sistemas que não sejam normalmente utilizados para visitar Web sites, como os sistemas de servidor, correm pouco risco.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve a vulnerabilidade corrigindo a forma como o Microsoft Office converte dados enquanto analisa ficheiros de imagem TIFF.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação coordenada de vulnerabilidades.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido informações sobre a exploração desta vulnerabilidade?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Existe uma vulnerabilidade de execução remota de código na forma como o Microsoft Office analisa ficheiros de imagem TIFF especialmente concebidos para o efeito. A vulnerabilidade poderia permitir uma execução remota de código se um utilizador abrisse um documento do Office contendo uma imagem TIFF especialmente concebida. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-3950.

Factores atenuantes para a Vulnerabilidade de corrupção da memória do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3950

A atenuação refere-se a uma definição, uma configuração comum ou uma prática recomendada geral, que existe num estado predefinido, que poderia reduzir a gravidade da exploração de uma vulnerabilidade. Os seguintes factores atenuantes podem ser úteis para a sua situação:

  • A vulnerabilidade não pode ser automaticamente explorada através de correio electrónico. Para um ataque poder ser bem sucedido, é necessário que um utilizador abra um anexo que é enviado numa mensagem de correio electrónico.
  • Um intruso que explorasse com sucesso esta vulnerabilidade poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador local. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.
  • No cenário de um ataque baseado na Web, um intruso poderia alojar um Web site contendo uma página Web que fosse utilizada para explorar esta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos ou anúncios fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Contudo, em qualquer dos casos, o intruso não teria forma de forçar os utilizadores a visitar estes Web sites. Um intruso teria de convencer os utilizadores a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação presente numa mensagem de correio electrónico ou numa mensagem de um programa de mensagens instantâneas, que levasse os utilizadores para o Web site do intruso e, em seguida, convencendo-os a abrir o ficheiro Office especialmente concebido para o efeito.

Soluções alternativas para a Vulnerabilidade de corrupção da memória do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3950

Uma solução alternativa refere-se a uma definição ou alteração de configuração que não corrige a vulnerabilidade subjacente, mas que ajudaria a bloquear vectores de ataque conhecidos antes de aplicar a actualização. A Microsoft testou as seguintes soluções alternativas e estados na discussão acerca de casos em que uma solução alternativa reduz a funcionalidade:

  • Modificar a lista de controlo de acesso para negar o acesso a MSPCORE.DLL para todos os utilizadores

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista , Windows Server 2008 e Windows 7:

    takeown /f "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll"

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /save %TEMP%\mspcore_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /deny everyone:(F)

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    takeown /f "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll"

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /save %TEMP%\mspcore_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /deny everyone:(F)

    Impacto da solução alternativa. A aplicação de Tratamento de imagem de documentos Office não poderá importar ficheiros TIFF.

    Como anular esta solução alternativa.

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\mspcore.dll" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista, Windows Server 2008 e Windows 7:

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\MSPaper\" /restore %TEMP%\mspcore_ACL.TXT

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\MSPaper\" /restore %TEMP%\mspcore_ACL.TXT

  • Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual

    Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual. É possível tirar partido desta vulnerabilidade quando um utilizador abre um ficheiro especialmente concebido para o efeito.

Perguntas mais frequentes sobre a Vulnerabilidade de corrupção da memória do Conversor de Imagem TIFF - CVE-2010-3950

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de execução remota de código. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade é provocada quando o Microsoft Office converte incorrectamente os dados enquanto analise os ficheiros de imagem TIFF.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que conseguisse explorar esta vulnerabilidade com êxito poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador com sessão iniciada. Se um utilizador tiver sessão iniciada com direitos de utilizador administrativos, um intruso poderia obter controlo total sobre o sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
A exploração desta vulnerabilidade requer que um utilizador abra um documento Office especialmente concebido para o efeito utilizando uma edição do Microsoft Office afectada.

Num cenário de ataque com base em correio electrónico, um intruso poderia explorar a vulnerabilidade enviando um documento Office especialmente concebido para o efeito ao utilizador e convencendo-o a abrir o ficheiro.

Num cenário de ataque com base na Web, um intruso teria de alojar um Web site contendo um documento do Office que fosse utilizado para tentar tirar partido desta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Um intruso não conseguiria obrigar os utilizadores a visitarem um Web site especialmente concebido para o efeito. Em vez disso, um intruso teria de os convencer a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação que os levasse ao site do intruso e, em seguida, convencê-los a abrir o documento Office especialmente concebido para o efeito.

Quais os sistemas mais susceptíveis a esta vulnerabilidade?  
Esta vulnerabilidade requer que um utilizador tenha sessão iniciada e que leia mensagens de correio electrónico, visite Web sites ou abra ficheiros a partir de uma área de rede partilhada, para que possa ocorrer qualquer acção maliciosa. Assim sendo, todos os sistemas utilizados para ler mensagens de correio electrónico, em que o Internet Explorer seja utilizado frequentemente ou onde os utilizadores tenham acesso a áreas de rede partilhadas, tais como estações de trabalho ou servidores de terminais, são os que estão mais susceptíveis a esta vulnerabilidade. Os sistemas que não sejam normalmente utilizados para visitar Web sites, como os sistemas de servidor, correm pouco risco.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve a vulnerabilidade corrigindo a forma como o Microsoft Office converte dados enquanto analisa ficheiros de imagem TIFF.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação coordenada de vulnerabilidades.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido informações sobre a exploração desta vulnerabilidade?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Existe uma vulnerabilidade de execução remota de código na forma como o Microsoft Office analisa ficheiros de imagem FlashPix especialmente concebidos para o efeito. A vulnerabilidade poderia permitir uma execução remota de código se um utilizador abrisse um documento do Office contendo uma imagem FlashPix especialmente concebida. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-3951.

Factores atenuantes para a Vulnerabilidade de capacidade de memória intermédia excedida do Conversor de Imagem FlashPix - CVE-2010-3951

A atenuação refere-se a uma definição, uma configuração comum ou uma prática recomendada geral, que existe num estado predefinido, que poderia reduzir a gravidade da exploração de uma vulnerabilidade. Os seguintes factores atenuantes podem ser úteis para a sua situação:

  • Um intruso que explorasse com sucesso esta vulnerabilidade poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador local. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.
  • Por predefinição, o conversor de imagem FlashPix não é instalado pelo Microsoft Office. Apenas os sistemas onde o conversor de imagem FlashPix é manualmente instalado são afectados pela vulnerabilidade.
  • A vulnerabilidade não pode ser automaticamente explorada através de correio electrónico. Para um ataque poder ser bem sucedido, é necessário que um utilizador abra um anexo que é enviado numa mensagem de correio electrónico.
  • No cenário de um ataque baseado na Web, um intruso poderia alojar um Web site contendo uma página Web que fosse utilizada para explorar esta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos ou anúncios fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Contudo, em qualquer dos casos, o intruso não teria forma de forçar os utilizadores a visitar estes Web sites. Um intruso teria de convencer os utilizadores a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação presente numa mensagem de correio electrónico ou numa mensagem de um programa de mensagens instantâneas, que levasse os utilizadores para o Web site do intruso e, em seguida, convencendo-os a abrir o ficheiro Office especialmente concebido para o efeito.

Soluções alternativas para a Vulnerabilidade de capacidade de memória intermédia excedida do Conversor de Imagem FlashPix - CVE-2010-3951

Uma solução alternativa refere-se a uma definição ou alteração de configuração que não corrige a vulnerabilidade subjacente, mas que ajudaria a bloquear vectores de ataque conhecidos antes de aplicar a actualização. A Microsoft testou as seguintes soluções alternativas e estados na discussão acerca de casos em que uma solução alternativa reduz a funcionalidade:

  • Modificar a lista de controlo de acesso para negar o acesso a fpx32.flt para todos os utilizadores

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista , Windows Server 2008 e Windows 7:

    takeown /f "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /save %TEMP%\fpxflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /deny everyone:(F)

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    takeown /f "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /save %TEMP%\fpxflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /deny everyone:(F)

    Impacto da solução alternativa. As aplicações Office não poderão importar ficheiros de imagem FlashPix.

    Como anular esta solução alternativa.

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista, Windows Server 2008 e Windows 7:

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\fpxflt_ACL.TXT

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\fpxflt_ACL.TXT

  • Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual

    Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual. É possível tirar partido desta vulnerabilidade quando um utilizador abre um ficheiro especialmente concebido para o efeito.

Perguntas mais frequentes sobre a Vulnerabilidade de capacidade de memória intermédia excedida do Conversor de Imagem FlashPix - CVE-2010-3951

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de execução remota de código. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade é provocada quando o Microsoft Office analisa incorrectamente os dados nos ficheiros de imagem FlashPix.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que conseguisse explorar esta vulnerabilidade com êxito poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador com sessão iniciada. Se um utilizador tiver sessão iniciada com direitos de utilizador administrativos, um intruso poderia obter controlo total sobre o sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
A exploração desta vulnerabilidade requer que um utilizador abra um documento Office especialmente concebido para o efeito utilizando uma edição do Microsoft Office afectada.

Num cenário de ataque com base em correio electrónico, um intruso poderia explorar a vulnerabilidade enviando um documento Office especialmente concebido para o efeito ao utilizador e convencendo-o a abrir o ficheiro.

Num cenário de ataque com base na Web, um intruso teria de alojar um Web site contendo um documento do Office que fosse utilizado para tentar tirar partido desta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Um intruso não conseguiria obrigar os utilizadores a visitarem um Web site especialmente concebido para o efeito. Em vez disso, um intruso teria de os convencer a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação que os levasse ao site do intruso e, em seguida, convencê-los a abrir o documento Office especialmente concebido para o efeito.

Quais os sistemas mais susceptíveis a esta vulnerabilidade?  
Esta vulnerabilidade requer que um utilizador tenha sessão iniciada e que leia mensagens de correio electrónico, visite Web sites ou abra ficheiros a partir de uma área de rede partilhada, para que possa ocorrer qualquer acção maliciosa. Assim sendo, todos os sistemas utilizados para ler mensagens de correio electrónico, em que o Internet Explorer seja utilizado frequentemente ou onde os utilizadores tenham acesso a áreas de rede partilhadas, tais como estações de trabalho ou servidores de terminais, são os que estão mais susceptíveis a esta vulnerabilidade. Os sistemas que não sejam normalmente utilizados para visitar Web sites, como os sistemas de servidor, correm pouco risco.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve a vulnerabilidade modificando a forma como o Microsoft Office valida os dados ao processar imagens FlashPix.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação coordenada de vulnerabilidades.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido informações sobre a exploração desta vulnerabilidade?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Existe uma vulnerabilidade de execução remota de código na forma como o Microsoft Office analisa ficheiros de imagem FlashPix especialmente concebidos para o efeito. A vulnerabilidade poderia permitir uma execução remota de código se um utilizador abrisse um documento do Office contendo uma imagem FlashPix especialmente concebida. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Para visualizar esta vulnerabilidade como uma entrada comum na lista de Vulnerabilidades e Exposições Comuns, consulte CVE-2010-3952.

Factores atenuantes para a Vulnerabilidade de corrupção de heap do Conversor de Imagem FlashPix - CVE-2010-3952

A atenuação refere-se a uma definição, uma configuração comum ou uma prática recomendada geral, que existe num estado predefinido, que poderia reduzir a gravidade da exploração de uma vulnerabilidade. Os seguintes factores atenuantes podem ser úteis para a sua situação:

  • Um intruso que explorasse com sucesso esta vulnerabilidade poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador local. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.
  • Por predefinição, o conversor de imagem FlashPix não é instalado pelo Microsoft Office. Apenas os sistemas onde o conversor de imagem FlashPix é manualmente instalado são afectados pela vulnerabilidade.
  • A vulnerabilidade não pode ser automaticamente explorada através de correio electrónico. Para um ataque poder ser bem sucedido, é necessário que um utilizador abra um anexo que é enviado numa mensagem de correio electrónico.
  • No cenário de um ataque baseado na Web, um intruso poderia alojar um Web site contendo uma página Web que fosse utilizada para explorar esta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos ou anúncios fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Contudo, em qualquer dos casos, o intruso não teria forma de forçar os utilizadores a visitar estes Web sites. Um intruso teria de convencer os utilizadores a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação presente numa mensagem de correio electrónico ou numa mensagem de um programa de mensagens instantâneas, que levasse os utilizadores para o Web site do intruso e, em seguida, convencendo-os a abrir o ficheiro Office especialmente concebido para o efeito.

Soluções alternativas para a Vulnerabilidade de corrupção de heap do Conversor de Imagem FlashPix - CVE-2010-3952

Uma solução alternativa refere-se a uma definição ou alteração de configuração que não corrige a vulnerabilidade subjacente, mas que ajudaria a bloquear vectores de ataque conhecidos antes de aplicar a actualização. A Microsoft testou as seguintes soluções alternativas e estados na discussão acerca de casos em que uma solução alternativa reduz a funcionalidade:

  • Modificar a lista de controlo de acesso para negar o acesso a fpx32.flt para todos os utilizadores

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /E /P everyone:N

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista , Windows Server 2008 e Windows 7:

    takeown /f "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /save %TEMP%\fpxflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /deny everyone:(F)

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    takeown /f "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt"

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /save %TEMP%\fpxflt_ACL.TXT

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /deny everyone:(F)

    Impacto da solução alternativa. As aplicações Office não poderão importar ficheiros de imagem FlashPix.

    Como anular esta solução alternativa.

    Execute o comando seguinte a partir de uma linha de comandos como administrador:

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 64 bits do Windows XP e Windows Server 2003:

    cacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\fpx32.flt" /E /R everyone

    Para todas as edições suportadas de 32 bits do Windows Vista, Windows Server 2008 e Windows 7:

    icacls "%CommonProgramFiles%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\fpxflt_ACL.TXT

    Para todas as edições de 64 bits suportadas do Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2:

    icacls "%CommonProgramFiles(x86)%\Microsoft Shared\grphflt\" /restore %TEMP%\fpxflt_ACL.TXT

  • Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual

    Não abra ficheiros Office que tenha recebido de fontes não fidedignas, ou que recebeu de fontes fidedignas mas que de alguma forma não correspondem ao que é habitual. É possível tirar partido desta vulnerabilidade quando um utilizador abre um ficheiro especialmente concebido para o efeito.

Perguntas mais frequentes sobre a Vulnerabilidade de corrupção de heap do Conversor de Imagem FlashPix - CVE-2010-3952

Qual é a abrangência desta vulnerabilidade?  
Esta é uma vulnerabilidade de execução remota de código. Um intruso que conseguisse tirar partido desta vulnerabilidade poderia obter o controlo total de um sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

O que provoca a vulnerabilidade?  
A vulnerabilidade existe no modo como o Microsoft Office analisa dados nos ficheiros de imagem FlashPix.

Como poderia um intruso utilizar a vulnerabilidade?  
Um intruso que conseguisse explorar esta vulnerabilidade com êxito poderia obter os mesmos privilégios que o utilizador com sessão iniciada. Se um utilizador tiver sessão iniciada com direitos de utilizador administrativos, um intruso poderia obter controlo total sobre o sistema afectado. Um intruso poderia então instalar programas; ver, alterar ou eliminar dados; ou ainda criar novas contas com todos os privilégios. Os utilizadores cujas contas estão configuradas com menos direitos de utilização no sistema podem correr menos riscos do que os utilizadores que trabalham com direitos de utilização de administrador.

Como poderia um intruso explorar a vulnerabilidade?  
A exploração desta vulnerabilidade requer que um utilizador abra um documento Office especialmente concebido para o efeito utilizando uma edição do Microsoft Office afectada.

Num cenário de ataque com base em correio electrónico, um intruso poderia explorar a vulnerabilidade enviando um documento Office especialmente concebido para o efeito ao utilizador e convencendo-o a abrir o ficheiro.

Num cenário de ataque com base na Web, um intruso teria de alojar um Web site contendo um documento do Office que fosse utilizado para tentar tirar partido desta vulnerabilidade. Além disso, os Web sites afectados e os Web sites que aceitam ou alojam conteúdos fornecidos por utilizadores poderiam conter conteúdos especialmente concebidos que poderiam explorar esta vulnerabilidade. Um intruso não conseguiria obrigar os utilizadores a visitarem um Web site especialmente concebido para o efeito. Em vez disso, um intruso teria de os convencer a visitar o Web site, levando-os normalmente a clicar numa hiperligação que os levasse ao site do intruso e, em seguida, convencê-los a abrir o documento Office especialmente concebido para o efeito.

Quais os sistemas mais susceptíveis a esta vulnerabilidade?  
Esta vulnerabilidade requer que um utilizador tenha sessão iniciada e que leia mensagens de correio electrónico, visite Web sites ou abra ficheiros a partir de uma área de rede partilhada, para que possa ocorrer qualquer acção maliciosa. Assim sendo, todos os sistemas utilizados para ler mensagens de correio electrónico, em que o Internet Explorer seja utilizado frequentemente ou onde os utilizadores tenham acesso a áreas de rede partilhadas, tais como estações de trabalho ou servidores de terminais, são os que estão mais susceptíveis a esta vulnerabilidade. Os sistemas que não sejam normalmente utilizados para visitar Web sites, como os sistemas de servidor, correm pouco risco.

O que faz a actualização?  
A actualização resolve a vulnerabilidade modificando a forma como o Microsoft Office valida os dados ao processar imagens FlashPix.

Quando este boletim de segurança foi publicado, esta vulnerabilidade já tinha sido divulgada publicamente?  
Não. A Microsoft recebeu informações sobre esta vulnerabilidade através de divulgação coordenada de vulnerabilidades.

Quando este boletim de segurança foi publicado, a Microsoft já tinha recebido informações sobre a exploração desta vulnerabilidade?  
Não. A Microsoft ainda não tinha recebido informações que indicassem que esta vulnerabilidade tivesse sido utilizada publicamente para atacar clientes, quando este boletim de segurança foi publicado pela primeira vez.

Informação de actualização

Centro de segurança

Faça a gestão do software e actualizações de segurança de que necessita para implementação em servidores, ambientes de trabalho e sistemas portáteis na sua organização. Para mais informações, visite o Centro de Gestão de Actualizações TechNet. O Web Site Microsoft TechNet Security fornece informações adicionais sobre segurança em produtos Microsoft.

As actualizações de segurança estão disponíveis no Microsoft Update e no Windows Update. As actualizações de segurança estão também disponíveis no Centro de Transferências da Microsoft. Pode encontrá-las mais facilmente através de uma procura pelas palavras "security update".

Para os clientes de Microsoft Office para Mac, o Microsoft AutoUpdate para Mac pode ajudar a manter o seu software da Microsoft actualizado. Para obter mais informações sobre como utilizar Microsoft AutoUpdate para Mac, consulte Verificar actualizações de software automaticamente.

Finalmente, as actualizações de segurança podem ser transferidas a partir do Catálogo do Microsoft Update. O Catálogo do Microsoft Update permite pesquisar conteúdos disponibilizados através do Windows Update e do Microsoft Update, incluindo actualizações de segurança, controladores e service packs. Utilizando o número do boletim de segurança para pesquisar (por exemplo, "MS07-036"), pode adicionar todas as actualizações aplicáveis ao seu cesto (incluindo diferentes idiomas para uma actualização) e transferi-las para uma pasta à sua escolha. Para mais informação sobre o Catálogo do Microsoft Update, consulte as Perguntas Mais Frequentes sobre o Catálogo do Microsoft Update.

Orientações de Detecção e Implementação

A Microsoft fornece orientações sobre detecção e implementação de actualizações de segurança. Estas orientações contêm recomendações e informação que podem auxiliar os profissionais de TI a compreender como utilizar as diversas ferramentas para detecção e implementação de actualizações de segurança. Para obter mais informações, consulte o Artigo 961747 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Microsoft Baseline Security Analyzer

O Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA) permite aos administradores procurar actualizações de segurança em falta e comuns erros de configuração de segurança em sistemas locais e remotos. Para obter mais informações acerca do MBSA, visite o Web site do Microsoft Baseline Security Analyzer.

A tabela seguinte fornece o resumo de detecções do MBSA para esta actualização de segurança.

Software MBSA
Microsoft Office XP Service Pack 3Sim
Microsoft Office 2003 Service Pack 3Sim
Microsoft Office 2007 Service Pack 2Sim
Microsoft Office 2010 (edições de 32 bits)Sim
Microsoft Office 2010 (edições de 64 bits)Sim
Microsoft Office Converter PackSim
Microsoft Works 9Sim

Nota Para clientes que utilizam software antigo não suportado pela versão mais recente do MBSA, Microsoft Update e Windows Server Update Services, visite Microsoft Baseline Security Analyzer e consulte a secção Legacy Product Support (Suporte para Produtos Antigos) sobre como criar detecção de actualizações de segurança abrangentes com ferramentas antigas.

Windows Server Update Services

O Windows Server Update Services (WSUS) permite que os administradores de tecnologia de informação implementem as actualizações mais recentes de produtos da Microsoft em computadores que estejam a executar o sistema operativo Windows. Para mais informações sobre como implementar actualizações de segurança usando o Windows Server Update Services, consulte o artigo TechNet sobre o Windows Server Update Services.

Systems Management Server

A tabela seguinte fornece o resumo de detecções e implementação do SMS para esta actualização de segurança.

SoftwareSMS 2.0SMS 2003 com SUITSMS 2003 com ITMUConfiguration Manager 2007
Microsoft Office XP Service Pack 3NãoNãoSimSim
Microsoft Office 2003 Service Pack 3NãoNãoSimSim
Microsoft Office 2007 Service Pack 2NãoNãoSimSim
Microsoft Office 2010 (edições de 32 bits)NãoNãoSimSim
Microsoft Office 2010 (edições de 64 bits)NãoNãoSimSim
Microsoft Office Converter PackNãoNãoSimSim
Microsoft Works 9NãoNãoSimSim

Para SMS 2.0 e SMS 2003, a ferramenta Security Update Inventory Tool (SUIT) pode ser utilizada pelo SMS para detectar actualizações de segurança. Consulte também as transferências para o Systems Management Server 2.0.

Para o SMS 2003, a ferramenta SMS 2003 Inventory Tool for Microsoft Updates (ITMU) pode ser usada pelo SMS para detectar actualizações de segurança que foram oferecidas pelo Microsoft Update e que são suportadas pelos Windows Server Update Services. Para mais informações sobre o SMS 2003 ITMU, consulte SMS 2003 Inventory Tool for Microsoft Updates. Para obter mais informações sobre as ferramentas de análise do SMS, consulte SMS 2003 Software Update Scanning Tools. Consulte também as transferências para o Systems Management Server 2003.

O System Center Configuration Manager 2007 utiliza o WSUS 3.0 para a detecção de actualizações. Para mais informações sobre o Configuration Manager 2007 Software Update Management, visite o System Center Configuration Manager 2007.

Para mais informações sobre o SMS, visite o Web site do SMS.

Para obter informações mais detalhadas, consulte o Artigo 910723 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft: Lista de resumo de artigos mensais sobre orientações de detecção e implementação.

Nota Se tiver utilizado um Ponto de Instalação Administrativa (AIP) para implementar o Office XP ou o Office 2003, poderá não ser capaz de implementar a actualização utilizando o SMS se tiver actualizado o AIP a partir da linha base original. Para mais informações, consulte o cabeçalho Ponto de instalação administrativa do Office, nesta secção.

Ponto de Instalação Administrativa do Office

Se a aplicação tiver sido instalada a partir de uma localização no servidor, o administrador do servidor terá de actualizar a localização do servidor com a actualização administrativa e implementar essa actualização no sistema do utilizador.

Update Compatibility Evaluator e Application Compatibility Toolkit

É frequente as actualizações utilizarem os mesmos ficheiros e configurações de registo necessários para a execução das aplicações. Isso pode dar origem a incompatibilidades e aumentar o tempo necessário para a implementação de actualizações de segurança. Pode simplificar o teste e a validação de actualizações do Windows relativamente às aplicações instaladas com os componentes do Update Compatibility Evaluator incluído no Application Compatibility Toolkit.

O Application Compatibility Toolkit (ACT) contém as ferramentas e documentação necessárias para avaliar e atenuar questões de compatibilidade da aplicação antes de implementar o Microsoft Windows Vista, uma Actualização do Windows, uma Actualização de Segurança da Microsoft ou uma nova versão do Windows Internet Explorer no seu ambiente.

Software Afectado

Para obter mais informações sobre a actualização de segurança específica do software afectado, clique na ligação adequada:

Office XP (todas as edições)

Tabela de Referência

A tabela seguinte contém a informação sobre a actualização de segurança para este software. Pode encontrar informações adicionais na subsecção Informações de Implementação, nesta secção.

Inclusão em Service Packs Futuros Não existem mais service packs planeados para este software. A actualização para esta questão poderá ser incluída num update rollup futuro.
Implementação
Instalação sem intervenção do utilizadorOfficeXP-kb2289162-fullfile-enu.exe /q:a
Instalação sem reiniciarOfficeXP-kb2289162-fullfile-enu.exe /r:n
Ficheiro log da actualizaçãoNão aplicável
Informações adicionaisPara detecção e implementação, consulte a secção Orientações e Ferramentas de Detecção e Implementação.  

Para funcionalidades que pode instalar selectivamente, consulte a subsecção Funcionalidades do Office para instalações administrativas, nesta secção.
Requisito de Reinício
Reinício necessário?Em alguns casos, esta actualização não requer um reinício. Se os ficheiros necessários estiverem a ser utilizados, esta actualização obrigará a reiniciar o computador. Se for esse o caso, será apresentada uma mensagem aconselhando-o a reiniciar.

Para ajudar a reduzir a hipótese de ser necessário reiniciar o computador, interrompa todos os serviços afectados e feche todas as aplicações que possam usar os ficheiros afectados antes de instalar a actualização de segurança. Para mais informações sobre por que razão pode ser solicitada a sua confirmação para o reinício, consulte o Artigo 887012 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.
HotPatchingNão aplicável
Informações de Remoção Utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas, no Painel de Controlo.

Nota Quando remove esta actualização, poderá ser-lhe solicitado que introduza o CD do Microsoft Office XP na unidade de CD. Além disso, poderá não ter a opção para desinstalar a actualização a partir da ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Existem várias causas possíveis para esta questão. Para obter mais informações sobre o processo de remoção, consulte o Artigo 903771 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.
Informações de Ficheiros Consulte o Artigo 2289162 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft
Verificação da Chave de Registo Não aplicável

Funcionalidades do Office

A tabela seguinte contém a lista de nomes de funcionalidades (sensíveis a maiúsculas e minúsculas) que têm de ser reinstaladas para a actualização. Para instalar todas as funcionalidades, pode utilizar REINSTALL=ALL, ou pode instalar as seguintes funcionalidades:

ProdutoFuncionalidade
ACCESS, FP, OUTLOOK, PPT, ACCESSRT, PUBProductFiles
PIPC1, PROPLUS, PRO, SBE, STD, STDEDUProductFiles
EXCELEXCELNonBootFiles, ProductFiles

Nota Os administradores que trabalhem em ambientes com gestão de sistema podem encontrar todos os recursos para implementar actualizações do Office numa organização recorrendo ao Office Admin Update Center. Nesse site, desça até à secção Recursos para Actualizações e procure aí a versão do software que está a actualizar. A Documentação do Windows Installer também fornece informações adicionais acerca dos parâmetros suportados pelo Windows Installer.

Informações de Implementação

Instalação da Actualização

Pode instalar a actualização a partir da hiperligação de transferência adequada, na secção Software Afectado e Software Não Afectado. Se a aplicação tiver sido instalada a partir de uma localização no servidor, o administrador do servidor terá de actualizar a localização do servidor com a actualização administrativa e implementar essa actualização no sistema do utilizador. Para mais informações sobre os pontos de instalação administrativa, consulte as informações do artigo Ponto de instalação administrativa do Office, na secção Orientações e ferramentas de detecção e implementação.

Esta actualização de segurança requer que o Windows Installer 2.0, ou versão posterior, esteja instalado no sistema. Todas as versões do Windows suportadas incluem o Windows Installer 2.0 ou uma versão posterior.

Para instalar a versão 2.0 ou posterior do Windows Installer, consulte um dos seguintes Web sites da Microsoft:

Para mais informações sobre a terminologia que é usada neste boletim, tal como hotfix, consulte o Artigo 824684 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Esta actualização de segurança suporta os seguintes parâmetros de configuração.

Parâmetros de Instalação de Actualizações de Segurança Suportados
ParâmetroDescrição
/q Especifica o modo silencioso ou suprime mensagens quando os ficheiros estão a ser extraídos.
/q:u Especifica o modo silencioso de utilizador, que apresenta algumas caixas de diálogo ao utilizador.
/q:a Especifica o modo silencioso de administrador, que não apresenta qualquer caixa de diálogo ao utilizador.
/t:path Especifica a pasta de destino para a extracção de ficheiros.
/c Extrai os ficheiros sem os instalar. Se /t:path não for especificado, ser-lhe-á pedida uma pasta de destino.
/c:path Substitui o comando de instalação definido pelo autor. Especifica o caminho e nome do ficheiro Setup.inf ou .exe.
/r:n Nunca reinicia o sistema após a instalação.
/r:I Solicita ao utilizador que reinicie o sistema, se for necessário, excepto quando este parâmetro é utilizado com /q:a.
/r:a Reinicia sempre o sistema após a instalação.
/r:s Reinicia o sistema após a instalação sem solicitar a confirmação do utilizador.
/n:v Sem verificação da versão - Instalar o programa sobre qualquer versão anterior.

Nota É possível combinar estes parâmetros num único comando. Para efeitos de retro-compatibilidade, a actualização de segurança também suporta os parâmetros de configuração que são utilizados pelas versões anteriores do Programa de Configuração. Para mais informações sobre os parâmetros de instalação suportados, consulte o Artigo 262841 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Remoção da Actualização

Para remover esta actualização de segurança, utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Nota Quando remove esta actualização, poderá ser-lhe solicitado que introduza o CD do Microsoft Office XP na unidade de CD. Além disso, poderá não ter a opção para desinstalar a actualização a partir da ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Existem várias causas possíveis para esta questão. Para obter mais informações sobre o processo de remoção, consulte o Artigo 903771 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Verificar Se a Actualização Foi Aplicada

  • Microsoft Baseline Security Analyzer

    Para verificar se uma actualização de segurança foi aplicada num sistema afectado, poderá utilizar a ferramenta Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA). Consulte a secção "Orientações e ferramentas de detecção e implementação" mais acima neste boletim para obter mais informações.

  • Verificação das Versões dos Ficheiros

    Dado existirem várias versões e edições do Microsoft Windows, os passos que se seguem podem ser diferentes no seu sistema. Caso efectivamente o sejam, consulte a documentação do produto para executar estes passos.

    1. Clique em Iniciar e, em seguida, em Procurar.
    2. No painel Resultados da Procura, clique em Todos os ficheiros e pastas no Assistente de Pesquisa.
    3. Na caixa Totalidade ou parte do nome de ficheiro, escreva um nome de ficheiro a partir da tabela de informações de ficheiros adequada e, em seguida, clique em Procurar.
    4. Na lista de ficheiros, clique com o botão direito do rato no nome de ficheiro a partir da tabela de informações de ficheiros adequada e, em seguida, clique em Propriedades.

      Nota Dependendo da versão do sistema operativo, ou dos programas instalados, alguns dos ficheiros incluídos na tabela de informações de ficheiro poderão não estar instalados.
    5. No separador Versão, determine a versão do ficheiro que está instalada no sistema, comparando-a com a versão que é documentada na tabela de informações de ficheiros adequada.

      Nota Outros atributos que não a versão do ficheiro poderão sofrer alterações durante a instalação. Comparar outros atributos de ficheiro com as informações contidas na tabela de informações de ficheiro não é um método suportado para verificar a aplicação da actualização. Além disso, em determinados casos, o nome dos ficheiros poderá ser alterado durante a instalação. Se as informações de ficheiro ou de versão não estiverem presentes, utilize um dos outros métodos disponíveis para verificar a instalação da actualização.

Office 2003 (todas as edições)

Tabela de Referência

A tabela seguinte contém a informação sobre a actualização de segurança para este software. Pode encontrar informações adicionais na subsecção Informações de Implementação abaixo.

Inclusão em Service Packs Futuros Não existem mais service packs planeados para este software. A actualização para esta questão poderá ser incluída num update rollup futuro.
Implementação
Instalação sem intervenção do utilizadorOffice2003-kb2289163-fullfile-enu.exe /q:a
Instalação sem reiniciarOffice2003-kb2289163-fullfile-enu.exe /r:n
Ficheiro log da actualizaçãoNão aplicável
Informações adicionaisPara detecção e implementação, consulte a secção Orientações e Ferramentas de Detecção e Implementação.  

Para funcionalidades que pode instalar selectivamente, consulte a subsecção Funcionalidades do Office para instalações administrativas, nesta secção.
Requisito de Reinício
Reinício necessário?Em alguns casos, esta actualização não requer um reinício. Se os ficheiros necessários estiverem a ser utilizados, esta actualização obrigará a reiniciar o computador. Se for esse o caso, será apresentada uma mensagem aconselhando-o a reiniciar.

Para ajudar a reduzir a hipótese de ser necessário reiniciar o computador, interrompa todos os serviços afectados e feche todas as aplicações que possam usar os ficheiros afectados antes de instalar a actualização de segurança. Para mais informações sobre por que razão pode ser solicitada a sua confirmação para o reinício, consulte o Artigo 887012 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.
HotPatchingNão aplicável
Informações de Remoção Utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas, no Painel de Controlo.

Nota Quando remove esta actualização, poderá ser-lhe solicitado que introduza o CD do Microsoft Office 2003 na unidade de CD. Além disso, poderá não ter a opção para desinstalar a actualização a partir da ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Existem várias causas possíveis para esta questão. Para obter mais informações sobre o processo de remoção, consulte o Artigo 903771 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.
Informações de Ficheiros Consulte o Artigo 2289163 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft
Verificação da Chave de Registo Não aplicável

Funcionalidades do Office

A tabela seguinte contém a lista de nomes de funcionalidades (sensíveis a maiúsculas e minúsculas) que têm de ser reinstaladas para a actualização. Para instalar todas as funcionalidades, pode utilizar REINSTALL=ALL, ou pode instalar as seguintes funcionalidades:

ProdutoFuncionalidade
STD11, BASIC11, PERS11, STDP11WORDNonBootFiles, EXCELNonBootFiles, ProductFiles
FP11ProductFiles
PROI11, PRO11, PRO11SBWORDNonBootFiles, ACCESSNonBootFiles, EXCELNonBootFiles, ProductFiles
XLVIEWExcelViewer

Nota Os administradores que trabalhem em ambientes com gestão de sistema podem encontrar todos os recursos para implementar actualizações do Office numa organização recorrendo ao Office Admin Update Center. Nesse site, desça até à secção Recursos para Actualizações e procure aí a versão do software que está a actualizar. A Documentação do Windows Installer também fornece informações adicionais acerca dos parâmetros suportados pelo Windows Installer.

Informações de Implementação

Instalação da Actualização

Pode instalar a actualização a partir da hiperligação de transferência adequada, na secção Software Afectado e Software Não Afectado. Se a aplicação tiver sido instalada a partir de uma localização no servidor, o administrador do servidor terá de actualizar a localização do servidor com a actualização administrativa e implementar essa actualização no sistema do utilizador. Para mais informações sobre os pontos de instalação administrativa, consulte as informações do artigo Ponto de instalação administrativa do Office, na secção Orientações e ferramentas de detecção e implementação.

Esta actualização de segurança requer que o Windows Installer 2.0, ou versão posterior, esteja instalado no sistema. Todas as versões do Windows suportadas incluem o Windows Installer 2.0 ou uma versão posterior.

Para instalar a versão 2.0 ou posterior do Windows Installer, consulte um dos seguintes Web sites da Microsoft:

Para mais informações sobre a terminologia que é usada neste boletim, tal como hotfix, consulte o Artigo 824684 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Esta actualização de segurança suporta os seguintes parâmetros de configuração.

Parâmetros de Instalação de Actualizações de Segurança Suportados
ParâmetroDescrição
/q Especifica o modo silencioso ou suprime mensagens quando os ficheiros estão a ser extraídos.
/q:u Especifica o modo silencioso de utilizador, que apresenta algumas caixas de diálogo ao utilizador.
/q:a Especifica o modo silencioso de administrador, que não apresenta qualquer caixa de diálogo ao utilizador.
/t:path Especifica a pasta de destino para a extracção de ficheiros.
/c Extrai os ficheiros sem os instalar. Se /t:path não for especificado, ser-lhe-á pedida uma pasta de destino.
/c:path Substitui o comando de instalação definido pelo autor. Especifica o caminho e nome do ficheiro Setup.inf ou .exe.
/r:n Nunca reinicia o sistema após a instalação.
/r:I Solicita ao utilizador que reinicie o sistema, se for necessário, excepto quando este parâmetro é utilizado com /q:a.
/r:a Reinicia sempre o sistema após a instalação.
/r:s Reinicia o sistema após a instalação sem solicitar a confirmação do utilizador.
/n:v Sem verificação da versão - Instalar o programa sobre qualquer versão anterior.

Nota É possível combinar estes parâmetros num único comando. Para efeitos de retro-compatibilidade, a actualização de segurança também suporta muitos dos parâmetros de configuração que são utilizados pelas versões anteriores do Programa de Configuração. Para mais informações sobre os parâmetros de instalação suportados, consulte o Artigo 262841 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Remoção da Actualização

Para remover esta actualização de segurança, utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo.

Nota Quando remover esta actualização, poderá ser-lhe solicitado que introduza o CD do Microsoft Office 2003 na unidade de CD. Além disso, poderá não ter a opção para desinstalar a actualização a partir da ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Existem várias causas possíveis para esta questão. Para obter mais informações sobre o processo de remoção, consulte o Artigo 903771 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Verificar Se a Actualização Foi Aplicada

  • Microsoft Baseline Security Analyzer

    Para verificar se uma actualização de segurança foi aplicada num sistema afectado, poderá utilizar a ferramenta Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA). Consulte a secção "Orientações e ferramentas de detecção e implementação" mais acima neste boletim para obter mais informações.

  • Verificação das Versões dos Ficheiros

    Dado existirem várias edições do Microsoft Windows, os passos que se seguem podem ser diferentes no seu sistema. Caso efectivamente o sejam, consulte a documentação do produto para executar estes passos.

    1. Clique em Iniciar e depois introduza um nome de ficheiro de actualização na caixa Iniciar Pesquisa.
    2. Quando o ficheiro aparecer em Programas, clique com o botão direito do rato no nome do ficheiro e depois em Propriedades.
    3. No separador Geral, compare o tamanho do ficheiro com as tabelas de informação de ficheiros fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    4. Também pode clicar no separador Detalhes e comparar informações, como a versão de ficheiro e a data de modificação, com as tabelas de informação fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    5. Por fim, também pode clicar no separador Versões anteriores e comparar a informação de ficheiros sobre a versão anterior do ficheiro com a informação da versão do ficheiro nova ou actualizada.

Microsoft Office 2007 (todas as edições)

Tabela de Referência

A tabela seguinte contém a informação sobre a actualização de segurança para este software. Pode encontrar informações adicionais na subsecção Informações de Implementação, nesta secção.

Inclusão em Service Packs Futuros A actualização para esta questão será incluída num service pack ou num update rollup futuro
Implementação
Instalação sem intervenção do utilizadorOffice2007-kb2288931-fullfile-x86-glb.exe /passive
Instalação sem reiniciarOffice2007-kb2288931-fullfile-x86-glb.exe /norestart
Ficheiro log da actualizaçãoNão aplicável
Informações adicionaisPara detecção e implementação, consulte a secção Orientações e Ferramentas de Detecção e Implementação.
Requisito de Reinício
Reinício necessário?Em alguns casos, esta actualização não requer um reinício. Se os ficheiros necessários estiverem a ser utilizados, esta actualização obrigará a reiniciar o computador. Se for esse o caso, será apresentada uma mensagem aconselhando-o a reiniciar.

Para ajudar a reduzir a hipótese de ser necessário reiniciar o computador, interrompa todos os serviços afectados e feche todas as aplicações que possam usar os ficheiros afectados antes de instalar a actualização de segurança. Para mais informações sobre por que razão pode ser solicitada a sua confirmação para o reinício, consulte o Artigo 887012 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.
HotPatchingNão aplicável
Informações de Remoção Utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas, no Painel de Controlo.
Informações de Ficheiros Consulte o Artigo 2288931 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft
Verificação da Chave de Registo Não aplicável

Informações de Implementação

Instalação da Actualização

Pode instalar a actualização a partir da hiperligação de transferência adequada, na secção Software Afectado e Software Não Afectado. Se a aplicação tiver sido instalada a partir de uma localização no servidor, o administrador do servidor terá de actualizar a localização do servidor com a actualização administrativa e implementar essa actualização no sistema do utilizador. Para mais informações sobre os pontos de instalação administrativa, consulte as informações do artigo Ponto de instalação administrativa do Office, na secção Orientações e ferramentas de detecção e implementação.

Esta actualização de segurança requer que o Windows Installer 3.1, ou versão posterior, esteja instalado no sistema.

Para instalar a versão 3.1 ou posterior do Windows Installer, consulte um dos seguintes Web sites da Microsoft:

Para mais informações sobre a terminologia que é usada neste boletim, tal como hotfix, consulte o Artigo 824684 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Esta actualização de segurança suporta os seguintes parâmetros de configuração.

Parâmetros de Instalação de Actualizações de Segurança Suportados
ParâmetroDescrição
/? ou /helpApresenta a caixa de diálogo de utilização.
/passive Especifica o modo passivo. Não requer interacção do utilizador; os utilizadores visualizam as caixas de diálogo de progresso básicas, mas não é possível cancelar.
/quiet Especifica o modo silencioso ou suprime mensagens quando os ficheiros estão a ser extraídos.
/norestart Suprime o reinício do sistema se a actualização o exigir.
/forcerestart Reinicia automaticamente o sistema após aplicar a actualização, independentemente de a actualização o exigir ou não.
/extract Extrai os ficheiros sem os instalar. É pedida uma pasta de destino.
/extract:<path> Substitui o comando de instalação definido pelo autor. Especifica o caminho e nome do ficheiro Setup.inf ou .exe.
/lang:<LCID> Força a utilização de um idioma específico quando o pacote da actualização suporta esse idioma.
/log:<log file> Activa o registo, tanto através do Vnox como do Installer, durante a instalação da actualização.

Nota É possível combinar estes parâmetros num único comando. Para efeitos de retro-compatibilidade, a actualização de segurança também suporta muitos dos parâmetros de configuração que são utilizados pelas versões anteriores do Programa de Configuração. Para mais informações sobre os parâmetros de instalação suportados, consulte o Artigo 262841 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Remoção da Actualização

Para remover esta actualização de segurança, utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo.

Nota Quando remove esta actualização, poderá ser-lhe solicitado que introduza o CD do Microsoft Office 2007 na unidade de CD. Além disso, poderá não ter a opção para desinstalar a actualização a partir da ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Existem várias causas possíveis para esta questão. Para obter mais informações sobre o processo de remoção, consulte o Artigo 903771 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Verificar Se a Actualização Foi Aplicada

  • Microsoft Baseline Security Analyzer

    Para verificar se uma actualização de segurança foi aplicada num sistema afectado, poderá utilizar a ferramenta Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA). Consulte a secção "Orientações e ferramentas de detecção e implementação" mais acima neste boletim para obter mais informações.

  • Verificação das Versões dos Ficheiros

    Dado existirem várias edições do Microsoft Windows, os passos que se seguem podem ser diferentes no seu sistema. Caso efectivamente o sejam, consulte a documentação do produto para executar estes passos.

    1. Clique em Iniciar e, depois, introduza um nome de ficheiro de actualização na caixa Iniciar Pesquisa.
    2. Quando o ficheiro aparecer em Programas, clique com o botão direito do rato no nome do ficheiro e depois em Propriedades.
    3. No separador Geral, compare o tamanho do ficheiro com as tabelas de informação de ficheiros fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    4. Também pode clicar no separador Detalhes e comparar informações, como a versão de ficheiro e a data de modificação, com as tabelas de informação fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    5. Por fim, também pode clicar no separador Versões anteriores e comparar a informação de ficheiros sobre a versão anterior do ficheiro com a informação da versão do ficheiro nova ou actualizada.

Microsoft Office 2010 (todas as edições)

Tabela de Referência

A tabela seguinte contém a informação sobre a actualização de segurança para este software. Pode encontrar informações adicionais na subsecção Informações de Implementação, nesta secção.

Inclusão em Service Packs Futuros A actualização para esta questão será incluída num service pack ou num update rollup futuro
Implementação
Instalação sem intervenção do utilizadorPara o Microsoft Office 2010 (edições de 32 bits):
Office2010-kb2289078-fullfile-x86-glb.exe /passive
Para o Microsoft Office 2010 (edições de 64 bits):
Office2010-kb2289078-fullfile-x64-glb.exe /passive
Instalação sem reiniciarPara o Microsoft Office 2010 (edições de 32 bits):
Office2010-kb2289078-fullfile-x86-glb.exe /norestart
Para o Microsoft Office 2010 (edições de 64 bits):
Office2010-kb2289078-fullfile-x64-glb.exe /norestart
Ficheiro log da actualizaçãoNão aplicável
Informações adicionaisPara detecção e implementação, consulte a secção Orientações e Ferramentas de Detecção e Implementação.
Requisito de Reinício
Reinício necessário?Em alguns casos, esta actualização não requer um reinício. Se os ficheiros necessários estiverem a ser utilizados, esta actualização obrigará a reiniciar o computador. Se for esse o caso, será apresentada uma mensagem aconselhando-o a reiniciar.

Para ajudar a reduzir a hipótese de ser necessário reiniciar o computador, interrompa todos os serviços afectados e feche todas as aplicações que possam usar os ficheiros afectados antes de instalar a actualização de segurança. Para mais informações sobre por que razão pode ser solicitada a sua confirmação para o reinício, consulte o Artigo 887012 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.
HotPatchingNão aplicável
Informações de Remoção Utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas, no Painel de Controlo.
Informações de Ficheiros Consulte o Artigo 2289078 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft
Verificação da Chave de Registo Não aplicável

Informações de Implementação

Instalação da Actualização

Pode instalar a actualização a partir da hiperligação de transferência adequada, na secção Software Afectado e Software Não Afectado. Se a aplicação tiver sido instalada a partir de uma localização no servidor, o administrador do servidor terá de actualizar a localização do servidor com a actualização administrativa e implementar essa actualização no sistema do utilizador. Para mais informações sobre os pontos de instalação administrativa, consulte as informações do artigo Ponto de instalação administrativa do Office, na secção Orientações e ferramentas de detecção e implementação.

Esta actualização de segurança requer que o Windows Installer 3.1, ou versão posterior, esteja instalado no sistema.

Para instalar a versão 3.1 ou posterior do Windows Installer, consulte um dos seguintes Web sites da Microsoft:

Para mais informações sobre a terminologia que é usada neste boletim, tal como hotfix, consulte o Artigo 824684 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Esta actualização de segurança suporta os seguintes parâmetros de configuração.

Parâmetros de Instalação de Actualizações de Segurança Suportados
ParâmetroDescrição
/? ou /helpApresenta a caixa de diálogo de utilização.
/passive Especifica o modo passivo. Não requer interacção do utilizador; os utilizadores visualizam as caixas de diálogo de progresso básicas, mas não é possível cancelar.
/quiet Especifica o modo silencioso ou suprime mensagens quando os ficheiros estão a ser extraídos.
/norestart Suprime o reinício do sistema se a actualização o exigir.
/forcerestart Reinicia automaticamente o sistema após aplicar a actualização, independentemente de a actualização o exigir ou não.
/extract Extrai os ficheiros sem os instalar. É pedida uma pasta de destino.
/extract:<path> Substitui o comando de instalação definido pelo autor. Especifica o caminho e nome do ficheiro Setup.inf ou .exe.
/lang:<LCID> Força a utilização de um idioma específico quando o pacote da actualização suporta esse idioma.
/log:<log file> Activa o registo, tanto através do Vnox como do Installer, durante a instalação da actualização.

Nota É possível combinar estes parâmetros num único comando. Para efeitos de retro-compatibilidade, a actualização de segurança também suporta muitos dos parâmetros de configuração que são utilizados pelas versões anteriores do Programa de Configuração. Para mais informações sobre os parâmetros de instalação suportados, consulte o Artigo 262841 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Remoção da Actualização

Para remover esta actualização de segurança, utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo.

Nota Quando remove esta actualização, poderá ser-lhe solicitado que introduza o CD do Microsoft Office 2007 na unidade de CD. Além disso, poderá não ter a opção para desinstalar a actualização a partir da ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Existem várias causas possíveis para esta questão. Para obter mais informações sobre o processo de remoção, consulte o Artigo 903771 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Verificar Se a Actualização Foi Aplicada

  • Microsoft Baseline Security Analyzer

    Para verificar se uma actualização de segurança foi aplicada num sistema afectado, poderá utilizar a ferramenta Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA). Consulte a secção "Orientações e ferramentas de detecção e implementação" mais acima neste boletim para obter mais informações.

  • Verificação das Versões dos Ficheiros

    Dado existirem várias edições do Microsoft Windows, os passos que se seguem podem ser diferentes no seu sistema. Caso efectivamente o sejam, consulte a documentação do produto para executar estes passos.

    1. Clique em Iniciar e, depois, introduza um nome de ficheiro de actualização na caixa Iniciar Pesquisa.
    2. Quando o ficheiro aparecer em Programas, clique com o botão direito do rato no nome do ficheiro e depois em Propriedades.
    3. No separador Geral, compare o tamanho do ficheiro com as tabelas de informação de ficheiros fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    4. Também pode clicar no separador Detalhes e comparar informações, como a versão de ficheiro e a data de modificação, com as tabelas de informação fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    5. Por fim, também pode clicar no separador Versões anteriores e comparar a informação de ficheiros sobre a versão anterior do ficheiro com a informação da versão do ficheiro nova ou actualizada.

Microsoft Office Converter Pack

Tabela de Referência

A tabela seguinte contém a informação sobre a actualização de segurança para este software. Pode encontrar informações adicionais na subsecção Informações de Implementação, nesta secção.

Inclusão em Service Packs Futuros Não existem mais service packs planeados para este software. A actualização para esta questão poderá ser incluída num update rollup futuro.
Implementação
Instalação sem intervenção do utilizadorOffice2003-KB2456849-FullFile-ENU.exe /q:a
Instalação sem reiniciarOffice2003-KB2456849-FullFile-ENU.exe /r:n
Ficheiro log da actualizaçãoNão aplicável
Informações adicionaisPara detecção e implementação, consulte a secção Orientações e Ferramentas de Detecção e Implementação.  

Para funcionalidades que pode instalar selectivamente, consulte a subsecção Funcionalidades do Office para instalações administrativas, nesta secção.
Requisito de Reinício
Reinício necessário?Em alguns casos, esta actualização não requer um reinício. Se os ficheiros necessários estiverem a ser utilizados, esta actualização obrigará a reiniciar o computador. Se for esse o caso, será apresentada uma mensagem aconselhando-o a reiniciar.

Para ajudar a reduzir a hipótese de ser necessário reiniciar o computador, interrompa todos os serviços afectados e feche todas as aplicações que possam usar os ficheiros afectados antes de instalar a actualização de segurança. Para mais informações sobre por que razão pode ser solicitada a sua confirmação para o reinício, consulte o Artigo 887012 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.
HotPatchingNão aplicável
Informações de Remoção Utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas, no Painel de Controlo.

Nota Quando remove esta actualização, poderá ser-lhe solicitado que introduza o CD do Microsoft Office XP na unidade de CD. Além disso, poderá não ter a opção para desinstalar a actualização a partir da ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Existem várias causas possíveis para esta questão. Para obter mais informações sobre o processo de remoção, consulte o Artigo 903771 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.
Informações de Ficheiros Consulte o Artigo 2456849 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft
Verificação da Chave de Registo Não aplicável

Informações de Implementação

Instalação da Actualização

Pode instalar a actualização a partir da hiperligação de transferência adequada, na secção Software Afectado e Software Não Afectado. Se a aplicação tiver sido instalada a partir de uma localização no servidor, o administrador do servidor terá de actualizar a localização do servidor com a actualização administrativa e implementar essa actualização no sistema do utilizador. Para mais informações sobre os pontos de instalação administrativa, consulte as informações do artigo Ponto de instalação administrativa do Office, na secção Orientações e ferramentas de detecção e implementação.

Esta actualização de segurança requer que o Windows Installer 2.0, ou versão posterior, esteja instalado no sistema. Todas as versões do Windows suportadas incluem o Windows Installer 2.0 ou uma versão posterior.

Para instalar a versão 2.0 ou posterior do Windows Installer, consulte um dos seguintes Web sites da Microsoft:

Para mais informações sobre a terminologia que é usada neste boletim, tal como hotfix, consulte o Artigo 824684 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Esta actualização de segurança suporta os seguintes parâmetros de configuração.

Parâmetros de Instalação de Actualizações de Segurança Suportados
ParâmetroDescrição
/q Especifica o modo silencioso ou suprime mensagens quando os ficheiros estão a ser extraídos.
/q:u Especifica o modo silencioso de utilizador, que apresenta algumas caixas de diálogo ao utilizador.
/q:a Especifica o modo silencioso de administrador, que não apresenta qualquer caixa de diálogo ao utilizador.
/t:path Especifica a pasta de destino para a extracção de ficheiros.
/c Extrai os ficheiros sem os instalar. Se /t:path não for especificado, ser-lhe-á pedida uma pasta de destino.
/c:path Substitui o comando de instalação definido pelo autor. Especifica o caminho e nome do ficheiro Setup.inf ou .exe.
/r:n Nunca reinicia o sistema após a instalação.
/r:I Solicita ao utilizador que reinicie o sistema, se for necessário, excepto quando este parâmetro é utilizado com /q:a.
/r:a Reinicia sempre o sistema após a instalação.
/r:s Reinicia o sistema após a instalação sem solicitar a confirmação do utilizador.
/n:v Sem verificação da versão - Instalar o programa sobre qualquer versão anterior.

Nota É possível combinar estes parâmetros num único comando. Para efeitos de retro-compatibilidade, a actualização de segurança também suporta os parâmetros de configuração que são utilizados pelas versões anteriores do Programa de Configuração. Para mais informações sobre os parâmetros de instalação suportados, consulte o Artigo 262841 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Remoção da Actualização

Para remover esta actualização de segurança, utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Nota Quando remove esta actualização, poderá ser-lhe solicitado que introduza o CD do Microsoft Office XP na unidade de CD. Além disso, poderá não ter a opção para desinstalar a actualização a partir da ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Existem várias causas possíveis para esta questão. Para obter mais informações sobre o processo de remoção, consulte o Artigo 903771 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Verificar Se a Actualização Foi Aplicada

  • Microsoft Baseline Security Analyzer

    Para verificar se uma actualização de segurança foi aplicada num sistema afectado, poderá utilizar a ferramenta Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA). Consulte a secção "Orientações e ferramentas de detecção e implementação" mais acima neste boletim para obter mais informações.

  • Verificação das Versões dos Ficheiros

    Dado existirem várias versões e edições do Microsoft Windows, os passos que se seguem podem ser diferentes no seu sistema. Caso efectivamente o sejam, consulte a documentação do produto para executar estes passos.

    1. Clique em Iniciar e, em seguida, em Procurar.
    2. No painel Resultados da Procura, clique em Todos os ficheiros e pastas no Assistente de Pesquisa.
    3. Na caixa Totalidade ou parte do nome de ficheiro, escreva um nome de ficheiro a partir da tabela de informações de ficheiros adequada e, em seguida, clique em Procurar.
    4. Na lista de ficheiros, clique com o botão direito do rato no nome de ficheiro a partir da tabela de informações de ficheiros adequada e, em seguida, clique em Propriedades.

      Nota Dependendo da versão do sistema operativo, ou dos programas instalados, alguns dos ficheiros incluídos na tabela de informações de ficheiro poderão não estar instalados.
    5. No separador Versão, determine a versão do ficheiro que está instalada no sistema, comparando-a com a versão que é documentada na tabela de informações de ficheiros adequada.

      Nota Outros atributos que não a versão do ficheiro poderão sofrer alterações durante a instalação. Comparar outros atributos de ficheiro com as informações contidas na tabela de informações de ficheiro não é um método suportado para verificar a aplicação da actualização. Além disso, em determinados casos, o nome dos ficheiros poderá ser alterado durante a instalação. Se as informações de ficheiro ou de versão não estiverem presentes, utilize um dos outros métodos disponíveis para verificar a instalação da actualização.

Microsoft Works 9

Tabela de Referência

A tabela seguinte contém a informação sobre a actualização de segurança para este software. Pode encontrar informações adicionais na subsecção Informações de Implementação, nesta secção.

Inclusão em Service Packs Futuros A actualização para esta questão será incluída num service pack ou num update rollup futuro
Implementação
Instalação sem intervenção do utilizadorWorks9_KB2431831_en-US.msp /quiet
Instalação sem reiniciarWorks9_KB2431831_en-US.msp /norestart
Ficheiro log da actualizaçãoNão aplicável
Informações adicionaisPara detecção e implementação, consulte a secção Orientações e Ferramentas de Detecção e Implementação.
Requisito de Reinício
Reinício necessário?Em alguns casos, esta actualização não requer um reinício. Se os ficheiros necessários estiverem a ser utilizados, esta actualização obrigará a reiniciar o computador. Se for esse o caso, será apresentada uma mensagem aconselhando-o a reiniciar.

Para ajudar a reduzir a hipótese de ser necessário reiniciar o computador, interrompa todos os serviços afectados e feche todas as aplicações que possam usar os ficheiros afectados antes de instalar a actualização de segurança. Para mais informações sobre por que razão pode ser solicitada a sua confirmação para o reinício, consulte o Artigo 887012 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.
HotPatchingNão aplicável
Informações de Remoção Utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas, no Painel de Controlo.
Informações de Ficheiros Consulte o Artigo 2431831 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft
Verificação da Chave de Registo Não aplicável

Informações de Implementação

Instalação da Actualização

Pode instalar a actualização a partir da hiperligação de transferência adequada, na secção Software Afectado e Software Não Afectado. Se a aplicação tiver sido instalada a partir de uma localização no servidor, o administrador do servidor terá de actualizar a localização do servidor com a actualização administrativa e implementar essa actualização no sistema do utilizador. Para mais informações sobre os pontos de instalação administrativa, consulte as informações do artigo Ponto de instalação administrativa do Office, na secção Orientações e ferramentas de detecção e implementação.

Esta actualização de segurança requer que o Windows Installer 3.1, ou versão posterior, esteja instalado no sistema.

Para instalar a versão 3.1 ou posterior do Windows Installer, consulte um dos seguintes Web sites da Microsoft:

Para mais informações sobre a terminologia que é usada neste boletim, tal como hotfix, consulte o Artigo 824684 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Esta actualização de segurança suporta os seguintes parâmetros de configuração.

Parâmetros de Instalação de Actualizações de Segurança Suportados
ParâmetroDescrição
/help Apresenta as opções da linha de comandos.
/quiet ou /q[n|b|r|f]Modo silencioso, sem interacção do utilizador ou
/q[n|b|r|f] define o nível de interface de utilizador:
n - Sem interface de utilizador
b - Interface básica de utilizador
r - Interface de utilizador reduzida
f - Interface de utilizador total (predefinida)
/passive Modo automático - barra de progresso apenas.
/norestart Não reiniciar após conclusão da instalação.
/l[i|w|e|a|r|u|c|m|o|p|v|x|+|!|*] <LogFile> Activa o registo. Opções:
i - Mensagens de estado
w - Avisos não fatais
e - Mensagens de erro total
a - Início de acções
r - Gravações específicas de acções
u - Pedidos do utilizador
c - Parâmetros UI iniciais
m - Informação de falta de memória ou saída fatal
o - Mensagens de espaço de disco inexistente
p - Propriedades do terminal
v - Envio de informações detalhadas
x - Informação de depuração adicional
+ - Acrescentar a ficheiro log existente
! - Indexar cada linha ao log
* - Registar todas as informações, excepto para as opções v e x
/log<LogFile> Equivalente de /l* <LogFile>.

Nota É possível combinar estes parâmetros num único comando. Para efeitos de retro-compatibilidade, a actualização de segurança também suporta muitos dos parâmetros de configuração que são utilizados pelas versões anteriores do Programa de Configuração. Para mais informações sobre os parâmetros de instalação suportados, consulte o Artigo 262841 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Remoção da Actualização

Para remover esta actualização de segurança, utilize a ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo.

Nota Quando remove esta actualização, poderá ser-lhe solicitado que introduza o CD do Microsoft Office 2007 na unidade de CD. Além disso, poderá não ter a opção para desinstalar a actualização a partir da ferramenta Adicionar ou Remover Programas no Painel de Controlo. Existem várias causas possíveis para esta questão. Para obter mais informações sobre o processo de remoção, consulte o Artigo 903771 da Base de Dados de Conhecimento da Microsoft.

Verificar Se a Actualização Foi Aplicada

  • Microsoft Baseline Security Analyzer

    Para verificar se uma actualização de segurança foi aplicada num sistema afectado, poderá utilizar a ferramenta Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA). Consulte a secção "Orientações e ferramentas de detecção e implementação" mais acima neste boletim para obter mais informações.

  • Verificação das Versões dos Ficheiros

    Dado existirem várias edições do Microsoft Windows, os passos que se seguem podem ser diferentes no seu sistema. Caso efectivamente o sejam, consulte a documentação do produto para executar estes passos.

    1. Clique em Iniciar e, depois, introduza um nome de ficheiro de actualização na caixa Iniciar Pesquisa.
    2. Quando o ficheiro aparecer em Programas, clique com o botão direito do rato no nome do ficheiro e depois em Propriedades.
    3. No separador Geral, compare o tamanho do ficheiro com as tabelas de informação de ficheiros fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    4. Também pode clicar no separador Detalhes e comparar informações, como a versão de ficheiro e a data de modificação, com as tabelas de informação fornecidas no artigo da Base de Dados de Conhecimento do boletim.
    5. Por fim, também pode clicar no separador Versões anteriores e comparar a informação de ficheiros sobre a versão anterior do ficheiro com a informação da versão do ficheiro nova ou actualizada.

Outras informações

Agradecimentos

A Microsoft agradece às seguintes entidades por trabalharem connosco para proteger os clientes:

  • Yamata Li de Palo Alto Networks por fornecer informações sobre a Vulnerabilidade de Sobrecarga da memória intermédia do Conversor de Imagem CGM (CVE-2010-3945)
  • Yamata Li de Palo Alto Networks por fornecer informações sobre a Vulnerabilidade de ultrapassagem do número inteiro de dados do Conversor de Imagem PICT (CVE-2010-3946)
  • Alin Rad Pop de Secunia Research por fornecer informações sobre a Vulnerabilidade de ultrapassagem do número inteiro de dados do Conversor de Imagem PICT (CVE-2010-3946)
  • Carsten Eiram de Secunia Research por fornecer informações sobre a Vulnerabilidade de ultrapassagem de heap do Conversor de Imagem TIFF (CVE-2010-3947)
  • Carsten Eiram de Secunia Research por fornecer informações sobre a Vulnerabilidade de capacidade de memória intermédia excedida do Conversor de Imagem TIFF (CVE-2010-3949)
  • Carsten Eiram de Secunia Research por fornecer informações sobre a Vulnerabilidade de corrupção da memória do Conversor de Imagem TIFF (CVE-2010-3950)
  • Carsten Eiram de Secunia Research por fornecer informações sobre a Vulnerabilidade de capacidade de memória intermédia excedida do Conversor de Imagem FlashPix (CVE-2010-3951)
  • Carsten Eiram de Secunia Research por fornecer informações sobre a Vulnerabilidade de corrupção de heap do Conversor de Imagem FlashPix (CVE-2010-3952)

Microsoft Active Protections Program (MAPP)

Para melhorar as protecções de segurança dos clientes, a Microsoft fornece informações sobre as vulnerabilidades aos principais fornecedores de software de segurança antes de cada publicação mensal de actualizações de segurança. Os fornecedores de software de segurança podem então utilizar estas informações sobre as vulnerabilidades para assegurar protecções actualizadas aos clientes através do seu software ou dispositivos de segurança, tais como antivírus, sistemas de detecção de intrusos com base na rede ou sistemas de prevenção de intrusões com base no anfitrião. Para determinar se as protecções activas estão disponíveis nos fornecedores de software de segurança, visite os Web sites de protecções activas disponibilizados pelos parceiros do programa, indicados na lista de parceiros do Microsoft Active Protections Program (MAPP).

Assistência

  • Os clientes nos E.U.A. e no Canadá podem receber suporte técnico através do Suporte de Segurança ou da linha 1-866-PCSAFETY. As chamadas de suporte técnico associadas a actualizações de segurança são gratuitas. Para obter mais informações sobre opções de suporte disponíveis, consulte a Ajuda e Suporte da Microsoft.
  • Os clientes internacionais podem receber suporte das subsidiárias locais da Microsoft. O suporte técnico associado às actualizações de segurança é gratuito. Para mais informações sobre como contactar a Microsoft relativamente a questões de suporte, visite o Web site de Suporte Internacional.

Exclusão de garantia

As informações fornecidas na Base de Dados de Conhecimento da Microsoft são fornecidas "tal como estão", sem garantias de qualquer tipo. A Microsoft exclui todas as garantias, sejam expressas ou implícitas, incluindo as garantias de comercialização e adequação a um fim específico. Em caso algum serão a Microsoft Corporation ou os seus fornecedores responsáveis por quaisquer prejuízos, incluindo prejuízos directos, indirectos, incidentais ou consequentes, extraordinários ou por perda de lucros negociais, ainda que a Microsoft Corporation, ou os seus fornecedores tenham sido notificados da possibilidade de ocorrência de tais prejuízos. A exclusão ou limitação de responsabilidade por prejuízos consequentes ou incidentais não é permitida em alguns estados ou jurisdições, pelo que a limitação supra poderá não ser aplicável.

Revisões

  • V1.0 (14 de Dezembro, 2010): Boletim publicado.
  • V1.1 (15 de Dezembro de 2010): Esclarecimento de que os clientes do Microsoft Office XP e do Microsoft Office 2003 terão de aplicar a actualização no MS10-087, para se protegerem contra as vulnerabilidades descritas neste boletim (MS10-105).

Built at 2014-04-18T01:50:00Z-07:00

Mostrar: